quarta-feira, 11 de janeiro de 2023

I Crônicas 25 Comentário

 


Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica – I Crônicas 25
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


I CRÔNICAS 25 – Culto a Deus não oferece lugar para exibir dons e talentos. A música na Igreja não é meio de buscar “aplausos”, ou engrandecer orgulhosamente diante do público. A glória deve ser dada exclusivamente a Deus; do contrário, toda atuação será vanglória, aliás, uma glória vã, inútil, sem sentido real, desprovida de espiritualidade.

A música para louvar, exaltar e adorar a Deus é de grande importância nos momentos cúlticos. Sua utilização deve ser correta para ser devidamente útil. Para Deus, a regra não deve ser “qualquer coisa serve”. Cantar sem preparação, apresentar sem ensaio ou sem consagração, implica afrontar ao Deus que, devidamente planejado, entregou Seu melhor, a nós que merecemos o pior. Quanto mais deveríamos considerar ao apresentar-Lhe um louvor!

Precisamos ter ciência da importância e relevância da música na adoração como tinha Davi. “Evoluídos tecnologicamente, musicalmente e culturalmente” ficaríamos envergonhados diante do preparo e organização musical orquestrados por esse rei num passado remoto.

Davi selecionou 4.000 levitas “para louvarem o Senhor com os instrumentos musicais que” ele “tinha preparado com esse propósito” (I Crônicas 23:5). Além desses milhares de instrumentistas, 288 cantores foram devidamente escolhidos para apresentar os louvores: “Todos capazes e preparados para o ministério do louvor ao Senhor” (I Crônicas 25:7). Não havia separação de idade ou de habilidade, todos estavam juntos. Pois, “tiraram sortes entre jovens e velhos, mestres e discípulos para designar-lhes suas responsabilidades” (I Crônicas 25:8).

Há pessoas que não compactuam com a ideia de ter instrumentos musicais na adoração a Deus. Estas louvam suas ideias e orgulham-se de suas concepções pervertidas. Porém, Davi tinha ciência de que os instrumentos musicais impulsionavam e embelezavam os sons vocais emitidos pelas vozes humanas. “Davi, junto com os comandantes do exército, separou alguns dos filhos de Asafe, de Hemã e de Jedutum para o ministério de profetizar ao som de harpas, líras e címbalos... Todos esses homens estavam sob a supervisão de seus pais quando ministravam a música do templo do Senhor, com címbalos, liras e harpas, na casa de Deus. Asafe, Jedutum e Hemã estavam sob a supervisão do rei” (I Crônicas 25:1, 6).

Tudo precisa ser devidamente preparado e organizado (I Crônicas 25:2-5, 9-31). Como seria o louvor em nossas igrejas caso aplicássemos esses princípios? Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Nenhum comentário:

A OBRA DO ESPÍRITO SANTO

  A OBRA DO ESPÍRITO SANTO Quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque eles não creem em Mim; da...