quinta-feira, 15 de dezembro de 2022

O HÓSPEDE

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

15 de dezembro

         O HÓSPEDE

   Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, Comigo. Apocalipse 3:20

   Nosso Salvador apreciava o convívio de um lar tranquilo e ouvintes interessados. Desejava a ternura, a cortesia e o amor humanos. Aqueles que recebiam a instrução celestial que Ele sempre estava pronto a transmitir eram grandemente abençoados. Quando as multidões O seguiam em meio aos campos, mostrava a elas as belezas do mundo natural. Procurava abrir-lhes os olhos do entendimento, a fim de verem como a mão divina mantém os mundos. Para fazer com que as pessoas percebessem a bondade e benevolência de Deus, chamava atenção dos ouvintes para o orvalho que caía silenciosamente, para a delicada chuva e o brilhante Sol, oferecidos tanto aos bons quanto aos maus. Desejava que as pessoas compreendessem melhor o cuidado dado por Deus às Suas criaturas. No entanto, a multidão demorava a compreender isso e, no lar de Betânia, Cristo encontrava repouso do cansado conflito da vida pública. Diante de uma audiência que apreciava Suas palavras, abria o livro da Providência. Nessas conversas particulares, apresentava aos Seus ouvintes o que não podia dizer à multidão. Não necessitava falar por parábolas aos Seus amigos. 

   Quando Cristo dava Suas admiráveis lições, Maria sentava-Se aos Seus pés, como ouvinte atenta e reverente. Certa vez, Marta, preocupada em preparar a refeição, foi até Cristo, dizendo: “O Senhor não Se importa com o fato de minha irmã ter deixado que eu fique sozinha para servir? Diga-lhe que venha me ajudar” (Lc 10:40). Isso aconteceu na primeira visita de Cristo a Betânia. O Salvador e os discípulos haviam feito a cansativa viagem de Jericó até lá a pé. Marta desejava proporcionar-lhes conforto e, em sua ansiedade, esqueceu a gentileza que o Hóspede deveria receber. Jesus lhe respondeu calma e pacientemente: “Marta! Marta! Você anda inquieta e se preocupa com muitas coisas, mas apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada” (v. 41, 42). Maria estava enriquecendo a mente com as preciosas palavras vindas dos lábios do Salvador […]. 

   A “uma só coisa” de que Marta necessitava era um espírito calmo, devoto, um anseio mais profundo de conhecimento da vida futura e imortal e as virtudes necessárias ao progresso espiritual. Precisava de menos ansiedade em torno das coisas passageiras e mais pelas coisas que permanecem para sempre (O Desejado de Todas as Nações, p. 418, 419 [524, 525]). 

   PARA REFLETIR: O que você pode fazer para receber Jesus no seu lar hoje?

Nenhum comentário:

A guarda do Sábado

A guarda do Sábado Certamente vocês guardarão os Meus sábados, pois é sinal entre Mim e vocês [...]. Aquele que o profanar morrerá; quem nes...