segunda-feira, 12 de setembro de 2022

1 Samuel 6 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 1 Samuel 6
Comentário
Pr Heber Toth Armí

I SAMUEL 6 – Icabode? Foi-se a glória de Israel na captura da arca da aliança? Obviamente não, pois a glória de Israel não é inerente, vem de Deus; O qual é compassivo e benevolente, apesar do povo ser desobediente.

Os magos filisteus reconheceram “que um poder misterioso acompanhava a arca, poder este que que eles não tinha sabedoria para enfrentar. Contudo não aconselhavam o povo a desviar-se de sua idolatria para servirem ao Senhor. Odiavam ainda ao Deus de Israel, embora compelidos pelos juízos esmagadores a submeter-se à Sua autoridade. Assim os pecadores podem convencer-se dos juízos de Deus de que é [em vão] contender contra Ele. Podem ser obrigados a sujeitar-se ao Seu poder, enquanto no coração se rebelam contra Seu domínio. Tal submissão não pode salvar o pecador. O coração deve render-se a Deus – deve ser subjugado pela graça divina – antes que o arrependimento do homem possa ser aceito. Quão grande é a longanimidade de Deus para com os ímpios! Os filisteus idólatras e o relapso Israel haviam semelhantemente [desfrutado] de dons da providência. Dez milhares de mercês, sem que fossem notadas, estiveram a cair silenciosamente no caminho de homens ingratos e rebeldes. Cada bênção lhes falava do Doador, mas eles eram indiferentes ao Seu amor... Recusaram-se a escutar a voz de Deus nas obras criadas, e nas advertências, conselhos e reprovações de Sua Palavra; e assim foi obrigado a falar-lhes por meio de juízos”, analisa Ellen White (PP, 587-588).

Usando inclusive ratos e tumores, Deus promoveu temores nos arredores de Seu povo que não testemunhava positivamente de Seus favores (I Samuel 5:6-12). Agora, através de duas vacas sem suas crias, Deus demonstrou Sua glória a Israel e aos filisteus (I Samuel 6:1-21).

Hipocrisia, idolatria, negligência espiritual, irreverência, perversidade social e depravação na liderança espiritual do povo escolhido não impedem a atuação do Deus cujo plano visa salvar a humanidade. Sua glória não está restrita a uma nação ou geografia. Nas palavras de Malaquias, Deus mesmo afirma: “Eu Sou um grande Rei, e o meu nome é temido entre as nações”. Isso foi dito em um contexto de perversão, relaxo, frieza e baixa espiritualidade, semelhante ao contexto social de Samuel (Malaquias 1:12-14).

Diante de situações deprimentes... reavivemo-nos na Palavra do Soberano Onipotente! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

Nenhum comentário:

O CONSUMADOR DA OBRA

  MEDITAÇÃO DIÁRIA O CONSUMADOR DA OBRA Quando Jesus tomou o vinagre, disse: “Está consumado!” João 19:30 O Senhor não vem a este mundo com ...