terça-feira, 15 de março de 2022

O PRESENTE DIÁRIO

 O PRESENTE DIÁRIO

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a Tua fidelidade. Lamentações 3:22, 23

Como os seres humanos viveriam se as bênçãos do Céu não fluíssem constantemente sobre a sua vida? Deus doa continuamente para que os seres humanos possam doar constantemente. Não existe nenhum momento da vida em que os donativos e as ofertas não devam ser feitos de acordo com os recursos que Deus providencia.

Não é nosso o dinheiro que manuseamos. Os recursos pertencem a Deus, e Sua obra só pode avançar se Sua tesouraria receber doações e ofertas. Deus nos empresta meios para que devolvamos a Ele os recursos que Lhe pertencem. Se fielmente cumprirmos o nosso dever, sempre haverá o suficiente para as missões locais e estrangeiras.

Tudo o que fizermos precisa ser realizado com espírito voluntário. Devemos levar as nossas ofertas com alegria e gratidão. […] O serviço mais dispendioso que podemos fazer vale muito pouco em comparação com o dom de Deus ao nosso mundo. Cristo é um Presente diário. Deus O deu ao mundo e graciosamente usa os dons confiados aos Seus agentes humanos para o avanço da Sua obra. Assim mostramos que reconhecemos e confessamos que tudo pertence a Deus de forma completa e absoluta.

Deus nos chama para ser colaboradores Dele. Essa é a mensagem que Ele nos envia de diversas maneiras. A mensagem deve ser apresentada para aqueles que não conhecem o Senhor. A Bíblia precisa ser lida para quem quiser ouvir. O Espírito Santo coopera com aquele que abre as Escrituras para os outros. O ministro que é um pastor verdadeiro anuncia a Palavra ao povo. Isso é tudo que o agente humano pode fazer. Ele lança a semente, sem saber qual prosperará, se esta ou aquela. Mas Deus concede a multiplicação. Ele atrai, conduz e sonda o coração.

A obra precisa ser realizada em nosso país e em outras terras. Esse trabalho requer o dinheiro que o Senhor nos confia. As pessoas verdadeiramente convertidas têm a obrigação de realizar um trabalho que requer recursos e consagração. Deus não se propõe a vir a este mundo e distribuir ouro e prata. […] Não é a devolução dos dons confiados por Deus que torna a pessoa pobre. Mas a recusa em fazê-lo leva à pobreza, pois o maior propósito para o qual os recursos divinos devem ser usados é a manutenção dos obreiros na grande seara a ser colhida (Manuscrito 124, 1898).

PARA REFLETIR: Os dízimos são devolvidos. As ofertas são doadas. Quão generoso você é para com Deus?

Nenhum comentário:

O CORDEIRO PASCAL

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 2 de Outubro          O CORDEIRO PASCAL    Então Jesus lhes disse: "Tenho desejado ansiosamente comer esta Páscoa c...