sábado, 19 de dezembro de 2020

Nunca sem um Intercessor

MEDITAÇÃO DIÁRIA

19 de dezembro

Nunca sem um Intercessor

Portanto, Ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio Dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles. Hebreus 7:25, NVI

Tão completo, abrangente e inclusivo é o plano da redenção que, às vezes, surpreendo-me perguntando a mim mesmo: “O que exige maior dose de esforço: Permanecer no caminho que leva à perdição, rejeitando todos os apelos da graça, ou trocá-lo pela rota que conduz à vida eterna?” A primeira suposição significa ignorar toda a provisão feita pelo Céu e colocada gratuitamente à disposição do ser humano. A segunda implica aceitar pela fé. No entanto, há quem a rejeite, assim como há quem a avalie insuficiente, entendendo que precisa acrescentar algo a fim de tornar possível a própria salvação. Duplo engano.

Para desfrutarmos a alegria da salvação, precisamos aceitar tudo o que Deus realizou em Cristo na cruz. Ou nos imaginaríamos com direito a exigir algo mais além de Sua vida de obediência imaculada, Seus sofrimentos e morte em nosso favor? Contudo, o plano inclui mais: o ministério intercessor de Jesus. A salvação por Ele oferecida está intimamente ligada a Seu ministério de intercessão pelos pecadores, meio pelo qual são aplicados os méritos daquele sacrifício ao pecador arrependido. Nas palavras de Siegfried Schwantes, “Cristo veio nos salvar não em nossos pecados, mas de nossos pecados. O ideal que Deus nos propõe é de viver uma vida sem pecado. ‘Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo’ (1Jo 2:1). É a morte de Cristo que garante nossa justificação. Mas é Sua intercessão que torna possível nossa santificação” (Hebreus, p. 55).

Hoje temos junto a Deus um sacerdote superior a todos os que O simbolizaram no Antigo Testamento. Morreu, porém ressuscitou, pois é um sacerdote eterno, que “vive para interceder”, não como um suplicante humilhado ou advogado discursando inflamado na tentativa de convencer jurados ou juízes. Intercede como vencedor, reivindicando, com o argumento de Seu sacrifício e da sepultura vazia, em favor de todos quantos “por meio Dele, aproximam-Se de Deus”. Desse modo, as acusações de Satanás já não têm o menor sentido na vida de uma pessoa banhada pelas águas da graça. Dúvida, temor e desespero são absolutamente injustificáveis.

“Ele pode salvar.” Esse é Seu ministério. Sua vida é nossa garantia, nossa segurança, pois vive para nós. E não há nenhum outro além Dele: “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1Tm 2:5).

Nenhum comentário:

O poder das palavras no lar

  MEDITAÇÃO DIÁRIA Sexta-feira, 22 de janeiro O poder das palavras no lar E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na d...