sábado, 15 de agosto de 2020

Não Subestime o Inimigo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

15 de agosto
Não Subestime o Inimigo

Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. 1 Coríntios 10:12

A notícia de que um irmão de fé se deixou seduzir pelos encantos transitórios do pecado nunca é agradável. De fato, a influência de tal incidente pode ser tão vasta e difícil de ser reparada quanto mais ampla e sólida tenha sido a influência exercida anteriormente por essa pessoa na comunidade. Entretanto, com essa reação de perplexidade, acaso estaríamos pressupondo que a pessoa envolvida nessa experiência seria imune aos ataques do grande adversário? Ou, ainda, estaríamos deixando transparecer certo tipo de pensamento que diz: “Comigo isso não aconteceria; sou forte o bastante para resistir à tentação”? Não necessariamente; afinal, “todos […] carecem da glória de Deus” (Rm 3:23).

Somos possuidores de uma natureza com inclinação para o mal, que não nos dá margem para superestimar nossa força espiritual nem a de nossos semelhantes. Nada temos ou somos que justifique a eventual vanglória. Ainda estamos expostos a um inimigo incansável, sempre à espreita, buscando o momento certo de abater suas vítimas. Isso nos impõe a necessidade de viver em constante vigilância e dependência de Jesus Cristo. Em nenhum momento, sob circunstância nenhuma deveríamos ceder ao perigo de permitir interferências entre Ele e nós. Para que haja luz, a corrente elétrica não pode ser interrompida em seu fluxo contínuo, da fonte à lâmpada. Nossa dependência da fonte de poder e graça é vital para a sobrevivência espiritual. Não são nossas virtudes que nos mantêm em pé, mas Cristo e Seu poder.

Ao lembrar os cristãos de Corinto dos erros cometidos pelos israelitas, Paulo os advertiu contra o perigo de seguirem pelo mesmo caminho tortuoso da autoconfiante exposição à idolatria e às formas de alimentá-la: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” Essa advertência também serve para nós. Assim como outros caíram e ainda caem, também estamos sujeitos à mesma experiência. Felizmente, não precisamos sucumbir ao perigo. A Bíblia nos diz que há Alguém que é poderoso para impedir nossa queda (Jd 24). Além disso, temos a promessa: “Deus é fiel; Ele não permitirá que sejais tentados além das vossas forças. Pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (1Co 10:13).

Este é o segredo: a única segurança contra o pecado é a desconfiança de nós mesmos e o apego inseparável a Cristo Jesus.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

O Desaforo e a Glória

MEDITAÇÃO DIÁRIA 27 de setembro O Desaforo e a Glória A sabedoria do homem lhe dá paciência; sua glória é ignorar as ofensas. Provérb...