terça-feira, 28 de janeiro de 2020

PÃO DA VIDA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

27 de janeiro
PÃO DA VIDA

Eu sou o Pão da Vida. João 6:48

Principal alimento dos hebreus desde os tempos mais remotos, o pão é muito apreciado em todo o mundo. Há cerca de mil tipos de pão. Desses, mais de 300 são servidos aos alemães. Sua origem está ligada ao início do cultivo do trigo na região da Mesopotâmia, onde atualmente está situado o Iraque. A Bíblia menciona 319 vezes o vocábulo pão, na versão Almeida Revista e Atualizada.

A palavra pão nos traz à mente a ideia de satisfação, sustento e saciedade. No corre-corre da vida, todos os esforços empreendidos pelo ser humano parecem centralizar-se em um objetivo: ganhar o pão, a fim de garantir a sobrevivência própria e a daqueles pelos quais é responsável. Por esse propósito, patrões e empregados, líderes e liderados, instrutores e aprendizes, homens e mulheres trabalham árdua e honestamente, de sol a sol. Alguns buscam o máximo aprimoramento intelectual; outros não o consideram necessário. Outros pretendem ganhar o pão utilizando meios censuráveis, e há quem pense que pode ser adquirido sem trabalho.

É justo e necessário que trabalhemos pela obtenção do pão material. Isso faz parte do plano de Deus para a existência humana. O trabalho honesto foi instituído e abençoado por Ele. A queda da humanidade alterou a dinâmica de execução do trabalho, mas não seu valor. Ao lado disso, desde a criação, Deus tomou providências para a sobrevivência humana. Durante a peregrinação do Seu povo, após a saída do Egito, providenciou-lhe o maná diário (Êx 16:4, 5, 14-35). Cristo alimentou multidões, multiplicando milagrosamente pães e peixes (Mc 8:1-9; Jo 6:1-13).

Apesar de sua importância, a luta pelo pão material não deve ofuscar a prioridade da busca pelo Pão da vida que nutre para a eternidade. Nos dias de Jesus, os habitantes da Galileia sabiam o que significava trabalhar com diligência, e isso eles faziam servindo aos ricos proprietários de terras de quem recebiam salários modestos. Mesmo assim, não eram capazes de empregar esforços na busca espiritual. Por isso, o Mestre aconselhou: “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que subsiste para a vida eterna” (Jo 6:27).

É Jesus quem dá sentido a tudo o que desejamos, pelo que trabalhamos e o que conquistamos. Nenhum tipo de pão existente no mundo, nem mesmo o maná que os israelitas receberam no deserto, satisfaz para a vida eterna. Só Jesus. Que Ele seja prioridade em sua agenda hoje!
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

PROMESSA E CERTEZA

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 30 de outubro PROMESSA E CERTEZA Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm Nele o “sim”; porquanto também por E...