domingo, 30 de março de 2014

Buscai e lede- Isaías 34

Lições de Vida
Leia na Bíblia- Isaias 34

Buscai e lede
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Deus convida a todos, inclusive você a ouvir o que Ele tem a dizer. Preste atenção, saber o que Deus fará, fará total diferença em tua visão do futuro do mundo. Leia, antes de mais nada, Isaías 34. 

Deus, o grande Juiz julgará toda a Terra, todas as nações, todas as pessoas. Ele é soberano, mesmo assim avisa antes o que fará. Só será pego de surpresa quem não quiser acreditar em Suas revelações. Se você não quer ser surpreendido pelo que Deus fará, tire cinco minutos de teu tempo para meditar nestas palavras, o qual nos ensina que haverá uma destruição em massa do mundo, quando todas as nações se unirem para uma guerra contra o povo de Deus (vs. 1-4).

 Assim, com um olho neste capítulo e outro em Apocalipse, se nota que o fato das nações se reunirem para batalhar, terrível resultado haverá. Edom representa uma nação onde centralizar-se-á a força satânica para reger as nações em uma rebelião contra Deus; formando-se, desta forma, o quadro para o Armagedom. Na atualidade, observe qual é a nação que está cada vez mais dominando o mundo com seu idioma, cultura e poder. Tire tuas próprias conclusões!

A realidade do juízo divino está expressa em três formas figuradas em Isaías 34, a profecia escatológica é simbólica neste texto:

1. Nos versos 5 a 7 está a figura de uma grande matança;
2. Nos versos 8 a 10 está a figura de uma conflagração inextinguível;
3. Nos versos 11 a 17 está a figura de uma desolação total.

Diz S. J. Schwantes diz que por estas figuras serem em parte incompatíveis, nenhuma delas deve ser tomada literalmente. E, continua, “a necessidade de três figuras para descrever o julgamento escatológico mostra quão inadequada é a linguagem humana para descrever o que se passa no final e além da história”. Concluindo seu comentário do capítulo, declara: “Uma verdade ressalta desta visão apocalíptica: todas as nações são responsáveis diante do tribunal de Deus”. 

É preciso aprofundar-se nas profecias bíblias, elas nunca falharam, portanto, certamente nunca falharão. Elas são exatas, e cada detalhe se cumpre detalhadamente. A bondade de Deus se nota no fato dEle convocar a todos através do capítulo em questão para avisar o que fará a fim de que nos preparemos para os eventos finais dos anais da história deste mundo.

O fim do mundo há de existir, ainda que o mundo esteja cético sobre seu fim. O medo toma conta das pessoas, e o lenitivo é o ceticismo; uma tentativa falsa, portanto, frustrante para o desespero oriundo das evidências de um fim prestes a vir. 

Como Deus é quem avisa sobre o fim, Ele tem sido considerado por muitos como o responsável pela destruição dos pecadores impenitentes. Por isso haverá uma organização mundial para uma confrontação espiritual contra Deus na figura de Seus servos. Entretanto, o fim desta rebelião e revolta contra Deus já está profetizado em Isaías 34 e ampliado em Apocalipse 16. A indignação divina será vista por todos no mundo inteiro, mas também as promessas de salvação àqueles que se rendem a Deus se concretizará, os salvos herdarão as promessas, estarão para sempre num lugar seguro, na presença de Deus.

 A vingança de Deus é mais do que acertar as contas com as nações, refere-se à ação de Deus ao executar a sentença que Ele, como Juiz da Terra, acabou de pronunciar, a fim de salvar àqueles que estão ao Seu lado na luta contra o pecado. Louvado seja Deus! 

Ore a Ele agora: “Soberano Juiz, não é preciso os olhos da fé para perceber muitas profecias acontecendo à frente de nossos olhos; Te louvo porque estás no controle de tudo e já sabes o que fazer antes mesmo que as coisas se desencaminhem. Por isso, entrego minha vida totalmente a Ti a fim de que eu experimente sempre o plano de salvação que ofereces para mim. Amém”.
Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz

Nenhum comentário:

Por Que Moisés Nunca Reclamou?

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 29 De Julho, Quinta Por Que Moisés Nunca Reclamou? O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços ...