Translate

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Pedro olhou para trás

Pedro olhou para trás, 31 de Outubro


Homem de pequena fé, por que duvidaste? Mateus 14:31.

Olhando para Jesus, Pedro caminha firmemente; como satisfeito consigo mesmo, porém, volta-se para os companheiros no barco, desviando os olhos do Salvador. O vento ruge. As ondas encapelam-se, alterosas, e interpõem-se exatamente entre ele e o Mestre; e ele teme. Por um momento, Cristo fica-lhe oculto, e sua fé desfalece. Começa a afundar. Mas ao passo que as ondas prenunciam morte, Pedro ergue os olhos para Jesus e brada: “Senhor, salva-me!” Jesus segura imediatamente a estendida mão, dizendo: “Homem de pequena fé, por que duvidaste?”

Andando lado a lado, a mão de Pedro na do Mestre, entraram juntos no barco. Mas Pedro estava agora rendido e silencioso. Nenhuma razão tinha de se vangloriar sobre os companheiros, pois por causa da incredulidade e da exaltação quase perdera a vida. Ao desviar de Cristo o olhar, foi-se-lhe o pé, e ei-lo a submergir-se.

Quantas vezes, ao sobrevir-nos aflição, fazemos como Pedro! Olhamos para as ondas, em lugar de manter os olhos fixos no Salvador. Os pés vacilam, e as orgulhosas águas passam por sobre nossa alma. Jesus não disse a Pedro que fosse ter com Ele para que perecesse; não nos chama a segui-Lo, para depois nos abandonar. ...

Nesse incidente no mar, desejava mostrar a Pedro sua própria fraqueza — que sua segurança dependia constantemente do poder divino. Em meio das tempestades da tentação, só podia andar em segurança, quando, desconfiando inteiramente de si mesmo, descansasse no Salvador. Era no ponto que mais forte se julgava, que Pedro era fraco; e enquanto não discernisse sua fraqueza, não poderia compreender quanto necessitava de confiar em Cristo. Houvesse aprendido a lição que Jesus lhe buscou ensinar naquele incidente no lago, e não teria fracassado quando a grande prova lhe sobreveio.

Dia a dia instrui Deus a Seus filhos. Pelas circunstâncias da vida diária, prepara-os para a parte que têm de desempenhar naquele mais vasto cenário que Sua providência lhes designou. É o resultado de sua diária prova que determina a vitória ou derrota deles na grande crise da vida. — O Desejado de Todas as Nações, 381, 382.

Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org


EZEQUIEL 41 Comentário Pr Heber Toth Armí

EZEQUIEL 41 
Comentário Pr Heber Toth Armí

O avanço do reino de Deus neste mundo contaminado pelo pecado depende muito da disposição e compromisso sério do povo que professa a fé no Deus da Bíblia.

Frank Holbrook compartilha uma história intrigante:

O Dr. Walter Beach, ex-secretário da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, menciona que conversou com uma antiga colega de estudos, que agora era uma senhora de distinção e cultura. Enquanto conversavam, ele percebeu que a relação dessa mulher para com Deus tornara-se algo distante, e mera curiosidade intelectual.

– Bem, Maria, qual é agora a sua maior preocupação? Perguntou o Dr. Beach.

Com um grande sorriso, ela respondeu:

– Oh! Atualmente, minha preocupação é a organização de uma sociedade para promover a boa vontade para com os gatos e os cães em nossa comunidade. O Senhor sabe quanto ela é necessária!

O Dr. Beach ficou chocado. Sem dúvida, é bom trabalhar pelo melhoramento das condições dos animais de estimação. Mas devemos dedicar muito mais entusiasmo, tempo e talento para suprir as necessidades do povo de Deus... Só podemos imaginar o que a Sra. Maria poderia haver realizado se a sua prioridade fosse os serviço de Deus e a salvação do próximo.

O templo (vs. 1-4), suas dependências (vs. 5-12), as dimensões preditas por Ezequiel (vs. 13-15) e seus ornamentos e mobílias (vs. 15-26) nunca se cumpriram nem se cumprirão devido à negligência dos judeus ao apelo à consagração. O que está escrito é o que poderia ter sido.

Siegfried Júlio Schwantes comenta: “...uma nação ideal vivendo na Terra Prometida depois do exílio teria construído este templo ideal. Mas como o povo judeu não viveu à altura do ideal que Deus lhes propunha, um templo que obedece a estas estipulações deste nunca foi construído”.

Aplicações:

• Desperdiçamos nosso tempo quando nossa prioridade é interesses egoístas, em vez dos interesses de Deus.
• Impedimos que os planos de Deus para este mundo avancem quando somos negligentes na vida religiosa orientada por Deus em Sua Palavra.
• Apatia missionária, mornidão do fervor e, indisposição para viver o ideal divino, tornam o crente presa fácil das influências do mundanismo, em vez de ser uma luz para atrair pecadores ao cristianismo.
• Se não correspondemos às expectativas divinas, nós e nosso próximo perderemos muitas bênçãos divinas.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Cristo vê nossas possibilidades

Cristo vê nossas possibilidades, 30 de Outubro


Por isso, te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama. Lucas 7:47.

Maria fora considerada grande pecadora, mas Cristo sabia as circunstâncias que lhe tinham moldado a vida. Poderia ter acabado com sua esperança, mas não o fez. Fora Ele que a erguera do desespero e da ruína. Sete vezes ouvira ela Sua repreensão aos demônios que lhe dominavam o coração e a mente. Ouvira-Lhe o forte clamor ao Pai em benefício dela. Sabia quão ofensivo é o pecado à Sua imaculada pureza, e em Sua força vencera.

Quando, aos olhos humanos, seu caso parecia desesperado, Cristo viu em Maria aptidões para o bem. Viu os melhores traços de seu caráter. O plano da redenção dotou a humanidade de grandes possibilidades, e em Maria se deviam as mesmas realizar. Mediante Sua graça, tornou-se participante da natureza divina. Aquela que caíra e cuja mente fora habitação de demônios, chegara bem perto do Salvador em associação e serviço. Foi Maria que se assentou aos pés de Jesus e dEle aprendeu. Foi ela que Lhe derramou na cabeça o precioso ungüento, e banhou os pés com as próprias lágrimas. Achou-se aos pés da cruz e O seguiu ao sepulcro. Foi a primeira junto ao sepulcro, depois da ressurreição. A primeira a proclamar o Salvador ressuscitado.

Jesus conhece as circunstâncias de toda alma. Podeis dizer: Sou pecador, muito pecador. Talvez o sejais; mas quanto pior fordes, tanto mais necessitais de Jesus. Ele não repele nenhuma criatura que chora, contrita. Não diz a ninguém tudo quanto poderia revelar, mas manda a toda alma tremente que tenha ânimo. Perdoará abundantemente todos quantos a Ele forem em busca de perdão e restauração. ... Acha-Se hoje ante o altar de incenso, apresentando perante Deus as orações dos que desejam Seu auxílio.

As almas que a Ele se volvem em busca de refúgio, Cristo erguerá acima da acusação e da contenda das línguas. Nenhum homem ou anjo mau pode incriminar a essas almas. Cristo as liga a Sua própria natureza humano-divina. Acham-se ao lado dAquele que tomou sobre Si os pecados, na luz que procede do trono divino. — O Desejado de Todas as Nações, 568.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Ezequiel 40 Comentários Pr Heber Toth Armí

Ezequiel 40 
Comentários Pr Heber Toth Armí

Alguns planos de Deus nunca vão se cumprir, isso porque Ele respeita a livre vontade humana e faz profecias condicionais. Quando as condições são desprezadas, as profecias não são cumpridas. 

• Por outro lado, há profecias incondicionais, as quais se cumprirão apesar de qualquer oposição.

“De muitas maneiras estes capítulos finais são os mais importantes do livro, visto que eles formam uma realidade culminante, o clímax da profecia de Ezequiel e da restauração de Israel. Essa seção inclui: 1) o novo templo (40.1-43:12); 2) o novo culto (43:13-46:24); e 3) a nova divisão da Terra Prometida (47:1-48.35)” (John MacArthur).

Os capítulos finais de Ezequiel são profecias condicionais, que jamais se cumprirão como estão descritas devido à negligência judaica. Sobre tais profecias, Frank Holbrook nos orienta:

• Algumas promessas proféticas nunca se cumprirão;
• As profecias suscetíveis a cumprimento se cumprirão de modo geral. Os aspectos principais cumprir-se-ão para a igreja de Cristo espalhada pelo mundo inteiro. A igreja não está limitada à configuração original das profecias da Palestina;
• A única maneira segura de saber quais as promessas proféticas que se cumprirão, e de que modo, consiste em examinar como foram aplicadas pelos escritores do Novo Testamento;
• Sendo que as promessas proféticas do concerto ou aliança tornaram-se a herança do Israel espiritual (Gálatas 3:29; 6:15-16), elas não podem mais aplicar-se exclusivamente ao povo judeu. Ao contrário da opinião popular, o moderno Estado de Israel não constitui um cumprimento das profecias do concerto.

Para uma ideia geral do capítulo em apreço, William MacDonald nos fornece os seguintes tópicos:

• Um homem com uma cana de medir (vs. 1-4);
• A porta oriental do átrio exterior (vs. 5-16);
• O átrio exterior (vs. 17-19);
• As outras duas portas do átrio exterior (vs. 20-27);
• As três portas do átrio interior (vs. 28-37);
• Os utensílios para o sacrifício (vs. 38-43);
• As câmaras dos sacerdotes (vs. 44-47);
• O vestíbulo do templo (vs. 48-49).

A visão revela um Deus preocupado com Sua missão tendo Seu povo como instrumento. Todavia, a negligência espiritual dos crentes interfere na atuação profusa de Deus no mundo. 

Vai ser muito triste se, caso chegarmos ao céu, Deus nos mostrar tudo o que poderíamos ter feito, mas por nossa falta de consagração muita coisa não foi realizada. Portanto, reavivemo-nos na missão! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 29 de outubro de 2017

Transformação de Simão

Transformação de Simão, 29 de Outubro


Não julgueis, para que não sejais julgados, porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. Mateus 7:1, 2.

Simão, o hospedeiro, fora influenciado pela crítica de Judas à dádiva de Maria, e surpreendeu-se do procedimento de Jesus. Seu orgulho farisaico ofendeu-se. Sabia que muitos de seus hóspedes estavam olhando a Jesus com desconfiança e desagrado. Simão disse no seu interior: “Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que Lhe tocou, pois é uma pecadora.” Lucas 7:39.
Curando Simão da lepra, Cristo o salvara de uma morte em vida. Mas agora Simão duvidava se o Salvador era profeta. ... Jesus nada sabe dessa mulher, tão pródiga em demonstrações, pensou ele, ou não lhe permitiria que O tocasse. ...

Como fizera Natã com Davi, Cristo ocultou Seu bem atirado golpe sob o véu de uma parábola. Lançou sobre o hospedeiro a responsabilidade de proferir a própria sentença. Simão induzira ao pecado a mulher que ora desprezava. Fora por ele profundamente prejudicada. ... Mas Simão se julgava mais justo que Maria, e Jesus desejava fazer-lhe ver quão grande era na verdade a sua culpa. Queria mostrar-lhe que seu pecado era maior que o dela, tão maior, como um débito de quinhentos dinheiros é superior a uma dívida de cinqüenta. ...

A frieza de Simão e sua negligência para com o Salvador mostravam quão pouco apreciava a bênção que recebera. Julgava honrar a Jesus, convidando-O à sua casa. Mas viu-se então como na realidade era. ... Sua justiça fora um vestido de farisaísmo. ... Ao passo que Maria era uma pecadora perdoada, ele era um não perdoado pecador. A rigorosa regra de justiça que quisera impor contra ela, condenava-o a ele próprio.
Simão foi tocado pela bondade de Jesus em não o repreender abertamente diante dos hóspedes. Não fora tratado como desejara que Maria o fosse. ... Uma severa acusação haveria endurecido Simão contra o arrependimento, mas a paciente admoestação o convenceu de seu erro. Viu a magnitude do débito que tinha para com seu Senhor. Seu orgulho humilhou-se, ele se arrependeu, e o altivo fariseu tornou-se um humilde e abnegado discípulo. — O Desejado de Todas as Nações, 566-568.

Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org


Ezequiel 39 Comentário Pr Heber Toth

Ezequiel 39
Comentário Pr Heber Toth

 Qualquer plano estabelecido sem Deus está absolutamente fadado ao fracasso. Por mais forte que seja o exército, por melhor que seja a estratégia, e por mais recursos que se tenha... armas, táticas e habilidades físicas são ineficazes frente ao que Deus propõe a fazer no mundo.

Temos muito a aprender do capítulo em pauta. Leia-o várias vezes em várias versões, ore e reflita em cada um de seus versos, depois medite nestes pontos:

• Inimigos do povo de Deus serão punidos devido aos seus pecados, injustiças e imoralidades; quando o juízo divino terminar, o universo inteiro terá convicção do poder do Deus que é justo, misericordioso e poderoso (vs. 1-8).

• Inimigos de Deus, desvinculados da fonte da vida, amantes do pecado que é o combustível do fogo do juízo, serão plenamente destruídos; assim, Deus será plenamente vitorioso e terá resolvido para sempre o problema do mal (vs. 9-15).

• A destruição total sobre tudo o que está relacionado ao mal revela a capacidade divina de vencer completamente sobre tudo o que invadiu e suplantou a criação que era perfeita (vs. 16-22).

• A restauração do povo de Deus do cativeiro revelaria o caráter de Deus ao mundo inteiro, a intolerância de Deus para com o pecado e Sua misericórdia para com o pecador. O reavivamento da nação desobediente só se daria com a atuação sobrenatural do Espírito Santo no coração do remanescente (vs. 23-29).

No plano divino, nenhum ímpio escapará do juízo e nenhum justo será esquecido, abandonado. Os que profanam o nome de Deus terão seus nomes riscados da terra dos viventes. Deus honra aqueles que honram o Seu santo e magnífico nome.

Os 7 anos de destruição (v. 9) simbolizam e revelam completude e perfeição na execução do julgamento. Os 7 meses de purificação (v. 12) revelam plenitude na restauração do que o pecado arruinou. O que aconteceu no passado é um reflexo do que Deus fará no futuro, conforme revela o livro de Apocalipse capítulo 19, 20 e 21.

Enquanto o pecador impenitente perde a vida, o pecador arrependido e restaurado recebe a plenitude do Espírito para viver o alto padrão idealizado por Deus à humanidade arruinada pelo pecado.

No fim, o caráter de Deus será vindicado e os reavivados serão redimidos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 28 de outubro de 2017

Coisa alguma demasiado preciosa

Coisa alguma demasiado preciosa, 28 de Outubro


Pois o amor de Cristo nos constrange. 2 Coríntios 5:14.

Cristo Se deleitava no sincero desejo de Maria de fazer a vontade de Seu Senhor. Aceitava a riqueza do puro afeto que Seus discípulos não compreendiam, não queriam compreender. O desejo que Maria tinha de prestar esse serviço a seu Senhor era para Ele de mais valor que todos os preciosos ungüentos da Terra, pois exprimia seu apreço pelo Redentor do mundo. Era o amor de Cristo que a constrangia. Enchia-lhe a alma a incomparável excelência do caráter de Cristo. Aquele ungüento era símbolo do coração da doadora. Era demonstração exterior de um amor nutrido por correntes celestiais e que chegara a ponto de extravasamento.

A obra de Maria era exatamente a lição que os discípulos necessitavam, para mostrar-lhes que seriam aprazíveis a Cristo as expressões de amor por parte deles. Jesus fora-lhes tudo e não percebiam que em breve seriam privados de Sua presença, que dentro em pouco não lhes seria dado oferecer-Lhe nenhum sinal de reconhecimento por Seu grande amor. A solidão de Cristo, separado das cortes celestiais, vivendo a vida da humanidade, nunca a compreenderam nem apreciaram devidamente os discípulos. ...

Seu conhecimento posterior deu-lhes o verdadeiro sentimento quanto às muitas coisas que poderiam ter feito para Jesus, exprimindo o amor e o reconhecimento de seu coração. ... Quando não mais Jesus Se achava entre eles, ...  começavam a ver como poderiam ter manifestado para com Ele atenções que Lhe teriam alegrado o coração. Não mais então censuraram a Maria, mas a si mesmos. Oh! se lhes fosse dado retirar sua crítica, e apresentarem os pobres como mais dignos da oferenda do que Jesus! Sentiram vivamente a reprovação, ao tirarem da cruz o ferido corpo de seu Senhor.

A mesma falta se manifesta hoje, em nosso mundo. Poucos somente apreciam o que Cristo é para eles. Fizessem-no, no entanto, e o grande amor de Maria seria expressado, a unção liberalmente feita. Não seria considerado desperdício o custoso ungüento. Coisa alguma se reputaria demasiado preciosa para Cristo, nenhuma abnegação nem sacrifício grande demais para ser suportado por amor dEle. — O Desejado de Todas as Nações, 564, 565.

Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org


EZEQUIEL 38 Comentário Pr Heber Toth Armí

EZEQUIEL 38
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Inimigos do povo Deus, por mais ousados e poderosos que sejam, nunca terão a última palavra frente aos planos divinos.

• A profecia contra Gogue nos ensina preciosas lições nos dias atuais!

Gogue não é um país ou nação específica na geografia política do mundo. É a representação simbólica de todos os inimigos do povo de Deus em todas as épocas. 

“É pura fantasia querer neles descobrir uma referência velada à Rússia ou a outras nações da atualidade. Mesmo que se admita que esta profecia tenha aplicação escatológica, não segue que estes nomes [citados em Ezequiel 38 e 39] se aplicam a nações específicas. Na batalha escatológica descrita em Apocalipse 20:7-10, os termos Gogue e Magogue simplesmente designam todas as nações ímpias empenhadas na última batalha contra o Altíssimo” (Siegfried J. Schwantes).

O sensacionalismo nas profecias chama a atenção dos incautos, atrai multidões e torna popular ao seu proclamador. Isso explica por que muitos apreciam pregá-las. Porém, se não estiverem em harmonia com a intenção do Autor do texto sagrado, por trás desse pregador está o espírito do próprio demônio, que querendo exaltar-se intentou o engano como estratégia.

O texto nos informa que: Deus...

• ...sabe sobre as nações que intentarão atacar ao Seu povo que retornaria do exílio à Terra Prometida, conhece as estratégias e planos dos pagãos antes mesmos deles conhecerem o que farão. Desejando salvá-los, Deus alerta através de oráculos que confrontam àqueles que O estão sempre confrontando (vs. 1-10).
• ...conhece o futuro e prevê ações dos exércitos das nações que se Lhe opõem e pretendem atacar Seu fragilizado povo pelas consequências de seus pecados, após ser restaurado pela graça e misericórdia divinas à sua terra. Para proteger Seu povo, Deus intervém nos planos dos pagãos (vs. 11-23).

A teologia deste texto é impressionante. O Grande Conflito é a batalha de Deus, não do ser humano. O alvo é o povo, o qual será prêmio daquele que vencer. Satanás luta para conquistar a todos para Si; em contrapartida, Deus entra na batalha para vencer.

• Com Deus, venceremos!

Observe atentamente os versículos 16 e 23. Estude-os! Agora reflita: A redenção tem a ver com o governo de Deus, bem como com a necessidade do pecador! Isso está claro em Gênesis 3:14-15. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

O perfume permanece

O perfume permanece, 27 de Outubro

Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória. Marcos 14:9.

A fragrante oferenda que Maria pensara prodigalizar ao corpo inanimado do Salvador, vazou-a ela sobre Ele vivo. No sepultamento, seu aprazível odor não poderia impregnar senão o túmulo; agora, alegrou-Lhe o coração com a certeza de sua fé e amor. José de Arimatéia e Nicodemos não ofereceram suas dádivas de amor a Jesus em vida. Com amargo pranto levaram suas custosas especiarias ao frio e inconsciente corpo. As mulheres que levaram especiarias ao sepulcro, em vão o fizeram, pois verificaram ter Ele ressuscitado. Mas Maria, extravasando o seu amor sobre o Salvador enquanto Ele tinha conhecimento da dedicação dela, estava-O preparando para Seu sepultamento. E, ao baixar à treva de Sua grande prova, levou consigo a lembrança desse ato, penhor do amor que Seus remidos Lhe votariam para sempre.

Muitos há que levam aos mortos preciosos dons. ... Ternura, apreço, dedicação, tudo é prodigalizado àquele que já não vê nem ouve. Houvessem essas palavras sido ditas quando o fatigado espírito tanto delas necessitava; quando o ouvido as apreenderia e o coração as podia sentir, quão precioso teria sido o seu perfume! ...
Cristo explicou a Maria o significado de seu ato. ... “Ora, derramando este perfume sobre o Meu corpo”, disse Ele, “ela o fez para o Meu sepultamento.” Mateus 26:12. Como o vaso de alabastro foi quebrado, e encheu toda a casa com sua fragrância, assim Cristo havia de morrer e Seu corpo ser quebrantado; mas Ele Se ergueria da tumba, e o perfume de Sua vida havia de encher a Terra. ... Contemplando o futuro, o Salvador falou com segurança a respeito de Seu evangelho. Ele devia ser pregado por todo o mundo. E onde quer que se estendesse o evangelho, a oferenda de Maria havia de espargir sua fragrância, e por sua ação espontânea seriam abençoados outros corações. Erguer-se-iam e cairiam impérios; seriam esquecidos nomes de reis e conquistadores; mas o feito dessa mulher seria imortalizado nas páginas da História Sagrada. Enquanto o tempo durasse, aquele partido vaso de alabastro contaria a história do abundante amor de Deus a uma raça caída. — O Desejado de Todas as Nações, 560, 563.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Ezequiel 37 Comentário Pr Heber Toth

Ezequiel 37 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Assim como uma nação morta, sem vida, pode ser vivificada, uma igreja moribunda, apática e fria pode ser reavivada pelo poder sobrenatural do Espírito Santo.

Leia o texto sagrado, fixa na mensagem do profeta inspirado. Então, reflita: Você já...

• ...pregou a Palavra de Deus e se sentiu como Ezequiel, pregando a ossos secos?
• ...teve a sensação de não ver nenhuma ação após seus apelos ao final do sermão?
• ...percebeu que os membros da igreja são tão frios e indiferentes à verdadeira, impactante e profunda mensagem divina como se fossem ossos ressecados?

O pecado resseca a vida espiritual. A negligência às coisas do alto é um veneno para a religiosidade. Colocar Deus em segundo ou último plano nos mata espiritualmente.

Os ossos secos (vs. 1-3) é um exército espiritualmente morto (vs. 4-8). No grande conflito, soldados mortos não lutam, não têm reação alguma. Porém, quando a verdadeira Palavra de Deus imbuída do poder do Espírito é devidamente proclamada, o maior dos milagres acontece. O exército morto recebe nova vida (vs. 9-14) e os soldados se unem para a batalha divina (vs. 15-28).

O vale onde estava os ossos refere ao povo de Israel espalhado pelas nações do mundo. O texto não fala da segunda vinda de Cristo, mas do poder revivificador de Deus. Também não fala da ressurreição física dos mortos, mas do reavivamento aos mortos espirituais. Assim como Deus restauraria a vida espiritual da nação judaica, Deus pode reviver uma igreja morta.

A pregação da Palavra veiculada no poder sobrenatural do Espírito Santo é o meio de restaurar, unificar e purificar um povo vivendo sob a desgraça e miséria do pecado.

Os pedaços de madeira representavam a nação de Israel, que fora divida em duas após a morte de Salomão. Porém, Deus promete unificar Seu povo! Deste sermão de Ezequiel (vs. 15-28) destacamos as seguintes lições:

• A união provida pelo Espírito Santo sucede à eliminação da ambição, inveja e inimizade do povo de Deus.
• Jesus precisa ser o único Senhor de todos; e todos devem ser seus humildes súditos.
• O reavivamento e a reforma à parte da Palavra e do Espírito Santo são falsos.
• O remanescente fiel surge pela atuação do Espírito Santo através da Palavra Divina.
• Deus quer reavivar-nos urgentemente!

Animemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Dádiva de amor

Dádiva de amor, 26 de Outubro

Esta fez o que podia. Marcos 14:8.

Simão de Betânia era considerado discípulo de Jesus. Era um dos poucos fariseus que se unira abertamente aos Seus seguidores. Reconhecia-O como mestre e acalentava esperanças que fosse o Messias, mas não O aceitara como Salvador. Seu caráter não estava transformado; permaneciam sem mudança seus princípios.

Simão fora curado de lepra, e isso é que o atraíra a Jesus. Desejara mostrar sua gratidão e, na última visita de Cristo a Betânia, ofereceu um banquete ao Salvador e a Seus discípulos. ... À mesa achava-Se Jesus, tendo a um lado Simão, ... e do outro Lázaro, a quem ressuscitara. Marta servia à mesa, mas Maria escutava ansiosamente toda palavra que caía dos lábios de Jesus. Em Sua misericórdia perdoara Jesus os seus pecados, chamara do sepulcro seu bem-amado irmão, e a alma de Maria estava cheia de reconhecimento. Ouvira Jesus falar de Sua morte próxima e, em seu profundo amor e tristeza, almejara honrá-Lo. Com grande sacrifício para si, comprara um vaso de alabastro de “ungüento de nardo puro, de muito preço” (João 12:3) para com ele ungir-Lhe o corpo. Mas agora muitos diziam que Ele estava para ser coroado rei. Seu pesar transformou-se em alegria, e ansiava ser a primeira a honrar a seu Senhor. Quebrando o vaso de ungüento, derramou o conteúdo sobre a cabeça e os pés de Jesus, e depois, enquanto de joelhos chorava umedecendo-os com lágrimas, enxugava-os com os longos cabelos soltos. ...

Judas contemplou a mesma com grande desagrado. ... “Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?” João 12:5. ... E em volta da mesa passou a murmuração: “Para que é este desperdício?” Mateus 26:8. ... Maria ouviu as palavras de crítica. ... Estava para se esquivar dali, quando se ouviu a voz de Seu Senhor: “Deixai-a, por que a molestais?” Marcos 14:6. ... Erguendo a voz acima dos murmúrios da crítica, disse: “Ela praticou boa ação para comigo. Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a Mim nem sempre Me tendes.

Esta fez o que podia; antecipou-se a ungir o Meu corpo para a sepultura.” Marcos 14:6-8. — O Desejado de Todas as Nações, 557-560.

Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Ezequiel 36 Comentário Pr Heber Toth Armí

Ezequiel 36 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Em meio ao desespero, só confiando em Deus é possível erguer a cabeça. A graça de Deus alcança os  miseráveis pecadores em sua desgraça...

Leia e medite...

“Em comparação com outros países citados nos capítulos anteriores de Ezequiel, Israel permanecerá abençoado Ezequiel 35:1-36:21 somente quando Deus, apenas por amor ao seu santo nome, agir para fazer um povo totalmente santo (36.21-23). Devido ao passado de Israel, a única maneira de se criar uma nação santa é mediante a atuação do Espírito de Deus (36.24-27)”, analisa Paul R. House.

• Sem o Espírito Santo agindo na vida dos pecadores não haveria quem se salvasse. Jamais deveríamos negligenciar o papel desse Ser Divino em nossa vida.

House avança mostrando que, em Ezequiel, a “infusão do Espírito corresponde em Jeremias à infusão da lei de Deus (Jr 31.31-34)... Só por meio do Espírito de Yahweh é que a totalidade de Israel pode ter a mesma fé do remanescente (36.27). Só então o Senhor terá uma total união em aliança com o povo escolhido (36.28)”.

Tal revelação de Deus nos faz pensar na igreja atual:

“Embora existam males na igreja, e tenham de existir até o fim do mundo, a igreja destes últimos dias há de ser a luz do mundo poluído e desmoralizado pelo pecado. A igreja, débil e defeituosa, precisando ser repreendida, advertida e aconselhada, é o único objeto na Terra ao qual Cristo confere Sua suprema consideração...” diz Ellen G. White.

Tem mais... Cristo, “enquanto estende a todo o mundo Seu convite para que venham a Ele e sejam salvos, comissiona Seus anjos para que dispensem divino auxílio a cada alma que a Ele vem em arrependimento e contrição, e Ele vem pessoalmente pelo Seu Espírito Santo para dentro de Sua igreja”, diz White.

• O poder do Espírito Santo visa nossa restauração, transformação e salvação neste mundo pervertido, nunca nossa destruição ou condenação.
• O agir do Espírito Santo na vida do remanescente produz frutos espirituais, paz, alegria e compaixão, os quais motivam no cumprimento da missão.
• O Espírito Santo opera visando tornar um povo pecador e desobediente em um povo santo e obediente.

Deus quer fazer um transplante de coração em cada pecador para que tenha nova vida!

Você aceita ser paciente de Deus? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Impaciência e agitação, que

Impaciência e agitação, 25 de Outubro


E, respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. Lucas 10:41, 42.

Ao dar Cristo Suas admiráveis lições, Maria sentava-se-Lhe aos pés, ouvinte atenta e reverente. Certa vez, Marta, perplexa com o cuidado de preparar a refeição, foi ter com Cristo, dizendo: “Senhor, não Te importas que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe, pois, que me ajude.” Lucas 10:40. Isto foi por ocasião da primeira visita de Cristo a Betânia. O Salvador e os discípulos haviam feito a pé a fatigante viagem de Jericó até lá. Marta anelava proporcionar-lhes conforto e, em sua ansiedade, esqueceu a gentileza devida ao Hóspede. ...

A “uma só” coisa que Marta necessitava, era espírito calmo, devoto, mais profundo anseio de conhecimento da vida futura, imortal, e as graças necessárias ao progresso espiritual. Precisava de menos ansiedade em torno das coisas que passam, e mais pelas que permanecem para sempre. Jesus quer ensinar Seus filhos a se apoderarem de toda oportunidade de adquirir o conhecimento que os tornará sábios para a salvação. A causa de Cristo requer obreiros cuidadosos e enérgicos. Existe vasto campo para as Martas, com seu zelo no culto ativo. Sentem-se elas primeiro, porém, com Maria aos pés de Jesus. Sejam a diligência, prontidão e energia santificadas pela graça de Cristo; então a vida será uma invencível força para o bem. — O Desejado de Todas as Nações, 525.

O motivo por que os jovens, e mesmo os de idade madura, são tão facilmente induzidos à tentação e ao pecado é não estudarem a Palavra de Deus, nem meditarem nela como devem. A falta de firme e decidida força de vontade que se manifesta na vida e no caráter é resultante de negligência das sagradas instruções da Palavra de Deus. Eles não dirigem, mediante diligente esforço, a mente àquilo que lhes inspiraria pensamentos puros, santos, desviando-a do que é impuro e falso. Há poucos que escolham a melhor parte, que, qual Maria, se assentem aos pés de Jesus, a fim de aprender do divino Mestre. Poucos entesouram Suas palavras no coração, e as praticam na vida. — A Ciência do Bom Viver, 458.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Ezequiel 35 Comentário Pr Heber Toth Armí

Ezequiel 35  
Comentário Pr Heber Toth Armí

Ódio é uma arma apontada para quem odeia, não para o odiado. Precisamos tomar cuidado!

Medite...

1. Deus está atento a tudo. Ele age sabendo de cada detalhe, não por impulso ou por capricho. Ele não faz nada sem antes revelar aos Seus servos, não somente o que fará, mas até mesmo as razões de Suas ações (vs. 1-5).

2. Edom era uma nação irmã de Israel. Ao ver a oportunidade de fazer o mal, Edom chacinou Israel quando foi à disciplina provida por Deus – assim como um irmão zomba de outro ao vê-lo de castigo (v. 5).

3. A inimizade, o ódio e a raiva não agradam a Deus. Tais sentimentos entorpecem aos que os abrigam no coração, obliteram a visão e deturpam a percepção da ética, da moral e da compaixão. O resultado de abrigar estes inimigos na alma é vergonha, desolação e destruição (vs. 6-7).

4. A lei do plantio se aplica na ética, na moral e na espiritualidade humana. Edom vai colher o que plantou; considerando que a colheita é maior que a quantidade do plantio, os assassinos edomitas se tornarão montes de mortos (vs. 8-9).

5. Ignorar a Deus e tentar usurpar o que Lhe pertence significa planejar o impossível, aliás, é projetar a própria destruição. Apropriar-se da Terra Prometida a Israel após os judeus serem levados ao cativeiro, difamar o povo de Deus que é sinônimo de atacar ao próprio Deus, significa perder o respeito pelo Juiz do Universo, é a encarnação da rebeldia demoníaca – Deus não cruza os braços, Ele age para defender Seu rebanho (vs. 10-15).

O ódio de Esaú por Jacó passou a seus descendentes. Esaú vendeu sua primogenitura, depois ficou irado contra seu irmão (Gênesis 25:19-34). 

Vários profetas intentaram alertar o fim dos edomitas caso não mudassem de atitude (Isaías 34; 63:1-6; Jeremias 49:7-22; Ezequiel 25:12-14). Mas, infelizmente perseveraram em abrigar sentimentos negativos (Ezequiel 25:15; Amós 1:11-12; Obadias). 

Inimizade, ódio e raiva...

• ...não prejudicam o alvo desses sentimentos, mas o coração onde eles estão.
• ...são autodestrutivos; melhor é eliminar esses explosivos antes que eles nos destruam.
• ...não traz benefício algum para ninguém, somente muitos malefícios.

Portanto, deixe Deus substituir sentimentos negativos que matam pelo fruto do Espírito que vivifica (Gálatas 5:16-26). 

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Ezequiel 34 Comentário Pr Heber Toth Armí

Ezequiel 34  
Comentário Pr Heber Toth Armí

Infelizmente os membros da igreja de Deus não têm interesse na comunhão com Deus, no relacionamento intencional para revelar o amor de Deus, muito menos priorizam a missão, pois a satisfação deles está na acomodação.

No capítulo anterior, está claro que “desrespeito a leis alimentares, idolatria, assassinato (violência) e adultério são citados no mesmo nível, como graves ofensas morais contra Deus”. Em Ezequiel há “uma síntese de práticas detestáveis (18:12, 13), que constituíam graves ofensas ao Senhor... a lista inclui idolatria (5:11; 7:20; 11:18, 21; 33:25), adultério (22:11; 33:26) e violência (8:17). Fora de Ezequiel, a lista abrange sacrifícios de filhos (Dt 12:31; 2Rs 16:3), comer alimentos imundos (Dt 14:3), abuso de poder (Pv 16:12), falsos pesos e medidas (Dt 25:13-15; Pv 11:1), salário de prostituição (Dt 23:18), orgulho no coração (Pv 16:5) e a oração de um transgressor da lei (Pv 28:9)” (Bíblia de estudo Andrews).

No capítulo em pauta, Deus julga aos pastores que encobrem as verdades reveladas em Sua Palavra. Os membros do povo de Deus que se perder por práticas ofensivas serão responsabilidade dos líderes espirituais; portanto, eles também se perderão. 

• Contudo, Deus não deixa ninguém na ignorância: Um Pastor divino viria alertar do perigo onde os pastores negligentes falharam.

Leia todo o capítulo atentamente, depois reflita nestes pontos:

• Apesar das ovelhas serem fracas, magras, doentes, gordas, saqueadas, desgarradas e, apesar dos pastores serem exploradores, fraudulentos e gananciosos, Deus não abandona ao mundo; Ele enviou Jesus para ser o Bom Pastor que cuida como ninguém de Suas ovelhas.
• Líderes políticos e religiosos que deveriam cuidar do povo de Deus, mas pelo seu egoísmo e ambição os explora, não deve significar o desespero do rebanho; pois, nada impede Deus de chamar as Suas ovelhas, nem delas ouvirem a Sua voz.
• O modelo de pastoreio divino deve ser o alvo de todo pastor que representa o Sumo Pastor para o rebanho de Deus aqui na Terra.
• O plano de Deus é reunir Seu povo e formar apenas um só rebanho (não várias denominações) e um só Pastor, Jesus Cristo (João 10:1-18; I Pedro 5:4).

Deus cuida de Suas ovelhinhas aqui na Terra. Nenhuma se perderá. Ele as guiará ao aprisco seguro. Até Seus pastores são cuidados como meras ovelhinhas! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

O homem rico e Deus

O homem rico e Deus, 23 de Outubro


Restituindo esse ímpio o penhor, pagando o furtado, andando nos estatutos da vida e não praticando iniqüidade, certamente viverá, não morrerá. Ezequiel 33:15.

Mas tão depressa se submeteu o publicano à influência do Espírito Santo, lançou de sua vida todo proceder contrário à integridade.
Não é genuíno nenhum arrependimento que não opere a reforma. A justiça de Cristo não é uma capa para encobrir pecados não confessados e não abandonados. ...

Toda pessoa convertida, como Zaqueu, marca a entrada de Cristo no coração pelo abandono das práticas injustas que lhe assinalaram a vida. Como o chefe dos publicanos, dará provas de sua sinceridade fazendo restituição. ...

Se prejudicamos outros por qualquer injusta transação... devemos confessar nossa injustiça e fazer restituição tanto quanto esteja ao nosso alcance. Cumpre-nos restituir, não somente o que tiramos, mas tudo quanto se teria acumulado, se posto em justo e sábio emprego durante o tempo que se achou em nosso poder.

A Zaqueu, disse o Salvador: “Hoje veio a salvação a esta casa.” Lucas 19:9. Não somente foi o próprio Zaqueu abençoado, mas toda a casa com ele. ... Tinham estado excluídos das sinagogas pelo desprezo dos rabis e adoradores; mas agora, como os mais favorecidos dentre as famílias de Jericó, reuniram-se em seu próprio lar, em torno do divino Mestre, e ouviram por si mesmos as palavras da vida.

É quando se recebe Cristo como Salvador pessoal, que sobrevém salvação à alma. Zaqueu recebera a Jesus não somente como a um hóspede de passagem em sua casa, mas como Alguém que vinha habitar no templo da alma. — O Desejado de Todas as Nações, 555, 556.
Quando o jovem rico se retirara de Jesus, maravilharam-se os discípulos de ouvir o Mestre dizer: “Quão difícil é, para os que confiam nas riquezas, entrar no reino de Deus!” Exclamaram uns para os outros: “Quem poderá pois salvar-se?” Marcos 10:24, 26. Agora, tinham uma demonstração das palavras de Cristo: “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” Lucas 18:27. Viram como, por meio da graça divina, um rico podia entrar no reino. — O Desejado de Todas as Nações, 555.

Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org


Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis