domingo, 23 de junho de 2024

Cúmplices

 Devocional Diário

Vislumbres da eternidade
23 de junho
https://mais.cpb.com.br/meditacao/cumplices/

Cúmplices

Abimeleque, rei dos filisteus, olhou por uma janela e viu que Isaque acariciava Rebeca, sua mulher. Gênesis 26:8


A chegada de Rebeca transformou a vida de Isaque em um conto de amor bíblico, no qual a perfeita orientação de Deus guiou Eliézer até a moça, que era tão disposta, amorosa e crente quanto Isaque. A química entre o casal foi instantânea e profunda, marcando o início de um amor que perduraria para sempre. Esse tipo de relacionamento, tão intenso e significativo, é de uma profundidade humana fascinante e inesquecível.

Isaque e Rebeca se tornaram cúmplices, desses casais que possuem uma sintonia tão forte que só com um gesto ou um olhar já conseguem se entender completamente. Eles tinham uma conexão tão forte que chegavam a dizer muito mais com um olhar do que com palavras. Com ternura e bom humor, eles aproveitavam cada momento juntos, mesmo nas pequenas mentiras, como quando Isaque dizia que Rebeca era sua irmã. Embora essa fosse uma meia-verdade, a profundidade do amor que compartilhavam era inegável.

Certo dia, Abimeleque, o rei dos filisteus, notou algo surpreendente através de sua janela: o relacionamento entre Isaque e Rebeca não era de irmãos, mas de um casal profundamente apaixonado. O texto hebraico sugere que Isaque possivelmente estivesse fazendo cócegas em sua esposa, o que era mais do que apenas uma brincadeira engraçada. Esse momento de proximidade inocente e brincalhona definia perfeitamente o relacionamento do casal, mostrando que há coisas mais importantes no casamento do que a simples sexualidade.

O relato da intimidade de Isaque e Rebeca é uma bela demonstração da cumplicidade e do amor verdadeiros entre um casal. É uma oportunidade rara e especial, que poucos têm o privilégio de experimentar. Esses momentos de risos na intimidade podem ser terapêuticos e curativos, trazendo felicidade e harmonia para o casamento.

O amor verdadeiro é um princípio elevado e santo, completamente diferente daquele amor que surge por impulso e desaparece rapidamente quando testado. O casamento, em vez de ser o fim do amor, deve ser apenas o começo. É nesse amor puro e profundo que Isaque e Rebeca foram um exemplo para todos os casais, e sua história continua a inspirar e comover até hoje.

Inspire-se também. Ame com o verdadeiro amor.

●●●

Nenhum comentário:

Ser ou usar

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 21 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/ser-ou-usar/ Ser ou usar Cuidemos também de nos ...