sábado, 6 de janeiro de 2024

Em trajes de bombeiro

 Em trajes de bombeiro

No tempo aceitável escutei você e no dia da salvação Eu o socorri. 2 Coríntios 6:2

A data de hoje, o Dia de Reis, é muito importante nos países hispanos, sobretudo para os meninos. É um dia sonhado que se materializa na forma de presentes e bolos, e um dos presentes mais comuns é o caminhão de bombeiros. Quando perguntam a um menino por que ele quer esse presente, a resposta quase sempre é: “Quando eu crescer, vou ser bombeiro.” Curiosamente, trazemos em nosso DNA a inclinação de ajudar os outros. Acho que essa é uma das muitas coisas que nos fazem parecidos com Deus.

Havia muito a se fazer neste mundo, de maneira que, decidida e corajosamente, Jesus veio viver conosco. A visão que tínhamos de Deus não correspondia à realidade e, por essa razão, Ele nos apresentou com clareza Sua imagem. Vivíamos marginalizados; por isso, Ele veio nos resgatar.

O retrato mais comum de Jesus que o cristianismo já apresentou é o de Deus com “trajes de bombeiro”. Não há dúvida de que esses são trajes que manifestam um dos aspectos mais relevantes de Deus. O pecado havia subjugado a Terra, e algo devia ser feito com eficiência e urgência. O plano tinha sido desenhado desde o começo da criação e, chegado o momento, Ele veio nos resgatar. Em 2 Coríntios 6:2, Deus diz: “No tempo aceitável escutei você e no dia da salvação Eu o socorri.”

O Senhor poderia ter eliminado este planeta com um simples estalar de dedos; poderia esperar até que tudo virasse cinzas, mas escolheu Se envolver. Por quê? Porque Seu querer é tão intenso quanto seu poder. Satanás tem uma obsessão doentia pelo poder, mas, como costuma acontecer com os que sofrem de algum desequilíbrio, quis nos fazer acreditar que é Deus quem é obsessivo. Mas o Eterno não é assim; Ele pode e quer. Ele não precisava nem mesmo de um piscar de olhos para descer daquela cruz e revelar Seu imenso poder. Porém, essa não é a maneira certa de fazer as coisas. Tudo deve ser bem feito, mas não pelo puro prazer de demonstrar poder. Jesus fez o que devia porque podia fazê-lo e porque, além disso, nos ama. E morreu por nós. Não tínhamos como sair deste mundo em chamas, mas Ele veio nos resgatar.

Não gostaria você de aceitar o socorro que Ele lhe oferece?

Devocional Diário-Vislumbres da eternidade

6 de janeiro 
https://mais.cpb.com.br/meditacao/em-trajes-de-bombeiro/

Nenhum comentário:

Dor de coração

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/dor-de-coracao/ Dor de coração O cetro não se ar...