terça-feira, 3 de maio de 2022

O ATALAIA QUE NUNCA DORME

 O ATALAIA QUE NUNCA DORME

É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel. Salmo 121:4

Deus não Se esqueceu das boas ações e das vezes em que a igreja negou o próprio eu no passado. Tudo está registrado lá no alto. Mas isso não basta. Elas não salvarão a igreja se ela deixar de cumprir a missão. A menos que a cruel negligência e indiferença manifestas no passado cessem, a igreja, em vez de prosseguir de força em força, continuará a se degenerar em fraqueza e formalidade. Permitiremos que seja assim? Permitiremos que a apatia e degradação lamentável do amor e do zelo espiritual que existem hoje se perpetuem? É nessa condição que Cristo encontrará a Sua igreja?

Irmãos, sem dúvida a luz da sua lâmpada tremulará, e seu brilho diminuirá até se extinguir em trevas, a menos que vocês façam esforços decididos de reforma. “Lembre-se, pois, de onde você caiu. Arrependa-se e volte à prática das primeiras obras” (Ap 2:5a). A oportunidade agora apresentada pode ser curta. Se este tempo de graça e arrependimento passar sem mudanças, a advertência é dada: “Se você não se arrepender, virei até você e tirarei o seu candelabro do lugar dele” (v. 5b). Essas palavras são proferidas por um Deus longânimo e compassivo. Consistem em uma advertência solene a igrejas e indivíduos, avisando que o Atalaia que nunca dorme está avaliando as suas ações. É por causa da Sua longanimidade o fato de não terem sido ainda arrancados como os que ocupam inutilmente o terreno. Mas o Espírito não pleiteará para sempre. Sua paciência esperará apenas um pouquinho mais.

No último dia, a decisão final do Juiz de toda a Terra considerará o nosso interesse no trabalho prático em prol dos necessitados, oprimidos e tentados. Não dá para ignorar esses grupos, passando de largo por eles, e entrar na cidade de Deus como pecador redimido. Cristo diz: “Em verdade lhes digo que, sempre que o deixaram de fazer a um destes mais pequeninos, foi a Mim que o deixaram de fazer” (Mt 25:45).

Ainda não é tarde demais para redimir a negligência do passado. Que haja um reavivamento do primeiro amor, do primeiro fervor! Saiam em busca daqueles a quem afastaram. Por meio da confissão, curem as feridas que causaram. Aproximem-se do grande Coração de amor misericordioso e permitam que as torrentes da compaixão divina fluam para dentro do seu coração, e do seu interior para o coração dos outros (Review and Herald, 30 de novembro de 1886).

PARA REFLETIR: Há algo que impeça você de testemunhar àqueles que vê dia após dia?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

3 de maio

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-atalaia-que-nunca-dorme/

Nenhum comentário:

A PEDRA FUNDAMENTAL

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 18 de maio https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-pedra-fundamental/ A PEDRA FUNDAMENTAL Eis a Rocha! Suas obras são perfeit...