quinta-feira, 24 de fevereiro de 2022

O CORDEIRO

 O CORDEIRO

Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas. Hebreus 10:10

Nosso Senhor declarou: “Se vocês não comerem a carne do Filho do Homem e não beberem o Seu sangue, não terão vida em vocês mesmos. […] Pois a Minha carne é verdadeira comida, e o Meu sangue é verdadeira bebida” (Jo 6:53, 55). Isso é verdade quanto à nossa natureza física. Até esta vida terrestre devemos à morte de Cristo. O pão que comemos é o preço de Seu corpo quebrantado. A água que bebemos é comprada com Seu sangue derramado. Nunca alguém, seja santo ou pecador, toma seu alimento diário sem ser nutrido pelo corpo e o sangue de Cristo. A cruz do Calvário está estampada em cada pão.

[…] E muito mais verdadeiras são as palavras de Cristo em relação à nossa natureza espiritual! Ele declara: “Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna” (v. 54). É recebendo a vida derramada por nós na cruz do Calvário que podemos viver a vida de santidade. Essa vida é transmitida a nós quando recebemos Sua palavra, fazendo as coisas que Ele ordenou. Então nos tornamos um com Ele. “Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue permanece em Mim, e Eu permaneço nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e igualmente Eu vivo por causa do Pai, também quem de Mim se alimenta viverá por Mim” (v. 56, 57). Esse texto bíblico se aplica, em sentido especial, à Santa Ceia. Quando a fé contempla o grande sacrifício de nosso Senhor, o coração assimila a vida espiritual de Cristo. Essa pessoa receberá vigor espiritual de cada ceia. O ritual forma uma viva conexão pela qual o cristão é ligado a Cristo, e assim ao Pai.

[…] Ao recebermos o pão e o vinho, simbolizando o corpo partido de Cristo e Seu sangue derramado, passamos a fazer parte, por meio da imaginação, do momento da ceia no cenáculo. […] Testemunhamos a luta mediante a qual foi obtida nossa reconciliação com Deus. Cristo crucificado Se apresenta entre nós.

Contemplando o crucificado Redentor, compreendemos mais plenamente o tamanho e significado do sacrifício feito pela Majestade do Céu. O plano da salvação é glorificado diante de nossos olhos, e pensar no Calvário desperta emoções vivas e sagradas em nosso ser. No coração e nos lábios haverá louvores a Deus e ao Cordeiro, pois o orgulho e a adoração a si mesmo não podem crescer no coração que sempre conserva vivas na memória as cenas do Calvário (O Desejado de Todas as Nações, p. 531, 532 [660, 661]).

PARA REFLETIR: Você deve todas as bênçãos terrenas ao sacrifício de Jesus. Quais bênçãos Ele lhe concedeu esta semana?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24/02/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-cordeiro//

Nenhum comentário:

O JOVEM GALILEU

O JOVEM GALILEU Três dias depois, O acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas. Lucas 2:46 Era o...