quinta-feira, 10 de junho de 2021

O ALIMENTO DA MENTE

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

10 de Junho, Quinta

O ALIMENTO DA MENTE

Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios. Filipenses 4:8, NTLH

Em pleno século 21, parece que o cérebro humano permanece como um desafio à ciência. Pesquisas revelam que ele é muito mais avançado do que o computador, apesar dos constantes, rápidos e surpreendentes avanços tecnológicos. Em 2014, pesquisadores japoneses e alemães fizeram experimentos que ajudam a ter uma noção da complexidade do cérebro. Eles utilizaram o supercomputador K para simular um segundo de atividade cerebral. O equipamento poderia acomodar um modelo de rede de 1,73 bilhão de neurônios, ao passo que o cérebro humano tem aproximadamente 100 bilhões de neurônios. Por fim, ele alcançou o objetivo; mas, para simular um segundo de atividade cerebral, demorou 40 minutos.

Atualmente, informação para ser captada e gravada é o que não falta, mas isso sobrecarrega a mente, que é o centro de nossos pensamentos e decisões, além de ser nosso canal de comunicação com Deus. Diante da oferta de material fútil que inunda a sociedade atual, torna-se indispensável que saibamos filtrar e selecionar o que entrará por nossos olhos e ouvidos, as chamadas “janelas da alma”.

Ellen White afirmou: “Os nervos do cérebro, que se comunicam com todo o organismo, são o único meio pelo qual o Céu pode comunicar-se com o homem e afetar sua vida íntima” (Mente, Caráter e Personalidade, v. 1, p. 230). Por isso, esse canal precisa estar desobstruído, livre de material que prejudique o desenvolvimento do caráter que herdará a eternidade.

Essa preocupação não é nova. Por volta do ano 63 d.C., Paulo a compartilhou com os cristãos da igreja de Filipos, exortando-os a ocupar o pensamento com “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama”, e com aquilo em que for encontrada “alguma virtude” ou em que houver “algum louvor” (Fp 4:8). A palavra original grega traduzida como “louvor” é épainos, que significa “aprovação”, “elogio”.

A pessoa cuja mente é alimentada com vulgaridades será sempre vulgar. Aquela que, submissa à graça de Deus, nutre a mente com as elevadas virtudes mencionadas por Paulo será cada vez mais nobre, habilitando-se para a vida que não tem fim.

Zinaldo A. Santos, 22/2/2020

Nenhum comentário:

A Morte do Pardal

  Meditação Diária Quarta-feira, 22 de setembro A MORTE DO PARDAL Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem ...