sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Maravilhoso Jesus Marcos 15:1


Pilatos

De manhã bem cedo, os chefes dos sacerdotes com os líderes religiosos, os mestres da lei e todo o Sinédrio chegaram a uma decisão. Amarrando Jesus, levaram-no e o entregaram a Pilatos. Marcos 15:1, NVI

Num julgamento secreto noturno o mais alto conselho dos Judeus, o Sinédrio, condenou Jesus a morte. Mas os judeus estavam sob ocupação romana e não podiam executar a sentença de morte sem autorização do governador romano, Pôncio Pilatos. Então eles levaram Jesus ao palácio e tiraram Pilatos da cama.

Eles se encontram: o representante de Roma e do representante do céu. Um está sisudo, irritado por ter sido despertado a essa hora da manhã por esses judeus. O outro está pálido após uma noite sem dormir na qual Ele foi amarrado e esbofeteado. Pálido, mas calmo.

Quem é esse homem que os anais da história apontam como sendo aquele que dá a ordem para a execução de Jesus? Devido à sua posição, encontramos várias referências a ele em fontes fora da Bíblia.

O escritor Judeu Philo assim o descreve "de natureza inflexível e, devido à teimosia, àspero" (Embaixada a Gaio 58). "Ele freqüentemente entrava em conflito com os Judeus, ofendendo o seu sentimento religioso com muitos atos estúpidos. Certa vez ele ordenou a seus soldados entrarem marchando em Jerusalém carregando estandartes com imagens afixadas do imperador. Em outra ocasião, ele colocou no antigo palácio de Herodes escudos dourados entalhados com o nome do imperador. Nos dois casos ele foi forçado a remover os objetos ofensivos por causa da teimosa resistência dos judeus. No segundo caso, uma ordem direta de Tibério, em resposta a uma petição enviada a Roma pela nobreza da Judéia o obrigou a retroceder. Os Judeus ficaram especialmente chocados quando Pilatos usou o dinheiro do tesouro do Templo para pagar um aqueduto que estava sendo construído para trazer água para Jerusalém. A oposição dos Judeus a esta apropriação indevida de dinheiro sagrado foi recebida com crueldade implacável. Mais tarde Pilatos massacrou muitos Samaritanos que tolamente estavam seguindo a um impostor que havia prometido trazer a público os vasos sagrados de ouro supostamente escondidos por Moisés no alto do monte Gerizim" (Dicionário da Bíblia Adventista do Sétimo Dia, p. 885).

Então, eles se encontram, Pilatos e Jesus, e os planos do governador de rapidamente se ver livre dessa praga vão por água a baixo. O homem não é criminonso – Pilatos nunca havia visto tal bondade e nobreza.

Pilatos não sabe o que fazer com Jesus. Ele quer libertá-lo, mas não quer desagradar as autoridades judaicas. Então ele vê uma saída. Tendo ouvido falar que Jesus é da Galiléia, ele decide enviar-lhe a Herodes, o governador daquele território. Ele passa a bola!

ORAÇÃO

Senhor, retira de mim toda aspereza. Quando eu for tentado a ser grosseiro ou insensível que eu escolha a bondade e a nobreza de Cristo Jesus.

Autor: William G. Johnsson

Nenhum comentário:

Lecitina espiritual

DEVOCIONAL DIÁRIO - VISLUMBRES DA ETERNIDADE  27 de fevereiro Lecitina espiritual    Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Por isso,...