Translate

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Revelar o Amor e Alegria de Cristo

Refletindo a Cristo

Revelar o Amor e Alegria de Cristo - 30 de abril

E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo. Rom. 15:13.
Na grande e incomensurável dádiva do Espírito Santo estão contidos todos os recursos celestes. Não é por qualquer restrição da parte de Deus que as riquezas de Sua graça não afluem para os homens, neste mundo. Se todos recebessem de bom grado, todos seriam cheios de Seu Espírito.
Toda pessoa tem o privilégio de ser um conduto vivo, pelo qual Deus pode comunicar ao mundo os tesouros de Sua graça, as insondáveis riquezas de Cristo. Nada há que Cristo mais deseje do que agentes que representem ao mundo Seu Espírito e caráter. Não há nada de que o mundo mais necessite que da manifestação do amor do Salvador, mediante a humanidade. Todo o Céu está à espera de condutos pelos quais possa ser vertido o óleo santo para ser uma alegria e bênção para os corações humanos.
Cristo tomou todas as providências para que Sua igreja seja um corpo transformado, iluminado pela Luz do mundo, possuindo a glória de Emanuel. É Seu propósito que cada cristão esteja envolto numa atmosfera espiritual de luz e paz. Deseja que revelemos em nossa vida a Sua própria alegria.
A habitação do Espírito em nós será manifestada pelo amor celestial que de nós dimanará. A plenitude divina fluirá pelo consagrado agente humano, para ser partilhada com outros.
O Sol da Justiça traz salvação “debaixo das Suas asas”. Mal. 4:2. Assim todo verdadeiro discípulo deve difundir uma influência de vida, ânimo, auxílio e verdadeira salvação.
A religião de Cristo significa mais que o perdão dos pecados; significa remover nossos pecados e encher o vácuo com as graças do Espírito Santo. Significa iluminação divina e regozijo em Deus. Significa um coração despojado do próprio eu e abençoado pela presença de Cristo. Quando Cristo reina na alma há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a perfeição do plano do evangelho são cumpridas na vida. A aceitação do Salvador traz paz perfeita, perfeito amor, segurança perfeita. A beleza e fragrância do caráter de Cristo manifestadas na vida, testificam de que em verdade Deus enviou Seu Filho ao mundo para o salvar. Parábolas de Jesus, págs. 419 e 420.
Há paz no crer, e alegria no Espírito Santo. O crer traz paz, e o confiar em Deus traz alegria. Testimonies, vol. 2, págs. 319 e 320.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 126 –

Atos 6 Comentário Pr Heber Toth Armí

ATOS 6 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Na igreja têm pessoas que amam dinheiro (como Ananias e Safira) e tem pessoas necessitadas de dinheiro (como as viúvas). Além disso, nos capítulos anteriores ficou evidente a perseguição à igreja, a prisão dos apóstolos, a morte súbita dos hipócritas, e no capítulo em pauta, a murmuração dos gregos contra os hebreus.

Certamente, a igreja de Atos não é modelo de perfeição. Muitos problemas existiam e muitos surgiriam. Como uma instituição cheia de problemas poderia sobreviver?

Outra questão era o crescimento em massa da igreja. Como estruturar e atender as necessidades duma igreja que cresce muito rapidamente?

Além disso, o diabo estava por trás; note que...

• No capítulo 4 utilizou-se da perseguição para minar o poder da igreja.
• No capítulo 5 ele usou a infiltração dos hipócritas para reduzir o poder da igreja.
• No capítulo 6 ele armou armadilha que resultou na distração da igreja.

Interessante que, em cada situação, a igreja saiu-se vencedora!

• No capítulo 4, apesar de perseguida, mediante a oração e a pregação da Palavra, a igreja contra-atacou aos ataques do inimigo e cresceu enfrentando a perseguição.

• No capítulo 5, apesar dos hipócritas penetras, mediante a oração e a pregação da Palavra, a igreja contra-atacou as artimanhas diabólicas, então, o resultado foi um crescimento surpreendente.

• No capítulo 6, apesar dos problemas que surgiram devido ao crescimento colossal da igreja, os apóstolos, quase desfocados da oração e do ministério da Palavra, a tempo conseguiram colocar a igreja nos trilhos.

Tristemente, os apóstolos estavam abandonando o aspecto essencial da igreja que é a oração e a pregação da Palavra para atender às mesas. O que não era algo ruim, errado. Era um trabalho digno e urgente; mas, não deveriam tirar o foco da oração e pregação.

Embora Satanás quisesse eliminar esses dois aspectos da igreja, os apóstolos perceberam o perigo, se organizaram para, então, voltarem a priorizar ao que realmente importa mais (vs. 1-4).

Como resultado, surgiram os diáconos e, a igreja avançou admiravelmente (vs. 5-7). Como os diáconos mantiveram o mesmo foco dos apóstolos, eles eram pregadores poderosos, que instigavam seus ouvintes a tal ponto de suscitar ameaças – como se vê no caso de Estêvão (vs. 8-15).

• Pergunto: Sua igreja mantém o foco certo apesar nos ataques satânicos? 

Estudemos, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 29 de abril de 2018

O Efeito de Receber o Espírito

Refletindo a Cristo

O Efeito de Receber o Espírito- 29 de abril

Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. I Cor. 2:12.
O Espírito Santo habilitou os discípulos a exaltar unicamente ao Senhor, e guiou a pena dos historiadores sagrados, para que o registro das palavras e ações de Cristo pudesse ser transmitido ao mundo. Hoje em dia, esse Espírito está em contínua operação, buscando atrair a atenção dos homens ao grande sacrifício feito na cruz do Calvário, para desvendar ao mundo o amor de Deus pelo homem, e abrir à alma convicta as promessas das Escrituras.
É o Espírito que faz com que resplandeçam nas mentes entenebrecidas os brilhantes raios do Sol da Justiça; que faz com que o coração dos homens arda dentro deles com a despertada compreensão das verdades eternas; isso apresenta ao espírito a grande norma da justiça, e convence do pecado; isso inspira fé nAquele que, unicamente, pode salvar do pecado; isso opera a transformação do caráter, retirando a afeição dos homens das coisas temporais e perecíveis, e fixando-as na herança eterna. O Espírito recreia, refina e santifica os seres humanos, preparando-os para se tornarem membros da família real, filhos do celeste Rei.
Quando uma pessoa está inteiramente vazia do próprio eu, quando todo falso deus é expulso da alma, o vazio é preenchido com a comunicação do Espírito de Cristo. Essa pessoa possui a fé que purifica a alma de contaminação. Está de conformidade com o Espírito, e pensa nas coisas do Espírito. Não confia em si mesma. Cristo é tudo em todos. Recebe com mansidão a verdade que vai sendo continuamente revelada, e rende a Deus toda a glória, dizendo: “Deus no-las revelou pelo Seu Espírito”. …
O Espírito que revela, também opera na pessoa os frutos da justiça. Cristo está nela, “uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”. João 4:14. É um ramo da Videira Verdadeira, e produz ricos cachos de fruto para a glória de Deus. Qual é o caráter do fruto produzido? – O fruto do Espírito é “amor”, não ódio; “alegria”, não descontentamento e queixumes; “paz”, não irritação, ansiedade. É “longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”. Gál. 5:22 e 23.
Os que possuem esse Espírito são sinceros coobreiros de Deus; os seres celestiais cooperam com eles, e vão cheios do espírito da verdade que levam. Falam palavras de sólido juízo, e do tesouro do coração tiram coisas puras, sagradas, segundo o exemplo de Cristo. Obreiros Evangélicos, págs. 286 e 287.
Meditação Matinal de Ellen White – , 1986.  – Pág. 125 – 

Atos 5 Comentário Pr Heber Toth Armí

ATOS 5 
Comentário Pr Heber Toth Armí

A igreja que avança mesmo sob forte ameaça torna-se ameaça ao reino das trevas. 

Satanás enfureceu-se, por isso, trabalha para intentar atrapalhar o desenvolvimento da obra de Deus no mundo.

No capítulo anterior, a Igreja foi perseguida; prenderam os líderes espirituais, receberam a proibição de continuarem a missão. Líderes deste mundo intentam coagir a pregação visando eliminar a influência do Céu na Terra. Apesar disso, a vitória foi possível mediante a combinação da oração com a pregação. Consequentemente, a igreja superou a opressão.

Neste capítulo, as estratégias diabólicas mudaram. Ele não conseguiu destruir a igreja com ameaças, prisões e proibições políticas; então, inseriu táticas mais sutis. Ele conduziu crentes falsos à igreja. Assim, temos poderoso exemplo de como se origina a hipocrisia. A intenção do diabo é minar o poder da verdade. Seu alvo é interromper o poder existente na Palavra combinada com oração.

Observe mais atentamente estes pontos:

1. Os crentes consagrados, cheios do Espírito Santo, estavam cheios de vida, entusiasmo, ousadia e dinamismo entre si, todos se ajudando e se satisfaziam investindo na Igreja (4:32-37).
2. Os crentes hipócritas penetraram e fizeram fotos, dos quais não cumpriram. Estes falsos crentes não suportaram o poder da verdade, e morreram fulminados na Igreja. A morte instantânea de Ananias e Safira demonstra o desagrado divino por crentes fraudulentos (5:1-10).
3. O poder de Deus avança mesmo contra o poder do diabo. A igreja primitiva firmada na oração e na pregação avançou apesar da intenção satânica de destruição. A igreja crescia diante de cada prova vencida. Nada a impedia de avançar (5:11-16).
4. Os problemas não cessam mesmo quando o Espírito Santo atua claramente na Igreja. Após o caso dos cristãos interesseiros, egoístas e mentirosos, os apóstolos foram presos. Miraculosamente foram libertos em seguida. Depois, levaram-nos novamente à prisão, mas, finalmente, foram libertos. Tudo isso não os impedia de pregar (5:17-33).
5. Deus interferiu nas estratégias de Satanás através de Gamaliel, que sabiamente amenizou a oposição da liderança eclesiástica. Após açoitarem aos apóstolos, os dispensaram; então, com os crentes, “todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar e anunciar a Jesus, o Cristo” (5:34-42).

Utilizemos mais a oração e a Palavra na pregação, pois esta é a estratégia evangelística divina! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

sábado, 28 de abril de 2018

O Espírito Santo – Dom Especial

Refletindo a Cristo

O Espírito Santo – Dom Especial-28 de abril 

E a graça foi concedida a cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo. Por isso, diz: Quando Ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro, e concedeu dons aos homens. Efés. 4:7 e 8.
Jesus, o Filho de Deus, humilhou-Se a Si mesmo por nós, resistiu à tentação por nós, e venceu por nós a fim de mostrar-nos como poderemos ser vencedores. …
Foi prometido que o Espírito Santo estaria com aqueles que estivessem lutando pela vitória, em demonstração de toda a grandeza, dotando o instrumento humano de poderes sobrenaturais, e instruindo o ignorante sobre os mistérios do reino de Deus. Que o Espírito Santo deva ser o grande auxiliador, é uma maravilhosa promessa. …
A concessão do Espírito Santo habilitou Seus discípulos, os apóstolos, a permanecer firmes contra toda espécie de idolatria e a exaltar unicamente ao Senhor. Quem, a não ser Jesus Cristo, por Seu Espírito e divino poder, guiou as penas dos historiadores sacros a fim de que pudesse ser apresentado ao mundo o precioso registro das palavras e obra de Jesus Cristo?
O prometido Espírito Santo, que Ele enviaria após ascender ao Pai, trabalha constantemente para atrair a atenção sobre o grande sacrifício expiatório na cruz do Calvário, e revelar ao mundo o amor de Deus pelo homem, e expor à pessoa culpada as coisas preciosas contidas nas Escrituras, e franquear às mentes obscurecidas os fulgurantes raios do Sol da Justiça, as verdades que fazem o coração arder no íntimo, com a inteligência desperta pelas verdades eternas.
Quem, senão o Espírito Santo apresenta perante a mente o padrão moral de justiça e convence do pecado, e produz piedosa tristeza, que produz arrependimento, e inspira a prática da fé nAquele que unicamente pode salvar de todo pecado? …
Deve-se meditar cuidadosamente na vida de Cristo, e estudá-la constantemente com o desejo de entender a razão por que Ele precisou vir. Podemos unicamente tirar nossas conclusões se pesquisarmos as Escrituras conforme Cristo nos recomendou, pois Ele diz que elas “testificam de Mim”. Ao examinarmos a Palavra, poderemos descobrir as virtudes da obediência em contraste com a pecaminosidade da desobediência. “Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.” Rom. 5:19.
O jardim do Éden, com sua vil mancha de desobediência, deve ser cuidadosamente estudado e comparado com o jardim do Getsêmani, onde o Redentor do mundo sofreu agonia sobre-humana, quando os pecados do mundo todo foram lançados sobre Ele. Manuscrito 1, 1892.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. 28 de abril – Pág. 124 – 

Atos 4 Comentário Pr Heber Toth Armí

ATOS 4
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Não existe nada mais poderoso que um cristão moldado e nutrido pela Palavra divina e fortalecido pela oração. Igrejas que não se esforça para manter unida a Palavra e a oração enfraquecem frente a qualquer tentação ou provação.

A pregação suscita oposição; a oposição faz prosperar a igreja cheia do Espírito Santo. A oposição à igreja de Deus se levanta de onde deveria haver apoio. Observando a crescente popularidade do nome de Jesus na sociedade, os líderes eclesiásticos mandaram prender Pedro e João para que não pregassem mais o Cristo crucificado, ressurreto dos mortos e prestes a vir (vs. 1-3).

• Pedro, que algumas semanas antes negara aa seu Senhor movido por medo, age destemidamente; sem vestígio de medo, desafia as autoridades eclesiásticas que induziram a morte de Jesus (vs. 9-12, 19-20).

Sacerdotes e guardas prendem aos discípulos por perturbação e heresia. O problema é que, quem, de fato, perturba, é o perseguidor e acusador daqueles que verdadeiramente servem a Cristo. Analise a história através da Palavra de Deus e verás esta infeliz constatação. Contudo, a Palavra chegou até nós, depois de 2000 anos de perseguição, martírio e opressão, pelo poder que existe nela vinculado à oração (vs. 4-31).

Aqueles que são ameaçados pela força ou argumentos humanos encontram refúgio e solução no poder da oração ligado à Palavra de Deus. Os crentes em comunhão entre si e com Deus...

1. ...exaltam a onipotência do Criador revelado na criação (v. 24);
2. ...que se baseia na Palavra divina discorrem sobre os opositores do Ungido do Senhor (vs. 25-28);
3. ...não pedem tranquilidade e sossego, apenas que Deus observe as ameaças e, suplicam por mais ousadia para continuar a missão de compartilhar a Palavra acompanhada de poder sobrenatural (vs. 29-30).

A oração é comunhão com Deus e une os membros da igreja de Cristo (vs. 32-37). A oração não é uma estratégia psicológica sem sentido. Pois, certamente, Deus ouve nossas orações quando saem do coração com sinceridade. Deus confirma o recebimento no céu fazendo a terra tremer (v. 31). 

O resultado na igreja?

• Ousadia na pregação;
• Reverência;
• Oportunidade para avançar com a missão;
• Altruísmo, desprendimento, em vez de egoísmo;
• Unidade.

Apesar das ameaças desafiadoras, a igreja que ora avança poderosamente pregando a Palavra. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Usado Pelo Espírito Santo

Refletindo a Cristo

Usado Pelo Espírito Santo-27 de abril 

Quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. João 16:8.
Deus prometeu o dom do Espírito Santo a Sua igreja, e a promessa pertence-nos a nós, tanto como aos primeiros discípulos. Mas, como todas as outras promessas, é dada sob condições. Há muitos que professam crer, e suplicam as promessas do Senhor; falam acerca de Cristo e do Espírito Santo; todavia não recebem qualquer benefício, porque não se submetem à guia e controle dos agentes divinos.
Nós não podemos servir-nos do Espírito Santo; Ele é que nos há de usar a nós. Mediante o Espírito, Deus opera em Seu povo “tanto o querer como o realizar, segundo a Sua boa vontade”. Filip. 2:13. Mas muitos não se querem submeter a ser guiados. Querem dirigir-se a si mesmos. Eis porque não recebem o dom celestial. Apenas àqueles que esperam humildemente em Deus, que estão atentos à Sua guia e graça, é o Espírito concedido. Esta prometida bênção, reivindicada pela fé, traz consigo todas as demais bênçãos. Ela é concedida segundo as riquezas da graça de Cristo, e Ele está ponto a suprir cada alma, de acordo com sua capacidade de receber.
A comunicação do Espírito é a transmissão da vida de Cristo. Apenas aqueles que são assim ensinados por Deus, os que possuem a operação interior do Espírito, em cuja vida se manifesta a vida de Cristo, podem apresentar-se como verdadeiros representantes do Salvador.
Deus toma os homens tais quais são e educa-os para o Seu serviço, se eles se entregarem a Ele. O Espírito de Deus, recebido na alma, aviva todas as suas faculdades. Sob a guia do Espírito Santo, a mente que sem reserva se dedica a Deus, desenvolve-se harmoniosamente, e é fortalecida para compreender e cumprir as reivindicações de Deus. O caráter fraco, vacilante, transforma-se em outro, forte e inabalável. A dedicação contínua estabelece tão íntimo relacionamento entre Jesus e Seus discípulos, que o cristão assimila o caráter de seu Senhor. Tem visão mais clara, mais ampla. Seu discernimento é mais agudo, seu julgamento mais equilibrado. Tão avivado é ele pelo poder vitalizante do Sol da Justiça, que é habilitado a produzir muito fruto para glória de Deus. …
De que proveito nos seria que o Filho unigênito de Deus sofresse as tentações do astuto inimigo, e morresse, o Justo pelo culpado, se o Espírito não houvesse sido dado como um agente constante, sempre em operação, e regenerador, para tornar eficaz em cada caso individual, o que fora efetuado pelo Redentor do mundo? Obreiros Evangélicos, págs. 284-286.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 123 –

ATOS 3 Comentário Heber Toth Armí

 ATOS 3 
Comentário Heber Toth Armí

Talvez a maior ação dos envolvidos na missão seja a oração. A Igreja Cristã nasceu num berço de oração, foi nutrida com oração e fez a Palavra de Deus progredir usando a oração como alavanca.

Leia esta citação de Ellen G. White, antes, porém, mergulhe fundo na mensagem que Lucas escreveu em Atos 3.

“Caso houvesse mais orações nos concílios dos que arcam com as responsabilidades, mais humilhação do coração a Deus, veríamos demonstrações evidentes da liderança divina, e nossa obra efetuaria progressos rápidos”.

Isso aconteceu no passado, na igreja primitiva, e há muitos que desejam ver tal evidência no presente. Conquanto, é imprescindível separar um tempo especial para meditar no capítulo em questão.

Após os discípulos orarem (Atos 1) e serem tomados pelo Espírito Santo no Pentecostes, milhares de pessoas se converteram (Atos 2) e milagres acontecerem (Atos 3:1-10); a Palavra de Deus era exposta perante as massas com poder e ousadia (Atos 3:11-26).

Alguns pontos merecem total atenção:

1. Milagres não são frutos de poder inerentemente humano nem da piedade de pessoas altamente religiosas, é fruto da graça e poder de Deus através daqueles que se consagram a Seu serviço (vs. 1-13).

2. Milagres são iscas, ou melhor, são meios para alcançar um fim, não um fim em si mesmo. Pedro e João aproveitam o interesse da multidão pelo milagre para cumprir a missão. A missão não é fazer milagres, é evangelizar as pessoas proclamando o Salvador (vs. 10-18).

3. Milagres físicos são trampolins para maiores milagres, os espirituais – arrependimento, conversão e transformação de vida caracterizam o maior dos milagres operado pelo Espírito Santo. Enfatizar o primeiro em detrimento do segundo é desequilíbrio teológico (vs. 19-26).

Nesse texto, “Pedro fez uso da Palavra. ‘Israelitas’, disse, para chamar sua atenção e começar o discurso. Um discurso muito breve, de conteúdo cristocêntrico e vivencial. Dirigiu-se ao povo em tom de conversação, direto, informal. Um modelo de discurso breve, eloquente e baseado na Escritura... Em uma frase, o tema de Pedro foi: Jesus, o Filho de Deus, morreu para salvar os pecadores” (Mario Veloso).

Reavivemo-nos: Se exaltássemos a Bíblia mais do que milagres, rituais, músicas e ações sociais... acredito que nossas igrejas passariam por experiências não vivenciadas nos últimos anos. Você não acha? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Imbuído Pelo Poder do Espírito Santo

Refletindo a Cristo

Imbuído Pelo Poder do Espírito Santo-26 de abril


Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da Terra. Atos 1:8
É privilégio nosso pregar a Palavra na demonstração do Espírito. Toda pessoa tem oportunidade de exercer fé em nosso Senhor Jesus Cristo. Mas uma vida espiritual pura tem lugar unicamente quando a pessoa se entrega à vontade de Deus por intermédio de Cristo, o Salvador Mediador. É nosso privilégio ser persuadidos pelo Espírito Santo. Através do exercício da fé somos trazidos em comunhão com Jesus Cristo, pois Cristo habita no coração de todos os que são mansos e humildes. Eles têm uma fé que opera por amor e purifica a alma, uma fé que traz paz ao coração e conduz à senda da abnegação.
A promessa é que se persistirmos em conhecer ao Senhor, saberemos que “como a alva, a Sua vinda é certa”. Osé. 6:3. É fundamental que recebamos, diariamente, a convertedora graça de Deus no coração, para que todas as nossas palavras e ações possam demonstrar que somos submissos à mente e vontade de Deus. Ao fazermos com mansidão e humildade o serviço que nos é designado, devemos revelar o poder convertedor do Espírito Santo em nossa vida. Então nos tornamos instrumentos do Senhor para fazermos o Seu trabalho.
Com humildade e mansidão, mas com grande fervor, devemos prestar nosso serviço a Deus. Cristo é o nosso Modelo, nosso Exemplo em tudo. Ele foi cheio do Espírito, e o poder do Espírito foi manifestado por meio dEle, não através de movimentos corporais, mas de zelo por boas obras.
Entre o povo de Deus há necessidade de um profundo e completo esquadrinhar do coração, para que sejamos capazes de entender o que constitui a verdadeira religião. Cristo é um maravilhoso Educador. Sua vida e palavras se baseiam em princípios sólidos. Sua maneira de ensinar era muito simples. Ele foi modelado segundo a semelhança divina, e se O seguirmos, não cometeremos erros. …
Nossa vida deve estar escondida com Cristo em Deus. Precisamos possuir conhecimento pessoal de Cristo. Unicamente então poderemos representá-Lo perante o mundo. Onde quer que estejamos, precisamos deixar nossa luz brilhar para a glória de Deus em boas obras. Esta é a grande e importante obra de nossa vida. Os que realmente se acham sob a influência do Espírito Santo, revelarão Seu poder através da aplicação prática dos eternos princípios da verdade. Demonstrarão que o santo óleo foi derramado dos dois ramos da oliveira para os recessos do templo da alma. Suas palavras estarão imbuídas do poder do Espírito Santo para abrandar e persuadir o coração. Será evidente que as palavras pronunciadas são espírito e vida. Carta 352, 1908.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.  – Pág. 122 – 

Atos 2 Comentário Pr Heber Toth Armí

ATOS 2 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Igrejas saudáveis, vivas, ativas e regidas pelo Espírito Santo crescem diariamente assim como uma floresta. Por outro lado, igrejas doentes, frias, indiferentes e inativas, morrem diariamente.

A igreja que não evangeliza, fossiliza. Membros que não são proativos, são inativos. A igreja viva depende do poder vital outorgado pelo Espírito Santo. 

A igreja sadia, poderosa e avivada impacta a sociedade, assim seu crescimento é notável. Crescimento é...

• ...Geográfico: De onde estava, a igreja deveria alcançar os confins da Terra, como de fato aconteceu não muito tempo depois (Colossenses 1).
• ...Numérico: Iniciou com 120 membros, após o primeiro sermão evangelístico, alcançou quase 3.000. Logo, passou a quase 5.000. Assim que crescia a Palavra de Deus, multiplicava-se o número de discípulos (Atos 6:7). E assim sucessivamente!
• ...Espiritual: A igreja que cresce em quantidade sem qualidade não é melhor que um movimentado circo que oferece prazeres ilusórios e ainda tira dinheiro do povo. O crescimento da igreja deve passar pela comunhão com Deus, obediência fiel à Palavra, vida consagrada à oração, e no fervor da adoração e serviço (vs. 41-42).
• ...Sobrenatural: Crescimento natural não é adesão de membros, mas conversão de pecadores. Para isso, não é a persuasão e eloquência humana que convence as pessoas a se tornarem crentes, mas Deus operando por meio de Seus representantes cheios do Espírito Santo que acrescenta os convertidos ao corpo de Cristo – a Igreja (v. 47).

A Palavra de Deus deve ser a base de todo sermão (Pedro citou profusamente o Antigo Testamento – vs. 14-36). Os discípulos aguardaram a promessa do Espírito Santo conforme a Palavra de Deus (Lucas 24:49), quando se consagraram por dez dias sob a orientação da Palavra de Cristo (Atos 1:4; 2:1-13).

Pedro citou o Antigo Testamento em seu sermão, não porque não tinha opção do Novo Testamento em seu tempo, mas porque a Palavra de Deus não tem prazo de validade (Isaías 40:7-8; I Pedro 1:25).

Outra coisa: Observe atentamente que, neste texto, a fé que recebe a Cristo precisa ser acompanhada pelo arrependimento que rejeita o pecado. Somente uma igreja que preza pela verdadeira conversão abalará o mundo com sua poderosa pregação (Atos 2:42-47; 5:14-15, 41-42; 8:4-6; 9:31; 16:5; 17:6; etc.).

Reflita: Nossa igreja hoje é o que Deus quer que ela seja? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico


quarta-feira, 25 de abril de 2018

O Representante de Cristo

Refletindo a Cristo

O Representante de Cristo- 25 de abril

Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em Meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. João 14:26.
O fato de que Cristo Se manifestaria a eles, e no entanto seria invisível ao mundo, era um mistério para os discípulos. Eles não podiam entender as palavras de Cristo em seu sentido espiritual. Pensavam numa manifestação externa, visível. Não podiam admitir o fato de que teriam a presença de Cristo com eles, mas Ele, no entanto, não seria visto pelo mundo. Não entendiam o significado de uma manifestação espiritual.
O grande Mestre ansiava dar aos discípulos todo o ânimo e conforto possível, pois eles seriam dolorosamente provados. Mas era difícil, para eles, compreender Suas palavras. Ainda precisavam aprender que a vida espiritual interior, perfumada com a obediência amorosa, lhes daria o poder espiritual de que careciam.
A promessa do Consolador lhes apresentava uma maravilhosa verdade. Animava-os a não perder a fé mesmo sob as mais difíceis circunstâncias. O Espírito Santo, enviado em nome de Cristo, deveria ensinar-lhes todas as coisas, e trazer tudo à memória. O Espírito Santo era o representante de Cristo, o Advogado que está constantemente pleiteando em favor da raça caída. Ele roga que o poder espiritual lhes seja concedido, que pelo poder dAquele que é mais forte do que todos os inimigos de Deus e dos homens, eles possam vencer os seus inimigos espirituais.
Aquele que conhece o fim desde o princípio tomou providências contra os ataques dos agentes satânicos. E Ele cumprirá Sua palavra, aos que Lhe forem leais, em toda e qualquer época. Esta palavra é certa e imutável; nem um jota ou til passará. Se os homens se mantiverem sob a proteção de Deus, Sua bandeira estará sobre eles como uma fortaleza inexpugnável. Ele dará provas de que Sua palavra jamais falhará. Ele será uma luz que brilha em lugar escuro até o raiar do dia. Ele, o Sol da Justiça, surgirá trazendo cura em Seus raios. …
Ele vos deixou a certeza de que o Espírito Santo foi dado a fim de permanecer convosco para sempre, a fim de ser vosso intercessor e guia. Ele pede que confieis nEle, e vos entregueis a Sua guarda. O Espírito Santo está constantemente trabalhando, ensinando, lembrando, testemunhando, e vindo ao coração como Consolador divino, e convencendo do pecado na qualidade de Juiz e Guia. …
Vosso trabalho é cooperar com Cristo, para que sejais aperfeiçoados nEle. Ao estardes unidos com Ele pela fé, crendo nEle e recebendo-O, vos tornais parte dEle. Vosso caráter é a Sua glória em vós revelada. Manuscrito 44, 1897.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 121 – 

ATOS 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

 
ATOS 1 
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Ore, depois abra tua Bíblia em Atos e escancare teu coração para a revelação que está diante de ti.

J. Sindlow Baxter exclamou: “Vinte e oito capítulos emocionantes apresentam-se a nós. Podemos ler qualquer deles várias vezes, descobrindo sua fascinação crescente a cada leitura. Pena alguma jamais escreveu um registro mais irresistível. Se esses acontecimentos memoráveis não provocarem a imaginação e nem despertarem as emoções de qualquer leitor realmente interessado, nenhum outro o fará. Todavia, até mesmo o simples interesse pelo livro fica eclipsado pela sua importância como revelação e história. Ele é a sequência dos poderosos eventos dos evangelhos e a introdução para as doutrinas das epístolas; marcando, de fato, um dos mais elevados pontos críticos da história, como em breve teremos oportunidade de ver”.

Dois pontos sobressaem de Atos 1:

• Depois de ressuscitar, Jesus passou 40 dias orientando e reorientando Seus discípulos, depois subiu ao Céu. Como eles, podemos estar focados em datas e eventos proféticos, quando, na verdade, deveríamos focar na pregação do evangelho, antes que Jesus retorne (vs. 1-11).

• Obedecer, unir-se, organizar-se e consagrar-se é essencial para receber o poder do Espírito Santo. Só depois deveríamos partir para a ação – missão! (vs. 12-26).

Steven Sheeley argumenta que, “pode-se dizer que o principal propósito de Lucas ao escrever Atos foi teológico. Ao passo que procurou informar, convencer e cativar a atenção, seu objetivo primordial foi que seus leitores aprendessem algo sobre Deus. Lucas destacou a ação do Espírito Santo. A mensagem de Lucas não é simplesmente que o evangelho se espalhou de Jerusalém até os confins da terra; sua mensagem é que Deus foi a causa dessa difusão do evangelho. A cada passo, o leitor é colocado frente a frente com a atuação de Deus no mundo”.

Através do primeiro capítulo de Atos, entendo que Deus quer que...

• ...Aprendamos que o cumprimento da missão só acontece mediante intensa consagração.
• ...Percebamos que a missão é dEle e, somos apenas Seus instrumentos no mundo.
• ...Compreendamos que Sua missão teve início de forma sobrenatural e seu final não será diferente.
• ...Sejamos motivamos à busca pelo poder que impactará o mundo com a mensagem vinda do trono de Deus.

Cristo fundou Sua igreja e Deus a conduzirá ao Céu. Sua igreja vencerá!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp


terça-feira, 24 de abril de 2018

Como Obter Força Espiritual

Refletindo a Cristo

Como Obter Força Espiritual- 24 de abril 

Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de Mim. João 5:39.
O Espírito Santo Se acha ao lado de cada verdadeiro pesquisador da Palavra de Deus, habilitando-o a descobrir as gemas escondidas da verdade. A iluminação divina lhe vem à mente fixando-lhe a verdade com uma nova e vigorosa importância. Ele se enche de uma alegria jamais experimentada antes. A paz de Deus repousa sobre ele. A preciosidade da verdade é percebida como nunca antes. Uma luz celestial resplandece sobre a Palavra, fazendo com que cada letra pareça estar tingida de ouro. O próprio Deus fala ao coração, tornando Sua Palavra espírito e vida.
A vida eterna é a recepção dos elementos vivos contidos nas Escrituras, é o fazer a vontade de Deus. Isto é o que significa o comer a carne e o beber o sangue do Filho de Deus. Todos têm a oportunidade de participar do pão do Céu estudando a Palavra de Deus, e obtendo assim força espiritual. …
Um rico banquete é preparado para os que aceitam a Cristo como seu Salvador pessoal. Dia a dia, ao participarem de Sua Palavra, são nutridos e fortalecidos.
Por que o povo de Deus não toma conhecimento das palavras do Grande Mestre? Por que se voltam para os seres humanos em busca de auxílio e conforto, quando possuem a grandiosa promessa: “Quem comer a Minha carne e beber o Meu sangue permanece em Mim, e Eu, nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e igualmente Eu vivo pelo Pai, também quem de Mim se alimenta por Mim viverá. … Quem comer este pão viverá eternamente”? João 6:56-58.
Aqueles que participam do banquete para eles preparado obterão uma experiência do mais alto valor. Verão que em comparação com a Palavra de Deus, a palavra do homem é como a palha para o trigo.
Em todo e qualquer plano que fazemos, precisamos agir com inteira dependência de Deus, ou seremos enganados pelas aparências, em vez da realidade. …
Por causa dos resíduos eliminados pelo corpo, o sangue precisa ser constantemente renovado através de alimento. Assim também com a nossa vida espiritual. A palavra precisa ser diariamente recebida, crida e transformada em ação. Cristo precisa habitar em nós, dando energia a todo o ser, e renovando o sangue vital do indivíduo. Seu exemplo deve ser nosso guia. Em nosso relacionamento uns com os outros, precisamos revelar Sua simpatia. Precisa haver prática real da graça de Cristo em nosso coração. Então poderemos dizer com o apóstolo: “Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”. Gál. 2:20. A vida de Cristo no coração é a razão da alegria e a garantia de nossa glória. Review and Herald, 1° de outubro de 1901.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 120 – 

João 21 Comentário Pr Heber Toth Armí

JOÃO 21
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Jesus morreu e ressuscitou para restaurar-nos física, mental e espiritualmente. Sem esta restauração, Seu sacrifício não teria sentido atualmente.

Como exemplo dessa restauração, o evangelista João cita dois personagens:

• Tomé: Jesus restaurou sua fé, crença e confiança. A incredulidade deve dar lugar à credulidade (João 20:24-31; 21:24-25).
• Pedro: Jesus o restaurou da vanglória, descrédito, covardia e distração.

“Depois do café da manhã na praia [João 21:1-14], veio a entrevista que Pedro temia [João 21:15-18]. Três vezes ele havia negado a Jesus. Assim, três vezes Jesus lhe fez a mesma pergunta: ‘Você me ama?’ E três vezes Jesus o renomeou, dizendo: ‘Cuide das minhas ovelhas’ [...]. A pergunta não foi sobre o passado, mas sobre o presente; não sobre palavras ou obras, mas sobre a atitude do coração de Pedro. O amor a Cristo pressupõe prioridade, pois são pecadores perdoados os que mais amam” (John Stott).

Jesus quer restaurar-nos também:

• De nossa vanglória: Às vezes somos arrogantes. Pensamos que amamos a Jesus mais que as demais pessoas. Vangloriamo-nos de nosso cristianismo trôpego pensando que jamais negaremos a fé. Pedro, que alegava permanecer com Jesus ainda que todos O abandonassem, O negou três vezes; agora, por três vezes, Jesus perguntou-lhe sobre seu amor a fim de curar-lhe a vanglória. Jesus quer fazer o mesmo conosco.

• Do descrédito: Nossas palavras podem ser jogadas ao chão por nossas próprias ações contrárias ao que prometemos (João 18:15-27). O líder que peca tão gravemente como Pedro, que perde a credibilidade diante das pessoas, Jesus o perdoa e o restaura ao serviço. Jesus confiou a Pedro a missão de apascentar e pastorear Seu rebanho. Em vez de demiti-lo do cargo, Jesus o restaurou do descrédito. Há esperança para nós!

• Da covardia: A ousadia humana (João 13:37) pode tornar-se covardia diante da pressão da sociedade (João 18:15-27). Contudo, Jesus quer curar-nos. Curado, Pedro foi martirizado, crucificado de cabeça-para-baixo falando de Cristo.

• Da distração. Às vezes, como Pedro, somos distraídos diante da missão dada por Cristo. Podemos distrair por causa das dificuldades (Mateus 14:30), voltando à rotina antiga (João 21:3) ou focando em outra pessoa (João 21:20-23). Hoje Jesus quer dizer-nos, “quanto a ti, segue-Me”, deixe a distração!

Tudo o que João escreveu visa despertar nossa crença em Jesus. Reavivemo-nos intensamente! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

Compartilhe conosco tua experiência com o evangelho escrito por João...

segunda-feira, 23 de abril de 2018

A Fé Qualifica as Pessoas

Refletindo a Cristo,

A Fé Qualifica as Pessoas - 23 de abril

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Heb. 11:1.
Quantas vezes os que confiavam na Palavra de Deus, embora se encontrando literalmente desamparados, têm resistido ao poder do mundo inteiro! Eis Enoque, puro de coração e de vida santa, mantendo firme a sua fé na vitória da justiça contra uma geração corrupta e escarnecedora; Noé e sua casa contra os homens de sua época, homens da maior força física e mental, e da moral mais vil; os filhos de Israel junto ao Mar Vermelho, desamparada e aterrorizada multidão de escravos contra o mais poderoso exército da mais poderosa nação do globo; Davi, como um pastorzinho, tendo de Deus a promessa do trono, em oposição a Saul, o rei estabelecido e disposto a manter firmemente o seu poder; Sadraque e seus companheiros no fogo, e Nabucodonosor no trono; Daniel entre os leões e seus inimigos nos altos postos do reino; Jesus na cruz, e os sacerdotes e principais dos judeus forçando até o governador romano a fazer a vontade deles; Paulo em grilhões, conduzido à morte de criminoso, sendo Nero o déspota de um império mundial.
Tais exemplos não se encontram somente na Bíblia. São abundantes em todo o registro do progresso humano. Os valdenses e os huguenotes, Wycliffe e Huss, Jerônimo e Lutero, Tyndale e Knox, Zinzendorf e Wesley, com multidões de outros, têm testemunhado do poder da Palavra de Deus contra o poder e astúcia humanos em apoio do mal. Tais constituem a verdadeira nobreza do mundo. Tais são a sua linhagem real. Nesta linhagem a juventude de hoje é chamada a tomar lugar.
Necessita-se de fé nas pequenas coisas da vida, tanto como nas grandes. Em todos os nossos interesses e ocupações diários, a força amparadora de Deus se nos torna real por meio de uma confiança perseverante. …
Unicamente essa percepção da presença de Deus poderá banir aquele receio que faria da vida um peso à tímida criança. Fixe ela em sua memória esta promessa: “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que O temem, e os livra.” Sal. 34:7. Que leia a maravilhosa história de Eliseu na cidade montesina e, entre ele e os exércitos de inimigos armados, uma poderosa multidão circunjacente de anjos celestiais. Leia como a Pedro, na prisão e condenado à morte, apareceu o anjo de Deus; como, depois de passarem pelos guardas armados, pelas portas maciças e grandes portões de ferro com seus ferrolhos e travessas, o anjo guiou o servo de Deus em segurança. …
De maneira não menos assinalada do que Ele operava naquele tempo, fará hoje onde quer que haja corações de fé, que sejam os condutores de Seu poder. Educação, págs. 254-256.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. – Pág. 119 – 

João 20 Comentário Pr Heber Toth Armí

 JOÃO 20 
Comentário Pr Heber Toth Armí

A medicina descobriu “o valor do sangue. O sangue é o único elemento que pode combater interiormente uma infecção. Um milímetro cúbico de sangue contém 5 bilhões de glóbulos vermelhos, cinco mil glóbulos brancos e 300 plaquetas. Esses glóbulos levam nutrição às células do corpo. Diz-se que, enquanto o sangue circula nas células, o indivíduo está vivo e, quando o sangue para de circular, o indivíduo está morto. Embora a ciência tenha descoberto tudo isso nas últimas décadas, Deus revelou nas Escrituras, há mais de 3.500 anos, a vida da carne está no sangue [...]. Um cordeiro é que derrama o próprio sangue; esse cordeiro é Cristo e, porque Ele derramou o próprio sangue, não é preciso que mais ninguém morra [eternamente], basta apenas aceitar o sacrifício de Jesus” (Alejandro Bullón).

Jesus morreu para dar-nos vida! Não há vida eterna à parte do sacrifício vicário de Cristo. Sua vitória sobre a morte é concedida a nós gratuitamente. Sua ressurreição é a certeza de nossa absolvição da condenação por nossos pecados.

Destacando neste capítulo que João apresenta a “ressurreição e aparições de Jesus, e a comissão de Seus discípulos”, Andreas J. Köstemberguer fragmenta os seguintes tópicos:

1. A tumba vazia de Jesus (vs. 1-10);
2. Jesus aparece a Maria Madalena (vs. 11-18);
3. Jesus aparece a Seus discípulos (vs. 19-23);
4. Jesus aparece a Tomé (vs. 24-29).

Na última parte (vs. 30-31), Köstemberguer sintetiza a conclusão de João: “Os sinais do Messias presenciados pela nova comunidade messiânica”.

Além do que foi visto até aqui, existem mais alguns pontos que devem nos levar à reflexão:

• A morte não segurou Jesus por muito tempo na tumba porque Ele é mais forte do que a morte; consequentemente, a morte não deve mais amedrontar o crente.
• Jesus não subiu ao Céu para permanecer com o Pai enquanto não Se mostrou ressuscitado em carne e osso aos Seus seguidores.
• Banir a incredulidade é um dos objetivos primários do evangelista João, quem estuda com atenção e oração seus escritos sobre Cristo desenvolverá convicção nEle.
• O objetivo final de apresentar o Jesus real é para que os mortais tenham esperança na vida plena ao crerem no Salvador.

Leia, reflita, medite e assimile a mensagem deste capítulo! 

Ore, creia e testemunhe! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis