Translate

terça-feira, 17 de julho de 2018

A Humanidade Revela a Glória de Deus

Refletindo a Cristo

A Humanidade Revela a Glória de Deus - 17 de julho

Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado. I João 1:7.

Cristo não manda Seus seguidores esforçarem-se para brilhar. Diz: Resplandeça a vossa luz. Se tendes recebido a graça de Deus, a luz está em vós. Removei os empecilhos, e a glória do Senhor será revelada. A luz resplandecerá para penetrar e dissipar a escuridão. Não podeis deixar de brilhar dentro do círculo de vossa influência.

A revelação da glória do Senhor na forma humana, trará o Céu tão perto dos homens, que a beleza que adorna o templo interior será vista em todos em que o Salvador habita. Os homens serão cativados pela glória de um Cristo que vive em nós. E em torrentes de louvor e ações de graças dos muitos assim ganhos para Deus, refluirá glória para o grande Doador. …

Cristo vem com poder e grande glória. Vem com Sua própria glória e com a glória do Pai. Vem com todos os santos anjos. Ao passo que o mundo todo estará mergulhado em trevas, haverá luz em todos os lares dos santos. Eles hão de captar os primeiros raios de luz de Sua segunda vinda. A imaculada luz resplandecerá em Seu esplendor, e Cristo, o Redentor, será admirado por todos os que O serviram. Ao passo que os ímpios fugirão de Sua presença, os seguidores de Cristo rejubilarão. Vislumbrando o tempo do segundo advento de Cristo, disse o patriarca Jó: “Vê-Lo-ei por mim mesmo, os meus olhos O verão, e não outros.” Jó 19:27. Dos fiéis seguidores, Cristo tem sido companheiro diário, amigo familiar. Viveram em contato íntimo, em comunhão constante com Deus. A glória de Deus resplandeceu sobre eles. Refletiu-se neles a luz do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. Agora se regozijam nos raios não ofuscados do resplendor e glória do Rei, em Sua majestade. Estão preparados para a comunhão do Céu; pois têm o Céu no coração.

De fronte erguida, os brilhantes raios do Sol da Justiça sobre eles resplandecendo, com júbilo porque sua redenção se aproxima, saem ao encontro do Esposo. …

“E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! Pois já o Senhor, Deus todo-poderoso, reina. Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-Lhe glória, porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a Sua esposa se aprontou. … E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro.” Apoc. 19:6, 7 e 9. “Porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com Ele, chamados, eleitos e fiéis.” Apoc. 17:14. Parábolas de Jesus, págs. 420 e 421.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 204

Efésios 5 Comentários Pr Heber Toth Armí

Efésios 5
Comentários Pr Heber Toth Armí

Se cremos em Cristo e aceitamos de fato e de verdade Seus preciosos ensinamentos, uma mudança será nitidamente perceptível em nosso comportamento e em nossos relacionamentos. 

Estudando o livro de Efésios, nota-se que o alvo de mudança para o cristão é sobre-humano. De fato, a vida cristã é sobrenatural (vs. 1-2). Para que você experimente profundamente a essência da verdadeira religião bíblica determine-se a trocar o tempo dedicado às mídias sociais, filmes, novelas e seriados – que intentam impor comportamentos pagãos em quem os assiste –, pelo que realmente importa para a eternidade. Com oração, reflita hoje, neste pensamento:

“Convido-vos a olhar para o Homem do Calvário. Olhai para Aquele cuja cabeça foi coroada com a coroa de espinhos, que suportou a cruz da ignomínia, que desceu passo a passo o caminho da humilhação. Olhai para Aquele que foi um homem de dores e que sabia o que é padecer, que foi desprezado e rejeitado pelos homens [...]. Olhai para o Calvário até que o vosso coração se enterneça diante do maravilhoso amor do Filho de Deus. Ele não deixou nada por fazer para que o homem caído pudesse ser elevado e purificado [...]. Oh! Se pudesse vir sobre vós o batismo do Espírito Santo, para que fôsseis imbuídos do Espírito de Deus! Então, dia a dia vos tornaríeis mais semelhantes à imagem de Cristo...” (Ellen G. White).

Completando a argumentação ética-teológica dos capítulos anteriores, o capítulo em pauta ensina, quer gostemos ou não, que verdadeiros cristãos...

1. ...Vivem em pleno relacionamento de amor (vs. 1-7);
2. ...Agradam a Deus não se deixando influenciar pelos atos dos ímpios (vs. 8-14);
3. ...Praticam a sabedoria divina no dia a dia (vs. 15-17);
4. ...São capacitados a viver o ideal de Deus quanto mais buscam a plenitude do Espírito Santo (v. 18);
5. ...Se unem para adorar a Deus em harmonia, submetendo-se uns aos outros (vs. 19-21);
6. ...Praticam a essência do verdadeiro evangelho primeiramente em casa, no mais íntimo dos relacionamentos: O matrimônio (vs. 22-33).

Se o evangelho não funciona em casa, o que parece evangelho na igreja não passa de meras formalidades religiosas que iludem os ignorantes.

Busquemos viver o verdadeiro evangelho. Convertamo-nos realmente ao evangelho bíblico. Oremos: “Senhor, ajude-nos, por favor!” - Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Efésios 4 Comentários Pr Heber Toth Armí

Efésios 4
Comentários Pr  Heber Toth Armí

 Os cristãos não andam como pagãos. Os crentes têm vida diferente dos incrédulos. Os religiosos piedosos revelam comportamento contrário dos religiosos hipócritas. 

A reforma operada pelo poder do Espírito Santo manifesta-se na vida prática e pública.

Baseando em Matthew Henry, destaco os pontos do capítulo:

1. Uma exortação geral para que o cristão ande conforme a fé cristã (v. 1).

2. Uma exortação ao amor, unidade e acordo mútuo, com os meios e motivos para fomentá-los (vs. 2-16):

a) Meios da unidade: Humildade, mansidão e longanimidade.
b) Natureza da unidade: A base da unidade cristã está no coração e no Espírito.
c) Motivos corretos para fomentar a unidade e harmonia cristãs: 

• Alegria e glória da profissão cristã;
• Cristo concedeu variedade de dons aos cristãos;
• A grande finalidade e desígnio de Cristo em relação aos dons: Para que não sejamos mais meninos; para que sigamos a verdade em caridade; para que cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo; para auxiliar uns aos outros, como membros do mesmo corpo.

3. Exortação geral de pureza e santidade de coração e vida (vs. 17-24):

a) Cristãos não andam como os ímpios:

• Cristãos regenerados são arrebatados de uma sociedade iníqua como tições do meio do fogo. 
• Cristãos devem separar-se do modo de vida dos ímpios, não vivem mais nas trevas e depravações.

b) A velha vida não deve ser carregada no presente, deve ser abandonada no passado: O velho homem deve ser despojado, deve-se vestir do novo homem.

4. Exortações específicas (vs. 25-32):

a) Guardem-se da mentira e cuidem ainda mais para falar a verdade;
b) Guardem-se da ira e das paixões desgovernadas;
c) Exortação contra o roubo, adultério e conselhos referentes à honestidade e à caridade;
d) Exortação contra a comunicação corrompida e observar o que é útil e edificante;
e) Não entristecer o Espírito Santo.

“Não andamos ‘...como é digno da vocação com que fostes chamados’ se não formos amigos fieis de todos os cristãos, e inimigos declarados de todo pecado” (Henry).

A conversão que não gera mudança é falsa. O reavivamento que não produz intimidade com Deus e unidade entre os irmãos deve ser rejeitado. 

Devemos buscar o verdadeiro reavivamento que implanta o caráter de Deus no lugar do nosso mau temperamento! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

Elas Deixaram Sua Luz Brilhar

Refletindo a Cristo

Elas Deixaram Sua Luz Brilhar - 16 de julho

No entanto, as prudentes, além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas. Mat. 25:4

Na parábola, as virgens prudentes tinham óleo em seus vasos com as lâmpadas. Suas lâmpadas arderam com chama contínua pela noite de vigília. Contribuíram para aumentar a iluminação em honra do esposo. Brilhando na escuridão, auxiliaram a iluminar o caminho para o lar do esposo, para a ceia de bodas.

Assim, devem os seguidores de Cristo irradiar luz nas trevas do mundo. Pela atuação do Espírito Santo, a Palavra de Deus é uma luz quando se torna um poder transformador na vida de quem a recebe. Implantando-lhes no coração os princípios de Sua Palavra, o Espírito Santo desenvolve nos homens os predicados de Deus. A luz de Sua glória – Seu caráter – deve refletir-se em Seus seguidores. Assim devem glorificar a Deus, e iluminar o caminho para a mansão do esposo, para a cidade de Deus, e para o banquete de bodas do Cordeiro.

A vinda do esposo foi à meia-noite – a hora mais tenebrosa. Assim a vinda de Cristo será no período mais tenebroso da história deste mundo. Os dias de Noé e de Ló ilustram a condição do mundo exatamente antes da vinda do Filho do homem. Apontando para esse tempo, declaram as Escrituras que Satanás trabalhará com todo poder e “sinais, e prodígios de mentira”. II Tess. 2:9. Sua obra é revelada claramente pelas trevas que se adensam rapidamente, pela multidão de erros, heresias e enganos destes últimos dias. Satanás não só leva cativo o mundo, porém suas ilusões infectam até as professas igrejas de nosso Senhor Jesus Cristo. A grande apostasia se desenvolverá em trevas tão densas como as da meia-noite, impenetráveis como a mais intensa escuridão. Para o povo de Deus será uma noite de prova, noite de lamentação, noite de perseguição por causa da verdade. Mas nessa noite de trevas brilhará a luz de Deus.

Fez que “das trevas resplandecesse a luz”. II Cor. 4:6. Quando “a Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus Se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz. E houve luz”. Gên. 1:2 e 3. Também na noite das trevas espirituais a Palavra de Deus diz: “Haja luz.” A Seu povo, diz Ele: “Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti.” Isa. 60:1.

“Eis”, diz a Escritura, “que as trevas cobriram a Terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a Sua glória se verá sobre ti.” Isa. 60:2. Parábolas de Jesus, págs. 414 e 415.

Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. Pág. 203 –

domingo, 15 de julho de 2018

Dois Grupos de Vigias

Refletindo a Cristo

Dois Grupos de Vigias - 15 de julho

Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz, para os meus caminhos. Sal. 119:105.

Os dois grupos de vigias representam as duas classes que professam estar à espera de seu Senhor. São chamadas virgens porque professam fé pura. As lâmpadas representam a Palavra de Deus. Diz o salmista: “Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz, para os meus caminhos.” Sal. 119:105. O óleo é símbolo do Espírito Santo. Assim é representado o Espírito na profecia de Zacarias. … “Olho, e eis um candelabro todo de ouro e um vaso de azeite em cima com as suas sete lâmpadas. … Junto a este, duas oliveiras.” Zac. 4:2 e 3. …

Das duas oliveiras o dourado óleo era vazado pelos tubos de ouro nas taças do castiçal, e daí nas lâmpadas de ouro que iluminavam o santuário. Assim, dos santos que estão na presença de Deus, Seu Espírito é comunicado aos que são consagrados para o Seu serviço. A missão dos dois ungidos é comunicar ao povo de Deus aquela graça celestial que, somente, pode fazer de Sua palavra uma lâmpada para os pés, e uma luz para o caminho. “Não por força, nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos.” Zac. 4:6.

Na parábola, todas as dez virgens saíram ao encontro do esposo. Todas tinham lâmpadas e frascos. Por algum tempo não se notava diferença entre elas. Assim é com a igreja que vive justamente antes da segunda vinda de Cristo. Todos têm conhecimento das Escrituras. Todos ouviram a mensagem da proximidade da volta de Cristo e confiantemente O esperam. Como na parábola, porém, assim é agora. Há um tempo de espera; a fé é provada; e quando se ouvir o clamor: “Eis o noivo! Saí ao seu encontro!” (Mat. 25:6), muitos não estarão preparados. Não têm óleo em seus vasos nem em suas lâmpadas. Estão destituídos do Espírito Santo. …

A teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode vivificar a mente, nem santificar o coração. Pode estar-se familiarizado com os mandamentos e promessas da Bíblia, mas se o Espírito de Deus não introduzir a verdade no íntimo, o caráter não será transformado. Sem a iluminação do Espírito, os homens não estarão aptos para distinguir a verdade do erro, e serão presa das tentações sutis de Satanás. …

Todavia o caráter não é transferível. Ninguém pode crer por outro. Ninguém pode receber por outro o Espírito. Ninguém pode dar a outrem o caráter que é o fruto da operação do Espírito. Parábolas de Jesus, págs. 406-408, 411 e 412.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 202

Efésios 3 Comentários Pr Heber Toth Armí

Efésios 3
Comentários Pr Heber Toth Armí

O apóstolo Paulo revela mistérios espirituais. Se você almeja conhecê-los, leia Efésios 3 inteiro; depois, reflita nas seguintes observações:

• Por mais inteligente que sejas, não dá para saber o que acontece no Céu, muito menos na mente de Deus; contudo, aqueles que reconhecem suas limitações encontram acessibilidade a estes mistérios na revelação de Deus (vs. 1-3). A Bíblia contém o segredo/mistério de Deus revelado.

• O mais simples e humilde cristão terá compreensão de mistérios que aqueles que ignoram Deus e a Bíblia jamais obterão, ainda que tenha títulos acadêmicos renomados (vs. 4-6). Este mistério é: Pessoas do mundo inteiro podem participar ativamente do plano de salvação desenvolvido por Deus.

• Por mais cultas que sejam as pessoas, o evangelho só pode ser conhecido mediante instrumentos (profetas/apóstolos) usados por Deus para transmiti-lo; do contrário, teria permanecido oculto a nós (vs. 7-12). Agora o evangelho descortinado por estas instrumentalidades deve ser anunciado/proclamado pela Igreja Cristã espalhada pelo mundo.

• Por mais espiritual que seja o cristão, revelar/proclamar os mistérios de Deus nunca será tarefa fácil; contudo, com Deus jamais será impossível. Nenhuma tribulação deve desfalecer o cristão; mas através da oração e intercessão o fortalecerão (vs. 13-14). 

• Aqueles que aceitam o mistério de Deus devem passar da imaturidade à maturidade. Cristãos verdadeiros se recusam viver a fé superficialmente (vs. 14-21). Como Paulo, cristãos maduros anseiam o amadurecimento de outros na pura essência do Evangelho: Cheios da plenitude de Deus!

Os versículos 14-21 são considerados por Peter T. O’Brien “a intercessão de Paulo por poder, amor e maturidade espiritual”. Dividindo-a em duas partes:

1. Oração pedindo poder, amor e maturidade (vs. 14-19);
2. Doxologia a Deus que pode fazer mais do que pedimos ou imaginamos (vs. 20-21).

William Hendriksen observa: “O apóstolo ora para que os leitores possam concentrar-se tão intensamente e de maneira tão exaustiva na intensidade e glória do amor de Cristo, que cheguem à compreensão de que este amor sempre excede o conhecimento”.

Devemos aprofundar-nos na revelação divina! Crentes devem deixar assuntos periféricos, focar no amor que excede todo entendimento, e proclamá-lo a tantos carentes espalhados pelo mundo!

Procure encher-se da plenitude de Deus, e assim trilhar o caminho do pleno reavivamento espiritual! Ajude outras pessoas a obterem a experiência da plenitude de Deus! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 14 de julho de 2018

As Dez Virgens Representam a Igreja

Refletindo a Cristo

As Dez Virgens Representam a Igreja -14 de julho

Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro! Mat. 25:6.

Cristo e Seus discípulos estão assentados no Monte das Oliveiras. O Sol já desapareceu e as sombras da noite crescem sobre a Terra. Pode-se ver uma casa esplendorosamente iluminada como para uma festa. A luz jorra das aberturas, e um grupo expectante indica que um cortejo nupcial está prestes a aparecer. Em muitas regiões do oriente as festividades nupciais são realizadas à noite. O noivo parte ao encontro da noiva e a traz para casa. À luz de tochas, o cortejo dos nubentes sai da casa paterna para seu próprio lar, onde um banquete é oferecido aos convidados. Na cena que Cristo contemplava, um grupo espera o aparecimento do cortejo nupcial para a ele se ajuntar.

Na adjacência do lar da noiva esperam dez virgens trajadas de branco. Todas levam uma lâmpada acesa e um frasco de óleo. Todas aguardam ansiosamente a vinda do esposo. Há, porém, uma tardança. Passa-se uma hora após outra, as vigias fatigam-se e adormecem. À meia-noite ouve-se um clamor: “Eis o noivo! Saí ao seu encontro!” Mat. 25:6. Sonolentas despertam, de repente, e levantam-se. Vêem o cortejo aproximando-se resplandecente de tochas e festivo, com música. Ouvem as vozes do esposo e da esposa. As dez virgens tomam suas lâmpadas e começam a aparelhá-las, com pressa de partir. Cinco delas, porém, tinham deixado de encher seus frascos. Não previram demora tão longa, e não se prepararam para a emergência. Em aflição apelam para suas companheiras mais prudentes, dizendo: “Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão-se apagando.” Mat. 25:8. Mas as cinco outras, com suas lâmpadas há pouco aparelhadas, tinham seus frascos esvaziados. Não tinham óleo de sobra, e respondem: “Não, para que não nos falte a nós e a vós outras! Ide, antes, aos que o vendem e comprai-o.” Mat. 25:9.

Enquanto foram comprar, o cortejo foi-se e as deixou. As cinco, com as lâmpadas acesas, se uniram à multidão, entraram na casa com o cortejo nupcial, e fechou-se a porta. Quando as virgens loucas chegaram à entrada da casa do banquete, receberam uma recusa inesperada. …

Quando Cristo, sentado, contemplava o grupo que aguardava o esposo, contou aos discípulos a história das dez virgens, ilustrando, pela experiência delas, a da igreja que viveria justamente antes de Sua segunda vinda. Parábolas de Jesus, págs. 405 e 406.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 201 –

Efésios 2 Comentários Pr Heber Toth Armí

EFÉSIOS 2
Comentários Pr Heber Toth Armí

 A igreja é uma instituição divina, mas não é perfeita. Seu dono (e líder) é perfeito, mas seus membros são imperfeitos. A igreja é o lugar de doentes espirituais, assim como os hospitais. A igreja não é o lar dos doentes, mas o lugar onde eles precisam passar.

A igreja é o lugar onde levamos nossas mazelas, angústias e frustrações com a vida, com a família, com a economia, com a política, com a medicina, enfim, frustrações com nossas lutas visando nos salvar, mas sem conseguir. Também é onde refrigeramos nossa alma aflita de tanto perambular pelos desertos áridos da vida.

A igreja é a antessala do Céu, em que nos preparamos física, mental, emocional e espiritualmente para entrar na própria morada de Deus. Desta forma, em seu ambiente, o cansado encontra esperança, o desesperado recebe salvação e o destruído experimenta a restauração.

Pena que muitos valorizam mais o trabalho que a igreja, se preparam mais para o sucesso mundano do que para o sucesso espiritual, fazem mais cursos para ampliar suas habilidades profissionais do que para desenvolver seus dons espirituais.

Após esta reflexão, observe os pontos do capítulo em questão. Em Cristo...

• ...Deus nos ressuscitou da morte causada pelo pecado; a ressurreição do Filho de Deus garante a ressurreição do filho da desobediência/ira que crê no evangelho (vs. 1-2);

• ...somos elevados de nossas mazelas e podridão de vida e baixeza moral para junto de Cristo; assim, de filhos rebeldes, desgraçados no pecado, somos restaurados pela rica misericórdia e amor de Deus (vs. 3-7);

• ...não somos preguiçosos, inativos. Deus opera, e nós reagimos. Diferentemente de outrora, agora praticamos boas obras devido à operação da graça alcançada mediante a fé, nunca mediante as obras meritórias e humanas (vs. 8-10);

• ...o corpo de crentes forma a igreja verdadeira na Terra, a qual é composta de pessoas de todas as nações. Pois todos foram contemplados no sacrifício de Cristo e nEle o crente é reconciliado com Deus, unindo-se sobrenaturalmente a outros crentes através do Espírito Santo (vs. 11-18);

• ...mediante Sua Palavra, Deus reconstrói o ser humano, elevando-o a um padrão muito além de qualquer padrão mundano: Torna-se habitação da Trindade, família de Deus e cidadão do Céu (vs. 19-22).

Temos importantíssimas razões para avivar-nos! Compartilhe-as! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Como Ter Maior Espiritualidade

Refletindo a Cristo

Como Ter Maior Espiritualidade -13 de julho

Não te admires de Eu te dizer: Importa-vos nascer de novo. João 3:7.

Freqüentemente se faz a pergunta: “Por que não há mais poder na igreja? por que não mais religiosidade?” A razão é que os requisitos da Palavra de Deus não são realmente observados; não amamos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Isso cobre toda a questão. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. Se esses dois requisitos divinos fossem explicitamente observados, não haveria discórdia na igreja nem notas desarmoniosas na família. Entre muitos o trabalho é demasiado superficial. Formas exteriores tomam o lugar da obra interior da graça. … A teoria da verdade converteu a mente, mas o templo da alma não foi purificado de seus ídolos. …

Verdadeira convicção do pecado, real dor de coração causada por pecaminosidade, morte do egoísmo, vitória diária sobre os defeitos de caráter, e novo nascimento são representados como coisas antigas, que no dizer de Paulo, “já passaram; eis que se fizeram novas”. II Cor. 5:17. Muitos nada sabem a respeito de uma tal obra. Enxertaram a verdade em seu coração natural, e continuaram como antes, manifestando os mesmos infelizes traços de caráter. O necessário agora é um testemunho claro, dado em amor por lábios tocados com brasas vivas.

Os membros não demonstram ter o relacionamento vivo com Deus que deveriam, para poderem conquistar pessoas das trevas para a luz. Tornai boa a árvore, e os resultados serão bons frutos. A atuação do Espírito de Deus no coração é essencial para uma vida devota. Ele precisa ser recebido no coração daqueles que aceitam a verdade, e criar neles um coração puro, para que possam guardar os Seus mandamentos e ser praticantes de Sua Palavra.

A Bíblia não é estudada com a intensidade com que deveria. Não se faz dela a norma de vida. Se os seus preceitos fossem conscienciosamente seguidos e se tornassem a base do caráter, haveria uma firmeza de propósito que nenhuma especulação financeira ou ocupação mundana conseguiria influenciar seriamente. Um caráter assim formado, e amparado pela Palavra de Deus, resistirá no dia da provação, de dificuldades, e perigos. A consciência precisa ser esclarecida, e a vida santificada pelo amor da verdade recebida no coração, para que a influência exercida sobre o mundo seja salvadora.

A necessidade é de homens de ação para este tempo, prontos, decididos, firmes aos princípios como uma rocha, e preparados para enfrentar qualquer emergência. Se tantos são tão fracos, tão irresponsáveis em nosso meio, é porque não se acham ligados a Deus; o Salvador não habita em seu íntimo, e eles não sentem o amor de Cristo em seu renovado frescor. … Nenhum relacionamento terrestre é tão forte como esse amor. Nada pode ser comparado a ele. Review and Herald, 28 de agosto de 1879.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 200 –

Efésios 1 Comentários Pr Heber Toth Armí

EFÉSIOS 1 
Comentários Pr Heber Toth Armí

 A carta de Paulo aos crentes de Éfeso é uma matéria teológica de Eclesiologia. O que é a igreja? Como ser igreja? Como viver como membro da igreja? Qual o papel da igreja na comunidade?

O livro pequeno vai além destas perguntas e mostra o interesse de Deus pelo Seu povo e como através de Seu povo revela Seu interesse pelos que ainda não decidiram por fazer parte da igreja do Deus vivo aqui na Terra.

Em Cristo, os crentes foram eleitos antes da fundação do mundo. Deus não escolheu a tragédia do pecado para nós, mas escolheu enfrentar a tragédia do pecado para nos salvar. Ele nos escolheu salvar antes mesmo de escolhermos pecar. Assim como Deus foi livre para nos escolher, somos livres para escolher o que queremos, aceitar Seus planos ou rejeitá-los.

Perdão é ação contrária para quem merece punição. É reação contrastante para quem merece condenação. Jesus nos perdoou, esse é um ato de graça. Se fosse por algum mérito nosso não seria graça. Se fosse por algum tipo de conquista nossa Jesus não precisaria ter pago tão alto preço em sacrifício por nós.

O selamento de algo significa que não pode ser manipulado por qualquer pessoa. Uma carta que não foi aberta por seu destinatário foi violada. Jesus pagou com Seus precioso sangue o alto preço de nosso pecado, ao aceitarmos Seu sacrifício tornamo-nos propriedade exclusiva de Deus, então o Espírito Santo nos sela, e, assim temos a garantia de salvação e vida eterna.

Isso e outros detalhes mais você encontra no primeiro capítulo. Já no início nota-se porque muitos consideram essa missiva paulina como “rainha das epístolas”:

• Deus Pai, abençoou-nos e escolheu-nos para adotar-nos (vs. 1-6);
• Jesus o Filho, deu Sua vida e derramou precioso sangue a fim de erguer-nos e tornar-nos adoradores de Deus (vs. 7-12);
• O divino Espírito Santo sela-nos no coração visando nossa segurança eterna; ou melhor, de que o plano de nos resgatar não será abortado (vs. 13-14);
• Enfim, a Trindade deseja consagrar o grupo de crentes para um plano além de missionários no mundo, para adentrarem os portais do Céu (vs. 15-23).

Se você não vê nestes pontos, bons motivos para reavivar-se espiritualmente, o que mais Deus precisa fazer por você? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Deus Honra aos que O Honram

Refletindo a Cristo

Deus Honra aos que O Honram- 12 de julho

Aos que Me honram, honrarei. I Sam. 2:30.


Sois servos contratados por Deus para repartir luz, dedicar tempo, atenção e tato ao Seu trabalho, e se fizerdes isso, recebereis a aprovação de vosso Pai celestial e o dom da vida eterna. …

Dedicai-vos intensamente à oração. Que nenhuma pessoa, ou interesses pessoais, vos separe de Deus, que é a Fonte de vossa força. Ao despertardes pela manhã, ajuntai todos os membros de vossa família, como o fazia Abraão, e convidai-os a buscar a Deus convosco. Se vossas atividades vos pressionam grandemente, e vos apressam para o trabalho, há então necessidade ainda maior de tomar tempo para orar, para apresentar vossas petições ao trono de graça, e assegurar o cuidado protetor, o auxílio, a misericórdia e a bênção de Deus. Não concedais de má vontade o tempo que Deus requer, fazendo uma oração formal, apressada e sem fé, para poderdes correr para o vosso trabalho.

Deus pode fazer muito por vós, mesmo em vosso trabalho, se Lho pedirdes. Ele pode enviar Seus anjos para guardar-vos de acidentes, fraturas, e perda da vida ou propriedades. A razão por que os que negligenciam os privilégios concedidos por Deus não desfrutam de maior conforto, paz e alegria, é o fato de não se deterem para ter comunhão com Deus, que é a Fonte de sua força. Pode Deus derramar o Seu Espírito, pode Ele nos abençoar quando há tanta indiferença para com o Seu serviço? Ele não nos pode derramar Suas ricas bênçãos sem nossa cooperação para com Seus planos. Ele diz: “Aos que Me honram, honrarei”. I Sam. 2:30.

Orar três vezes ao dia é tão apropriado, tão fundamental para nós como o era para Daniel. A oração é a vida da alma, o alicerce do crescimento espiritual. Em vosso lar, perante vossa família, e perante vossos operários, deveis testificar desta verdade. E quando tiverdes ocasião de encontrar vossos irmãos na igreja, falai-lhes sobre a necessidade de manter aberto o canal de comunicação entre Deus e a mente. Dizei-lhes que se tiverem ânimo e voz para orar, Deus dará resposta às suas orações. Dizei-lhes que não negligenciem seus deveres religiosos. Exortai os irmãos a orar. Precisamos buscar se quisermos achar, precisamos pedir se quisermos receber, e precisamos bater se quisermos que a porta se nos abra.

Ainda que alguns poucos estejam reunidos, haverá pessoas suficientes para suplicar as preciosas promessas de Deus. O Pai, o Filho, e os santos anjos estarão presentes convosco, a fim de comprovar vossa fé, vossos sólidos princípios, e então recebereis o derramamento do Espírito Santo de Deus. Deus tem ricas bênçãos reservadas para aqueles que não apenas trazem todos os dízimos à casa do tesouro, mas que também dedicam tempo e toda a força dos ossos, da mente e dos músculos ao Seu serviço. Signs of the Times, 10 de fevereiro de 1890.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.
Pág. 199 –

Gálatas 6 Comentários Pr Heber Toth Armí

GÁLATAS 6
Comentários  Pr Heber Toth Armí

Deus Pai, que ressuscitou a Jesus, o Filho (Gálatas 1:1), O qual nos concedeu, além da liberdade da escravidão do pecado, o Espírito Santo, para que permaneçamos firmes no caminho da salvação (capítulo 5).

A cruz é central no cristianismo, mas o Espírito é essencial para vivermos verdadeiramente o cristianismo. Observe cinco versos em Gálatas referentes à cruz, medite em seu significado:

• Estou crucificado com Cristo (2:20). O crucificado está morto; o crente crucificado com Cristo só está vivo porque a vida que agora tem é pela fé no Filho de Deus.
• Cristo crucificado por mim (3:1). A transgressão e condenação à morte do pecador foram totalmente assumidas por Cristo, sendo Ele absolutamente inocente.
• A carne crucificada para mim (5:24). Vontades carnais, perversões sexuais, imoralidades, interesses pecaminosos, etc. perderam vigor para quem realmente aceitou Cristo, pois o poder do Espírito entrou em vigor (5:25).
• O mundo crucificado para mim (6:14). Todos os atrativos oferecidos pelo mundo perdem o valor para aquele que passa a viver pelo Senhor.
• Eu crucificado para o mundo (6:14). Além do mundo não oferecer mais atrativos, o cristão não é mais atraente para o mundo; a sociedade o despreza, a popularidade se afasta e a prosperidade mundana foge.

Após esse apanhado geral da participação da cruz na religião bíblica, note os pontos do último capítulo de Gálatas:

1. Desfocado de si mesmo, o cristão foca nos interesses de Seu próximo, conforme rege o amor divino em seu coração, visando salvar e restaurar pecadores (vs. 1-2).
2. Crucificado para o eu, tendo Cristo vivendo dentro de si através do Espírito Santo, o cristão viverá como Cristo viveu aqui na Terra: Sendo uma bênção para o próximo, partilhará o bem sem importar a quem (vs. 3-10).
3. A verdadeira conversão carregará a marca da perseguição, não da circuncisão; a marca da glória divina, não da vanglória; a marca da nova vida, não da velha vida de pecado (vs. 11-18).

“Paulo morrera para o mundo, ou seja, ele veio a tornar-se um objeto de desprezo para todos quantos põem sua esperança nos prazeres e tesouros, honrarias e valores mundanos, que afastam a alma para longe de Cristo” (William Hendriksen). 

Se quisermos realmente ser reavivados, essa experiência precisa fazer sentido para nós! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Deus nos Trata Como Tratamos aos Outros

Refletindo a Cristo

Deus nos Trata Como Tratamos aos Outros-11 de julho

Delas e dos lugares ao redor do Meu outeiro, Eu farei bênção; farei descer a chuva a seu tempo, serão chuvas de bênçãos. Ezeq. 34:26.

Cada pessoa que tem de lidar com outros deve tomar interesse pelos problemas deles, pois da maneira como tratamos aos outros Deus nos tratará. Estamos fazendo a Cristo o que fazemos aos Seus filhos, pois Ele é representado na pessoa dos Seus santos. A verdade de Deus precisa santificar a vida, refinar e elevar o caráter, e precisamos adquirir o modelo celestial a fim de estarmos aptos para as cortes superiores.

Muitos ocupam lugares nos quais têm oportunidade de entrar em contato com os que crêem na verdade presente, e com os que não crêem, e quão importante é que todas as luzes menores estejam espevitadas e ardendo, para que todos possam receber raios de luz das lâmpadas dos que professam ser seguidores de Cristo. …

Tendes vós, os que solicitastes auxílio, deixado vossa luz brilhar junto aos vossos trabalhadores, para que também eles possam ser colaboradores de Deus? Deus vos tem dado preciosos privilégios e vantagens ao enviar-vos a luz da Sua verdade, e deveis desenvolver tais bênçãos e permitir que outros partilhem de vossos favores. Que imensos campos missionários há ao redor de vossos lares, e quantas oportunidades diárias de falardes sobre o valor das promessas divinas. … O Senhor diz, através do profeta Ezequiel: “Delas e dos lugares ao redor do Meu outeiro, Eu farei bênção”. Ezeq.34:26. Signs of the Times, 3 de fevereiro de 1890.

Há uma obra que cada cristão deve fazer junto às suas portas, em sua própria vizinhança. Mas quantos perdem de vista os interesses eternos e são completamente tragados por seus afazeres temporais. Não há necessidade disso, pois Jesus diz: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mat. 6:33.

Torne seu bem-estar eterno e o do seu vizinho sua primeira e mais importante preocupação. Vossos vizinhos são pessoas a serem salvas ou a se perderem, e Deus espera que aqueles a quem Ele repartiu luz, façam decididos e interessados esforços em favor de outros. Eles precisam se lembrar das santas exigências da verdade em toda e qualquer atividade da vida. Que os crentes e descrentes vejam na vida dos que afirmam ter conhecimento de importantes verdades, uma forte, clara e constante luz que brilha de zelo, de devoção, de nobreza de caráter em seu relacionamento com os homens. Então o Senhor será generoso convosco, Seus servos. …

Suponde que ao deixardes vossa luz brilhar, e através de vossa dedicação à causa de Deus, outros sejam levados a consagrar-se ao Seu serviço, e se tornem uma bênção a outros mais que não poderíeis alcançar por meio de vossa influência pessoal. O Senhor diz: “Delas e dos lugares ao redor do Meu outeiro, Eu farei bênção.” Ezeq. 34:26. Vossa luz deve ter longo alcance. Signs of the Times, 10 de fevereiro de 1890.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. – Pág. 198 –

Gálatas 5 Comentários Pr Heber Toth Armí

GÁLATAS  5 
Comentários Pr Heber Toth Armí

Vamos reavivar-nos biblicamente?

• Na primeira parte da carta de Paulo aos crentes da Galácia, o evangelho da graça é ousadamente defendido (1:1-2:11).
• No coração da carta, na parte central, o evangelho da graça é claramente explicado (3:1-4:31).
• Na parte final, após usar diversos recursos retóricos, Paulo, com muita força argumentativa, apresenta o evangelho da graça aplicado à vida diária do pecador arrependido e convertido a Cristo (5:1-6:18).

Isso porque Satanás faz tudo o que pode para que não tenhamos contado com o verdadeiro evangelho. Ele ilude, induzindo as pessoas a acreditarem que o evangelho delas, que é humano, pareça ser o evangelho de Cristo.

O falso evangelho escraviza tanto quanto qualquer filosofia pagã. O qual parece com o verdadeiro, mas não oferece o mesmo resultado. A verdadeira e plena libertação que gera a mais pura satisfação resultante da reconciliação com Deus só pode experimentar quem assimila à sua vida o verdadeiro evangelho.

A religião aceita e apregoada por muitos tende depositar sua confiança na obediência à Lei de Deus, e/ou em outras normas eclesiásticas, a fim de obter aceitação de Deus e o perdão dos seus pecados – essa é a essência do legalismo.

É importante identificar a titânica diferença existente entre o evangelho e o legalismo, caso você não queira cair na ilusão quanto à religião que você professa.

• O evangelho é relacionamento com Cristo e confiança em Seus méritos que resultam em redenção; o legalismo baseia-se no mérito pessoal, confiança própria e, camufla a escravidão do pecado.
• O evangelho significa colocar a confiança em Cristo mediante a fé que resulta em liberdade do pecado, enquanto o legalismo sugere a confiança nas próprias forças e habilidades humanas para alcançar a graça divina.
• O evangelho produz alegria, felicidade, serviço e compaixão pelo próximo; o legalismo oprime, isola, além de promover orgulho e jactância ilusórios.

É impossível viver o verdadeiro evangelho à parte do Espírito Santo. Para viver no Espírito deve-se mortificar a carne. A morte para o eu é imprescindível para a vida no Espírito.

• Você aceita?

Enfim, o capítulo é prático. Samuel Ngewa sintetiza: “Implicações da justificação pela fé”:

1. Permanecer firmes e viver em liberdade (vs. 1-12);
2. Viver pelo Espírito (vs. 13-26).

É através do Espírito que poderemos reavivar-nos verdadeiramente! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

terça-feira, 10 de julho de 2018

Uma Bênção a Outros

Refletindo a Cristo

Uma Bênção a Outros - 10 de julho

Vós sois o sal da terra. Mateus 5:13.

A igreja de Cristo deve ser uma bênção, e seus membros devem ser abençoados da mesma maneira como abençoam a outros. O propósito de Deus em escolher um povo perante o mundo todo, não foi unicamente o de poder adotá-lo como Seus filhos e filhas, mas o de poder, através deles, conceder ao mundo os benefícios da iluminação divina. Quando Deus escolheu a Abraão, não foi apenas para ele ser o amigo especial de Deus, mas para ser um instrumento por meio do qual o Senhor pudesse conceder às nações privilégios preciosos e especiais. Ele devia ser uma luz em meio às trevas morais que o cercavam.

Sempre que Deus abençoa Seus filhos com luz e verdade, não é unicamente para que eles possam receber o dom da vida eterna, mas para que os que os cercam também possam ser iluminados espiritualmente. … “Vós sois o sal da terra” (Mateus 5:13). E quando Deus faz com que os Seus filhos sejam sal, não é apenas para a sua própria preservação, mas para que sejam instrumentos para a preservação de outros.

A religião de Cristo não é uma religião egoísta. Não deve ficar guardada com chave e cadeado, mas deve ser uma influência poderosa que procede de todo cristão genuíno para iluminar os que se acham em trevas. …

É por intermédio dos méritos de Cristo que todas as nossas bênçãos espirituais e temporais nos são dadas para desfrutar. A salvação realizada por Cristo foi colocada ao nosso alcance, para que possamos lançar mão dela pela fé, para que possamos entrelaçar o amor de Cristo em nosso caráter, e praticá-lo em nossa vida, para que possamos ser uma bênção a toda a humanidade. Mas nenhum, de nós difunde luz sobre outros se não tivermos recebido raios de iluminação divina da Palavra de Deus. …

Nada podemos fazer sem a ajuda divina. O Espírito de Deus precisa agir juntamente com os nossos esforços, e se as bênçãos de Deus nos assistirem, seremos condutos de luz. O Senhor está disposto a dar a todos nós uma experiência que, se aperfeiçoada, nos elevará das regiões inferiores da Terra para uma comunhão celestial e íntima com Deus, e erradicará de nossa natureza todo e qualquer vestígio de egoísmo.

Resplandeceis como pedras vivas no edifício de Deus? … Não seremos possuidores da genuína religião, a menos que ela exerça sobre nós uma influência controladora em cada transação comercial. A religião prática deve envolver nosso trabalho. Devemos possuir a graça transformadora de Cristo em nosso coração. Precisamos reduzir grandemente o eu, e ter mais de Jesus. …

Necessitamos de abundante graça a fim de nos conservarmos humildes, e nos tornarmos fervorosos, piedosos, compassivos, e corteses, para que possamos tratar os outros como o Senhor deseja que o façamos. Signs of the Times, 3 de fevereiro de 1890.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. – Pág. 197 –

Gálatas 4 Comentários Pr Heber Toth Armí

GÁLATAS 4
Comentários Pr Heber Toth Armí

 Existiu época em que a igreja foi perfeita? “O primeiro século de nossa era foi o período ideal da história cristã. Os apóstolos conduziam à Igreja e o Espírito Santo enchia o coração de cada crente com o poder do Pentecostes. Como resultado, o povo de Deus vivia em perfeita paz e harmonia”.

Após declarar isso, Marvin Moore pergunta: “Correto?” Seria isso verdade? Ele mesmo responde com um enfático “Não”. 

As cartas dos apóstolos foram escritas porque as igrejas tinham problemas; muitos deles eram extremamente graves – seja de cunho moral ou teológico. 

• Atualmente, precisamos dessas cartas? 
• Estamos mais maduros espiritualmente após 2000 mil anos de história eclesiástica? 
• Olhe a quantidade de denominações diferentes e tire tuas próprias conclusões.

Agora pense, e quanto a você, precisa de tais repreensões apostólicas? Se sim, avance em teus estudos. Donald Guthrie sintetiza da seguinte forma o capítulo em análise:

• Emergindo para a filiação (vs. 1-7);
• Voltando aos rudimentos (vs. 8-11);
• Um apelo pessoal (vs. 12-20);
• Uma abordagem alegórica (vs. 21-31).

Sermos livres da maldição da Lei não significa descambar para a desobediência ou promover as obras do diabo. Ser livre em Cristo significa ser perdoado e liberto. Tal liberdade não é libertinagem, somos libertos do pecado para vivermos livres dele, obviamente.

Jesus pagou alto preço tornando-se maldição, fazendo-se pecado por nós, pagando o preço que deveríamos pagar. Seu sacrifício torna-nos filhos de Deus; porém, rejeitar tal oferta é descaso ao preço tão alto e à única possibilidade de tornarmos filhos de Deus.

Quem é justificado pela graça não permanece na desgraça do pecado, nem no caminho da desobediência; pelo contrário, livres da escravidão do pecado tornamo-nos aptos para harmonizar a vida com a vontade divina.

Assim, quando praticamos os ditames da Lei Divina, expressamos publicamente a certeza que fomos verdadeira e plenamente libertos da condenação e maldição do pecado e, agora, não estamos mais sob o efeito do pecado, mas sob o efeito do caráter de Cristo.

Paulo...

• ...com coração pastoral, apela para que os crentes não façam da Lei um ídolo.
• ...equilibrando repreensão e amor, dizia a verdade baseando-se na Bíblia (vs. 22-31) para tirar os crentes da influência dos falsos mestres.
• ...almejava que Cristo fosse formado em seus discípulos.

Reavivemo-nos pautando-nos no evangelho verdadeiro! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

segunda-feira, 9 de julho de 2018

É Tempo de Despertar e Cuidar dos Pecadores

Refletindo a Cristo

É Tempo de Despertar e Cuidar dos Pecadores- 9 de julho

É necessário que façamos as obras dAquele que Me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. João 9:4.

Nunca senti mais profundamente do que agora a necessidade de seguir o caminho do Senhor e fazer a Sua vontade em todo o tempo. Agora é o tempo de realizar um trabalho completo para a eternidade. Precisamos ser humildes e confiantes. Temos de fazer uso de cada talento que Deus nos deu. Fomos abençoados com grande e preciosa luz proveniente da Palavra de Deus, e devemos estudar a maneira de fazer o melhor uso possível desta luz. Individualmente estamos sendo postos à prova. Deus está observando para ver como utilizaremos Suas abundantes bênçãos.

Que poderíamos dizer a fim de estimular nosso povo a utilizar os talentos confiados para a honra e glória de Deus? A maior necessidade do mundo é a de dedicados esforços para a conversão de pessoas. Milhares e milhares estão perecendo sem conhecer a verdade. Meu espírito às vezes se agita profundamente ao contemplar este terrível quadro. Insisto com o nosso povo no sentido de procurar manter cada pensamento em sujeição a Cristo, para que todas as suas faculdades possam ser empregadas na obra de salvar pessoas. Não se pode dormir, agora. É tempo de despertar e cuidar das pessoas, como alguém que terá de prestar contas.

Erguer-se-ão agora nossas igrejas e estarão despertas para a situação? Os representantes de Cristo devem sentir responsabilidade pelas pessoas. Cada nação, e tribo, e língua, e povo precisa ouvir a última mensagem de misericórdia ao mundo. Quando nossos membros tiverem uma melhor compreensão das verdades bíblicas, despertarão de seu sono letárgico e estarão prontos a dedicar seu dinheiro à causa de Deus, e a dar a si próprios em intenso trabalho sob a orientação do Espírito Santo. O povo de Deus é instrumento Seu, designado a proclamar a verdade a todas as partes do mundo.

Cristo nos ensinou a orar: “Venha o Teu reino, faça-se a Tua vontade, assim na terra como no Céu” (Mateus 6:10). Isto nos mostra o elevado nível que devemos atingir através de progresso firme e constante. Como membros da igreja de Cristo, devemos fazer a Sua vontade na Terra. Se todos fizessem aos outros o que gostariam que eles lhes fizessem, veríamos evidências de um mundo convertido. O cristão deve edificar sobre esse princípio. Precisamos subir a escada cujo topo chega ao Céu.

Todo membro da igreja deve envolver-se em serviço ativo pelo Mestre. “Por que estivestes aqui desocupados o dia todo?” pergunta Ele. “Ide também vós para a vinha” (Mateus 20:6 e 7). Trabalhai “enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4).

“Vós sois as Minhas testemunhas, diz o Senhor” (Isaías 43:10). Podemos entender isto? Como representantes de Cristo devemos apelar aos homens para que se reconciliem com Deus. … Reconhecei-O como vosso Redentor, e vos tornareis um com Ele, como Ele é um com o Pai. Carta 190, 1907.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986. – Pág. 196

Gálatas 3 Comentários Pr Heber Toth Armí

GÁLATAS 3
Comentários Pr Heber Toth Armí

Considerar rituais da Lei superiores ao sacrifício de Cristo é um erro crasso. Apegar-se à Lei mais do que a Seu doador é simplesmente uma perversão do evangelho.

Desprezar o sacrifício de Cristo é uma forte evidência de tolice, de que a pessoa está espiritualmente néscia, desprovida de sabedoria divina. O mesmo pode-se dizer daquele que considera o sacrifício de Cristo insuficiente para justificá-los. Vamos à Bíblia?

F. F. Bruce sintetiza assim o capítulo em análise:

• Primazia da fé sobre a Lei (vs. 1-6);
• A bênção de Abraão (vs. 7-9);
• A maldição da Lei (vs. 10-14);
• A prioridade e permanência da promessa (vs. 15-18);
• O propósito da Lei (vs. 19-22);
• Liberação da Lei (vs. 23-25);
• Judeus e Gentios são um em Cristo (vs. 26-29).

Além de ter distorcido a relação de um povo em detrimento de outro, “o pecado distorceu a relação entre homens e mulheres (Gn 3:16) e, ao longo das eras, inúmeras mulheres têm sido anuladas e oprimida por homens [...]. Homens e mulheres são iguais não só pela criação, mas também pela redenção. Aliás, a criação e a redenção são os dois grandes niveladores dos seres humanos. Tanto homens quanto mulheres foram criados por Deus e, de igual modo, salvos pelo sacrifício expiatório de Cristo na cruz. Não surpreende então que Paulo tenha destacado que não há ‘homem nem mulher’, pois todos são ‘um em Cristo’ (Gl 3:28)” (Alberto R. Timm). 

Embora sejam diferentes na sexualidade, em Cristo, homem e mulher estão no mesmo nível de igualdade. Jesus veio para corrigir a disparidade imposta pelo homem na sociedade. “Durante Seu ministério terreno, Cristo respeitou, protegeu e defendeu as mulheres de discriminações de ordem social e religiosa (Jo 4:1-42; 8:1-11). Qualquer forma de abuso sexual e discriminação social contra elas é uma ofensa direta contra o Criador e Mantenedor das mulheres” (Timm).

Em Cristo somos libertos da escravidão moral e social promovidos pelo pecado, somos restaurados para viver em conformidade com os propósitos de Deus traçados em Sua Palavra.

A Lei não nos salva; judaizantes distorceram sua função. Ela visa mostrar nossa situação e o caminho para Cristo, o Libertador. Através da vinda de Cristo, a promessa a Abraão se cumpriu, assim, tornamo-nos filhos de Deus pela fé. Então, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis