Translate

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Um rei repreendido

Um rei repreendido, 22 de Junho


Então, disse Natã a Davi: Tu és este homem. 2 Samuel 12:7.

Passando-se o tempo, o pecado de Davi para com Bate-Seba se tornou conhecido, e despertou a suspeita de que ele projetara a morte de Urias. O Senhor foi desonrado. Ele tinha favorecido e exaltado a Davi, e o pecado deste representou falsamente o caráter de Deus, lançando ignomínia ao Seu nome. Tendia a abaixar a norma da piedade em Israel, e diminuir em muitos espíritos a aversão pelo pecado; ao mesmo tempo, os que não amavam nem temiam a Deus se tornaram por meio daquele pecado audazes na transgressão.

Ao profeta Natã foi ordenado levar uma mensagem de reprovação a Davi. Era uma mensagem terrível pela sua severidade. A poucos soberanos tal censura poderia ser feita, a não ser com o preço de morte certa a quem a fizesse. Natã transmitiu resolutamente a sentença divina, e, contudo, com tal sabedoria do alto, que captou a simpatia do rei, despertou-lhe a consciência e arrancou-lhe dos lábios a sentença de morte sobre si. ...

Os criminosos podem, como fizera Davi, tentar esconder dos homens o seu crime; podem procurar sepultar a má ação, para sempre, longe das vistas ou do conhecimento humano; mas “todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos dAquele com quem temos de tratar”. Hebreus 4:13. — Patriarcas e Profetas, 720, 721.

A parábola da cordeira, apresentada pelo profeta Natã ao rei Davi, pode ser estudada por todos. ... Enquanto ele estava seguindo o seu caminho de condescendência própria e quebrantamento dos mandamentos de Deus, foi apresentada perante ele a parábola de um homem rico que furtou ao pobre sua única ovelha. Mas o rei estava tão completamente envolvido em suas vestes de pecado, que não se viu como pecador. Ele caiu na armadilha e... ditou a sentença sobre o homem, que ele supunha ser outro, condenando-o à morte. ...

Essa experiência foi muitíssimo penosa para Davi, mas foi também sobremodo benéfica. Não fora o espelho que Natã pôs diante dele, no qual ele pôde tão claramente reconhecer sua própria imagem, e ele poderia ter prosseguido sem reconhecer o seu abominável pecado, e teria sido arruinado. O reconhecimento de sua culpa foi a sua salvação. Ele se viu sob outra luz, como o Senhor o via, e por todo o tempo em que viveu ele se arrependeu de seu pecado. — The S.D.A. Bible Commentary 2:1023.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 33 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 33
Comentário Pr Heber Toth Armí

Neste capítulo chegamos ao final de uma série de meia dúzia de “AIS” proféticos; os quais iniciam no capítulo 28. Preste atenção...

Todos os seis Ais “tratam especialmente de Jerusalém, que é sempre o centro de toda a atuação terrena de Deus. Embora o primeiro ‘ai’ (28) dirija suas palavras de abertura aos ‘bêbados de Efraim’, esses são usados apenas como uma advertência para Judá. As palavras ‘também estes’ no versículo 7 (compare com o versículo 14) mudam o ‘ai’, dirigindo-o a Judá. E, apesar de um último desses ‘ais’ falar anonimamente da Assíria, como o ‘destruidor’, ainda assim a mensagem é dirigida claramente a Jerusalém. Assim sendo, os seis ‘ais’ do capítulo 5 sobre Jerusalém encontram agora um paralelo nesses outros seis”.

Após estas observações, J. Sidlow Baxter extrai a seguinte aplicação: “A cidade de maior privilégio é a cidade de maior responsabilidade”.

Ai dos incrédulos! Quão terrível é ignorar o plano do Messias, nosso único Salvador! Que tragédia optar por caminhos de desespero em vez de humildemente aceitar o caminho da paz!

Apesar dos ais contra os bêbados de Efraim e Judá, os hipócritas de Ariel, os impenitentes perversos de Jerusalém, os rebeldes, os aliados incrédulos e o destruidor assírio, a série de ais termina com tom positivo, conforme sintetiza John N. Oswalt:

O REI REDIME A SIÃO – Isaías 33
1. Lamento pelo destruidor (vs. 1-6);
2. O Senhor é nosso Rei:
a) Agora me levantarei (vs. 7-16);
b) O Rei em Sua formosura (vs. 17-24).

Neste capítulo tem grandes verdades: Quem viverá eternamente no fogo não são os ímpios, mas os salvos. As pessoas interpretam a Bíblia de forma inversa ao que ela ensina.

Os bons, não os maus, estarão eternamente envoltos nas chamas de Deus. Veja as perguntas do versículo 14. Depois, observe quem estará no fogo devorador no versículo 15. Aquele que...

• vive de maneira decente;
• fala a verdade;
• odeia a exploração;
• recusa o suborno;
• rejeita a violência;
• evita as diversões perniciosas.

Os que não agem assim serão devorados pelo fogo consumidor (vs. 11-12; Hebreus 12:28-29). Os que pautam suas convicções pela Palavra receberá as bênçãos prometida por Deus aos futuros moradores da Nova Jerusalém (v. 24).

Não seja ignorante, conheça os planos divinos em Sua Palavra! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Um pecado leva a outro

Um pecado leva a outro, 21 de Junho


Isto que Davi fizera foi mal aos olhos do Senhor. 2 Samuel 11:27.

Quando, em sua comodidade e segurança, perdeu seu apego a Deus, Davi rendeu-se a Satanás, e trouxe sobre sua alma a mancha do crime. Ele, o chefe da nação indicado pelo Céu, escolhido por Deus para executar Sua lei, ele próprio pisou os seus preceitos. Aquele que deveria ter sido um terror aos malfeitores, pelo seu próprio ato lhes fortaleceu as mãos.

Entre os perigos da primeira parte de sua vida, Davi, consciente de sua integridade, podia confiar o seu caso a Deus. A mão do Senhor o havia conduzido com segurança através das inúmeras ciladas que tinham sido postas para seus pés. Mas agora, culpado e não arrependido, não rogava auxílio e guia do Céu, mas procurava desvencilhar-se dos perigos em que o pecado o envolvera. Bate-Seba, cuja beleza fatal se havia mostrado uma cilada ao rei, era a esposa de Urias, o heteu, um dos mais corajosos e fiéis oficiais de Davi. Ninguém poderia prever qual seria o resultado se o crime fosse conhecido. ...

Todo o esforço que Davi fez para esconder seu crime se mostrou inútil. ... Em seu desespero, apressou-se a acrescentar o assassínio ao adultério. Aquele que tinha tramado a destruição de Saul, procurava levar Davi também à ruína. Embora as tentações fossem diversas, levavam semelhantemente à transgressão da lei de Deus. ...
Urias foi feito portador de sua própria ordem de morte. Uma carta enviada pela sua mão a Joabe, da parte do rei, ordenava: “Ponde Urias na frente da maior força da peleja, e retirai-vos de detrás dele, para que seja ferido e morra.” 2 Samuel 11:15. Joabe, já manchado com o crime de um afrontoso assassínio, não hesitou em obedecer às instruções do rei, e Urias tombou pela espada dos filhos de Amom. ...
Aquele, cuja delicada consciência e elevado senso de honra não lhe permitiram, mesmo em perigo de vida, estender sua mão contra o ungido do Senhor, caíra de tal maneira que pôde afrontar e assassinar um de seus soldados mais fiéis e valentes, e desfrutar, sem ser incomodado, a recompensa de seu pecado. Ai! como o ouro fino perdera o brilho! como se transformara o ouro finíssimo! — Patriarcas e Profetas, 718-720.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis