Translate

sábado, 21 de julho de 2018

O Poder do Espírito Santo

Refletindo a Cristo

O Poder do Espírito Santo - 21 de julho

Porque o Espírito Santo vos ensinará. Luc. 12:12.

Não devemos tornar menos salientes as verdades especiais que nos separaram do mundo, e nos têm tornado o que somos; pois se acham plenas de interesses eternos. Deus nos concedeu luz relativamente às coisas que estão tendo lugar atualmente, e pela pena e de viva voz, temos de proclamar a mensagem ao mundo. Mas é vida de Cristo na alma, é o ativo princípio do amor comunicado pelo Espírito Santo, unicamente, que tornarão nossas palavras frutíferas. O amor de Cristo é a força e o poder de toda mensagem de Deus saída em qualquer tempo de lábios humanos.

Dia após dia se passa para a eternidade, levando-nos mais próximos do fim do tempo da graça. Devemos, como nunca antes, orar para o Espírito Santo ser mais abundantemente concedido, e devemos esperar que Sua santificadora influência venha sobre os obreiros, a fim de que aqueles por quem trabalham saibam que eles estiveram com Jesus, e dEle aprenderam.

Necessitamos de uma visão espiritual, a fim de ver os desígnios do perigo, e, como vigias fiéis, proclamar o perigo. Precisamos de poder do alto, para compreender, tanto quanto possível à mente humana, os grandes temas do cristianismo e seus princípios de longo alcance.

Os que se acham sob a influência do Espírito de Deus, não serão fanáticos, mas calmos e firmes, isentos de extravagância em idéias, palavras e ações. Por entre a confusão de doutrinas enganadoras, o Espírito de Deus será um guia e proteção aos que não têm resistido às evidências da verdade, silenciando todas as outras vozes além da que vem dAquele que é a verdade.

Estamos vivendo nos últimos dias, quando o erro de caráter mais enganador é aceito e crido, ao passo que a verdade é rejeitada. O Senhor reputará responsáveis tanto os pastores como o povo, pela luz que sobre eles brilha. Ele nos chama a trabalhar diligentemente em ajuntar as jóias da verdade, colocando-as no escrínio do evangelho. Em toda a sua divina beleza devem elas resplandecer nas trevas morais do mundo. Isso não pode ser realizado senão com o auxílio do Espírito Santo, mas com Ele podemos fazer todas as coisas. Quando somos dotados do Espírito Santo, apoderamo-nos, pela fé, do poder infinito. Nada se perde daquilo que vem de Deus. O Salvador do mundo envia Suas mensagens à alma, para que a treva do erro se possa dissipar. A obra do Espírito é imensamente grande. É dessa fonte que sobrevêm poder e eficiência ao obreiro de Deus. Obreiros Evangélicos, págs. 288 e 289.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 208 –

Filipenses 3 Comentários Pr Heber Toth Armí

Filipenses 3 
Comentários Pr Heber Toth Armí

 Alguém disse que “o mais perigoso tipo de ateísmo não é o ateísmo teórico, mas o ateísmo prático. Este é o mais perigoso tipo. E o mundo, e mesmo a igreja, está repleta de pessoas que prestam culto com os lábios em lugar de um culto com a vida”.

“Os judeus colocavam a sua confiança no fato de serem circuncidados, em serem descendentes de Abraão e na realização de cerimônias exteriores e obrigações da lei mosaica – coisas que não poderiam salvá-los. O verdadeiro cristão vê sua carne como pecaminosa, sem qualquer capacidade de merecer salvação ou de agradar a Deus” (John MacArthur).

Laercio Mazaro declarou: “Quantidade não é garantia de qualidade”, e fez uma referência a Serranta Wiersbe que disse: “Algumas pessoas avaliam o ministério exclusivamente através de estatísticas”.

Ministério não deve estar focado em estatísticas assim como a salvação não é pelas obras. Ministério é pastoreio, ministrar espiritualmente (ações imensuráveis), assim como a salvação é pela fé em Jesus.

Moisés Silva sintetiza o capítulo em pauta da seguinte forma, o qual intitula-o de “Polêmicas doutrinárias”:

1. Judaizantes como contexto para a teologia:
• Paulo toma a ofensiva (vs. 1-3);
• Jactância sínica (vs. 4-6).
2. Essência da teologia paulina:
• Falência espiritual (vs. 7-8);
• Riqueza espiritual (vs. 9-11).
3. Teologia prática:
• Frustração e esperança (vs. 12-14);
• Maturidade através da obediência (vs. 15-16);
• Padrões de comportamento (vs. 17-19);
• Cidadania celestial (3:20-4:1).

Há muito falsos líderes religiosos assim como existem muitos falsos crentes na igreja. Eles são hipócritas, inimigos da cruz de Cristo, e tem como Deus ao próprio ventre, isto é, vivem, “não para a glória de Deus (1Co 10:31), mas para autoindulgência e gratificação pessoal” (Francis D. Nichol).

Paulo foi às lágrimas neste capítulo. Porque, em vez dos falsos líderes eclesiásticos “gloriar-se na cruz de Cristo, esses inimigos de Cristo gloriavam-se no seu vergonhoso estilo de vida. Em vez de exaltar a Cristo como a fonte de sua esperança, eles deificavam os seus apetites. Em vez de concentrar a atenção no alvo celestial, chafurdavam no lamaçal do que é terreno! Não é de admirar que Paulo chorasse!” complementa Hebert Douglas.

O cristão deve ter Cristo no coração para reger seu estilo de vida e, o Céu, como alvo primário em tudo na vida! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico


sexta-feira, 20 de julho de 2018

Filipenses 3 Comentários Pr Heber Toth Armí

Filipenses 3 
Comentários Pr Heber Toth Armí

 Alguém disse que “o mais perigoso tipo de ateísmo não é o ateísmo teórico, mas o ateísmo prático. Este é o mais perigoso tipo. E o mundo, e mesmo a igreja, está repleta de pessoas que prestam culto com os lábios em lugar de um culto com a vida”.

“Os judeus colocavam a sua confiança no fato de serem circuncidados, em serem descendentes de Abraão e na realização de cerimônias exteriores e obrigações da lei mosaica – coisas que não poderiam salvá-los. O verdadeiro cristão vê sua carne como pecaminosa, sem qualquer capacidade de merecer salvação ou de agradar a Deus” (John MacArthur).

Laercio Mazaro declarou: “Quantidade não é garantia de qualidade”, e fez uma referência a Serranta Wiersbe que disse: “Algumas pessoas avaliam o ministério exclusivamente através de estatísticas”.

Ministério não deve estar focado em estatísticas assim como a salvação não é pelas obras. Ministério é pastoreio, ministrar espiritualmente (ações imensuráveis), assim como a salvação é pela fé em Jesus.

Moisés Silva sintetiza o capítulo em pauta da seguinte forma, o qual intitula-o de “Polêmicas doutrinárias”:

1. Judaizantes como contexto para a teologia:
• Paulo toma a ofensiva (vs. 1-3);
• Jactância sínica (vs. 4-6).
2. Essência da teologia paulina:
• Falência espiritual (vs. 7-8);
• Riqueza espiritual (vs. 9-11).
3. Teologia prática:
• Frustração e esperança (vs. 12-14);
• Maturidade através da obediência (vs. 15-16);
• Padrões de comportamento (vs. 17-19);
• Cidadania celestial (3:20-4:1).

Há muito falsos líderes religiosos assim como existem muitos falsos crentes na igreja. Eles são hipócritas, inimigos da cruz de Cristo, e tem como Deus ao próprio ventre, isto é, vivem, “não para a glória de Deus (1Co 10:31), mas para autoindulgência e gratificação pessoal” (Francis D. Nichol).

Paulo foi às lágrimas neste capítulo. Porque, em vez dos falsos líderes eclesiásticos “gloriar-se na cruz de Cristo, esses inimigos de Cristo gloriavam-se no seu vergonhoso estilo de vida. Em vez de exaltar a Cristo como a fonte de sua esperança, eles deificavam os seus apetites. Em vez de concentrar a atenção no alvo celestial, chafurdavam no lamaçal do que é terreno! Não é de admirar que Paulo chorasse!” complementa Hebert Douglas.

O cristão deve ter Cristo no coração para reger seu estilo de vida e, o Céu, como alvo primário em tudo na vida! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico


Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis