Translate

sábado, 17 de fevereiro de 2018

A lei de Deus—Norma do juízo

Refletindo a Cristo
A lei de Deus—Norma do juízo, 17 de Fevereiro

Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade. Tiago 2:12.

O primeiro anjo de Apocalipse 14 apela aos homens para que temam a Deus e Lhe dêem glória, e que O adorem como Criador dos céus e da Terra. Para fazerem isto, eles precisam obedecer a Sua lei. ... Sem obediência aos Seus mandamentos, nenhuma adoração pode ser agradável a Deus, “porque este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos”. 1 João 5:3.

Muitos mestres religiosos dizem que Cristo, através de Sua morte, nos libertou da lei; mas nem todos concordam com esta opinião. ... A lei de Deus, por sua própria natureza, é imutável. É a revelação da vontade e caráter de seu Autor. Deus é amor, e Sua lei é amor. Seus dois grandes princípios são o amor a Deus e ao homem. “O cumprimento da lei é o amor”. Romanos 13:10. O caráter de Deus é justiça e verdade, e esta é também a natureza da Sua lei. O salmista diz: “A Tua lei é a própria verdade” (Salmos 119:142); “todos os Teus mandamentos são justiça”. Salmos 119:172. E o apóstolo Paulo declara: “A lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom.” Romanos 7:12. Uma tal lei, que é expressão da mente e vontade de Deus, precisa ser tão duradoura como o seu Autor.

E esta lei é a norma pela qual a vida e o caráter dos homens serão provados no juízo. Após indicar nosso dever de obedecer aos Seus mandamentos, Salomão acrescentou: “Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras”. Eclesiastes12:14. O apóstolo Tiago exorta aos seus irmãos: “Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade.” Tiago 2:12.

Jesus comparecerá no juízo como Advogado de Seu povo, para interceder em seu favor perante Deus. “Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo.” 1 João 2:1. “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo Céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus.” Hebreus 9:24. “Por isso, também pode salvar totalmente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.” Hebreus 7:25.

No juízo, todos os que verdadeiramente se arrependeram do pecado, e pela fé reivindicaram o sangue de Cristo como seu sacrifício expiatório, tiveram seus nomes perdoados nos livros do Céu; ao se tornarem participantes da justiça de Cristo, e seu caráter for encontrado em harmonia com a lei de Deus, seus pecados serão apagados, e os tais serão contados dignos da vida eterna. ... Jesus disse: “O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do livro da vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de Meu Pai e diante dos Seus anjos.” Apocalipse 3:5.—TheSouthernWatchman,10 de Outubro de 1905.

Este texto vem do livro Refletindo a Cristo, escrito por Ellen G. White


MATEUS 23 Comentário

MATEUS 23
Comentário Pr Heber Toth Armí


Jesus não deseja a perdição nem mesmo daqueles que desejam Sua destruição.

Antes de analisar o capítulo em questão, reflita nestas questões:

• Qual o problema das pessoas em relação a Jesus?
• Os mesmos problemas do passado atrapalham um compromisso real com Jesus nos dias atuais?

Os ais divinos servem de advertência de um juízo, contudo, neles está interesse do Céu de resgatar os perdidos. No capítulo em análise, existem sete ais, com prefácio e posfácio, concluindo com uma revelação contundente:

1. Prefácio (vs. 1-12)
2. Primeiro Ai (vs. 13-14)
3. Segundo Ai (vs. 15)
4. Terceiro Ai (vs. 16-22)
5. Quarto Ai (vs. 23-24)
6. Quinto Ai (vs. 25-26)
7. Sexto Ai (vs. 27-28)
8. Sétimo Ai (vs. 29-31)
9. Posfácio (vs. 32-36)
10. Lamento de Jesus (vs. 37-39)

A religião instituída por Deus no Antigo Testamento tornou-se um sistema de leis, que em vez de ligar o pecador a Cristo, tornava um obstáculo; por isso, quando o enviado de Deus viveu entre os Judeus, eles O rejeitaram.

Como muitos aderiram ao sistema religioso dos fariseus e escribas, Jesus promoveu uma reforma. Pois, líderes espirituais, como Moisés, “deviam conduzir o povo no caminho da luz, ensinando os Dez Mandamentos, o Pentateuco e os Profetas ao povo, mas tudo o que pregavam era o legalismo abrangente da lei oral. Com isso, transformaram a religião num fardo insuportável, que não trazia alívio nem salvação (23:4)” (Joe Kapolyo).

As colocações de Jesus nesse texto nos fazer pensar, seria bom se cada um de nós lêssemos atentamente o que ele diz sobre a religião apenas de aparência, a motivação por trás dos atos e rituais religiosos, o desejo da supremacia, a ambição pela grandeza, a prática descarada da hipocrisia como algo bom, etc.

É profundo esse texto. Por exemplo, reflita:

• De que vale ser tão minucioso na devolução do dízimo sem a justiça, a misericórdia e a fé? (v.23). Mas também, de que vale a justiça, a misericórdia e a fé sem a fidelidade dos dízimos?

• De que vale ser atraente e belo por fora se a pessoa tem um coração impuro, ganancioso, odioso e egoísta?

Salvação é relacionamento com Deus que resulta em transformação radical. Sem a qual, é ilusão, e Jesus condena! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Princípios que sustentam a lei de Deus

Refletindo a Cristo

Princípios que sustentam a lei de Deus, 16 de Fevereiro

Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos Céus. Mateus5:3.

No Sermão da Montanha, Cristo transmitiu luz e verdade, e fixou princípios que se aplicam a cada condição de vida e a cada obrigação que Deus requer de nossas mãos. Cristo viera para engrandecer e honrar a lei que Ele próprio proclamara do Monte Sinai ao Seu povo escolhido, durante sua peregrinação pelo deserto. ...

Em todas as Suas lições Cristo procurava gravar na mente e coração de Seus ouvintes os princípios que sustentam a Sua grande norma de justiça. Ele lhes ensinava o fato de que se guardassem os mandamentos de Deus, deveria manifestar-se em sua vida diária o amor a Deus e ao próximo. Procurava instilar em seu coração o amor que Ele sentia pela humanidade. Assim Ele semeava as sementes da verdade, cujos frutos produziriam uma rica colheita de santidade e beleza de caráter. Essa santa influência terá não apenas alcance enquanto o tempo durar, mas seus resultados serão sentidos por toda a eternidade. Ela santificará as ações e exercerá uma influência purificadora onde quer que exista.

Assentado sobre o monte, cercado por Seus discípulos e uma grande... multidão, Jesus “passou a ensiná-los, dizendo: Bem aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos Céus”. Mateus 5:3. Estes não são os que murmuram e reclamam, mas os que estão contentes com suas condições de vida. Eles não nutrem o sentimento de que merecem uma posição melhor do que aquela que a Providência lhes designou, mas manifestam um espírito de gratidão por todo e qualquer favor que lhes é prestado. Todo pensamento orgulhoso e sentimento de exaltação é banido da mente. ...

Os que são verdadeiramente santificados têm percepção de sua própria fraqueza. Sentindo sua necessidade, eles vão a Jesus em busca de luz, graça e força, pois nEle habita toda a plenitude, e unicamente Ele pode suprir suas necessidades. Cônscios de suas próprias imperfeições, eles procuram se tornar mais semelhantes a Cristo, e a viver de conformidade com os princípios de Sua santa lei. Este contínuo senso de inaptidão os levará a uma tal dependência de Deus, que Seu Espírito será neles revelado. Os tesouros do Céu serão abertos para suprir as necessidades de toda alma faminta e sedenta. A todos os que possuem um tal caráter é dada a certeza de que um dia contemplarão a glória daquele reino que a imaginação pode apenas palidamente alcançar. ...

O modelo que o cristão deve conservar diante de si é a pureza e encanto do caráter de Cristo. Dia a dia poderá ele revestir-se demais beleza, e refletir para o mundo mais e mais a imagem divina. Bible Echo, 21 de Fevereiro de 1898.


Este texto vem do livro Refletindo a Cristo, escrito por Ellen G. White

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis