Translate

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Todo o Organismo Pertence ao Senhor

Refletindo a Cristo

Todo o Organismo Pertence ao Senhor -9 de maio

Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre o que o rei Lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino. Dan. 1:20.
Por que Daniel e seus companheiros se recusaram a comer da mesa do rei? Por que recusaram suas carnes e vinhos? Porque haviam sido ensinados que este tipo de alimento não conservaria a mente ou a estrutura física na melhor condição de saúde para fazer o serviço de Deus. Estes jovens insistiram com todo o ardor que o encarregado de sua alimentação não os obrigasse a participar das guloseimas do rei ou beber de seu vinho. Pediram-lhe que fizesse uma experiência com eles por apenas dez dias, e então os examinasse e decidisse com base em sua aparência física se sua dieta abstêmia os estava colocando em desvantagem. Quando compareceram para ser examinados, o resultado foi decididamente a favor deles.
Por outro lado, não foi isso que ocorreu com os jovens que haviam comido dos manjares do rei e bebido do seu vinho. O claro brilho de seus olhos havia desaparecido; o saudável rubor de seu semblante se fora. Os quatro cativos hebreus tiveram, como resultado, permissão para receber a dieta que haviam escolhido. Que efeito teve isto sobre a mente e o caráter? Eles haviam conscienciosamente recusado o estímulo da carne e do vinho. Obedeceram à vontade de Deus com abnegação, e Ele demonstrou Sua aprovação. Deus desejava que os Seus servos O honrassem através de sua lealdade a firmes princípios em todos os seus hábitos de vida. Seu semblante seria um testemunho de integridade física e pureza moral.
“Ora, a estes quatro jovens Deus deu o conhecimento e a inteligência em toda cultura e sabedoria; mas a Daniel deu inteligência de todas as visões e sonhos.” Dan. 1:17. Estes jovens tinham a Deus como seu educador. Os elos dourados da corrente celestial ligavam o finito com o infinito. Eles eram participantes da natureza divina. Tinham o máximo cuidado em manter-se em contato com Deus. Oravam, estudavam e aplicavam à vida prática sua mente estritamente conscienciosa e humilde. A palavra do Senhor era seu alimento e bebida. “Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores.” Dan. 1:20. …
Quando os filhos da fé, com fervorosa oração, se dedicarem sem reservas a Deus, o Senhor honrará sua fé e os abençoará dando-lhes uma mente esclarecida. …
A própria carne na qual reside a vida, e por meio da qual ela se manifesta, pertence ao Senhor. Não temos o direito de negligenciar qualquer parte da maquinaria viva. Toda e qualquer parte do organismo pertence ao Senhor. O conhecimento de nosso próprio organismo físico deve ensinar-nos que cada membro deve fazer o serviço de Deus, como um instrumento de justiça. Special Testimonies, Série A, n° 9, págs. 60-62.
Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre o que o rei Lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino. Dan. 1:20.
Por que Daniel e seus companheiros se recusaram a comer da mesa do rei? Por que recusaram suas carnes e vinhos? Porque haviam sido ensinados que este tipo de alimento não conservaria a mente ou a estrutura física na melhor condição de saúde para fazer o serviço de Deus. Estes jovens insistiram com todo o ardor que o encarregado de sua alimentação não os obrigasse a participar das guloseimas do rei ou beber de seu vinho. Pediram-lhe que fizesse uma experiência com eles por apenas dez dias, e então os examinasse e decidisse com base em sua aparência física se sua dieta abstêmia os estava colocando em desvantagem. Quando compareceram para ser examinados, o resultado foi decididamente a favor deles.
Por outro lado, não foi isso que ocorreu com os jovens que haviam comido dos manjares do rei e bebido do seu vinho. O claro brilho de seus olhos havia desaparecido; o saudável rubor de seu semblante se fora. Os quatro cativos hebreus tiveram, como resultado, permissão para receber a dieta que haviam escolhido. Que efeito teve isto sobre a mente e o caráter? Eles haviam conscienciosamente recusado o estímulo da carne e do vinho. Obedeceram à vontade de Deus com abnegação, e Ele demonstrou Sua aprovação. Deus desejava que os Seus servos O honrassem através de sua lealdade a firmes princípios em todos os seus hábitos de vida. Seu semblante seria um testemunho de integridade física e pureza moral.
“Ora, a estes quatro jovens Deus deu o conhecimento e a inteligência em toda cultura e sabedoria; mas a Daniel deu inteligência de todas as visões e sonhos.” Dan. 1:17. Estes jovens tinham a Deus como seu educador. Os elos dourados da corrente celestial ligavam o finito com o infinito. Eles eram participantes da natureza divina. Tinham o máximo cuidado em manter-se em contato com Deus. Oravam, estudavam e aplicavam à vida prática sua mente estritamente conscienciosa e humilde. A palavra do Senhor era seu alimento e bebida. “Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores.” Dan. 1:20. …
Quando os filhos da fé, com fervorosa oração, se dedicarem sem reservas a Deus, o Senhor honrará sua fé e os abençoará dando-lhes uma mente esclarecida. …
A própria carne na qual reside a vida, e por meio da qual ela se manifesta, pertence ao Senhor. Não temos o direito de negligenciar qualquer parte da maquinaria viva. Toda e qualquer parte do organismo pertence ao Senhor. O conhecimento de nosso próprio organismo físico deve ensinar-nos que cada membro deve fazer o serviço de Deus, como um instrumento de justiça. Special Testimonies, Série A, n° 9, págs. 60-62.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986.– Pág. 135 – 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis