Translate

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Mestre enviado por Deus

Mestre enviado por Deus, 2 de Janeiro


Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou Seu Filho... para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. Gálatas 4:4-5.

Por ocasião do primeiro advento de Cristo, as trevas haviam coberto a Terra, e densas trevas o povo. A verdade olhou do Céu, e em lugar algum pôde discernir o reflexo de sua imagem. Trevas espirituais haviam descido sobre o mundo religioso, e essas trevas foram quase universais e completas...

Todas as coisas proclamavam que a Terra tinha urgente necessidade de um Mestre enviado por Deus — um Mestre no qual a divindade e a humanidade estivessem unidas. Era fundamental que Cristo aparecesse em forma humana, e Se colocasse à dianteira da humanidade, a fim de soerguer os seres humanos caídos. Unicamente assim Deus poderia ser revelado ao mundo.

Cristo voluntariamente Se dispôs a pôr de lado Suas vestes reais e coroa majestosa, e vir à Terra a fim de mostrar aos seres humanos o que eles podem se tornar em cooperação com Deus. Ele veio para brilhar em meio às trevas, a fim de dissipar as trevas com o esplendor de Sua presença...

O Pai e o Filho decidiram em consulta que Cristo devia vir a este mundo na forma de um bebê, e viver a vida que os seres humanos têm de viver, da infância à idade adulta, suportando as mesmas provações que eles, e ao mesmo tempo vivendo uma vida sem pecado, para que os homens pudessem ver nEle um exemplo do que poderiam tornar-se, e para que Ele pudesse saber por experiência própria como ajudá-los em suas lutas contra o pecado. Ele foi provado como o homem é provado, tentado como o homem é tentado. A vida que Ele viveu neste mundo os homens podem viver por meio de Seu poder e sob Seus ensinos...

Patriarcas e profetas predisseram a vinda de um ilustre Mestre, cujas palavras estariam revestidas de invencível poder e autoridade. Ele pregaria o Evangelho aos pobres, e apregoaria o ano aceitável do Senhor. Ele estabeleceria o juízo na Terra; as ilhas esperariam pelos Seus mandamentos; os gentios seriam atraídos para a Sua luz, e reis para o esplendor de Seu aparecimento. Ele foi “o Mensageiro do concerto”, e “o Sol da Justiça”. ...
E “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou Seu Filho”. Gálatas 4:4. ... O Mestre celestial havia chegado. Quem era Ele? — Ninguém menos do que Filho do próprio Deus. Ele veio como Deus, e ao mesmo tempo como o Irmão mais velho da humanidade. — Signs of the Times, 17 de Maio de 1905.

Em conformidade com o que Ele ensinava, vivia. ... Ele era aquilo que ensinava. Suas palavras eram a expressão não somente da experiência de Sua própria vida, mas de Seu caráter. Não somente ensinava Ele a verdade, mas era a verdade. Era isto que Lhe dava poder aos ensinos. — Educação, 79.
Este texto vem do livroRefletindo a Cristoescrito por Ellen G. White.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis