Translate

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Últimas palavras

Últimas palavras, 30 de Junho


São estas as últimas palavras de Davi. 2 Samuel 23:1.

As “últimas palavras” de Davi, conforme foram registradas, são um cântico — um cântico de confiança, do mais sublime princípio, e fé imortal:

“Diz Davi, filho de Jessé, 
E diz o homem que foi levantado em altura,
O ungido do Deus de Jacó, 
E o suave em salmos de Israel:
O Espírito do Senhor falou por mim, ... Haverá um justo que domine sobre os homens,
Que domine no temor de Deus 
E será como a luz da manhã, quando sai o Sol,
Da manhã sem nuvens, 
Quando pelo seu resplendor e pela chuva
A erva brota da terra. 
Ainda que a minha casa não seja tal para com Deus,
Contudo estabeleceu comigo um concerto eterno, 
Que em tudo será bem ordenado e guardado, 
Pois toda a minha salvação e todo o meu prazer está nEle.” 2 Samuel 23:1-5.

Grande foi a queda de Davi, mas profundo foi o seu arrependimento, ardoroso o seu amor, e forte a sua fé. A ele muito fora perdoado, e portanto muito amava. Lucas 7:48.

Os salmos de Davi passam por uma série completa de experiências, desde as profundezas da culpabilidade consciente e condenação própria, até a fé mais sublime e mais exaltada comunhão com Deus. O registro de sua vida declara que o pecado apenas pode trazer ignomínia e desgraças, mas que o amor e a misericórdia de Deus podem alcançar as maiores profundidades, que a fé erguerá a alma arrependida para que participe da adoção de filhos de Deus. De todas as declarações que se contêm em Sua Palavra, é isto um dos mais fortes testemunhos da fidelidade, da justiça e da misericórdia de Deus em Seu concerto. ... Gloriosas são as promessas feitas a Davi e sua casa, promessas essas que visam às eras eternas, e que encontram seu cumprimento total em Cristo. — Patriarcas e Profetas, 754.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

ISAÍAS 41 Comentário Pr Heber Toth Armí

ISAÍAS 41
Comentário Pr Heber Toth Armí

Medo do futuro? Faltam boas expectativas? O desespero sufoca a esperança? A angústia aperta o peito? A incerteza arranca de nós a alegria, a paz, a felicidade e a tranquilidade? Deus quer falar conosco agora...

“Acalmem-se... Ouçam! Sentem-se e descansem, todos. Renovem as forças. Reúnam-se em torno de mim. Digam o que está em seu coração. Vamos decidir juntos o que é melhor” – assim o profeta fala por Deus e introduz a mensagem do capítulo 41.

Na sequência, Isaías apresenta as razões pelas quais Deus nos convida a descansar confiantemente nEle:

1. Deus existe antes de todas as coisas. Todas as coisas foram criadas por Ele. Elas estão sob Sua supervisão, regência e domínio (vs. 2-7).

2. Deus tem o controle das nações do mundo, desde o início delas e vai domá-las até o fim (vs. 4-7; Salmo 2; Apocalipse 19).

3. Deus é cheio de graça. Formou um povo tirando-o dos lugares mais insalubres e obscuros. E, embora fosse ingrato, rebelde e indigno pela desobediência escancarada, recebeu altos privilégios mundiais. Portanto, o povo de Deus não precisa temer, nem esmorecer frente aos perigos existentes (vs. 8-10); pois,

• Deus é seu Deus;
• Deus está presente em seu meio;
• Deus fortalece, ajuda e sustenta.

4. Deus agiu no passado e agirá com maestria no fim dos tempos (vs. 11-20):

• Ele vai destruir os inimigos que intentam Lhe atacar, destruindo aqueles que tiram a paz ao Seu povo;
• Ele vai providenciar os recursos vitais (como água) quando eles faltarem no mundo natural;
• Ele vai renovar a Terra, assim o Planeta será restaurado da corrosão e corrupção oriundas do pecado, resultando em alegria para o coração dos salvos.

5. Deus desafia ídolos e deuses falsos. Fica evidente tamanho contraste entre eles. Coitado dos que seguem, veneram e dependem dos deuses fabricados por homens, eles são “deuses impostores, não deuses de verdade; só fazem os outros de bobo”, são “deuses ocos, deuses que não são deuses”. Portanto, serão destruídos com todos os seus seguidores (vs. 21-29).

Deus quer suprir nossas necessidades físicas e espirituais, quer prover segurança nas dificuldades e revigorar nossa alma num ambiente propício! Deus quer transformar radicalmente a vida espiritual da humanidade. Tal objetivo será realizado naqueles que decidirem tornar-se Seus servos. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Envelhecendo em paz

Envelhecendo em paz, 29 de Junho


Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força. Salmos 71:9.

Davi suplicou ao Senhor não o abandonasse na velhice. E por que orou ele assim? Ele viu que muitos dos velhos ao seu redor eram infelizes, em virtude dos traços falhos de seu caráter aumentar com a idade. Se tivessem sido naturalmente avaros e cobiçosos, ficavam mais desagradáveis ainda na idade madura. Se tivessem sido ciumentos, irritáveis e impacientes, assim eram de maneira muito especial na velhice. — The S.D.A. Bible Commentary 3:1148.

Davi afligia-se ao ver que reis e nobres que pareciam ter o temor de Deus diante de si enquanto se achavam no vigor da varonilidade, tornavam-se ciumentos de seus melhores amigos e parentes, quando de idade. Receavam continuamente que houvesse motivos egoístas nas manifestações de interesse dos amigos para com eles. Davam ouvidos às sugestões e conselhos enganosos de estranhos com relação àqueles em quem deviam confiar. Seus não refreados ciúmes inflamavam-se por vezes, porque nem todos concordavam com seu juízo falível. Terrível era sua cobiça. Pensavam muitas vezes que os próprios filhos e parentes desejavam que eles morressem a fim de tomar-lhes o lugar e possuir-lhes as riquezas, e receber as homenagens que lhes haviam sido prestadas. E alguns eram de tal modo controlados pelos ciúmes e sentimentos de cobiça, que destruíam os próprios filhos.

Davi observava que, se bem que a vida de alguns houvesse sido justa enquanto se achavam no vigor dos anos, eles pareceram perder o domínio de si mesmos ao sobrevir-lhes a velhice. Satanás penetrou-lhes no espírito e os dirigiu, tornando-os desassossegados e descontentes. ...

Davi sentia-se profundamente abalado; ficou aflito ao pensar nos anos futuros, quando estivesse velho. Temia que Deus o deixasse, e que ele fosse tão infeliz como outros velhos cuja conduta ele observara, e exposto à desonra dos inimigos do Senhor. O coração opresso por isto, ele orou fervorosamente: “Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força.” Salmos 71:9. — Testemunhos Selectos 1:172, 173.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 40 – Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 40 –
Comentário Pr Heber Toth Armí


O Deus da Bíblia é maior do que imaginamos. Seu poder supera a nossa compreensão. E Sua capacidade de agir em nosso favor está além de nossa compreensão. Se interpretarmos corretamente o desejo de Deus, seremos mais seguros em Sua Palavra.

Deus é maior que…

• O Universo (vs. 12, 22, 26);
• As nações ponderosas (vs. 15-17, 23-25);
• As grandes religiões (vs. 18-22);
• A sabedoria e filosofia (vs. 13-14).

Portanto, “por que você iria se queixar... ou chorar, dizendo: ‘O Eterno se esqueceu de mim. Ele não se importa com o que acontece comigo!’? Vocês não percebem nada? Não prestam atenção? O Eterno não vem e vai. Ele permanece. Ele é o Criador de tudo que vocês conseguem ver ou imaginar. Ele não entra em estafa, não faz intervalo para recuperar o fôlego. Ele conhece tudo, nos mínimos detalhes. Ele fortalece os que estão cansados, renova a força dos que desistiram. Pois até os jovens se cansam e desistem, os jovens na flor da idade tropeçam e caem. Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças. Abrem as asas e voam alto como águias, correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos” (vs. 27-31).

• Conhecer o Deus verdadeiro como Ele realmente é certamente é a essência do verdadeiro reavivamento. Não há reavivamento intenso, real e duradouro sem um compromisso e dependência exclusiva com o Deus Todo-poderoso.

• Além disso, uma compreensão correta de Deus moldará minha atitude diante dEle e das vicissitudes que tentam solapar nossa existência neste mundo de injustiça, sofrimento e angústia.

Hernandes Dias Lopes conclui que “nossos problemas tornam-se grandes quando temos uma pequena visão de Deus. O profeta Isaías... falou acerca da grandeza de Deus. Disse que Deus mede as águas dos oceanos na concha de Sua mão e mede os Céus a palmo. Conhece cada estrela pelo seu nome e quando as chama nem uma delas vem a faltar. Para Ele todas as nações em seu poderio militar e econômico são apenas como um pingo que cai num balde. O nosso Deus é auto-existente, infinito, imenso, eterno, imutável, onipotente, onipresente, onisciente e transcendente”.

Portanto, confiar nEle é nossa única esperança, segurança e salvação. NEle, o desanimado se anima, o fraco se fortalece, o morto espiritualmente revive...! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Mais do que dinheiro

Mais do que dinheiro, 28 de Junho


O povo se alegrou do que deram voluntariamente; porque, com coração perfeito, voluntariamente deram ao Senhor. 1 Crônicas 29:9.

Desde o início mesmo do reinado de Davi, um dos seus mais acariciados planos fora construir um templo ao Senhor. Embora não lhe tivesse sido permitido executar este desígnio, não manifestou menos zelo e fervor em prol do mesmo. Provera abundância do mais valioso material: ouro, prata, pedra de ônix e pedras de diversas cores; mármore e as mais preciosas madeiras. E agora esses valiosos tesouros que juntara, deveriam ser confiados a outros; pois que outras mãos deveriam construir a casa para a arca — símbolo da presença de Deus.

Vendo que seu fim estava próximo, o rei convocou os príncipes de Israel, juntamente com homens de representação de todas as partes do reino, para receberem a incumbência deste legado. Desejava confiar-lhes sua última recomendação, e conseguir seu concurso e apoio na grande obra a ser realizada. ...

“Quem, pois, está disposto”, perguntou à multidão reunida, que trouxera suas dádivas liberais, “quem, pois, está disposto a encher a sua mão, para oferecer hoje voluntariamente ao Senhor?” 1 Crônicas 29:1-5. Houve uma pronta resposta da assembléia.

Com o mais profundo interesse o rei havia reunido o precioso material para a construção e embelezamento do templo. Tinha composto as gloriosas antífonas que nos anos posteriores ecoariam através de seus pátios. Agora seu coração se alegrava em Deus, ao corresponderem tão nobremente ao seu apelo os chefes dentre os pais e os príncipes de Israel, e oferecendo-se eles para a importante obra que tinham diante de si. ... 

Tudo que o homem recebe da generosidade de Deus, pertence ainda a Deus. O que quer que Deus tenha outorgado dentre as coisas valiosas e belas da Terra, é colocado nas mãos dos homens para os provar — a fim de sondar a profundidade de seu amor para com Ele e sua apreciação de Seus favores. Quer sejam tesouros de riqueza ou de intelecto, devem ser postos como sacrifício voluntário aos pés de Jesus, dizendo ao mesmo tempo o doador, como Davi: “Tudo vem de Ti, e da Tua mão To damos”. 1 Crônicas 29:14. — Patriarcas e Profetas, 750-753.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 39 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 39
Comentário Pr Heber Toth Armí


A exibição ególatra das próprias riquezas materiais traz consequências infernais. Ezequias, rei que se empenhou para erradicar a idolatria em seu reino, idolatrou bens materiais – como fazem adoradores dos falsos deuses.

Ezequias, aquele que recebera de Deus cura miraculosa duma enfermidade mortal, desperdiçou uma oportunidade de ouro ao valorizar mais as riquezas do que o Deus que as deu.

• Atenção: Filosofias capitalistas desviam-nos dos caminhos da verdadeira religião.

Visitas ilustres, homens importantes, com intenções políticas visitaram o rei Ezequias devido a sua cura e, provavelmente, pelo retrocesso do sol adorado como deus em diversas nações; mas, em vez de falar do Deus verdadeiro, Ezequias revelou sua vaidade.

A vaidade faz o indivíduo ser educado, mas com segundas intenções. Promove a política da boa vizinhança, visando algo de seu próprio interesse. Por fim desconsidera o cuidado, a direção, a proteção e a bênção de Deus – o verdadeiro responsável por tudo o que temos e somos (vs. 1-4).

A vaidade conduz até o piedoso, que recebeu uma graça miraculosa de Deus, à ingenuidade espiritual. A ingenuidade não discerne perigos por agir independente de Deus. Nem percebe o mal de priorizar coisas em vez de glorificar a Deus. Não distingue as oportunidades que Deus dá para testemunhar dEle, por isso, usa tais oportunidades para falar de si mesmo ignorando as consequências de perder a oportunidade de ouro (vs. 5-8).

A vaidade materialista demonstra-se ambição que preocupa-se apenas com o presente, não pensa no futuro. Por isso, a exploração exagerada da natureza, o desperdício abundante de água, o aumento das fábricas que eliminam gases que diminuem a camada de ozônio, que resultam em aquecimento global, derretimento das geleiras, gerando assim grandes catástrofes no presente, mas principalmente no futuro...

Eis o mal da vaidade: A filosofia materialista rouba...

• ...os dízimos para investir em si mesmo tirando a oportunidade da pregação do evangelho.
• ...a glória de Deus para exaltar-se.
• ...o lugar de Deus, pois Sua missão não é importante para o materialista.

“O rei estava desfrutando sua fama e fortuna e, ao que parece, negligenciando sua vida espiritual”, conclui Warren W. Wiersbe sobre Ezequias.

E quanto a nós? Não estamos aproveitando as bênçãos de Deus para nos engrandecermos diante das pessoas em vez de exaltarmos a Deus? Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

terça-feira, 27 de junho de 2017

Monumento de pedras

Monumento de pedras, 27 de Junho


Levaram Absalão, e o lançaram no bosque, numa grande cova, e levantaram sobre ele mui grande montão de pedras. 2 Samuel 18:17.

Davi e todo o seu grupo — guerreiros e estadistas, velhos e jovens, mulheres e crianças — nas trevas da noite atravessaram o rio profundo e correntoso. ... O conselho de Husai conseguira seu objetivo, obtendo para Davi oportunidade para escapar; mas o príncipe, precipitado e impetuoso, não pôde por muito tempo ser restringido, e logo se pôs em perseguição de seu pai. ...

O local da batalha foi um bosque próximo do Jordão, em que o grande número do exército de Absalão apenas lhe era uma desvantagem. Por entre os pontos espessos e os pantanais da floresta, aquelas tropas indisciplinadas se tornaram confusas e não mais podiam ser dirigidas. ... Absalão, vendo que era perdida a causa, voltara-se para fugir, quando a cabeça lhe foi apanhada entre os ramos de uma árvore larga; e, saindo seu mulo de debaixo dele, foi deixado desamparadamente suspenso, como presa a seus inimigos. Em tal condição foi encontrado por um soldado, que, de medo de desagradar o rei, poupou Absalão, mas referiu a Joabe o que vira. Joabe não se restringiu por quaisquer escrúpulos. Havia favorecido a Absalão, tendo duas vezes conseguido sua reconciliação com Davi; e a confiança assim manifesta para com ele fora vergonhosamente traída. Se não fossem as vantagens alcançadas por Absalão mediante a intercessão de Joabe, esta rebelião, com todos os seus horrores, jamais poderia ter ocorrido. Agora estava nas mãos de Joabe destruir com um golpe o instigador de todo este mal. “E tomou três dardos e traspassou com eles o coração de Absalão.” 2 Samuel 18:14. ...

Assim pereceram os instigadores da rebelião em Israel. Aitofel morrera pela sua própria mão. O príncipe Absalão, cuja gloriosa beleza fora o orgulho de Israel, foi eliminado no vigor da juventude, sendo seu cadáver arremessado em uma cova, e coberto com um monte de pedras, em sinal de ignomínia eterna. Em vida, construíra Absalão para si um custoso monumento no vale do rei; mas a única lembrança que assinalou a sua sepultura foi o monte de pedras no deserto. — Patriarcas e Profetas, 742-744.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 38 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 38
Comentário Pr Heber Toth Armí


Libertar, operar milagres e perdoar são especialidades de Deus. Ainda tem mais...

• O futuro é tão conhecido por Deus que Ele sabe até o dia de nossa morte. O profeta Isaías orienta ao rei Ezequias quanto à morte que lhe sobreviria em breve (v. 1).
• A morte não vence a Deus, mas Deus vence a morte. Nada tira Deus do controle, a não ser que rejeitemos o controle de Deus sobre nossa vida. Ezequias sabia disso e, perturbado com o anúncio do profeta, clamou a Deus chorando em alta voz. Ele não pediu mais vida, apenas apresentou sua vida piedosa (vs. 2-3).
• O profeta é servo da mensagem, não dono dela. Isaías poderia passar por falso profeta que, ora diz uma coisa, ora diz outra. Todavia, isso apenas revela humildade em um sincero servo de Deus. Isaías retorna num curto espaço de tempo a Ezequias para dizer-lhe que sua doença mortal seria curada. Além disso, profetiza a libertação de Jerusalém do rei assírio (vs. 4-6).

“No intervalo entre a informação dada no versículo 6 e a do versículo 7, II Reis relata a instrução de Isaías para aplicar ao tumor uma pasta de figos, bem como o pedido de Ezequias por um sinal. Neste capítulo, esses versículos são reservados para o fim vs. 21-23, mas de qualquer forma, cronologicamente eles localizam-se aqui .... A maneira pela qual esse milagre se manifesta... está intimamente associada... com os costumes medicinais em voga, fato que não exclui a possibilidade de que Deus tenha usado o poder terapêutico inerente aos figos, de forma que a sua eficácia é usada no contexto do milagre divino” (J. Ridderbos).

O cântico de Ezequias pode-se dividir em duas partes:

• Antes da cura (vs. 1-16): Vê a morte solapando sua vida precocemente, lamenta continuar o prazer de estar com Deus e a companhia dos amigos, sente como se os seus ossos estivessem quebrados; aflito, geme e busca ao Senhor, expõe em oração a amargura de sua alma e suplica por restauração da saúde e vida.
• Depois da cura (vs. 17-20): Louva ao Senhor pelo livramento e perdão, glorifica e adora a Deus pelo que fez.

Deus tem poder para reverter qualquer situação e quaisquer quadros clínicos. Ele merece nosso louvor! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Sábio insensato

Sábio insensato, 26 de Junho

Pois ordenara o Senhor que fosse dissipado o bom conselho de Aitofel, para que o mal sobreviesse contra Absalão. 2 Samuel 17:14.

Aitofel insistiu com Absalão sobre a necessidade de ação imediata contra Davi. ... Este plano foi aprovado pelos conselheiros do rei. Caso houvesse sido seguido, certamente Davi teria sido morto, a menos que o Senhor interviesse diretamente para o salvar. Uma sabedoria mais elevada, porém, do que a do afamado Aitofel, estava a dirigir os acontecimentos. ...

Husai não fora chamado ao conselho, e não se intrometeria sem que isto lhe fosse pedido, receoso de vir sobre si a suspeita de ser espião; mas, depois que se dispersou a assembléia, Absalão, que tinha grande consideração pelo juízo do conselheiro de seu pai, submeteu à sua apreciação o plano de Aitofel. Husai viu, que, se o plano proposto fosse seguido, Davi estaria perdido. E disse: “O conselho que Aitofel esta vez aconselhou não é bom.” ... E sugeriu um plano atraente pela sua natureza vaidosa e egoísta, propenso à exibição de poder. ... “Então disse Absalão a todos os homens de Israel: Melhor é o conselho de Husai, o arquita, do que o conselho de Aitofel.” 2 Samuel 17:10-14. Mas houve um que não foi enganado — um que previu claramente o resultado deste erro fatal de Absalão.

Aitofel compreendeu que a causa dos rebeldes estava perdida. E viu que, qualquer que pudesse ser a sorte do príncipe, não havia esperança para o conselheiro que instigara os seus maiores crimes. Aitofel havia animado Absalão na rebelião; aconselhara-o à mais abominável impiedade, à desonra de seu pai; sugerira a morte de Davi, e fizera os planos para a sua realização; suprimira a última possibilidade de reconciliação com o rei; e agora outro era preferido a ele, mesmo por Absalão.

Cheio de inveja, irado, e desesperado, Aitofel “foi para sua casa e para a sua cidade, e pôs em ordem a sua casa, e se enforcou, e morreu”. 2 Samuel 17:23. Tal foi o resultado da sabedoria de quem, com todos os seus elevados dotes, não fez de Deus o seu conselheiro. — Patriarcas e Profetas, 739-741.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 37 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 37
Comentário Pr Heber Toth Armí


Se estamos do lado de Deus, quem poderá derrotar-nos? Nem mesmo uma máquina de guerra aparentemente insuperável, nem mesmo o diabo e seu exército!

Com Deus, somos invencíveis! Observe a história deste capítulo...

Cerca de 45 km de onde estava Ezequias, Senaqueribe havia conquistado Laquis. Seu exército era extremamente poderoso e habilidoso. Suas estratégias eram lógicas e racionais. Aparentemente, não aceitar a proposta de Senaqueribe seria ousadia ignorante que causaria o inevitável desastre.

“Se Deus não viesse em resgate de Judá, as ameaças do rabsaqué se teriam cumprido literalmente. Esta era uma ocasião de profundo exame de coração e oração para Judá. A calamidade com que eles se defrontavam os levou para mais perto de Deus... Se Deus não os tivesse protegido, muitos teriam morrido, e outros teriam perdido a esperança na vida de um Messias. Então, qual teria sido o futuro do povo de Deus?” (Roy Gane).

Deus entrou em cena, Ele agiu a fim de responder aos argumentos do inimigo, para:

1. Provar que Ele não era como os demais deuses derrotados dos outros povos conquistados;
2. Revelar que as súplicas por ajuda, libertação e salvação são, graciosa e bondosamente, respondidas;
3. Mostrar que a confiança nEle faz total diferença diante das ameaças impostas pelas circunstâncias que conspiram contra nossa fé.

Aos piedosos que se humilham e buscam ao buscar a Deus estendem perante Ele seus problemas e oram com fé em Seu poder, serão surpreendidos com a resposta divina. A graça de Deus faz por nós o que não merecemos, e muito mais do que imaginamos.

Ao enfrentar desafios que aparecem e ameaçam, considere estes pontos:

• ...busque ao Senhor em oração sincera, humildemente, mas fervorosamente (v. 1);
• ...consulte aos profetas de Deus, busque orientação nas Sagradas Escrituras (vs. 2-13);
• ...deixe Deus tomar conta de tudo; não exija o quê fazer, ou como deve agir (vs. 14-20);
• ...atente para o profeta que Deus usa para te orientar, incentivar e fortalecer a confiança nEle (vs. 21-35);
• ...observe atentamente o magnífico e poderoso livramento de Deus em resposta a tua entrega total (vs. 36-38).

Com apenas um anjo Deus nos surpreende ao mostrar que Ele está no controle e pode atender qualquer um de nossos clamores! Queira torná-lO conhecido como desejou Ezequias! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 25 de junho de 2017

Grandeza na humilhação

Grandeza na humilhação, 25 de Junho


Se morar nas trevas, o Senhor será a minha luz. Sofrerei a ira do Senhor, porque pequei contra Ele, até que julgue a minha causa e execute o meu direito. Miquéias 7:8, 9.

A consciência estava a proferir verdades amargas e humilhantes a Davi. Enquanto seus súditos fiéis se admiravam com a sua súbita mudança de sorte, não era isto mistério para o rei. Ele muitas vezes tivera pressentimentos de uma hora como aquela. Admirara-se de que Deus tivesse tanto tempo suportado seus pecados, e retardado o castigo merecido. E agora, em sua fuga precipitada e triste, com os pés descalços, com as vestes reais mudadas em saco, com as lamentações dos que o acompanhavam a despertar os ecos das colinas, pensava ele em sua amada capital — o lugar que fora o cenário de seu pecado; e, lembrando-se da bondade e longanimidade de Deus, não estava inteiramente sem esperança. ...

Muito malfeitor tem desculpado seu pecado, apontando para a queda de Davi; mas, quão poucos há que manifestam o arrependimento e a humildade de Davi! Quão poucos suportam a reprovação e o castigo, com a paciência e coragem que ele manifestou! Confessara seu pecado, e durante anos procurara cumprir seu dever como fiel servo de Deus; trabalhara para o reerguimento de seu reinado, e sob seu governo este atingira a uma força e prosperidade jamais alcançadas antes. Reunira grandes suprimentos de materiais para a edificação da casa de Deus; e agora deveria todo o trabalho de sua vida ser dissipado? Deveriam os resultados de anos de uma labuta consagrada, de trabalho criativo, dedicação, aptidão de estadista, passar para as mãos de seu filho descuidado e traidor, que não tinha consideração pela honra de Deus nem pela prosperidade de Israel? Quão natural teria parecido murmurar Davi contra Deus nesta grande aflição!

Mas ele viu a causa de sua inquietação em seu próprio pecado. ... E o Senhor não abandonou Davi. Este capítulo de sua experiência, em que sob o mais cruel dano e insulto, ele se mostra humilde, abnegado, generoso e submisso, é um dos mais nobres em toda a sua experiência. Nunca foi o governador de Israel com mais verdade grande à vista do Céu do que nesta hora de sua mais profunda humilhação exterior. — Patriarcas e Profetas, 737, 738.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

ISAÍAS 36 Comentário Pr Heber Toth Armí

ISAÍAS 36
Comentário Pr Heber Toth Armí


É grande o desafio de viver confiando em Deus num mundo que desafia constantemente tal confiança. A sociedade incrédula, a filosofia anti-Deus verdadeiro e, cercados por estúpidos líderes políticos pagãos, tornam real a necessidade de uma fé concreta em Deus.

Antes de considerar alguns pontos importantes do capítulo, amplie tua visão desta nova seção:

“Os capítulos 36-39 formam um parêntese histórico ligando a primeira parte do livro (caps. 1-35), que consiste em profecias de juízos e bênçãos originárias do período assírio, à segunda parte, composta de profecias de consolo que emanam do período babilônico. O nome de Ezequias é mencionado cerca de 35 vezes nessa seção, que é, às vezes, intitulada Volume de Ezequias. Essa seção é quase idêntica ao texto de 1Rs 18.13-20-19. É provável que Isaías tenha escrito o material, que foi mais tarde incorporado à história do corte de Judá e, por último, a Reis” (Merril F. Unger).

Além de I Reis, este episódio encontra-se resumidamente em II Crônicas 32:1-31. Citado por três vezes na Bíblia este relato precisa ser considerado como extremamente relevante aos servos de Deus de todas as épocas e lugares.

Os miraculosos detalhes destas histórias “nos lembram de que não há qualquer circunstância que possamos imaginar que limite o poder de Deus para nos salvar”; além disso, deixam claro que, “ter confiança em Deus quando enfrentamos desvantagens esmagadoras não faz sentido para as pessoas” (Lawrence O. Richard).

Em 701 a.C. Senaqueribe, por meio de Rabsaqué, atacou psicológica e teologicamente ao rei Ezequias e seu povo, por motivos banais. Daqui extraímos estas lições:

• Indivíduos astutos nos atacam alegando que ninguém, nem mesmo Deus, pode nos salvar de suas mãos.
• Inimigos do povo de Deus que acham que estão sendo usados por Deus atacam aos crentes desprezando-os e ridicularizando suas forças.
• Insolentes provocadores ameaçam com argumentos racionais e lógicos, inclusive teológicos, intentando minar a fé do povo de Deus.

Argumentos insolentes, blasfêmias petulantes, interpretações equivocadas e retóricas com lógica ainda ameaçam a fé de universitários cristãos com o mesmo ímpeto de Rabsaqué.

Portanto, é necessário aprender com Ezequias que, por mais que os ataques sejam palavras que pareçam lanças afiadas, cujo objetivo é humilhar os fieis, e deixar-nos sem palavras... confiar em Deus faz total diferença! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sábado, 24 de junho de 2017

Formosura superficial

Formosura superficial, 24 de Junho


Porém Tu, Senhor, és o meu escudo, és a minha glória e o que exaltas a minha cabeça. Salmos 3:3.

Tendo sempre diante de si a lembrança de sua própria transgressão à lei de Deus, Davi parecia moralmente paralisado; era fraco e irresoluto, quando antes de seu pecado era corajoso e decidido. Sua influência junto ao povo se havia enfraquecido. E tudo isto favorecia os planos de seu filho desnaturado. ...

E, enquanto o rei mais e mais se inclinava a desejar o retiro e a solidão, Absalão cortejava assiduamente o favor popular. ... Dia após dia este homem de semblante nobre podia ser visto à porta da cidade, onde uma multidão de suplicantes esperava a fim de apresentar suas queixas e receber justiça. Absalão misturava-se com eles, e escutava seus agravos, exprimindo simpatia pelos seus sofrimentos, e pesar pela ineficiência do governo. — Patriarcas e Profetas, 729, 730.
Por sua notável beleza, maneiras cativantes e simulada bondade, ele astutamente roubou o coração do povo. Ele não possuía bondade de coração, mas era ambicioso e, como mostram os acontecimentos subseqüentes, recorreria à intriga e ao crime para obter o reino. Retribuiria a bondade e o amor de seu pai tirando-lhe a vida. Ele foi proclamado rei por seus seguidores em Hebrom, e liderou-os na perseguição a seu pai. — Spiritual Gifts 4b:89.

Com humildade e tristeza, Davi saiu pela porta de Jerusalém, repelido de seu trono, de seu palácio, da arca de Deus, pela insurreição de seu querido filho. O povo acompanhou-o em um séquito longo e triste, semelhante a um cortejo fúnebre. — Patriarcas e Profetas, 731.
Muitos que não vêem como Deus vê, mas vêem as coisas do ponto de vista humano, podem argumentar que Davi poderia ter motivos para queixar-se, e que a sinceridade do seu arrependimento anos antes podia tê-lo excluído do presente juízo. ... Davi não se queixou. O mais eloqüente salmo que ele já cantou foi quando subia o Monte das Oliveiras, chorando e descalço, de espírito humilhado, altruísta e generoso, submisso e resignado. — Carta 6, 1880.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Isaías 35 Comentário Pr Heber Toth Armí

Isaías 35
Comentário Pr Heber Toth Armí


O Éden perdido precisa, e será restaurado. Mas, como? Isso é impossível ao ser humano, mas não para Deus. O caos deste mundo terá fim! Deus está trabalhando para restaurar o Éden.

O capítulo anterior enfatiza a erradicação do mal e dos efeitos do pecado na natureza. O capítulo em questão mostra os privilégios dos poucos pecadores que aceitarem e se submeterem ao plano de salvação. Enquanto Edom é destruído, o Éden será restaurado.

1. A terra amaldiçoada devido ao pecado (Gênesis 3:17-18; 4:12) será abençoada com o reino messiânico (Isaías 35:1). Toda a criação geme e aguarda o dia da restauração, a qual beneficiará aos remanescentes redimidos, submissos ao Espírito Santo (Romanos 8:18-23).

2. A beleza da natureza perdida pela deterioração do pecado voltará quando Deus a restaurar para os Seus restaurados filhos (v. 2):

a) Deus dará a glória do Líbano até ao árido deserto;
b) Deus dará o esplendor do monte Carmelo e de Sarom;
c) Pois, a glória e o esplendor do Senhor se farão presentes.

3. A restauração da terra desgraçada pelo pecado trará alegria imensurável aos libertos do pecado. “O uso de vários termos que expressam alegria é notável: ‘alegrar’, ‘exultar’, ‘florescer como narciso’, ‘florescer abundantemente’, ‘jubilar de alegria e exultar’ (v. 1, 2)” (Bíblia Andrews).

4. A promessa de restauração visa abençoar psicologicamente. Desperta esperança, motivação, determinação, unidade e companheirismo nos crentes (vs. 3-4).

5. A promessa envolve bênçãos físicas, tais como cego enxergar, surdo passar a ouvir, aleijado ser restaurado, mudo começar a cantar; pois, tudo na natureza será reparado (vs. 5-6). “A linguagem destes versículos foi usada por Jesus para relatar suas realizações a João Batista, apresentando-lhe evidências do amanhecer da era de salvação anunciada pelo profeta Isaías (ver Mt 11:2-4; Lc 7:18-23)” (Bíblia Andrews).

6. O cumprimento desta profecia poderia ter sido completado na primeira vinda do Messias (ou antes); entretanto, o povo não correspondeu à expectativa divina (vs. 8-10). Conquanto, “o cumprimento final das profecias deste capítulo ocorrerá na segunda vinda de Cristo e na nova terra” (Bíblia Andrews).

Apesar da desobediência dos judeus, as promessas de Deus se cumprirão plenamente (ver Apocalipse 21:1-5). É possível estarmos todos inclusos nelas, caso nos entreguemos 100% ao judeu Jesus reavivando-nos diariamente!

Anime-se! Alegre-se! – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsp

sexta-feira, 23 de junho de 2017

O difícil caminho do pecado

O difícil caminho do pecado, 23 de Junho


Mas... com isto deste motivo a que blasfemassem os inimigos do Senhor. 2 Samuel 12:14.
Através de gerações sucessivas, os incrédulos têm apontado para o caráter de Davi, que traz esta negra mancha, e exclamado com triunfo e escárnio: “Este é o homem segundo o coração de Deus!” Atos dos Apóstolos 13:22. Assim foi trazido opróbrio à religião, Deus e Sua Palavra foram blasfemados, almas se endureceram na incredulidade, e muitos, sob um manto de piedade, se tornaram audazes no pecado.

Mas a história de Davi não fornece defesa ao pecado. Era quando ele andava no conselho de Deus que era chamado homem segundo o coração de Deus. Pecando, isto cessou de ser verdade com relação a ele, até que pelo arrependimento voltasse ao Senhor. ...
Embora Davi se arrependesse de seu pecado, e fosse perdoado e aceito pelo Senhor, colheu os resultados da semente que ele próprio semeara. ... Sua autoridade em sua própria casa, o direito ao respeito e à obediência de seus filhos, enfraqueceram. Uma intuição de sua culpa conservava-o silencioso quando ele teria condenado o pecado; tornava fraco o seu braço para executar justiça em sua casa. ...

Aqueles que, apontando para o exemplo de Davi, procuram diminuir a culpa de seus próprios pecados, deveriam aprender do registro bíblico que duro é o caminho da transgressão. Embora, semelhantes a Davi, se desviem de sua má conduta, achar-se-á que os resultados do pecado, mesmo nesta vida, são amargos e duros para se suportarem. — Patriarcas e Profetas, 722-724.
Um homem incorre em culpa por injuriar a seu semelhante, mas sua maior culpa é o pecado que comete contra o Senhor, e a má influência do seu exemplo sobre outros. O sincero filho de Deus não trata levianamente nenhuma de Suas reivindicações. — The S.D.A. Bible Commentary 3:1147.

Era intuito de Deus que a história da queda de Davi servisse como advertência de que mesmo os que Ele abençoou e favoreceu grandemente não se devem sentir livres de perigo, e negligenciar a vigilância e a oração. E isso tem feito esta história àqueles que humildemente têm procurado aprender a lição que Deus tencionava dar. — Patriarcas e Profetas, 724.


Este texto vem do livro devocional Vidas que Falam pelo Ellen G. White.
Para ver mais de seus livros, visite egwwritings.org

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis