Translate

domingo, 30 de abril de 2017

Provérbios 31 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 31
Comentário Pr Heber Toth Armí

Certamente não foram apenas judeus que escreveram as palavras de Deus. Outra coisa, Deus nunca menosprezou mulheres, pelo contrário, na Bíblia ela sempre é valorizada pelo Criador.

Este capítulo em foco “desdobra-se em duas partes, ambas são declarações da mãe de Lemuel. O fato de que Lemuel e sua mãe provavelmente não sejam israelitas demonstra não somente a natureza universal da natureza do movimento da sabedoria, mas também a aceitação da sabedoria bíblica fora de Israel”, explica o teólogo Paulo R. House.

Desta forma, o próprio livro de Provérbios prova que suas aplicações servem para todos nós ainda hoje. Todos eles são aplicáveis universalmente, inclusive estes:

1. Pessoas sábias fogem da devassidão e da lascívia. A falta de sabedoria na escolha do cônjuge é a perdição inclusive de reis e rainhas (vs. 1-3).

2. Ainda que bebidas alcoólicas tenham alguma utilidade, os sábios não devem prejudicar sua capacidade de liderar, administrar, julgar e decidir ingerindo álcool (vs. 4-7).

3. Os reis e governadores, os políticos em geral, têm a obrigação de defender aos desamparados e prestar auxílio aos necessitados, nada deve fazê-los desviar-se destas responsabilidades – o constituiria loucura (vs. 8-9).

Mulheres e homens, gentios e judeus, podem ser igualmente sábios. Reflita nesta declaração do Dr. House:

“O livro é concluído com uma extensa definição de uma boa esposa (31:10). A mãe de Lemuel inclui toda característica de uma mulher honrada que poderia possivelmente contrastar com a característica da mulher má em outra parte do livro (7:6-27). Essa esposa trabalha incansável, efetiva e valentemente (31:10-24). Ela fala palavras sábias e tem força e dignidade (31:25-26). A mãe de Lemuel a elogia com o louvor mais alto que o livro oferece: ela teme o Senhor (31:27-31). Mais uma vez é a relação com Yahweh que conduz à vida sábia. Esse princípio é verdade para homens e mulheres, israelitas e gentios”.

Agur, Lemuel e sua mãe são provas reais de que a sabedoria está acessível inclusive aos não judeus, sejam homens ou mulheres. Rute, a Sulamita de Cântico dos cânticos, Abigail e Maria, mãe de Jesus, são exemplos de mulheres sábias.

Já que todos podem ser sábios... por que não...

• ...livrarmo-nos de vez da loucura?
• ...obtermos sabedoria?
• ...seguirmos diariamente os passos indicados em Provérbios?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sábado, 29 de abril de 2017

Provérbios 30 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 30
Comentário Pr Heber Toth Armí

A loucura repele as pessoas; entretanto, a sabedoria atrai.

Precisamos saber que nossa mente é como paraquedas, se não abrir, ela cai. Agur abriu sua mente, e o resultado foi magnífico. Talvez Agur fosse atraído a Salomão por sua sabedoria, e certamente se converteu ao princípio da verdadeira sabedoria: O temor do Senhor.

Agur era árabe, de Massá, no Oriente, um professor de renome, que enviou uma carta ao dois de seus alunos destaques: Itiel e Ucal – após sua conversão. Ele havia sido grande homem intelectual, mas desprovido do conhecimento do Deus verdadeiro.

Provavelmente, Agur ouviu falar da Sabedoria de Salomão, ou ele próprio foi visitar ao rei israelita. Ele abriu a mente, aprendeu a verdadeira sabedoria e agora compartilha com seus pupilos (e conosco também).

De seus escritos, extraio alguns princípios:

1. Quem tem contato com a verdadeira sabedoria e se rende a ela, torna-se a humildade em pessoa; despreza a arrogância, o orgulho e a vaidade e até o conhecimento que antes pensava equivocadamente ser sabedoria (vs. 1-3).
2. Quem se converte genuinamente à sabedoria divina reconhece que a Palavra de Deus é a verdade e, qualquer coisa contrária a ela não passa de ilusão, fraude e mentira (vs. 4-6).
3. Quem se converte deixa de ser ambicioso, materialista e ganancioso, passa a desejar somente o essencial para não perder-se do caminho da salvação, de sua fidelidade a Deus e, de Seus princípios morais (vs. 7-9).

“O desenvolvimento da mente é um dever que devemos a nós mesmos, à sociedade e a Deus. Nunca devemos, entretanto, planejar meios para o cultivo do intelecto à expensas da parte moral e espiritual. E é somente pelo harmonioso desenvolvimento das faculdades mentais, tanto como das morais, que se alcança a mais alta perfeição de ambos” (Ellen G. White).

Na sequência do texto bíblico, Agur, inspirado por Deus, oferece-nos máximas sapienciais:

• Não humilhe os humildes (v. 10);
• Fuja da arrogância (vs. 11-14);
• A ganância é insaciável (vs. 15-16);
• Filhos arrogantes sofrerão terrivelmente (v. 17);
• Enigmas da vida (vs. 18-20);
• Coisas intragáveis (vs. 21-23);
• Coisas pequeninas que ensinam importantes lições (vs. 24-28);
• Coisas ilustres (vs. 29-31);
• A arrogância causa desgraça, a humildade atrai graça (vs. 32-33).

Amigo(a), anima-te! Faça como Agur, converta-se e compartilhe sabedoria! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Provérbios 29 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 29
Comentário Pr Heber Toth Armí

Nosso cérebro precisa ser desenvolvido a fim de que vivamos com sabedoria neste mundo de loucura. Deus nos deu capacidade e quer que progridamos no caminho da justiça. Não podemos parar nem desviarmo-nos do caminho.

“Um estudante pode consagrar todas as faculdades à aquisição de conhecimento; mas a menos que possua conhecimento de Deus, a menos que obedeça as leis que lhe governam o ser, destruir-se-á. Mediante hábitos errôneos, perde a faculdade de apreciação de si mesmo, perde o domínio próprio [...]. Mediante a negligência do cultivo dos princípios justos, arruína-se tanto para este mundo como para o futuro” (Ellen G. White).

Antônio Neves de Mesquita intitula este capítulo de: “Deus e a sociedade humana”; e, logo, o divide em três tópicos:

1. O homem justo é o alvo desta seção (vs. 1-10);
2. Os efeitos de um mau governo (vs. 11-17);
3. Guardar a lei é a certeza da felicidade (vs. 18-27).

Paul R. House observou: “A intenção de Deus ao conceder a revelação é... criar um grupo de indivíduos justos, sábios e fieis. Essas são pessoas corajosas (28.1), vitoriosas (29.6) e pacientes (29.11). Tais traços de caráter criam líderes bons (29.2) que protegem o pobre (29.7), afastam a ira (29.8) e evitam os insensatos (29.9). Deus abençoa sua fidelidade (28.20). Seu caráter obviamente deriva da sua relação com o Senhor e do seu compromisso em obedecer aos padrões claramente revelados de Deus”.

Não é em diplomas das faculdades renomadas, nem na fama ou no dinheiro, nem mesmo nos altos postos políticos que estão as fontes da sabedoria, segurança e esperança. As coisas que realmente importam estão além de qualquer ser humano. “A justiça vem do Senhor” (v. 26).

Deus está acima do mais alto poder humano, Ele julga instituições de julgamento; os grandes juízes do mundo deverão prestar-Lhe contas. Ele é soberano. Sua lei é a que importa, ela é a Lei das leis.

• Qualquer lei diferente da Lei de Deus está fora da lei.
• É impossível viver sabiamente independente de Deus.

Negar a lei de Deus é negar a justiça – que é um ato de loucura. Devemos buscar o favor de Deus, ter como alvo fazer Sua vontade e, pautar nossa vida pelos Seus princípios.

Submeter-nos-emos ao soberano Rei? – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Provérbios 28 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 28
Comentário Pr Heber Toth Armí

Nossa fé deve reger nossa conduta em casa, no trabalho, esporte, mercado, em todo lugar, até mesmo nossos relacionamentos na igreja.

O capítulo oferece-nos estes pontos, conforme Bruce K. Waltke:

1. Relação com a Torá/Lei para gerenciar e ganhar riquezas:
• Provérbio introdutório (v. 1);
• Primeira subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 2-6);
• Segunda subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 7-11).

2. Relação com Deus para governar e conseguir riqueza:
• Provérbio introdutório (v. 12);
• Deus e o dirigente (vs. 13-18);
• Riqueza mediante trabalho duro frente à precipitação (vs. 19-24);
• Riqueza através da confiança no Senhor e generosidade frente à mesquinharia (vs. 25-27).

3. Provérbio de conclusão (v. 28).

Diz o teólogo Paul R. House que “o conhecimento e a observância da lei de Deus são fatores supremos na luta contra a maldade. Os que abandonam a lei de fato escolhem louvar o pecador e suas convicções (28.4). Os mantenedores da lei alcançam sabedoria (28.7); suas orações são ouvidas (28.9). Sem profecia, a aplicação da lei na vida diária, as pessoas não têm nenhum freio; mas quando obedecem à lei elas são abençoadas (29.18). Tanto a profecia quanto a lei são revelações inspiradas por Deus que ensinam as pessoas a viver, e ambas requerem uma relação com Yahweh. Assim as matérias de sabedoria, a lei e a profecia formam um corpo de ensinamento que torna possível uma vida sadia”.

Tratar com indiferença aos princípios divinos faz que o avanço dos princípios do inferno seja rápido. Quando permitimos que a filosofia do inferno domine nossas atitudes tornamo-nos missionários do maligno, precursores dos demônios, agentes do diabo.

Pior é atacar princípios bíblicos que dão vida, para defender conceitos diabólicos que promovem morte. A tirania religiosa caracteriza-se pela arrogância daqueles que são agentes do mal, vestidos com vestes religiosas, alegando crença no evangelho, mas distorcendo a Palavra de Deus.

“Como sempre, Deus é a figura central na aquisição da sabedoria. O temor do Senhor permanece o pré-requisito para a graça divina (28.14). Crer no Senhor continua sendo a chave para as relações divino-humanas que resultam em enriquecimento (28.25) e segurança (29.25)” – declara House.

Sejamos fieis à Torá/Lei de Deus, revistamo-nos com a justiça divina/Cristo, para que nossa religião não seja hipócrita! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Provérbios 27 – Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 27 –
Comentário Pr Heber Toth Armí

Alguém disse: “Chega-te aos bons, serás um deles; chega-te aos maus, serás pior do que eles”. E, Aristóteles declarou: “É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer”.

Então, escolha bem teus amigos e faça o certo, assim desenvolverás sabedoria! Passe tempo na companhia dos sábios de Provérbios e verás o que te sucederá. Aliás, passe tempo com Deus, e serás moldado pelo Autor da sabedoria. Coloque tua vida em harmonia com a vontade dEle e viverás dias de doce alegria!

Cícero observou: “Não basta adquirir sabedoria; é preciso, além disso, saber utilizá-la”; e, é exatamente a isso que cada capítulo de Provérbios intenta conduzir-nos. Atente para os 27 versículos deste capítulo. Hernandes Dias Lopes assim os sintetizam:

• O futuro não está em suas mãos (v. 1);
• O autoelogio não cai bem (v. 2);
• O peso da ira do insensato (v. 3);
• A inveja é muito perigosa (v. 4);
• Quem ama confronta (v. 5);
• As feridas do amor (v. 6);
• A alma enfastiada (v. 7);
• Cuidado, pezinho, onde pisa (v. 8);
• As bênçãos da amizade (v. 9);
• Valorize seu vizinho (v. 10);
• A sabedoria é fonte de alegria (v. 11);
• A prudência pode salvar sua pele (v. 12);
• Cuidado com os compromissos que você assume (v. 13);
• Há elogios e elogios (v. 14);
• O desconforto de viver com uma mulher ranzinza (v. 15);
• A impossibilidade de controlar uma mulher ranzinza (v. 16);
• O contato abençoador (v. 17);
• A recompensa do trabalho (v. 18);
• O poder da autoanálise (v. 19);
• Insatisfação crônica (v. 20);
• Como você reage aos elogios? (v. 21);
• A estultícia inveterada (v. 22);
• Você conhece o estado de suas ovelhas? (v. 23);
• A riqueza é passageira (v. 24);
• Um trabalho que vale a pena (vs. 25-27).

Quando indivíduos “que têm condescendido com maus hábitos e práticas pecaminosas se rendem ao poder da verdade divina, a aplicação dessa verdade ao coração faz reviver as energias morais, as quais pareciam paralisadas” (Ellen G. White).

Desta forma, se aplicarmos esses princípios de Provérbios em nossa vida...

1. Substituiremos hábitos e práticas pecaminosos por hábitos e práticas espirituais;
2. Deixaremos de viver no pecado que nos paralisa e mata, para viver os princípios que fazem-nos reviver.

Clamemos: “Senhor, reaviva-nos!” – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsp

terça-feira, 25 de abril de 2017

Provérbios 26 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 26
Comentário Pr Heber Toth Armí

Viver o dia a dia desprovido dos princípios divinos é a essência da loucura. Fazer o mal por detestar o bem caracteriza aos que não amam a Deus de todo coração ou O rejeita consciente e abertamente.

Praticar o mal é um enorme problema, pior ainda é considerar que grande maldade não significa nada. Viver alheio ao bem, indiferente à moralidade, anestesiado aos princípios espirituais, implica em andar de braços dados com o diabo como num romance prazeroso.

A sabedoria nos leva para o céu, a loucura nos leva ao inferno (ver Provérbios 9). O tolo está em evidência neste capítulo. Aprenda a não ser tolo. Matthew Henry sintetiza assim o capítulo em apreço:

• O tratamento apropriado para os tolos (vs. 1-9);
• O comportamento dos tolos (vs. 10-12);
• A desgraça da preguiça (vs. 13-16);
• Ódio e contenda (vs. 17-28).

O ignorante, tolo ou insensato é mais notório nas palavras e no comportamento do que em seu silêncio. Os princípios do texto sagrado são impactantes, deixe-se impactar com eles:

1. É absurdo um insensato ser honrado, crer que a maldição vem sem causa, responder a estupidez de um insensato, enviar recados através de um insensato, ouvir provérbios dos insensatos, dar emprego a um insensato; pois, “como o cão que come o próprio vômito, assim os insensatos reciclam a tolice” (vs. 1-11).

2. Os pensamentos que os ignorantes, tolos e insensatos possuem de si mesmos são exagerados, ilusórios e errados:

a) Quem pensa que é esperto é pior que o insensato (v. 12);
b) Preguiçosos são assombrados pelos próprios pensamentos fantasiosos (vs. 13-15);
c) Sonhadores ociosos se vangloriam considerando-se “mais sábios que o corpo docente de uma faculdade” (v. 16).

3. É insensatez intrometer-se numa discussão alheia, ignorar os efeitos destrutivos das próprias palavras, investir na fofoca, ser explosivo e briguento, ouvir críticas e calúnias, confiar num inimigo (vs. 17-26).

4. O capítulo encerra com dois provérbios que nos fazem refletir:

a) “A malícia é um tiro que sai pela culatra; o ódio sempre volta para quem o cultivou” (v. 27);
b) “O mentiroso odeia sua vítima; o bajulador sabota a confiança” (v. 28).

Abra os olhos: Atente para estas revelações sobre o tolo! Seja sábio: Não se envolva com atitudes tolas!

Busquemos sabedoria! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Provérbios 25 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 25
Comentário Pr Heber Toth Armí

Os dias do reinado de Ezequias foram caracterizados por avivamentos espirituais. Certamente os provérbios fizeram parte destes refrigérios nacional.

Isso deve nos levar a valorizar ainda mais este livro que pouco se prega nos púlpitos de nossas igrejas – o máximo que muitos fazem é citar um provérbio aqui e acolá, mas sem analisá-lo profundamente.

A partir deste capítulo, até o capítulo 29, os provérbios foram escritos por Salomão, porém, ele não os introduziu no cânon das Escrituras. Foram compilações copiadas e agrupadas pelos sábios de Ezequias, depois incluídas pelo rei de Judá. Russell Norman Champlim comenta:

O primeiro versículo do capítulo 25 “serve de nota expositiva introdutória, para informar-nos de onde vieram estes provérbios... Sabemos que Ezequias, rei de Judá (721-693 A.C.), era homem de habilidade literária, além de ter sido patrono das artes. Ver II Reis 18.18,37; 19.2,3; Isa. 38.10-20. Ezequias viveu cerca de 250 anos depois de Salomão... Essa editoração, preparada pelos ‘homens de Ezequias’ (provavelmente escribas profissionais) [preservaram] mais de cem [dos] provérbios [de Salomão] na seção à nossa frente”.

Fixe nestas verdades destas informações:

• Deus Se beneficiou de editores para compilar ensinamentos importantes a serem introduzidos em Sua Palavra.
• Deus não é contra o trabalho de fazer compilações para agrupar mensagens relevantes ao povo de Deus de outras épocas e lugares.
• A inspiração e revelação não acontecem apenas de uma forma, podem ser através de pesquisas e entrevistas, como fez o Dr. Lucas (ver Lucas 1:1-3); ou compilações, como se vê em Provérbios 25 a 29.
• Pesquisadores, editores e compiladores sob a regência do Espírito Santo foram tão inspirados quanto qualquer profeta em suas visões e sonhos recebidos diretamente de Deus.

Portanto, vamos atentar para a mensagem de Deus em Provérbios 25.

• Deus não dá tudo “de-mão-beijada”, quem quiser o conhecimento, precisará investir tempo, talento e recursos para obtê-lo (vs. 2-3);
• O líder bom não é perverso, orgulhoso, e precipitado em julgar; é confiável e sábio (vs. 4-12);
• Amigos reais são essenciais; traidores, indelicados, interesseiros e fofoqueiros são inúteis (vs. 13, 18-23, 25);
• Cuidado com excesso de palavras, comer muito doces, reclamações, descontrole emocional – pode ser tua ruína total (vs. 14-17, 24, 26-28).

Invista tua vida na sabedoria, vale a pena! Deixe-se moldar por ela, experimentarás um avivamento! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 23 de abril de 2017

Provérbios 24 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 24
Comentário Pr Heber Toth Armí

Não compensa rejeitar a sabedoria, nem substituir a verdadeira (pura) sabedoria por uma genérica, ou falsificada.

Numa sociedade onde reina inveja, corrupção, imoralidade, glutonaria, perversidade, ira, revolta, injustiças, hipocrisia, falsidade, ganância, etc., precisamos ser guiados pela sabedoria divina.

Neste capítulo encontramos os últimos dos 30 provérbios dos sábios, os quais terminam no versículo 22. Os quais, segundo Jacques Doukhan, se agrupam da seguinte forma:

1. Primeiro provérbio (capítulo 22:21-23);
2. Segundo provérbio (capítulo 22:24-25);
3. Terceiro provérbio (capítulo 22:26-27);
4. Quarto provérbio (capítulo 22:28);
5. Quinto provérbio (capítulo 22:29);
6. Sexto provérbio (capítulo 23:1-3);
7. Sétimo provérbio (capítulo 23:4-5);
8. Oitavo provérbio (capítulo 23:6-8);
9. Nono provérbio (capítulo 23:9);
10. Décimo provérbio (capítulo 23:10-11);
11. Décimo primeiro provérbio (capítulo 23:12);
12. Décimo segundo provérbio (capítulo 23:13-14);
13. Décimo terceiro provérbio (capítulo 23:15-16);
14. Décimo quarto provérbio (capítulo 23:17-18);
15. Décimo quinto provérbio (capítulo 23:19-21);
16. Décimo sexto provérbio (capítulo 23:22-25);
17. Décimo sétimo provérbio (capítulo 23:26-28);
18. Décimo oitavo provérbio (capítulo 23:29-35);
19. Décimo nono provérbio (capítulo 24:1-2);
20. Vigésimo provérbio (24:3-4);
21. Vigésimo primeiro provérbio (capítulo 24:5-6);
22. Vigésimo segundo provérbio (capítulo 24:7);
23. Vigésimo terceiro provérbio (capítulo 24:8-9);
24. Vigésimo quarto provérbio (capítulo 24:10);
25. Vigésimo quinto provérbio (capítulo 24:11-12);
26. Vigésimo sexto provérbio (capítulo 24:13-14);
27. Vigésimo sétimo provérbio (capítulo 24:15-16);
28. Vigésimo oitavo provérbio (capítulo 24:17-18);
29. Vigésimo novo provérbio (capítulo 24:19-20);
30. Trigésimo provérbio (capítulo 24:21-22).

Após os 30 provérbios dos sábios, contendo diversos assuntos, há mais alguns provérbios interessantes de outros sábios (24:23-34). Sobre eles, Doukhan analisa:

“Este breve apêndice (24:23-24) [...], concentra-se num aspecto específico do ensino: a necessidade de aprofundar nosso juízo e trabalho. O sábio adverte, por um lado, sobre a tentação de ser ‘parcial no julgamento’ (24:23-26) e contra as falsas testemunhas (24:28-29). Por outro lado, a tentação da superficialidade em nosso trabalho (24:27, 30-34)”.

• Precisamos combater a superficialidade nos julgamentos e no trabalho!

Deus quer o melhor para nós. Ele nos deixou um livro de sabedoria escrito por diversos sábios. Estudá-lo nos conduzirá à sabedoria dEle, e, praticar os princípios de vida ali contidos nos tornará sábios aqui na Terra e nos preparará para a Pátria Celestial.

Viver a sabedoria nos dará inúmeras vantagens relevantes no caminho ao céu. “Senhor, orienta-nos!” – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

sábado, 22 de abril de 2017

Provérbios 23 Comentário Pr Heber Toth Armí

Provérbios 23
Comentário Pr Heber Toth Armí
A vida é bem melhor se for vivida com sabedoria! Pena que muitos acham que a loucura traz paz, alegria e felicidade; tal ilusão só pode ser desfeita à luz do livro de Provérbios.

A teologia de Provérbios é fantástica. “Como revela este livro de sabedoria, Deus se apresenta, a cada indivíduo, segundo a sua necessidade espiritual”, diz Charles R. Swindoll. E, então, pontua:

• Para todas as pessoas, de todas as partes, Deus é o Criador (3:19-20; 14:31; 16:11; 17:5; 20:12; 22:2);
• Deus é o Onisciente pastor das almas (5:21; 15:3, 11; 22:12; 24:12);
• Para o pecador obstinado e impenitente, Deus é o Juiz justo (8:35; 17:15; 21:3; 22:22-23; 23:10-11; 29:26);
• Para o desamparado, Deus é o defensor dos fracos (14:31; 15:25; 17:5; 22:2, 22-23; 23:10-11; 29-13);
• Para os fieis, o Senhor é o Benfeitor dos justos (3:1-10; 8:35; 10:32; 11:1, 20; 12:2, 22; 15:8; 16:20; 18:22; 19:17; 28:25).

O capítulo 23 contém mais provérbios dos sábios (não de Salomão). Observe este detalhe: Existem trinta provérbios sapienciais anônimos, em dois grupos:

1. Primeiro grupo: Provérbios 22:17-23:11;
2. Segundo grupo: 23:12-24:26.

Depois temos mais 6 provérbios de outros sábios, também desconhecidos, em Provérbios 24:23-34.

O capítulo 23 de Provérbios oferecem-nos os seguintes pontos:

• Fique ligado quando jantar com alguém importante, um líder político (vs. 1-5);
• Rejeite o convite para comer quando vier de pessoas mesquinhas, há boas razões para isso (vs. 6-8);
• Não perca tempo na presença de pessoas que te colocam para baixo (v. 9);
• Os filhos devem ser disciplinados com muita sabedoria, por isso os pais, antes, devem ser sábios para, depois, educar (vs. 10-18); educação desprovida de sabedoria cria filhos para a loucura.
• As armadilhas do desequilíbrio são fatais, até coisas boas em demasia causam males (vs. 19-28);
• Bebidas alcoólicas levam aos que delas usufruem de mal e pior, promovem insatisfação, desgraças e terríveis sofrimentos evitáveis (vs. 29-35).

A Palavra de Deus é ampla, trata de nosso dia a dia, não apenas de nossa vida na igreja. Deus anseia nosso bem-estar. Quer nossa satisfação. Planeja nossa alegria. Deseja uma família unida para nós. Quantos de nós valorizamos o que Deus valoriza?

Colocar Deus em primeiro lugar em tudo o que fazemos em nossa existência é a essência da verdadeira sabedoria! – Heber Toth Armí

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis