Translate

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O fogo contínuo

Leitura Bíblica  - Levitico 6

O fogo contínuo 
Comentários  Heber Toth Armí

Não há ninguém inocente, mas todos podem beneficiar-se do perdão. A culpa pode ser banida da alma de todo aquele que busca a Deus.

Os primeiros sete versículos deste capítulo aludem ao tema do capítulo anterior. O Senhor lembra a cada pecador que Ele providenciou e aceita uma oferta quando assumimos nossa responsabilidade pelas nossas atitudes, pelo mal que provocamos aos outros, ainda que intencional ou não.

Os versículos seguintes referem-se a leis ritualísticas que os sacerdotes deveriam seguir no quesito ofertas. O pecador não deveria ofertar de qualquer jeito, nem o sacerdote seguir seus próprios critérios de intercessão. Havia...

• A lei do holocausto (vs. 8-13);
• A lei da oferta de manjares (vs. 14-23);
• A lei da oferta pelo pecado (vs. 24-30).

Ampliando mais a visão do conteúdo destes primeiros capítulos de Levítico, observe que os três primeiros capítulos tratam das ofertas queimadas, os capítulos 4 e 5 apresentam-nos ofertas pelas diferentes culpas; então, os capítulos 6 e 7 apresentam aos ofertantes a importância do ritual realizado pelos sacerdotes, assim que a oferta do ofertante.

Estes capítulos estão interligados e não podemos compreendê-los bem sem perceber que tamanha ligação.

Após mostrar que ninguém é inocente, nem mesmo o ignorante, neste livro Deus passa a revelar a necessidade de reparar perante Ele a transgressão contra Seu caráter. E, então, apresenta que sem a ministração sacerdotal, os pecadores jamais poderão ser atendidos no santuário; ou seja, o pecador, indubitavelmente, carece de um intercessor.

Além de reparar erros cometidos contra alguém, nenhum pecado seria realmente reparado sem ser confessado a Deus; pois, no fim das contas, todo pecado resulta de um estado em rebelião contra Deus.

Reflita:
1. O fogo contínuo representa Cristo continuamente diante do Senhor intercedendo pelo pecador que, arrependido, se rende em total consagração ao Criador (vs. 8-13);

2. O ato de sacrificar como o de comer no santuário deveria ser considerado santíssimo aos sacerdotes e Sumo sacerdote (vs. 14-23);

3. O ato do sacerdote comer a carne na qual se transferia o pecado tornava-o portador do pecado de quem fora perdoado, isso fez Cristo ao assumir nosso pecado após viver de forma impecável (vs. 24-30).

Deus deseja que, tanto Seu povo quanto Seus ministros se santifiquem.

Abandonemos o pecado e reavivemo-nos! – Heber Toth Armí 




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis