Translate

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Amós 6 Comentários de Deepati Vara Prasad

Amós 6
Comentários  de  Deepati Vara Prasad

Aqui nos é apresentado um retrato de um povo pecador que não dava importância às advertências divinas. Eles colocam sua confiança em seus altos privilégios (vv.2-3) e seu poder (v.13). Eles estão totalmente viciados em seus prazeres (vv. 4-6). O profeta enfatiza os avisos de Deus destacando a gravidade dos julgamentos que virão sobre eles (v.7). Deus abomina a contínua maldade dos israelitas e não tem outra escolha a não ser abandoná-los aos seus inimigos (vv. 8-11) e trazer desolação e juízos sobre eles, por causa de sua falta de interesse em seguir os Seus caminhos (vv. 12-14).

O profeta lamenta aqueles que em Israel e Judá estão “à vontade”, isto é, no mesmo estado de auto-indulgência e falsa segurança que os levou a colher amargas consequências.

Os líderes de Israel deviam ser modelos de retidão e justiça e também instruir o povo que tinha sido escolhido e comissionado por Deus para proclamar o seu nome perante o mundo. A destruição das cidades prósperas do Calné, Hamate e Gate foi uma ilustração do destino da impenitente Samaria (v.2).

Com a presunção de que não deviam dar conta a ninguém do seu modo ímpio de vida, a classe alta se satisfazia com todos os tipos de prazeres sensuais e delícias. Eles eram escravos de seus apetites e, em vez de serem exemplos de abnegação, achavam que o fato de serem poderosos desculpava sua sensualidade. Até seus móveis eram extravagantes. Nada, a não ser o melhor os satisfazia, como camas de marfim para dormir ou divãs de marfim para se reclinar enquanto comiam, quando o pó e a cinza do arrependimento sobre suas cabeças teria sido mais adequado para eles.

Eles eram preguiçosos e gostavam de ficar à toa. Eles se esticavam sobre os seus leitos, quando deveriam cuidar de seus negócios e ajudando a outros. Eles davam importância ao que era superficial, enquanto muitos de seus irmãos pobres careciam das necessidades mais básicas (vv. 4-6).

Os versos 7-11 prevêem o castigo da nação pelos crimes mencionados. Rejeitados por Deus, eles entrariam em cativeiro e ruína total. Eles seriam levados como prisioneiros e perderiam todos os seus prazeres.

Já seria ruim o suficiente desperdiçar o dinheiro ganho honestamente em luxo e casas suntuosas; mas Israel havia garantido seu luxo e esplendor através da desonestidade, particularmente através da injustiça para com os pobres.

Os versos finais (12-14) revelam a loucura daqueles que pensavam que em sua própria força podiam desafiar o julgamento de Deus e resistir ao inimigo enviado para castigá-los. Eles tinham pervertido a justiça em uma injustiça mortífera e sofreriam todos os terríveis resultados. Qualquer tentativa de escapar do juízo iminente seria inútil.

Que não estejamos seguindo os passos da decadente Israel amando o ganho fácil e o tempo de ociosidade. Que o Senhor nos ajude a usar o nosso tempo para coisas úteis e para ajudar o nosso próximo.

Deepati Vara Prasad
Watchman Publishing House, Índia


http://www.palavraeficaz.com/
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis