Translate

quarta-feira, 30 de abril de 2014

A resposta de Deus- Isaías 65


A resposta de Deus
Aleta Bainbridge

Atingimos os dois últimos capítulos de Isaías e confirmamos que a maravilhosa graça de Deus nunca se esgota. Geração após geração Ele Se revelou para judeus e gentios. Ele é o Grande Eu Sou, mesmo para aqueles que não sabem que Ele existe. A cada dia, “o tempo todo” (v.2 NVI), Ele chama em voz ansiosa a todas as pessoas, de todos os lugares , continuamente: “Eis-me aqui, eis-me aqui” (v. 1b ARA e NVI). Venha!

Deus nunca desistirá de ninguém enquanto houver qualquer vestígio de esperança de que eles responderão ao Seu chamado (v.8). A Grande Rebelião tem as suas sementes na decisão de ser independente de Deus. Para se perder, a pessoa deve fazer uma escolha deliberada contra Deus. “De contínuo” (v. 2 ARA), ela deve escolher adorar falsos deuses (v. 3); deve optar por seguir sua própria própria vontade (v. 3-7; ver tb 66:3,4).

Os “perdidos” bloquearam continuamente a voz do Divino Pastor: “chamei, e não respondestes, falei, e não atendestes” (v.12b; tb 66:4b). Dessa forma, eles cometem o “pecado imperdoável”, o pecado contra o Espírito Santo (63:10a; Mat 12:30-32). Sua decisão é revelada em seu comportamento egoista e hipócrita, sua atitude “sou mais santo do que tu” (v.5 ARA), e no fato de que “suas almas têm prazer em suas práticas detestáveis” (66:3b NVI).

O Divino Pastor promete levar o seu rebanho, Seu remanescente, para pastos verdes – locais seguros de descanso (v. 8-10). Ele promete colocar uma mesa diante deles, na presença de seus inimigos e dar-lhes taças transbordantes de alegria. Em vez disso, eles “escolheram” (v. 12c NVI) colocar suas próprias mesas em adoração aos seus deuses falsos e encher suas taças em honra aos não-deuses Fortuna e Destino (v. 11).

Um novo “céu e terra” se abre para os escolhidos de Deus (v. 17, 22) , Seus servos que O buscam (v. 9, 10).  Deus antecipa uma Terra Santa renovada, com Jerusalém ao centro (66:10-13), a abraçar, em círculos cada vez maiores, a todas as nações do mundo. Torna-se um paraíso onde tudo que é prejudicial foi banido para sempre. É um santuário onde os sonhos mais elevados e acalentados do homem se tornarão tão reais e gloriosos que “as coisas antigas não serão lembradas” (v. 17 NVI). Esta nova ordem inclui todas as delícias que Deus sempre quis dar ao Seu povo: alegria (v.18), plenitude de vida (v.20), segurança (v.21-23a), atividade gratificante (v.22b) , comunhão com Deus (v.23b, 24), e paz (v.25).

Ajuda-nos, Senhor, a escolhermos a Ti e a Teu filho Cristo Jesus a fim de fazermos parte do Teu reino glorioso onde não haverá lembrança das coisas passadas.
Aleta Bainbridge

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/65/                                        

terça-feira, 29 de abril de 2014

“Lembre-se, Senhor”- Isaias 64


“Lembre-se, Senhor”
Aleta Bainbridge

O profeta Isaías, na seção compreendida entre 63:11 a 64:7 do seu livro, lança um olhar retrospectivo para a história de Israel lembrando como Deus fielmente tem guiado o Seu povo (63:13,14) e como, de bom grado, Ele ajuda aqueles que alegremente fazem o certo e obedecem aos Seus caminhos (64:5). O profeta está cheio de admiração pelo caráter de Deus. “Desde os tempos antigos ninguém ouviu, nenhum ouvido percebeu, e olho nenhum viu outro Deus, além de ti, que trabalha para aqueles que nele esperam” (v. 4 NVI; ver tb 1Co 2:9).

Isaías lembra, também, quão teimoso Israel tem sido e se sente mortificado pelo modo como esta nação tem agido para com o seu terno e paciente Deus. “Em Seu amor e em Sua misericórdia Ele os resgatou; foi Ele que sempre os levantou e os conduziu nos dias passados. Apesar disso, eles se revoltaram e entristeceram o Seu Espírito Santo. Por isso Ele Se tornou inimigo deles e lutou pessoalmente contra eles.” (Is 63:9,10 NVI).

A experiência de Israel ilustra a condição moral da humanidade como um todo. “Somos como o impuro [leproso] – todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo [trapos que cobriam o corpo em decomposição do leproso]. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniqüidades nos levam para longe. Não há ninguém que clame pelo teu nome, que se anime a apegar-se a ti…” (Is 64:6-7, NVI).

Então ocorre uma mudança no discurso. O profeta, de repente, intercede em nosso favor. Ele pede para Deus Se lembrar! “Lembre-se, Senhor”, diz ele, “Tu és o nosso Pai. Nós somos o barro; Tu és o oleiro” (v.8 NVI), somos mortais frágeis e mesmo nossos melhores atos não são nada além de “trapo imundo” (v.6 NVI). Por três vezes ele lembra o Senhor: “Tu és nosso Pai” (63:16 a, b; 64:8); lembra também que Ele é nosso criador (v.8) e que Seu nome, desde o início, é “Redentor” (63:16).

Como Moisés, Isaías implora a Deus para não desistir de seu povo, para não esconder Seu rosto deles (v.7), mesmo que seja só por causa do Seu nome e reputação (63:14; 64:10,11).

Quando nos sentimos distantes de Deus, podemos clamar como Isaías: “Não te ires demais, ó Senhor! Não te lembres constantemente das nossas maldades. Olha para nós! Somos o teu povo! … Ficarás calado e nos castigarás além da conta?” (v. 9,12 NVI). Em resposta às nossas humildes súplicas já conhecemos de antemão a promessa de Deus: “Antes de clamarem, eu responderei; enquanto ainda estiverem falando eu os ouvirei” (65:24 NIV). Que conforto e segurança nos traz o amoroso, justo e misericordioso Deus a quem servimos em Sua Palavra!

Aleta Bainbridge
Sydney, Austrália


segunda-feira, 28 de abril de 2014

Consequências x recompensas- Isaías 63


Consequências x recompensas
Pr. Heber Toth Armí

Leia, medite, reflita no livro do profeta Isaías capítulo 63 e observe que, a vitória divina sobre este mundo mal é total, esmagadora e final (vs. 1-6). Com Cristo vence todo aquele que assume completo relacionamento com Ele através do Espírito Santo. 

O Deus justo, irado e vingativo é identificado por Seu povo com as seguintes características: Benignidade, bondade, misericórdia (v. 7). Como entender esse contraste gritante? O fato é que para salvar é preciso eliminar o pecado e, aqueles que, por rebeldia, preferem comprometer-se com o pecado antes que com Cristo. Assim como, para salvar uma criança prestes a ser devorada por um leão ou lobo feroz é necessário matar a fera, Deus precisa aniquilar o mal da Terra. 

Deus sabe quem é Seu povo e o salva (vs. 7-8). Deus fica angustiado com a angústia de Seu povo, portanto, Ele envia Seu anjo para auxiliar em suas lutas (v. 9). Tais coisas acontecem na Terra devido ao amor e paixão dos seres celestiais, pois até o povo de Deus às vezes é rebelde (v. 10). Deus ama a todos, inclusive aos rebeldes; se os rebeldes escolhessem amar a Deus e entregar-se a Ele, certamente seriam salvos. Não se apegue à teimosia e rebeldia, apegue-se a Cristo e teu futuro será esplendoroso, não doloroso.

Quem ignora advertências, sofre consequências; quem ouve as advertências divinas, certamente recebe recompensas. Aqueles que escolhem ignorar e rejeitar Jesus, recebem a condenação que o pecado merece; entretanto, os que aceitam a Jesus e vive Suas orientações, recebem a vida que Ele merecia. Isso porque Ele assumiu a condenação que nós merecemos. 

Um dia essa graça terminará; então, a desgraça reinará no mundo! Quem não for a Cristo pela graça, não irá de forma alguma; assim, quando a porta da graça se fechar ao mundo, só restará desgraça e não haverá nenhuma conversão. O fim será a plena destruição do mal. O sofrimento não leva ninguém a Deus, por isso a necessidade da graça! Decida-se pela graça antes que venha a grande desgraça, ou seja, antes que seja tarde demais! 

Leia com atenção a mensagem descrita pelo profeta Isaías no capítulo 63 de seu livro. Ali aprendi que, independente do que eu faça, “a ternura do teu [de Deus] coração e as tuas [de Deus] misericórdias se detêm para comigo!” (v. 15). O Deus da Bíblia é fiel a despeito de minha infidelidade; entretanto, quando vou a Ele, sou salvo de todas as iniquidades; pois, Ele me liberta de minha pecaminosidade. Eis o poder da graça! Aceite-o como eu aceitei e serás liberto como eu sou livre!

Estudando com atenção Isaías 63 durante algumas horas concluí que este capítulo é muito importante para os cristãos de todas as épocas da história, desde a antiguidade; porém, muito mais para as horas finais da história deste mundo perverso em destruição. Ele fala de julgamento (vs. 1-6) e de salvação (vs. 7-8). E, então, o final do capítulo é uma oração de súplica do povo de Deus que ora é fiel, ora é rebelde; nesta oração:
1. Menciona-se a libertação do jugo egípcio (vs. 10-14);
2. Pede auxílio do Senhor na aflição (vs. 15-19).

Mudança de crença pode até ser considerada mudança de religião, mas nunca ligação com o Deus que salva. O povo de Deus não é perfeito, sem defeito; a diferença em relação aos perdidos é o relacionamento com Deus, não as crenças. 

Após refletir em cada palavra, frase e mensagem de Isaías 63 é preciso parar tudo e orar: 

“Justo, poderoso e bondoso Deus, graças Te dou por Tua misericórdia e bondade. Venho a Ti, após refletir neste capítulo 63 escrito pelo profeta Isaías, Te pedir que me ensines a orar. Sei que as crenças corretas são importantes, mas é o meu relacionamento conTigo que salva; então, não me deixes aprender doutrinas sem viver em íntimo relacionamento conTigo! Preciso de Ti o dia todo, pois sou dependente de Ti. Liberta-me do pecado e auxilia-me em minhas aflições. Amém”.

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos de Gênesis até hoje você encontra em:

domingo, 27 de abril de 2014

A bandeira da vitória - Isaías 62


A bandeira da vitória 
Aleta Bainbridge

Deus tinha planos maravilhosos para Jerusalém. Ele fez promessas incríveis a seu respeito. Jerusalém foi o lugar aonde Ele colocou o Seu Nome; o lugar em que o seu trono de adoração foi estabelecido no Santo dos Santos do templo; o lugar do qual Ele planejava governar as nações.

Quando Israel como nação finalmente rejeitou a Deus e Jerusalém foi destruída (no ano 70 AD), todos os planos e promessas para Jerusalém e Sião passaram a valer para o remanescente final. Os herdeiros são aqueles que aceitam os planos de Deus (Gl 3:29); são os contritos e humildes que tremem diante da Sua Palavra (Is 66:2b). Individualmente e coletivamente, os fiéis se tornaram o templo de Deus – mini-Jerusalens – esplendorosos troféus na mão divina (v. 3). Agora, chamados de “cristãos”, eles estão casados com o Seu noivo ( 61:10) que os ama com o hesed, o amor fiel de um marido (Is 54:5).

Sempre fico profundamente tocada pelas expressões de prazer mútuo e alegria que caracterizam a nossa relação de amor com Deus. Quão terna, quão profunda, quão abrangente é esta união que Deus deseja ter com cada um de nós (Veja por exemplo: Isaías 61:10; Sofonias 3:17). Assim como nós chamamos uma pessoa a quem queremos muito bem de “querido” ou “querida”, Deus chama a sua noiva de nomes hebraicos especiais, Hephzibah (Delícia) e Beulah (Procurada e Casada) .

Assim como Deus colocou Adão e Eva para serem cuidadores de sua nova criação, Deus coloca aqueles a quem Ele ama para vigiar pelo seu novo reino. Deus e Sua “esposa” são um em propósito e atitude. Nosso Marido Celestial não dormita nem dorme (Sl 121:4 ), nem sua “esposa”. Eles estão de plantão dia e noite (v. 7). Na verdade, eles incentivam-se um ao outro até alcançarem seu objetivo mútuo. Os amados de Deus oram sem cessar e são ousados em pedir “grandes coisas”. O objetivo deles e do Senhor é o mesmo: estabelecer “Jerusalém”, como “uma cidade elogiada no mundo todo” (v. 7, NTLH), tornarem-se eles próprios confiáveis e tornarem as igrejas de Deus lugares seguros de adoração para todas as pessoas (v. 8; 56:8)

Devemos seguir em frente, abrir caminhos, instruir as pessoas, remover obstáculos. Devemos levar a todas as nações a bandeira da vitória (v. 10), o padrão de justiça, a bandeira manchada de sangue do Príncipe Emanuel. Então, quando o juízo pré-advento se completar, nosso Salvador voltará, trazendo com Ele a Sua recompensa  (v. 11). Que dia emocionante será esse! Nós, Sua Santa noiva, os remidos do Senhor (v. 12a), finalmente entraremos na cidade celestial (v.12b). A cidade fundada, projetada e construída por Deus (Hb 11:10 Bíblia de Jerusalém ). Entraremos juntamente com todos aqueles que através de todas as eras amaram ao Senhor e ansiaram por Seu aparecimento. Então, ao lado do nosso Noivo celestial, viveremos felizes para sempre! Amém.

Aleta Bainbridge
Sydney, Austrália

                                         

sábado, 26 de abril de 2014

Boas novas- Isaías 61


Lições de Vida
Boas novas
Pr. Heber Toth Armí

As melhores e as mais caras roupas nunca deixarão um pecador vestido decentemente diante do santo Deus onipotente. O que fazer para relacionar-se com Deus? Existe saída, tem solução para o arruinado, miserável e condenado pecador? Sim, tem boas notícias. Abra a tua Bíblia em Isaías 61, estude e em seguida leia este devocional:

 Pregar boas novas aos pobres, restaurar contritos de coração, proclamar liberdade aos cativos, abrir prisão aos presos, apregoar o ano aceitável do Senhor, consolar os tristes, transformar tristezas em alegria e angústia em louvor... Eis o foco do verdadeiro evangelho, primeiramente pregado pelo profeta Isaías, e cumprido em Cristo, o próprio Evangelho (Lucas 4:17-21). 

De acordo com Isaías, o efeito do Evangelho é poderosíssimo; tanto que, os que permitem ser transformados por Ele serão chamados “árvores de justiça, plantação do Senhor...” (v. 3). Onde o evangelho for pregado e aceito, haverá restauração física onde o pecado havia arruinado tudo (vs. 4-5). Os conversos ao Evangelho são chamados “sacerdotes do Senhor, ministros de nosso Deus” (v. 6), os quais se gloriarão no Senhor. 

Como você vai reagir a estas boas notícias? Como você vai responder a um Deus que faz por você o que não mereces? Saia da miséria, aceite o Evangelho, a tua vida jamais será a mesma!

Na conversão ao Evangelho há mudança radical de vida. Deus mesmo promete em Isaías 61 que: “Em lugar de sua vergonha, terão dupla porção, e em lugar de afronta, exultarão na Sua herança; pelo que na sua terra possuirão o dobro, e terão perpétua alegria” (v. 7). O Deus que ama a justiça e odeia o roubo e a iniquidade recompensará grandemente àquele que fizer aliança com Ele (vs. 8-9). 

O livro Mensagem Escolhidas, vol. 1, pág. 394 nos informa que: “A providência tomada é completa, e a justiça de Cristo é colocada ao crédito de toda pessoa crente. As vestes, preciosas e sem mácula, tecidas nos teares do Céu, foram providas para o pecador arrependido e crente, e ele poderá dizer: ‘É grande o meu prazer no Senhor! Regozija-se a minha alma em meu Deus! Pois Ele me vestiu com as vestes de salvação e sobre mim pôs o manto de justiça, qual noivo que adorna a cabeça como um sacerdote, qual noiva se enfeita com joias’ (Is 61:10)”. 

E no livro Testemunhos para a Igreja, Vol. 4, temos a seguinte citação: “A vestidura branca é a pureza de caráter, a justiça de Cristo comunicada ao pecador. Esta é na verdade uma vestidura de textura celestial” (pág. 88). Só aquele que tiver usando as roupas de grife do Céu, poderá entrar lá! Que tipo de roupa você usa?

Como o Senhor Deus age com o pecador que pratica a injustiça se Ele odeia o pecado? Isaías 61 é um texto que revela a profecia do Evangelho. E, o verso 10 revela como funciona o Evangelho:

1. Deus cobre a nudez, a vergonha, as misérias, etc. causadas pelo pecado, com vestes de salvação: Não há como o pecador livrar-se por si mesmo de sua desgraça; então a graça de Deus cobre a imundícia humana. A graça é base da salvação!
2. Deus envolve o pecador com “manto da retidão” que transforma radicalmente sua vida como noivos ficam diferentes no dia do casamento: Há uma mudança tão radical de caráter que o verso 11 destaca que a vida do converso é “como a terra [que] produz os seus renovos, e como o jardim [que] faz brotar o que nele se semeia”. Deus mesmo “fará brotar a retidão e o louvor perante todas as nações”.

Questiono: Será que pessoas que declaram ter aceitado o Evangelho e não revelam transformação de caráter, aceitaram, de fato, ao verdadeiro evangelho? Veja que aceitar o evangelho, não é mudança de crenças, é mudança de vida, devido a um compromisso com Deus. 

É preciso pensar e repensar, e então orar: “Pai, tantos conceitos teóricos do Evangelho existem pelo mundo, pregado em tantas igrejas, mas pelo visto, só agora fui confrontado pelo Teu Evangelho, o verdadeiro Evangelho que restaura o meu relacionamento conTigo e transforma radicalmente minha vida e meu caráter. Desprezo todos os evangelhos falsos para aceitar o verdadeiro. Aceita minha humilde decisão. Em nome do Salvador Jesus Cristo, Teu Filho eu oro. Amém!”
Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:


sexta-feira, 25 de abril de 2014

Maravilhosas promessas-Isaías 60


Lições de Vida
Maravilhosas promessas
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Deus quer iluminar a tua vida, quer te acordar, te inspirar e renovar tuas esperanças. O capítulo para nossa meditação hoje é Isaías 60, o qual introduza com estas poderosas e impactantes palavras: “Levanta-te, e resplandece, pois já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. As trevas cobrem a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor vem surgindo, e a Sua glória se vê sobre ti... Levanta em redor os teus olhos, e vê...” (vs. 1-4). 

Ah, se as pessoas se conectassem com Deus como se conectam as redes sociais! Elas seriam mais bem-aventuradas, mais felizes e menos estressadas. Se todos dedicassem e apegassem mais à Palavra de Deus, certamente seriam mais calmos, esperançosos e confiantes. As promessas de Deus atuam profundamente na vida daqueles que as aguardam. 

O capítulo em questão descreve a reversão que dentro em breve Deus fará com este mundo que, após tanta luz e oportunidades, preferiu viver na escuridão, nas trevas do pecado. Dedique-se a examinar com atenção, carinho e reflexão; tire preciosas lições para tua vida e não se esqueça de seguir cada uma das aplicações extraordinárias encontradas nele. Deus quer que sejas feliz (vs. 5-22). Experimente ser feliz do ponto de vista divino, e tua resposta a Ele será expressa através de um hino!

Vamos refletir, meditar e aplicar à vida promessas inspiradoras que renovam a alma e alegram o coração? Leia Isaías 60. Esse capítulo é profético, o qual apresenta:

1. Deus mesmo tomará providências de resolver o problema do mal no mundo (vs. 1-3); para os justos, uma promessa positiva.

2. Aqueles que amaram a Deus e aceitaram a luz da verdade, serão reunidos e prostrarão perante o Santo de Israel (vs. 4-14); em contrapartida, os incrédulos e opressores serão castigados (vs. 12-14). Para os justos, outra promessa positiva.

3. A glória de Deus substituirá a luz do sol, a qual iluminará a todo ser vivente como fonte da vida, após a destruição dos rebeldes, perversos e injustos (vs. 19-21). Para os justos, mais uma promessa positiva (v. 22).

Enquanto as promessas não se concretizam, aos que vive nas cloacas desta vida, Deus os incentiva. Pois, Ele quer um povo animado, desperto, disposto, preparado e reavivado (vs. 1-4). Por isso, Ele se dispõe a reavivar a cada membro de Seu povo. Você aceita ser reavivado(a) no dia de hoje pelo próprio Deus? Diga isso a Ele em oração!

O foco das maravilhosas promessas descritas em Isaías 60 é a cidade de Jerusalém, primeiramente terrestre, mas abrange a Jerusalém celeste na visão apocalíptica. Como não foi possível cumprir estas promessas em Jerusalém terrestre, devido a ser uma profecia clássica, condicional, e o povo falhou, Deus cumprirá de forma total reunindo os salvos de todo o mundo para conduzi-lo com alegria à Jerusalém celestial. 

Nesse dia os salvos conhecerão pessoalmente ao Senhor, Salvador, Redentor e Poderoso de Jacó (v. 16). Assim, os salvos irão à “Terra do nunca”:

1. Nunca mais violência, desolação ou destruição (v. 18);

2. Nunca mais a necessidade de sol e lua, pois só a presença de Deus já basta (v. 19-20);

3. Nunca mais injustos, perversos e opressores (v. 21).

Enquanto o ditado popular prega: "Nunca diga nunca", Deus apresenta a "Terra do nunca". Após prometer tudo isso, Deus mesmo declara: “Eu sou o Senhor; a seu tempo farei isso prontamente”. 

Prepare-se, Ele virá! E agora é hora de você declarar a Deus, você topa: “Meu Deus, do mais profundo do meu coração Te agradeço pelas promessas verdadeiras, que renovam minhas forças neste mundo em trevas de tanto pecado. Confio inteiramente em Ti, portanto, decido viver cada uma de Tuas promessas em cada segundo de vida que me dás. Por isso, aguardo ansiosamente o dia em que as promessas deixarão de existir, pois todas serão realidades. Em Teu nome, amém!”

Curta e compartilhe:


quinta-feira, 24 de abril de 2014

Más notícias X Boas notícias -- Isaías 59



Más notícias  X Boas notícias 
 Aleta Bainbridge

Este capítulo é composto de duas seções: as más notícias e as boas notícias.

Primeiro, vamos às más notícias: Todos nós somos pecadores, culpados de quebrar a lei de Deus. Isaías fala acerca da enorme força que o pecado exerce sobre nós e da devastação que ele causa em nossos relacionamentos, especialmente nosso relacionamento com Deus. O pecado nos separa do Criador (v. 1-3).

Ao longo dos tempos os seres humanos têm tentado encobrir seus pecados sob o disfarce de rituais religiosos. Antes que possamos apreciar a Salvação, responder a ela, ansiar por ela, temos de perceber como o pecado é horrível. Isaías 59 retira a máscara para revelar a maldade insidiosa e desesperada do coração humano.

No entanto, vemos neste capítulo dois grupos de pecadores. O que os torna diferentes?

As pessoas descritas nos versos 4-8 são aqueles que rejeitam a Deus desafiadoramente. O profeta de Deus se afasta deles. São aqueles cujos pecados intencionais se endureceram em maldade. Eles não tem paz (v. 8).

Por outro lado, vemos um grupo de pessoas que reconhecem que são pecadores mas se entristecem por causa disso. Isaías se inclui no segundo grupo, assim como Esdras e Daniel o fizeram. “… buscamos claridade, mas andamos em sombras …, tateamos como quem não tem olhos … são muitas as nossas transgressões diante de ti, e os nossos pecados testemunham contra nós“ (v. 9-12a NVI). Não há, aqui, justiça própria ou negação da verdade. Eles pararam de fingir e admitem: “Não temos sido fiéis, temos nos revoltado contra ti e nos afastado de ti, o nosso Deus. Temos falado de crimes e de revoltas e temos feito planos para enganar os outros” (v. 13 NTLH).

Agora, as boas novas: para estes é estendida a promessa de Jesus: “Bem-aventurados os que choram” por seus pecados “porque serão consolados” (Mt 5:4 ARA).

Existe justiça nessa terra? O veredito do “Justo Juiz da Terra” é: “Não!” E temos que concordar! Não é preciso viver muito tempo neste planeta para percebermos que a vida não é justa. Quatro vezes neste capítulo (v. 4, 9,11,14), e muitas vezes ao longo do livro, Isaías lamenta este fato: a sociedade não tem mispat. Esta palavra hebraica para a justiça representa o modo como as coisas deveriam ser em uma sociedade governada por Deus e obediente à Sua Lei do Amor – o modo como Ele na criação planejou que as coisas fossem. A desobediência resulta num espírito de ilegalidade, de falta de justiça, de separação de Deus (e dos outros) que é representado por palavras como revolta, iniquidade, transgressão e pecado.

Deus fica consternado, cheio de fúria divina, quando vê o estado do homem nas garras deste inimigo cruel chamado pecado; quando vê a luta agonizante que Seus filhos têm consigo mesmos. Ele decide então ajudar a humanidade a qualquer custo (v. 15b, 16). Nosso Poderoso Guerreiro vem pessoalmente em nosso socorro. Ele usa a arma mais drástica e poderosa de todas – o amor! Na forma do Servo Sofredor que usa sua própria armadura (v.17; Ef 6:10-18), Ele vence de forma surpreendente: ele próprio fornece justiça e salvação para o livramento de Seu povo, restabelece a justiça e a misericórdia como o fundamento de Seu trono e com vingança e zelo castiga e destrói o mal (v. 17, 18).

Louvai ao Senhor, todos os povos reverenciem o Seu nome para sempre (v.19)! A aliança de Deus com o homem é eterna. Sua intervenção e envolvimento com os assuntos dos homens nunca cessam. Em todas as épocas Deus tem pessoas guiadas pelo Espírito, que proclamam a sua palavra (v.21). Com Deus, a libertação nunca será apenas uma coisa do passado; Sua maior intervenção ainda está por vir quando Ele exterminará o mal completamente e dará início ao seu reino de glória.
Aleta Bainbridge
Sydney, Austrália

                                                

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O verdadeiro jejum- Isaias 58


O verdadeiro jejum
Aleta Bainbridge

Nesse capítulo a ordem urgente de Deus para Isaías é: “Grite alto, não se contenha! Levante a voz como trombeta.” (v. 1 NVI). Deus está advertindo o Seu povo do perigo e chamando-o ao verdadeiro jejum.

Deus deu a Israel muitos rituais como um meio de preparar seus corações para a Sua obra de torná-los santos. O templo e seus serviços eram um retrato audiovisual do Plano de Salvação de Deus. Os dias de jejum eram solenes e impressivos e produziam uma elevação na condição espiritual do povo.

Infelizmente os filhos de Israel com frequência  valorizavam mais a pompa do templo e o fato de serem descendentes de Abraão do que o privilégio de se relacionarem com Deus e O obedecerem de coração. Tal como acontece com a Igreja de Laodicéia, a conformidade exterior às leis de Deus levou o povo a acreditar que Deus estava obrigado a abençoá-los a despeito de seus pecados. Isto se reflete na avaliação recebida: infeliz, miserável, cego e nu (Apoc. 3:17).

A advertência de Deus vale tanto para o Seu povo daquela época quanto para o de hoje. O ‘jejum’ e o culto feitos pelos motivos errados podem parecer uma coisa boa, mas confundem a verdadeira adoração com a falsa adoração. O resultado é um comportamento destrutivo: lutas pelo poder dentro da igreja, disputas teológicas, tensões internas e negligência de cuidar dos necessitados e de cumprir a missão evangélica. Tudo isso feito em nome de Deus (v. 1b-5)!

O “verdadeiro jejum”, a adoração que agrada a Deus, se revela na maneira como tratamos os outros (v. 6-12). É marcado pelo arrependimento genuíno e por vidas transformadas. As pessoas param de brigar e de explorar os fracos. A auto-indulgência e a ganância são substituídas por generosidade de espírito e pelo cuidado dos pobres e dos que sofrem.

Vidas generosas como essas agradam a Deus e liberam as bênçãos que Ele está ansioso para conceder. As 10 bênçãos mencionadas nos versos 8, 9, 10b e 11 são todas uma concretização das bênçãos da aliança que os filhos de Deus anseiam receber.

Quando procedemos assim tornamo-nos canais através dos quais as bênçãos da aliança de Deus fluem para os outros. Tornamo-nos locais de descanso e fontes de água para almas cansadas e sedentas. Tornamo-nos restauradores de vidas quebradas. O amor de Deus revelado em nossas vidas atrai o coração das pessoas para os caminhos antigos da verdadeira adoração e restaura a confiança em Deus e Suas leis.

O verdadeiro jejum é acima de tudo manter um relacionamento correto com Deus e com o próximo não apenas por obrigação, mas com alegria. Isaías destaca como a correta observância do sábado favorece essa experiência de regozijo no relacionamento com Deus que nos leva a tratar bem ao nosso irmão.

O descanso sabático é muito mais do que obedecer a letra da lei. Envolve entrega total a Deus e completa confiança em Sua obra por nós como Criador e Redentor. Os adoradores que experimentam essa dimensão espiritual do sábado desfrutam de intimidade com Deus e alcançam vitórias sobre suas falhas de caráter. Além disso, por viverem numa atmosfera de paz e felicidade, desfrutam de relacionamentos agradáveis uns com os outros. O descanso sabático faz parte do verdadeiro jejum espiritual.

Senhor, ensina-me a praticar o jejum que te agrada!
Aleta Bainbridge
                                            

terça-feira, 22 de abril de 2014

Em busca de paz?-Isaías 57


Em busca de paz?
Pr. Heber Toth Armí

Ao refletir atentamente hoje em Isaías 57 percebi que ele revela detalhes do íntimo da alma humana. Vale a pena conferir comigo o que aprendi, pois é surpreendente o que revela o profeta Isaías. É fato que existem pessoas que vivem desesperadamente, sem paz de espírito, sem sossego no coração e com a mente agitada. Embora se luta tanto por paz e trabalha demasiadamente por tranquilidade, parece mais distante desta feliz realidade. Isaías fornece respostas à alma desesperada: Veja por que muitos não têm paz e como obtê-la.

1. Há pessoas boas (piedosas) que são arrebatadas pela perseguição; mas Deus livra o justo deste mundo em destruição (vs. 1-2).
2. Há pessoas que nunca aprendem o que é certo, nem mesmo após sábia correção abandonam a transgressão (vs. 3-6).
3. Há pessoas que trocam a Palavra de Deus (Bíblia) pela cultura, tradição e práticas religiosas incorretas (vs. 7-10).
4. Há pessoas que diante de Deus são desobedientes como crianças rebeldes, birrentas; são ímpias (vs. 14-21).
Continue aprofundando-se nestes pontos de verdades absolutas que fazem a diferença em tua alma, vale a pena!

Concluindo sua revelação profética do capitulo 57, Isaías declara que o justo fiel encontra descanso, mas para os perversos não há paz. A vida real mostra esse fato bíblico. Cabe saber quem são os perversos; assim identificamos se somos ou não, e então, mudamos de vida para ter paz no coração. Os perversos são:

1. Pessoas que desprezam regras e mandamentos bíblicos;
2. Pessoas incrédulas e descrentes, que ignoram a fé bíblica;
3. Pessoas que praticam o mal, a imoralidade e a perversidade.

Nosso estilo de vida afasta ou atrai paz ao coração. A impaciência é consequência de um viver baseado no que parece certo, mas não é. Tomando a direção errada e o destino da destruição os pecadores:

1. Vivem agitados em busca de paz sem nunca encontrá-la;
2. São inquietos como o mar até se esgotarem exaustos, decepcionados;
3. Estão sempre insatisfeitos, insaciáveis, procurando emoções cada vez mais fortes.

Quem vive no pecado vive na lama do desespero, da aflição e da angústia; o desesperado precisa levantar a cabeça e buscar ajuda do alto, deve olhar para a cruz de Cristo no Monte Calvário.

Jesus, o Príncipe da paz, não está presente na vida de muita gente. É por isso que muita gente fuma, bebe, dança, se droga, busca sexo, joga, trabalha demais, ambiciona, busca diplomas e melhores empregos/salários, etc., etc. Leia com atenção o texto inspirado do profeta Isaías, no capítulo 57 de seu sagrado livro. O que as pessoas agitadas precisam saber é que se querem paz, devem:

1. Buscar satisfação em Deus que restaura vidas;
2. Buscar ao Deus que é autor da paz;
3. Buscar socorro em Cristo, o qual liberta da lama do pecado.

Só a paz da presença constante de Jesus é que satisfaz a alma humana. Esse é o único meio de obter paz, não perca tempo em outros caminhos. Paz, tranquilidade e satisfação só tem aquele que tem Cristo no coração. Aceite-O! Você está disposto a orar por isso? 

"Senhor, Tu és o Príncipe da paz, que a minha alma satisfaz. Sempre corri de um lado para outro procurando prazer, sucesso, fama, riquezas e coisas tentando satisfazer-me, mas agora sei que só encontrarei descanso para o coração se depuser minha vida em Tuas mãos. Aceita o meu coração e torne minha vida bem melhor que a alegria de uma criança num parque de diversões. Aceito viver a Tua vontade, sempre. Aceito a Tua paz, ela me satisfaz. Amém!"
Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:



segunda-feira, 21 de abril de 2014

Comprometa-se com Deus- Isaías 56

Comprometa-se com Deus
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Vamos estudar a Bíblia? Vamos alimentar nossa alma? Leia a mensagem de Isaías 56. Comentando os versos 1 a 8 David S. Dockery diz: “Antecipando-se à era vindoura de salvação divina, seu povo devia promover a justiça [...]. 

Sem exceção, todos os que demonstrassem lealdade a Deus, guardando seus mandamentos, provariam suas bênçãos e desfrutariam acesso a sua presença...”. Como Deus não faz acepção de pessoas, os eunucos (indivíduos emasculados) poderiam ter esperança nas promessas e bênçãos divinas. 

“Estes estrangeiros são caracterizados” – explica S. J. Schwantes, “pelo fato de abraçarem a aliança que unia Deus a Seu povo. O termo ‘aliança’ neste contexto é praticamente sinônimo da ‘verdadeira religião’. 

Etimologicamente falando, religião é aquilo que liga, ou religa, o homem a Deus”. Enfim, religião verdadeira é relacionamento com o Deus verdadeiro. A casa do Senhor (o Templo), deveria estar aberta a todos; e, a aliança de compromisso com Deus (o sábado), não é exclusividade israelita. As bênçãos divinas aos israelitas deveriam espalhar-se por todo o mundo, segundo os planos de Deus: “Ainda ajuntarei outros aos que já se ajuntaram” (v. 08). Ajunte-se ao povo de Deus!

Podemos aprender sobre comprometimento com Deus meditando nas palavras inspiradas do profeta Isaías, no capítulo 56 de seu livro. Eu não sou judeu etnicamente falando, mas posso ser tão abençoado quanto os judeus. As bênçãos do sábado e da aliança com Deus não são exclusivas aos judeus, eu também posso beneficiar-me com precisas bênçãos dos Céus ao aceitar e guarda do sábado do Senhor Deus, o Criador. 

Há líderes religiosos atualmente tão irresponsáveis quanto aos atalaias, guias espirituais do antigo povo de Deus. Assim, há líderes espirituais atuais que são guias cegos, ambiciosos, glutões e falsos que não ensinam a verdade do verdadeiro Deus às pessoas (vs. 9-12). Entretanto, você precisa saber o que eu aprendi estudando Isaías 56 para não perder as bênçãos que os falsos pastores, comparados a cães gordos e preguiçosos, sem discernimento espiritual, ignoram... 

Comprometa-se com Deus, use a aliança de compromisso que Ele te oferece e serás ricamente abençoado. Pois, pouco antes de voltar do exílio, interessados na fé judaica revelaram desejo de seguir ao Deus verdadeiro; isso também acontecerá antes da libertação deste mundo, antes da volta de Jesus. Da mesma forma que a guarda do sábado caracterizou os prosélitos que amavam ao Senhor, será o sinal de aliança e compromisso quando a obrigação da guarda do domingo estiver em voga no tempo do fim.

Após refletir em cada um dos doze versos de Isaías 56 interessei-me pelo final do capítulo. Nos versos 9 a 12, o profeta Isaías usa três figuras para ilustrar líderes espirituais do povo escolhido (Israel): Atalaias cegos, cães gulosos e preguiçosos e, pastores irresponsáveis. 

Os responsáveis para alertar, indicar os sinais e guiar pessoas ao plano divino eram displicentes, irreverentes e irresponsáveis; por isso, foi preciso o próprio Deus entrar em cena, permitir que Seu povo fosse ao exílio, libertá-lo e impressionar aos estrangeiros. Assim, as aplicações gerais para a vida atual são:

1. Antes que dar atenção a líderes cegos, é preciso praticar a justiça, viver piedosamente, observar o sábado e afastar-se do pecado pois a salvação está prestes e ser revelada (vs. 1-2, 9-12);

2. Ninguém, estrangeiro ou mutilado, está excluído das bênçãos divinas; as bênçãos do sábado nunca foram exclusivas aos judeus (vs. 3-8).

Que Deus te abençoe ricamente ao relacionar-te com Ele. Vamos orar? “Pai querido, Te louvo por Teu plano de Salvação, o qual se aproxima de sua conclusão. Agradeço porque mesmo que Teu antigo povo não cumpriu com a missão de pregar as Tuas bênçãos a todo o mundo, elas me alcançaram aqui onde estou, mesmo eu não sendo judeu. Toma conta do meu coração, tome as rédeas de minha vida. Assumo um compromisso conTigo. Não me deixe sem as graças do sábado, pois serei sempre fiel a Ti. Em nome de Jesus, amém!”

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

domingo, 20 de abril de 2014

Convites VIPs- Isaías 55


Convites VIPs
Pr. Heber Toth Armí

Leia a Bíblia e veja que, mais uma vez, Isaías 55 nos mostra que a essência da verdadeira religião é mais do que conhecimento de doutrina, é relacionamento intenso com Deus. Por isso, Jon L. Dybdahl observa: “O cristianismo que tem prevalecido na igreja do mundo ocidental se inclinou muito para o lado da explicação intelectual cognitiva”. Sendo que o anseio de Deus é por relacionar-se, não confundamos “encher a mente de informações teológicas” com buscar a Deus. O cristianismo pregado por muitos “é intelectual, frio, chato, sem importância”, complementa Dybdahl. 

Por isso, precisamos voltar-nos à Bíblia, onde encontramos convites apaixonados, envolventes e extraordinários de Deus a nós. Convites estes que, se forem aceitos, trarão grandes efeitos sobre nossos defeitos: alegria e harmonia. Claro que, independente de tua situação, podes aceitar todos esses convites e viver esperançoso e feliz. Deus não quer a tua tristeza, Ele quer a tua alegria. Deus não quer a tua destruição, Ele quer a tua restauração. Deus não quer a tua perdição, Ele quer a tua salvação. E você, o que quer?

Você receberá hoje vários convites VIPs. Quando você recebe um convite especial, como te sentes? Que tal um convite mais que especial, vindo do Céu? Como você reage diante do capítulo mais cheio de convites de Deus a você? Veja quantos convites mais que especiais em Isaías 55:

1. Deus oferece convite a saciar a sede da tua alma (v. 1).
2. Deus te convida a aceitar Seu perdão que resulta em salvação (vs. 2, 7).
3. Deus convida você a experimentar o melhor da vida (v. 3).
4. Deus te oferece convite para obter o verdadeiro sucesso (vs. 4-5).
5. Deus te convida a um encontro pessoal bem íntimo (v. 6).
6. Deus convida você a abandonar todo pecado (v. 7).
7. Deus anseia que você O conheça melhor (vs. 8-9).
8. Deus quer que você conheça mais a Sua Palavra (vs. 10-11).
9. Deus quer que você deseje morar com Ele num novo lar (vs. 12-13).

Claro que você pode rejeitar todos estes convites; porém “A mensagem de perdão e esperança é anunciada de modo definitivo, para todos [...]. A reação favorável a esse gracioso convite traz vida e bem-aventurança. Quando o iníquo abandonar seu caminho e o injusto seus pensamentos, poderão desfrutar da misericórdia do Senhor e obter o perdão de Deus, porquanto a morte do Filho de Deus proveu expiação. A salvação é oferecida àquele que se voltar para Deus, abandonando seus caminhos pecaminosos”, explica Samuel J. Shultz.

Vivemos num grande exílio neste mundo, como os judeus viveram em Babilônia. Isaías 55 fala de uma volta para Deus, que resulta em libertação do exílio, a qual prefigura a libertação dos fiéis deste mundo de pecado. Assim, tal retorno no final do capítulo prefigura a vitória escatológica sobre as potentes forças do mal. Essa vitória é retratada resumidamente, mas em Apocalipse é ampliada. Ali nos é revelado que a redenção do Universo da opressão causada pelo diabo, se efetuará no final do milênio. 

Por isso, o profeta Isaías encerra o capítulo 55 de seu livro revelando que,

1. Pessoas do mundo inteiro buscarão a Deus;
2. Todos serão incontaminados e glorificados;
3. Tanto judeus quanto gentios serão transformados por Deus;
4. Haverá reconhecimento total da grandiosidade divina em relação à humanidade;
5. Deus operará por meio do poder de Sua palavra recriando Sua criação arruinada pelo pecado;
6. Na recriação da natureza não haverá espinhos nem ervas daninhas; e,
7. Alegria e paz reinarão eternamente resultando em harmonia entre todas as pessoas.

ORAÇÃO: "Senhor, após refletir nisso, anseio ardentemente por este dia; prometo participar ativamente de Teus planos aceitando todos os convites VIPs que me fazes em Isaías 55. Que eu esteja sempre focando o aspecto correto da religião, relacionamento conTigo. Não me deixes perder o foco, nunca! Fortaleça e revigore a minha débil fé em Tuas sublimes promessas. Esteja sempre comigo para me guiar. Amém!"

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:


Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis