Translate

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Existe Perdão- Salmos 85:10

Meditação Diária
Existe Perdão
Alejandro Bullon

Encontraram-se a graça e a verdade, a justiça e a paz se beijaram. Sal. 85:10.

O martelo da culpa é cruel. Crucifica você no madeiro de sua própria história. Os pregos das lembranças paralisam sua vida. As pessoas passam e você fica imobilizado. Como se a derrota fosse a autopunição que “merece”.

Quando a culpa não o perturba pode ser mais perigoso. O cinismo é fatal. É o abismo sem fundo de onde não existe retorno. É o ponto final de qualquer história.

O Salmo 85 é a visão do salmista da maneira como Deus lida com o problema da culpa do ser humano. Este salmo fala do Calvário. Ali, numa inglória cruz, encontraram-se a graça e a verdade e se beijaram a justiça e a paz.

Ao andar nos seus próprios caminhos, a criatura escolheu voluntariamente o caminho da morte. Não havia esperança na sua triste existência. O princípio universal da justiça estabelecia a consequência natural de sua escolha: morte. Esta é uma verdade inquestionável. Não é castigo divino. É fato. Realidade lógica. A criatura rebelde tinha perdido o direito à vida. Era justo. A justiça e a verdade estão unidas em seu veredicto: morte. Mas no Calvário a justiça não se encontra com a verdade, mas com a graça. O que é graça? É uma dádiva. Você não merece. Ninguém merece. A justiça demanda que o homem morra. Mas quem morre é Jesus e, pela graça, outorga a salvação ao homem.

A verdade é que a criatura pecou e merece morrer. Na cruz, essa verdade se beija com a paz. O homem aceita o perdão divino. E, embora seja verdade que ele pecou, experimenta paz porque Jesus morreu no seu lugar. Sua culpa foi expiada. O preço de sua rebeldia foi pago, seu pecado foi perdoado. Não pretenda entender. Apenas aceite.

Não mais noites de insônia. Não mais culpa, nem desespero, nem vontade de morrer. Um novo dia amanhece na sua vida. O Senhor lhe entrega uma página em branco para escrever uma nova história.


Parta hoje para uma nova experiência. Quando o martelo da culpa bater no seu coração, quando a consciência gritar: “culpado”, e a história dos seus erros o atormentar, olhe para a cruz do Calvário, onde “encontraram-se a graça e a verdade, a justiça e a paz se beijaram”.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Necessidade de Deus- Salmos 84

Meditação Diária
Necessidade de Deus
Alejandro Bullón

A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne exultam pelo Deus vivo! Sal. 84:2.

Existe no coração humano uma necessidade instintiva de Deus. Não tem explicação. Poderia ser simplesmente saudade do Criador. Porém, é mais do que isso. É um vazio que dói. É carência, falta. É como a necessidade que o pulmão tem do oxigênio. Davi expressa: “A minha alma suspira e desfalece.” É saudade, nostalgia, procura incessante. Sede de alma. Fome do coração.

Não depende daquilo que você acredita ou não. Pode não ser lógico, mas é real. É fato. Esta aí presente, no dia-a-dia do transitar humano.

O milionário sem Deus se pergunta: O que me falta? Nada. Sobra. Sobra orgulho, prepotência e soberba. O coração está cheio de si. Não existe lugar para Deus, e o vazio dói, perturba e angustia.

O artista famoso indaga: Por que não sou feliz? Porque felicidade não é simplesmente algo, é uma pessoa. “Eu sou o caminho”, disse Jesus. Ah, ser humano vazio e incoerente! Tentando ser feliz, procura o que o machuca, busca o que o destrói, rejeita o caminho da simplicidade. Complica a vida com filosofias que alimentam o ego, e matam de sede seu espírito carente.

No salmo de hoje, o poeta compara o homem que reconhece sua necessidade de Deus e O busca, com o pardal que encontrou sua casa e a andorinha que achou seu ninho e acolhe com carinho os seus filhotes. (Sal. 84:3.) Pode haver uma figura mais expressiva para ilustrar a felicidade? Você e seus amados, protegidos no ninho de Deus. Cuidados por Ele, seguros nEle, sustentados por Ele.

Hoje é um dia de decisão. Todo dia é. Para mudar o rumo de sua existência. Para reconhecer que você é criatura. Para olhar com otimismo o horizonte de novos desafios, a despeito dos dramas que você está vivendo. Hoje é o seu dia. Dia de renascimento, de ressurgimento, dia para sacudir a poeira dos pés e enfrentar a longa caminhada que o levará ao pico da montanha que se apresenta desafiante diante de você.

Mas, para que tudo isso aconteça, você precisa dizer como o salmista: “A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne exultam pelo Deus vivo!”

terça-feira, 29 de outubro de 2013

És O Altíssimo - Salmos 83


Meditação Diária

És O Altíssimo
Alejandro Bullón

E reconhecerão que só Tu, cujo nome é Senhor, és o Altíssimo sobre toda a Terra. Sal. 83:18.

Quando o médico lhe deu a notícia de que seu pequeno filho estava condenado à morte, a primeira reação de Alberto foi de revolta. Mas revoltar-se contra quem? Contra a ciência, que não podia fazer nada para curar a leucemia que estava acabando com a curta existência de seu único filho? Contra ele mesmo e a esposa que não perceberam os primeiros sintomas da doença fatal? Ou contra Deus? Não, contra Deus não poderia. 
Ele não acreditava na existência de um ser supremo. O seu coração e a sua mente estavam cheios de idéias existencialistas e sentimentos de superioridade diante da esposa que “era capaz de acreditar numa ideia tão superada como Deus.”

Alguma vez você se sentiu insignificante e impotente diante de circunstâncias adversas? O que faz quando todos os recursos humanos falham? Aonde ir quando a ciência, a tecnologia e até o racionalismo humanista gritam: Impossível!

Se você viveu um momento assim, talvez consiga entender como Alberto se sentia. Os dias se passaram. Lentos, agonizantes, implacáveis e cruéis. O tempo, que na maioria das vezes simboliza esperança, era para Alberto o processo doloroso de ver seu querido filho se apagando como uma vela cuja cera está no fim. A fé e a confiança que a esposa depositava em Deus em meio à dor, eram ofensivas para o marido incrédulo.

Um dia cinzento do mês de outubro, ele viu os olhinhos tristes do filho amado, como dizendo adeus. Alberto não aguentou mais e caiu ajoelhado perto da cama e, pela primeira vez, clamou pela misericórdia de um Deus em cuja existência nunca acreditara. E o milagre aconteceu! Médico nenhum foi capaz de explicar a recuperação rápida do garoto, nem a cura posterior. Hoje, Alberto louva o nome de Deus ao lado da esposa e do filho.


As coisas com Deus são assim. Sua existência e poder não dependem de eu crer ou não. Ele está acima dos preconceitos, dúvidas ou incredulidade da criatura. Ele é Deus. Se as pessoas creem  muito bom. Se não, um dia “reconhecerão que só Tu, cujo nome é Senhor, és o Altíssimo sobre toda a Terra”.

DEUS em silêncio? Salmo 83.1

Meditação Diária

DEUS em silêncio?
Pr. Ezequias Costa

 “Ó DEUS, não fiques em silêncio.Não feches os ouvidos, nem fiques impassível ao nosso clamor.” – Salmo 83.1

Como é possível o SENHOR não ouvir o nosso clamor? Já declaradas vezes temos aprendido através dos ensinos no livro de Salmos que o SENHOR inclina os SEUS ouvidos para nós, para ouvir nosso clamor…

O que pode fechar os ouvidos do SENHOR ao nosso clamor? Vamos visitar o livro das profecias de Isaías. Lá temos informações que vão esclarecer as nossas mentes angustiadas:

“Quando vocês levantarem as mãos para orar, EU não olharei para vocês. Ainda que orem muito EU não os ouvirei, pois os seus pecados mancharam seus corações.” – Isaías 1.15

Entao é isso: nossos pecados impedem o nosso DEUS de ouvir nossas orações. SEUS Santos ouvidos se fecham ao nosso clamor. Por isso, muitas vezes, temos a sensação de que nossas orações não ultrapassam o teto do lugar onde estamos.

E o profeta Isaias continua:

“Lavem-se e purifiquem-se. Que EU não mais veja vocês praticarem todas as suas maldades; aprendam a prática do Bem; aprendam a ser justos, a ajudar os oprimidos, os órfãos e as viúvas. Venham então ter comigo econversemos.” Isaías 1.16-18

Amado, amada, pare agora mesmo o que você está fazendo e levante sua oração ao SENHOR e peça que ELE lave e purifique sua vida. Aprendemos em 1 João 1.7: “O sangue de Jesus Cristo, SEU Filho, nos limpa de TODO pecado”, não é mesmo?

Não é exatamente o que o SENHOR nos propõe, através do profeta Isaías? “Venham aqui, cheguem perto, vamos conversar, vamos discutir esse assunto?”

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Socorra o fraco- Salmos 82:5

Meditação Diária
Socorra o fraco
Alejandro Bullón

Socorrei o fraco e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios. Sal. 82:4.

Aquela madrugada gelada de janeiro se tornaria inesquecível na minha vida. Era um dos invernos mais frios nos Estados Unidos. Nevada em Dallas, o que é muito raro. A temperatura estava abaixo de zero. Quase congelado, eu esperava que Deus enviasse alguém para me socorrer. Ao longe, vi a luz de um veículo que se aproximava. Era um caminhão. O motorista foi gentil. 

Rebocou o meu carro até um posto de gasolina. Ao despedir-me, agradeci: “Muito obrigado. Você literalmente salvou a minha vida. Não imagina o bem que me fez.”

“Bem a você? Nada”, respondeu ele. “Você não imagina o bem que isso fez a mim mesmo.”

Nunca esqueci aquelas palavras. E hoje, ao comentar este provérbio, a primeira coisa que veio à minha mente foi a lembrança daquele desconhecido e sua estranha maneira de ver a vida.

Cada vez que você ajuda alguém, a primeira pessoa a ser beneficiada é você mesma. Qualquer tempo, aparentemente perdido fazendo o bem, é tempo ganho.

Quando Deus diz: “Socorrei o fraco e o necessitado”, não está colocando diante de nós uma norma de bom comportamento. Está mostrando uma maneira de ser feliz. Fazer o bem traz paz ao coração. Muitos psicanalistas levam as pessoas a pensarem menos em si mesmas e mais em ajudar o próximo, como um meio de acalmar a ansiedade.

Atos de crueldade só trazem tormento ao coração. Angústia, desespero, vazio, e solidão são sintomas de que algo está errado no interior do ser humano.

Jesus deseja acalmar a ansiedade. Um dos instrumentos para isso é o próprio ato de bondade de Seus filhos. Esse é o caminho para conduzi-los a dimensões da vida que não conheceriam de outro modo.


Abra hoje o coração a Jesus. Permita que Ele habite em você. Saia para cumprir seus compromissos. Tenha certeza de que Jesus está no controle dos seus sentimentos, pensamentos e atos. Vá com os olhos dispostos a enxergar a necessidade alheia. Isso diminuirá a tristeza e a ansiedade. Ao longo do dia, lembre-se da advertência divina: “Socorrei o fraco e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios.”

domingo, 27 de outubro de 2013

Se... Salmos 81:6

Meditação Diária

SE...
Alejandro Bullón

Eu o sustentaria com o trigo mais fino e o saciaria  com o mel que escorre da rocha. Sal. 81:16.

O verso de hoje apresenta dois verbos no modo condicional: “sustentaria” e “saciaria”. Essas são promessas que expressam segurança e plenitude, mas requerem uma condição. A condição é: “Ouve, povo Meu, quero exortar-te. Ó Israel, se Me escutasses!” Verso 8. As exortações divinas não têm como propósito fazer da vida um fardo. O objetivo é sustentá-lo e saciá-lo.

Quem é louco para não seguir o caminho que lhe fará bem? E, no entanto, olhe a queixa divina: “O Meu povo não Me quis escutar a voz, e Israel não Me atendeu.” Verso 11.

Todos os dias precisamos decidir se ouviremos a voz de Deus ou seguiremos os próprios instintos. O Senhor aconselha seguir o caminho que levará à segurança e à plenitude. Mas não obriga. Deixa a liberdade de escolha com o ser humano.

A tragédia de Israel era que não dava importância aos conselhos divinos. Sofria constantemente por seguir os seus próprios caminhos. Insistia em andar segundo sua maneira de ver as coisas. Vez após vez, Deus o chamou para os Seus caminhos. E finalmente Deus disse: “Assim, deixei-o andar na teimosia de seu coração.”

A teimosia é um denominador comum na vida de toda pessoa fracassada. O dicionário define teimosia como a insistência em fazer algo que não dá certo.
Hoje, preciso analisar as minhas próprias atitudes. Até que ponto continuo repetindo atos que só trazem dor à minha vida ou à vida das pessoas que amo?

“Eu o sustentaria”. “Eu o saciaria”. Promessas maravilhosas que podem se tornar realidade na experiência do ser humano, se deixar de lado suas próprias opiniões e abrir os ouvidos para os conselhos divinos.

Torne hoje um dia de decisões sábias. Acredite nas maravilhas que Deus é capaz de fazer em você e por você. Por que continuar experimentando o vazio do coração se Ele promete saciá-lo? Por que ter medo do futuro se Jesus promete sustentá-lo? Enfrente os desafios da vida, lembrando-se da promessa de Deus para você: “Eu o sustentaria com o trigo mais fino e o saciaria com o mel que escorre da rocha.”

sábado, 26 de outubro de 2013

Restaura-nos- Salmos 80:7

Meditação Diária
RESTAURA-NOS
Alejandro Bullón

Restaura-nos, ó Deus dos Exércitos; faze resplandecer o Teu rosto, e seremos salvos. Sal. 80:7.

Outro dia conversei com o filho de um empresário bem-sucedido. Filho único, tinha tudo para continuar fazendo crescer a empresa do pai. Infelizmente, juntou-se com pessoas erradas e acabou prisioneiro das drogas.

O homem tinha quase quarenta anos. Já não era mais um jovem e, olhando para trás, dizia: “Foram mais de vinte anos da minha vida jogados no lixo.”

Um dia, porém, encontrou-se com Jesus. Era o último recurso e apegou-se a Ele com as forças que ainda lhe restavam. Hoje, ninguém acredita na transformação operada na vida desse rapaz. Voltou aos estudos e começou a trabalhar na empresa do pai.

É justamente isso que envolve a súplica do salmista hoje. “Restaura-nos.” Restaurar é consertar o que está destruído. Muitas vezes é “fazer de novo”. Você toma o vaso de cristal em cacos e o reconstrói pedaço a pedaço, de modo que ninguém nota que um dia estava destruído. Mas o salmista vai além. Ele diz: “Faze resplandecer o Teu rosto.” Sal. 80:7.

O homem de nossa história me contava que, enquanto estava prisioneiro nas garras do vício, tinha vergonha de olhar o rosto dos pais. O pai pergunta: “Por que, filho, se eu nunca deixei de amar você, apesar de tudo o que você fazia?” E o filho responde: “Sentia-me sujo, indigno, e por isso sumia durante meses.”

Assim é o sentimento de culpa. Deus nunca abandona o filho rebelde. Ele nunca “esconde o rosto”, mas o pecado cria no ser humano tal senso de culpa que ele acha que Deus está zangado.

Se, por algum motivo, você foi ferido por um dardo envenenado do pecado, não tenha medo nem vergonha de ir ao Pai celestial. Ele está com os braços abertos, disposto a recebê-lo.

O salmista apela hoje ao Senhor dos Exércitos. Em hebraico, o nome de Deus nesse verso é Jeová. Esse nome denota todo o poder controlador dos Céus e da Terra. Todo esse poder está disponível para ser usado em seu favor, para restaurar o que parece humanamente impossível de ser restaurado.


Clame hoje em seu coração: “Restaura-nos, ó Deus dos Exércitos; faze resplandecer o Teu rosto, e seremos salvos.”

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Desejo de vingança- Salmos 79;1-3

Meditação Diária-
Desejo de vingança
Pr. Ezequias Costa

“Ó DEUS, as nações entraram na TUA herança; contaminaram o TEU Santo templo; reduziram Jerusalém a montões de pedras. Deram os cadáveres dos TEUS servos por comida às aves dos céus e a carne dos TEUS santos às feras da terra. Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém…” Salmo 79. 1-3

Todos nós temos dores emocionais ou angústias existenciais. São as nossas adversidades da vida. Uma dessas adversidades é o desejo de vingança: a vontade de pagar na mesma moeda as ofensas recebidas.

Nessa hora, o livro dos Salmos nos ajuda, pois suas mensagens expõem e expressam os desejos mais profundos do coração humano. Frequentemente, os Salmos são o primeiro passo em direção à nossa libertação.

Nas agruras da vida, quando o desejo de exercer vingança contra nossos adversários ou desafetos, contra aqueles que nos causaram dor ou prejuízo, sobe ao nosso coração, é o ensino do nosso Mestre Jesus que deve prevalecer. Nossa disposição deve ser: Amar e não vingar.

Nossos passos devem nos dirigir à presença do Senhor do universo e proceder como o Senhor Jesus ensinou: “Abençoem aqueles que maltratam vocês, façam bem aos que odeiam vocês e orem por aqueles que maltratam vocês” Mateus 5.44. Em outras palavras: vamos colocar a nossa causa diante do SENHOR, para que ELE opere conforme sua Santa Palavra.

Difícil? Quase impossível? Sim, sem dúvida. Mas foi isso que o Senhor nos ensinou quando disse que “o caminho que leva à vida é apertado e a porta da salvação é estreita e poucos são aqueles que encontram essa porta.” – Mateus 7.14

“Lembrem-se dos dias do passado quando, depois de receberem a luz, vocês SUPORTARAM grande combate de aflições.” Hebreus 10.30

“Nunca diga: vou me vingar do mal. Antes, espera pelo SENHOR e ELE te livrará.” Provérbios 20.22


Levanto a minha voz e clamo ao SENHOR, que tudo vê e tudo escuta, para que você e eu recebamos as bênçãos do DEUS que “opera em todas as coisas para o bem daqueles que nELE esperam.”

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Servir para vencer- Salmos 78:70

Meditação Diária
SERVIR PARA VENCER
Alejandro Bullón
Também escolheu a Davi, Seu servo, e o tomou dos redis das ovelhas. Sal. 78:70.

Davi foi rei, profeta, poeta e guerreiro. No entanto, quando Asafe escreve este salmo histórico, usa o título de “servo de Deus” para referir-se a Davi. “Escolheu a Davi, Seu servo”, narra o salmista.

Qual era a atividade de Davi quando Deus o chamou para ser ungido rei de Israel? Cuidava das ovelhas. Não era apenas um jovem inexperiente, era também um servo. Nada mais. Não títulos. Não tamanho. Não aparência. Não currículo. Apenas servo. Tão insignificante que, quando o profeta pediu a Jessé que trouxesse os seus filhos, este fez desfilar a todos, menos a Davi, por considerá-lo fora de cogitação. Todos teriam alguma chance de ser o novo rei, menos Davi. Para que perder tempo com ele? E, no entanto, você conhece o fim da história. Davi chegou a ser um dos maiores e melhores reis de Israel.

Se você achar que Davi foi chamado porque era pastor de ovelhas, sem títulos, jovem e inexperiente, está errado. Nada do que foi mencionado é virtude. Deus não procura os menos qualificados. Deus procura servos.
Pessoas cuja prioridade não é ocupar um cargo, mas servir. Pessoas que se esvaziam de si mesmas para que Jesus possa preencher cada rincão do coração. Vasos limpos de orgulho nos quais o Espírito de Deus possa agir.

O líder com poder, mas sem espírito de serviço, exige respeito. O líder servo administra com sabedoria o respeito que as pessoas lhe oferecem voluntariamente. O mundo seria melhor se o poder do amor e de serviço substituísse o amor ao poder que domina a vida de muita gente.

Dizem que conviver com ovelhas ensina a lição da humildade e da mansidão. Seria por isso que Deus permitiu que Moisés e Davi fossem pastores antes de assumir a liderança do povo?

Devo perguntar-me hoje: O quanto sou servo? Na minha família, no meu trabalho, na comunidade, quanto estou disposto a servir? Esse é um dos segredos da vida feliz. Só uma vida feliz é capaz de tornar felizes as pessoas que a rodeiam.

Antes de reclamar por qualquer circunstância difícil que você esteja vivendo, lembre-se de que Deus “também escolheu a Davi, Seu servo, e o tomou dos redis das ovelhas”.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Santidade- Salmos 77:13

Meditação Diária
CAMINHO DE SANTIDADE
Alejandro Bullón
O Teu caminho, ó Deus, é de santidade.Que deus é tão grande como o nosso Deus? Sal. 77:13.

Fazia várias horas que meu guia e eu caminhávamos em silêncio. Com um facão na mão, ele abriu a trilha. Eu vinha atrás, meio desconfiado, porque o via olhar insistentemente para todos os lados. De repente, ele parou e respirou fundo.

“Não me diga que está perdido”, quase afirmei. Ele olhou para mim sem demonstrar muita emoção. “Eu nunca estou perdido”, disse ele. “Mas você está confuso”, repliquei. Desta vez, ele sorriu levemente, como que para me inspirar confiança, e afirmou: “Eu sou o caminho”, e continuou andando.
Nos anos em que fui missionário na Amazônia, aprendi a importância de seguir o guia. É a única maneira de sobreviver aos perigos. Seguir o guia é indispensável. Ele sempre sabe qual é o caminho.

No verso de hoje, Asafe descobre o caminho de Deus. “Teu caminho... é de santidade”, afirma ele. No original hebraico, a palavra “santo” é qadôsh, que significa separado para um propósito especial.

Na vida, há muitos caminhos. Cada um tem um propósito diferente, mas o fim sempre é o mesmo: a destruição do ser humano. De todos eles, existe um caminho especial, diferente, separado e consagrado para levar o ser humano ao desejado porto da felicidade. Deus tira desse caminho tudo aquilo que distrai a atenção. Por isso, é um caminho santo. As pessoas que seguem esse caminho são santas por causa de seu relacionamento com o Deus Santo que os chamou.

Não é fácil ter sempre consciência de ter sido separado por Deus para viver uma vida de valores e princípios espirituais. Sozinho, ninguém conseguirá viver a vida que Deus deseja. Por isso, o salmista menciona também o poder. “Que deus é tão grande como o nosso Deus?”

A resposta é óbvia. Ninguém. Nenhum dos deuses pequenos que a criatura fabrica será capaz de implantar no coração humano o princípio da santidade.

Faça de sua vida, hoje, uma vida de entrega e consagração ao elevado propósito que Deus tinha em mente quando permitiu que você nascesse. Aceite Seu conselho, siga o Seu caminho. Ninguém que fez isso fracassou na vida. Antes de sair de casa, repita: “O Teu caminho, ó Deus, é de santidade. Que deus é tão grande como o nosso Deus?”

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Autoridade Divina- Salmos 76:10

Meditação Diária

A AUTORIDADE DIVINA
Alejandro Bullón

Pois até a ira humana há de louvar-Te; e do resíduo das iras te cinges. Sal. 76:10.

Nenhum julgamento tem final feliz enquanto o culpado não reconhece a culpa. Infelizmente, cada dia se multiplicam culpados que reivindicam inocência, mesmo diante do veredicto do juiz e da montanha de provas.

O verso de hoje tem uma projeção profética extraordinária. Fala do fim do conflito universal entre Cristo e Satanás.

Lá no Céu, num distante passado, levantou-se um anjo de luz tentando tirar o governo das mãos do Criador. Acusou-O de ser injusto e egoísta e reivindicou para si a adoração e a obediência.

Com astúcia, seduziu uma terça parte dos anjos. Então houve uma batalha, e Lúcifer e suas hostes inimigas saíram derrotadas. Essa guerra não foi com armas físicas. Foi uma luta de idéias. O campo a ser conquistado era o coração das criaturas. Aquela guerra transferiu-se para a Terra, e as argumentações do inimigo são as mesmas do princípio: Deus é injusto e não merece ser adorado nem obedecido.

De um lado, o inimigo – através do engano, a sedução e a mentira – tenta atrair a maior quantidade possível de seguidores. Do outro, Jesus Cristo, com a verdade de Sua palavra chama aqueles que estão dispostos a obedecer aos Seus conselhos. E hoje o mundo está dividido em dois grandes grupos. Não existe, como muita gente ensina, muitas igrejas, filosofias e maneiras de encarar a vida, porque não existem muitos senhores.

Só há dois comandantes, dois caminhos e dois grupos. O Senhor Jesus Cristo, em certa ocasião, disse: “Quem não é por Mim é contra Mim; e quem comigo não ajunta, espalha.” Mat. 12:30. Isto é dramático. Sou ou não sou. Não existe um terceiro território.

Finalmente, quando Jesus vier pela segunda vez, muita gente entenderá que esteve errada. Isso revoltará as pessoas. Ficará provado que a Bíblia tinha razão. Mesmo assim, sabendo que seu futuro próximo é a morte, essas pessoas se ajoelharão diante de Jesus e reconhecerão a autoridade de Deus e Sua soberania.

Essa cena está sendo descrita pelo salmista no verso de hoje. “Até a ira humana há de louvar-Te”, afirma Asafe.

Se mais cedo ou mais tarde a humanidade inteira vai ter que reconhecer a soberania divina, não é prudente entregar o coração a Jesus?

Faça isso antes de sair para os deveres diários e não se esqueça de que até a ira humana terá que louvar um dia a pessoa de Jesus.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Deus o Juiz- Salmos 75:7

Meditação Diária 
DEUS É O JUIZ
Alejandro Bullón
Deus é o juiz; a um abate, a outro exalta. Sal. 75:7.

Quando Adolf Hitler estava no pináculo da glória, o mundo inteiro ficava atento a qualquer declaração sua. Ao revisar jornais e revistas daquele tempo, posso ver quanto espaço ele ocupava nos noticiários internacionais.
Já se passaram mais de cinco décadas de tudo aquilo. Se hoje você perguntar na rua quem foi Adolf Hitler, se surpreenderá com o número de jovens que nem sequer ouviram falar o nome do carrasco nazista.

Quem determina a história? “Deus é o juiz”, afirma o salmista hoje, “a um abate, a outro exalta.” O poder. Qualquer poder humano é transitório. Os reinos caem e se levantam, um atrás do outro. As nações mudam de governantes. Nenhum poder humano é eterno. Só o poder de Deus controla o destino das nações e das pessoas, valendo-se dos erros e dos acertos de cada um.

Houve momentos na história de Israel em que o povo pensava que Deus tinha perdido o controle da situação. O que mais pensar quando os justos sofrem e os perversos crescem e progridem? A que outra conclusão pode-se chegar quando os exércitos inimigos destroem a cidade de Deus e espalham os Seus filhos pelos quatro cantos da Terra?

Ainda hoje se repetem os mesmos dramas na vida das pessoas. Quantas vezes, ferido, agonizante, sem forças, você se esforça para ver a Deus sentado no Seu trono, controlando as situações. As lágrimas o impedem de ver o governante supremo do Universo. Dá a impressão de que o trono está vazio e os maus triunfaram.

Mas, no salmo de hoje, o salmista conta os atos heróicos do libertador de Israel. Este salmo é um hino de gratidão porque a noite passou, as sombras se esvaíram e o sol da libertação voltou a brilhar. “Graças Te rendemos, ó Deus; graças Te rendemos, e invocamos o Teu nome, e declaramos as Tuas maravilhas.” Sal. 75:1.

Qualquer pessoa que circunstancialmente recebeu poder, pode achar-se um pequeno Deus. Você pode estar neste momento sofrendo as conseqüências de uma atitude soberba por parte de alguém. Essa pessoa acha que o poder vai estar nas suas mãos para sempre. Mas não é verdade. O poder que realmente vale não vem “do oriente, nem do ocidente, nem do deserto.” Quando Deus quer, esse poder chega ao fim.

Lembre-se disso se você está sofrendo. E lembre-se mais ainda quando lhe confiarem o poder, porque “Deus é o juiz; a um abate, a outro exalta”.

domingo, 20 de outubro de 2013

A tormenta passará- Salmos 74:22

Meditação Diária
A TORMENTA PASSARÁ
Alejandro Bullón

Levanta-Te, ó Deus, pleiteia a Tua própria causa; lembra-Te de como o ímpio Te afronta todos os dias. Sal. 74:22.

O salmo de hoje ensina como orar quando a aflição bate à porta do coração e dá a impressão de que Deus está sendo cego e surdo diante dos acontecimentos. Existe gente que não tem Deus em conta. Caçoa da fé dos que buscam ao Senhor. Às vezes, é o professor universitário ridicularizando você na sala de aula, ou o chefe incrédulo rindo dos seus princípios, ou o patrão sem escrúpulos querendo que você concorde com algo que vai contra a sua consciência.

Este é outro dos salmos escritos por Asafe. Pelo contexto, entendemos que ele viveu num momento da história de Israel em que o exército inimigo tinha destruído o santuário. Qual é a mensagem deste salmo para você hoje, diante de inimigos que perseguem seu corpo, mas tentam chegar também ao santuário do seu ser, que é a sua consciência?

O alvo final dos ataques do inimigo não é você. O verdadeiro sofrimento que os filhos de Deus experimentam não é físico. O inimigo de Deus quer deturpar o caráter de Deus. Levar você a pensar que Deus não Se interessa por seus problemas, que Ele é injusto, ao permitir que aconteçam tragédias na sua vida.

A maioria dos seres humanos não percebe esse propósito maligno do inimigo. Mas o salmo de hoje mostra que Asafe entendeu. Por isso, ele clama: “Levanta-Te, ó Deus, pleiteia a Tua própria causa.”

Cada vez que a dor chega à sua vida, está em juízo a soberania de Deus. Seu amor, Sua misericórdia e o Seu caráter justo são julgados. Essa é a explicação existencial para o sofrimento dos inocentes.

Todos os dias há milhões de seres angelicais observando a reação do ser humano diante da dor. O que fará? Amaldiçoará a Deus, como deseja o inimigo, ou se esconderá nos braços de Jesus até que a tormenta passe?

O momento doloroso que você está vivendo agora tem explicação à luz do conflito universal entre Cristo e Satanás. Mas a promessa divina é certa. Deus não Se esqueceu de você e, mais cedo do que imagina, o inimigo terá que engolir toda a dor e tristeza que lhe causou.

Com essa certeza, enfrente as dificuldades e clame como Asafe: “Levanta-Te, ó Deus, pleiteia a Tua própria causa; lembra-Te de como o ímpio Te afronta todos os dias.”

sábado, 19 de outubro de 2013

Tudo tem explicação- Sl 73:21

Meditação Diária
TUDO TEM EXPLICAÇÃO
Alejandro Bullón

Quando o coração se me amargou e as entranhas se me comoveram, eu estava embrutecido e ignorante; era como um irracional à Tua presença. Sal. 73:21 e 22.

Há coisas que não têm explicação. Um dia, visitei no hospital uma moça que havia tentado o suicídio. O noivo a deixara faltando apenas três semanas para o casamento.

“Por que Deus permitiu que acontecesse isto comigo?”, ela me perguntou cheia de amargura. Às vezes, gostaria de ter todas as respostas. As pessoas são asfixiadas por aquele doloroso: “Por quê?” Pais que perderam o filho, gente que foi vítima de uma tragédia. Pessoas sinceras que não conseguem entender tantos “porquês” da vida.

O salmo de hoje descreve a amargura de um homem, ao perguntar-se tantas coisas e receber como resposta apenas o silêncio de Deus. Esse homem é Asafe. Há coisas que ele não entende. Por que os justos sofrem e os ímpios prosperam? Que tipo de Deus é esse que parece incapaz de atender ao clamor dos Seus filhos?

Para compreender algumas coisas, você precisa retirar-se, meditar, observar e permitir que Deus fale ao seu coração. Foi o que aconteceu com o salmista. O Salmo 73 é fruto do tempo que ele tomou para meditar.

A reflexão de Asafe não foi introspectiva ou filosófica, através da qual você pretende achar respostas dentro ou ao redor de si, analisando apenas as circunstâncias que envolvem os fatos. Asafe disse: “Em só refletir para compreender isso, achei mui pesada tarefa para mim; até que entrei no santuário de Deus.” Sal. 73:16 e 17.

Para Israel, o santuário não era apenas o templo físico. Era também a presença de Deus. A sós com Jesus, no Seu companheirismo e no Seu aconchego, você verá que até as coisas incompreensíveis desta vida têm sentido.

Quando, finalmente, Asafe entendeu que as conquistas e vitórias dos ímpios não são necessariamente vitória, e que o sofrimento dos justos não é derrota, teve vergonha e disse: “Quando o coração se me amargou e as entranhas se me comoveram [porque não entendia muitas coisas], eu estava embrutecido e ignorante; era como um irracional à Tua presença.” Sal. 73:21 e 22. Vá hoje a Jesus e leve a Ele todas as suas perguntas. Você se sentirá confortado.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Inveja dos Orgulhosos? Sl 73

Meditando no Salmos 73
Inveja dos orgulhosos?
Pr. Ezequias Costa

“Os meus pés quase se desviaram… pois eu tinha inveja dos orgulhosos, ao ver a prosperidade dos ímpios.” Salmo 73, versos 2 e 3.

Se levarmos em conta a breve duração de nossa vida aqui na terra, se avaliarmos as coisas desta vida tão somente da nossa perspectiva limitada, terrena e humana, é possível que vamos ficar desanimados, decepcionados e frustrados.

Para completarmos a nossa jornada, precisamos ter a Palavra de DEUS, revelada pelo Espírito Santo, viva em nossos corações com fé na Bondade e Misericórdia de nosso DEUS. Embora seja DEUS soberano e justo, vemos que muitas vezes os maus prosperam e os fiéis, que servem a DEUS , parecem sofrer mais.

Nossos problemas são tantos, as situações que enfrentamos tão desgastantes, que achamos que nem DEUS pode resolver. Andamos tão estressados que não queremos estar junto a DEUS, não queremos fazer dELE o nosso Refúgio, nosso abrigo no temporal.

Passamos a ser plantas sem água, vida secas: a fé fica fraca, desenvolvemos espírito crítico contra os outros, criamos raiz de amargura em nós e passamos a desconfiar que as Promessas de DEUS na Bíblia não são verdade.

Tudo isso aconteceu com um homem chamado Asafe, o autor deste Salmo. Ele viu que as pessoas que não conheciam a DEUS tinham sucesso na vida. Vida boa. Sem preocupações. No verso 13, Asafe declara que talvez tenha sido a toa que ele tenha servido ao Senhor… Afinal eu sou um idiota? Leia o que ele diz:

“Certamente foi-me inútil manter puro o coração e lavar as mãos na inocência…”

Felizmente, Asafe acha uma saída  que é também a saída para todos nós quando confrontados com situações semelhantes: correr para a presença de nosso DEUS.

“Até que entrei no Santuário de DEUS, e então compreendi o destino dos ímpios.” Verso 17.

Somente na Presença Gloriosa de nosso DEUS podemos vÊ-lo atuando, no controle do Mundo, no controle de nossa própria vida. A conclusão deste lindo Salmo encontra-se nos versos 23 a 28:

“ E apesar de tudo isso, o SENHOR estava ao meu lado; o SENHOR me guiará nesta vida e depois estará comigo na Gloria.”

Minha saúde pode acabar, meu coração pode ficar doente e fraco, mas o SENHOR é a minha fortaleza. ELE é a minha riqueza eterna.

“Para mim, bom é estar perto do DEUS; fiz do Soberano SENHOR o meu refúgio; proclamarei todos os seus feitos.” Salmo 73 verso 28

Começar de novo-Salmo 72:6

Meditação Diária
COMEÇAR DE NOVO
Alejandro Bullón

Seja Ele como chuva que desce sobre a campina ceifada, como aguaceiros que regam a terra. Sal. 72:6.

O homem de aproximadamente cinquenta anos olhava para mim com olhos de súplica. Como se eu pudesse, com uma palavra, resolver os seus problemas. Vestia terno azul-marinho e camisa branca. Aparentemente, era um executivo vivendo o maior drama de sua vida. “Ah, se pudesse começar tudo de novo”, disse, depois de contar-me o drama de seu lar destruído. “De que vale tudo que consegui na vida, se perdi o mais precioso, que é a minha família?”, perguntou, quase afirmando.

“Começar de novo.” Quantas vezes tenho ouvido essa expressão dos lábios de pessoas que passam pelo vale da dor e da angústia.

Na opinião do homem que falava comigo, já era “tarde demais”, seu lar já estava desfeito, não havia maneira de reconstruir o vaso de cristal feito em cacos.

O salmista pensa diferente. Para ele, nunca é “tarde demais”. No verso de hoje, ele apresenta uma “campina ceifada”. A palavra hebraica gez poderia ser traduzida mais apropriadamente como “uma pastagem que foi tragada”. O gado passou e não deixou nada. Aparentemente, tudo está acabado. Já não é possível começar de novo. Mas o poeta afirma: “Seja Ele como chuva que desce sobre a campina ceifada.”

Quem é este “Ele” que o salmista menciona? Quem é capaz de tirar vida de onde só há morte? Quem é Este que pode tirar água da rocha, de abrir o Mar Vermelho, de andar sobre a água do mar, de fazer um paralítico andar depois de trinta e oito anos, de ressuscitar um cadáver que estava em estado de decomposição? Quem é Este que disse um dia: “Se alguém tem sede, venha a Mim e beba”?

Sim. Quando tudo parece perdido. Quando, do ponto de vista humano, tudo chegou ao fim, quando você sente que já é “tarde demais”, olhe para Jesus com os braços abertos, pronto a dar-lhe uma nova oportunidade.

Janeiro está chegando, e com ele a mão estendida de Jesus. Nunca é tarde para quem segurar essa mão maravilhosa. Hoje pode ser um novo dia.

Acredite nisso no início de um novo ano. Que Jesus “seja como chuva que desse sobre a campina ceifada, como aguaceiros que regam a terra.”

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Deus Cuida Salmo 71:9

Meditação Diária
DEUS CUIDARÁ DE VOCÊ
Alejandro Bullón

Não me rejeites na minha velhice, quando me faltarem as forças, não me desampares. Sal. 71:9.

Rejeição e desamparo. Palavras terríveis. Sentimentos que estremecem as entranhas de qualquer mortal. Duras realidades de um mundo de pecado. Tudo que começa, chega ao fim. O tempo é irreversível. Implacável. Os ponteiros do relógio não param. Quando um dia você se olha no espelho, descobre que a beleza da juventude foi embora e a força da mocidade fugiu.

A maioria dos países latinos preocupa-se pouco com as pessoas idosas. Ser velho, em alguns lugares, é sinônimo de agressão. Anciãos acabam rejeitados e desamparados. No verso de hoje, o salmista não mostra preocupação pela rejeição e o desamparo humano. Não dos homens. Afinal de contas, ele disse muitas vezes nos salmos que não temeria o que o homem pudesse lhe fazer. A sua preocupação é com Deus. É isso o que realmente conta.

A vida com Cristo é bela e gratificante em todas as suas etapas. Ser criança tem suas vantagens e desvantagens. Você pode dormir e brincar o dia todo sem preocupação, mas não pode ir aonde quer. A juventude chega trazendo suas coisas boas e más. Você toma suas próprias decisões, tem força, energia, pode escalar o pico mais alto ou mergulhar nas águas cristalinas do mar à procura de corais. Mas não tem a experiência que só a vida dá. Muitas vezes você paga um preço muito alto por isso.

Um dia, a velhice chega. Aposentado, você vê suas responsabilidades cumpridas e seus filhos grandes e prósperos. Mas sente o peso dos anos. A visão se apaga, a audição diminui e as forças minguam.

Essa é uma realidade da qual ninguém escapa. Você precisa de sabedoria para administrar a velhice e desfrutar as coisas boas que a vida lhe reserva. O que importa é o que Davi pede no salmo de hoje: “Não Te ausentes de mim, ó Deus.” Verso 12.

Uma vida sem Deus é uma vida vazia, oca e sem sentido. Uma velhice sem Ele é uma tarde cinzenta. Anuncia a chegada de trevas, solidão e desamparo. Vale a pena viver cada minuto da existência em comunhão com o Deus da vida.

Hoje, não importa que etapa da vida você esteja vivendo, diga em seu coração: “Não me rejeites na minha velhice, quando me faltarem as forças, não me desampares.”

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Apressa-te- Salmos 70:5

Meditação Diária


APRESSA-TE EM VALER-ME
Alejandro Bullón

Eu sou pobre e necessitado; ó Deus, apressa-Te em valer-me, pois Tu és o meu amparo e o meu libertador. Senhor, não Te detenhas! Sal. 70:5.

Que seria do Universo se, por um instante, Deus deixasse de agir? Que cataclismo universal aconteceria se o Senhor Se esquecesse de Sua criação? No entanto, quando a dor visita o ser humano, o primeiro pensamento que vem à sua mente é que Deus o abandonou e não Se lembra mais de Suas promessas.

O próprio salmista expressa com veemência: “Não Te detenhas!” Ele não tem a mínima idéia da tragédia que aconteceria se o Senhor Se detivesse.

Quando o Senhor Jesus esteve na Terra, disse: “Meu Pai trabalha até agora, e Eu trabalho também.” João 5:17. Deus nunca pára, nunca se detém, jamais ignora o que acontece com Seus filhos.

Seu trabalho é diário. Protege e liberta. Seus olhos sempre vigilantes seguem os passos de cada ser humano. Ele está sempre pronto a socorrer.

O verso de hoje mostra o segredo para desfrutar o cuidado de Deus: reconhecer que você é “pobre e necessitado”. Deus não pode fazer muito por aquele que diz: “Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma.” Apoc. 3:17.

A suficiência própria é uma barreira intransponível entre a criatura e o Criador. O humanismo de nossos dias é atrevido e impede que as bênçãos de Deus nos alcancem.

O caminho mais curto para chegar ao trono da graça divina é reconhecer: “Eu sou um pecador. Nada de bom há em mim. Venho a Ti, carente e necessitado. Faze por mim o que eu não posso fazer por minhas próprias forças.”

Como anda sua vida financeira, familiar, profissional ou espiritual? Já lutou sozinho, tentando recuperar o controle da situação, mas parece que nada dá certo? Diga como o salmista: “Eu sou pobre e necessitado; ó Deus, apressa-Te em valer-me, pois Tu és o meu amparo e o meu libertador. Senhor, não Te detenhas!”

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Salva-me- Salmos 69:1

Meditação Diária

SALVA-ME, Ó DEUS
Alejandro Bullón

Salva-me, ó Deus, porque as águas me sobem até à alma. Sal. 69:1.

O salmo de hoje é o segundo mais citado pelos escritores do Novo Testamento. João, Lucas, Mateus, Marcos e o apóstolo Paulo usaram várias referências deste maravilhoso poema.

O salmista está em dificuldades. Isso não é novidade. Os problemas sempre o acompanham, ainda na velhice. Estavam presentes, tentando destruir-lhe a fé e a confiança em Deus.

Desta vez, o espírito de Davi estava terrivelmente conturbado. Suas emoções estavam afetadas. O estresse tinha tomado conta de todo o seu ser.

“As águas me sobem até à alma.” Ele clama em busca de ajuda, e o socorro divino aparece. Este salmo vai além do livramento do salmista. Refere-se também ao livramento de Sião em um tempo de crise. Na realidade, os sofrimentos pessoais do salmista são uma espécie de maquete dos sofrimentos coletivos da nação.

Parece que a dor emocional de Davi era causada por uma falsa acusação levantada contra ele. “São mais que os cabelos de minha cabeça os que, sem razão, me odeiam; ... os que com falsos motivos são meus inimigos; por isso, tenho de restituir o que não furtei.” Verso 4. Quem eram esses inimigos? Pouco importa. O que interessa é saber que, na hora da angústia, o salmista sabia onde procurar socorro.

Os problemas da vida são como águas turvas e ameaçadoras. Por vezes, chegam a ser tão torrenciais que a pessoa perde até a vontade de continuar vivendo. O salmo anterior fala de triunfo de vitória, e este tem como tema central os perigos e as dificuldades. Quão próximos estão a vitória da derrota, a alegria da tristeza e a vida da morte.

O fato de que tudo está bem com você hoje, não é garantia de que amanhã continuará desse jeito. Por isso, é necessário aprender a cada minuto a depender de Deus. Assim, quando as águas turbulentas chegarem “até à alma”, saberemos lançar mão dos recursos invisíveis da fé e da confiança em Deus.

Quão triste ou quão alegre está você hoje? Pouco importa. Nesta vida sempre haverá sol e chuva, primavera e inverno. Mas se você tem certeza de que sua vida está nas mãos do Senhor, saberá dizer: “Salva-me, ó Deus, porque as águas me sobem até à alma.”

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis