Translate

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Seja grato-Salmos 54:6

Meditação Diária
SEJA GRATO
Alejandro Bullón
Oferecer-Te-ei voluntariamente sacrifícios; louvarei o Teu nome, ó Senhor, porque é bom. Sal. 54:6.

Os salmos retratam experiências humanas, com seus dramas, tristezas, problemas e dificuldades. Por exemplo, a traição. Davi era constantemente perseguido e traído. Parece que de alguma maneira a traição é tomada por alguns como uma ferramenta de sobrevivência.

No salmo de hoje, Davi agradece a Deus por tê-lo livrado da traição dos zifeus, que foram aonde estava Saul para avisá-lo de que Davi estava escondido em seu território.

Deus sempre está pronto a ajudar os Seus filhos sinceros. O verso de hoje apresenta a atitude de um coração agradecido pelo livramento que o Senhor operou. “Oferecer-Te-ei voluntariamente”, afirma o salmista. Em outras palavras: Isto que farei não é obediência a algo que Tu pediste. Isto é voluntário. Nasce no meu coração. Eu o faço em agradecimento ao modo maravilhoso como me ajudaste mais de uma vez.”

O salmista apresenta duas coisas que ele fará em gratidão a Deus: oferecer e louvar. A razão: “O Senhor é bom, pois me livrou de todas as minhas tribulações.”

Você não pode separar gratidão de louvor e entrega. Agradecer sem louvar e sem oferecer, não é agradecer. É apenas uma palavra oca que não passa de uma expressão criada pelas regras do comportamento social.
Louvar é fazer com que o mundo saiba o que aconteceu. Oferecer é sair da beleza das palavras e entrar na dimensão dos fatos. É tornar a teoria em prática.

O que pouca gente sabe é que, quando agradeço, se apodera do meu interior um sentimento de paz e satisfação, a ponto de reconhecer que “tudo é bom”, mesmo enfrentando as dificuldades mais duras.

Que motivos você tem para agradecer hoje? Veja a luz do novo dia. Sinta-se vivo. Olhe para cima. Contemple a misericórdia divina e diga: “Oferecer-Te-ei voluntariamente sacrifícios; louvarei o Teu nome, ó Senhor, porque é bom.”

domingo, 29 de setembro de 2013

Bola de Pano- Salmos 53

Meditação Diária
A BOLA DE PANO
Alejandro Bullón
Do Céu, olha Deus para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus. Sal. 53:2.

Quando era menino, eu gostava muito de futebol. Meu sonho era ter uma bola de couro. Naquele tempo, para mim, era quase um sonho impossível.

Um dia estava tentando fazer uma bola de pano. Tinha juntado papel, pano, agulha e linha. Havia me ferido várias vezes com a agulha, mas a bola não saía do jeito que eu queria. Nisso, ouvi a voz do meu pai chamando. Fiquei chateado. Não podia haver momento mais inconveniente para ele chamar. Eu estava concentrado na confecção da minha bola, e ele continuava chamando. “O que será que ele quer?” pensei, mas continuei tentando resolver meu problema.

Diante da insistência do meu pai, levantei-me e fui. Ao chegar perto dele, não podia acreditar no que estava vendo. Ele tinha nas mãos uma linda bola, dessas de couro e cadarço que se usava antigamente. “Eu não deveria dar-lhe esta bola porque você não veio imediatamente”, disse meu pai.

O tempo passou. Já vivi muito. Hoje, também sou pai e sei que, quando o pai chama, é só para o bem do filho. Nada há neste mundo que o pai deseje mais do que a felicidade do filho. Jesus um dia afirmou: “Se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que Lho pedirem?” Luc. 11:13.

Esta é a mensagem de hoje. Davi afirma que Deus olha do Céu para ver se há alguém que O busque. Por que o Pai deseja que o ser humano O busque? Porque longe de Jesus a criatura não pode ser feliz. Poderá ferir-se talvez, tentando fazer sua “bola de pano”, mas qualquer realização será passageira. Jesus deseja que você seja sábio para viver a vida na sua plenitude. Mas, longe de Jesus, é quase impossível. Sem Ele não há sabedoria.

Paulo diz aos coríntios que Jesus Se tornou, da parte de Deus, “sabedoria”. Portanto, buscar a Jesus é buscar sabedoria. Encontrá-Lo é achar sabedoria. E ser sábio, meu amigo, é saber viver, saber vencer, saber perder e até saber morrer, com dignidade.

Ainda dá tempo de fazer deste o grande ano de sua vida, a virada de sua existência. Busque sabedoria em Jesus, e lembre-se de que “do Céu, olha Deus... para ver se há... quem O busque”.

sábado, 28 de setembro de 2013

Oliveira verdejante Salmos 52:8

Meditação Diária
OLIVEIRA VERDEJANTE
Alejandro Bullón
Quanto a mim, porém, sou como a oliveira verdejante, na casa de Deus;
confio na misericórdia de Deus para todo o sempre. Sal. 52:8.

Doegue, homem de confiança de Saul, era edomita. Os edomitas seriam considerados mais tarde inimigos de Israel. Doegue é considerado um símbolo da traição. Poderia ser comparado a pessoas que hoje estão à sua volta dispostas a apunhalar você pelas costas. Em certa ocasião, perseguido pelo rei Saul, Davi se escondeu em Nobe e foi ajudado pelo sacerdote Aimeleque. Doegue estava ali e correu para levar a notícia a Saul. O resultado foi a matança de todos os sacerdotes de Nobe.

Este salmo foi escrito por Davi quando se viu traído por Doegue. O salmista começa dizendo: “Porque te glorias na maldade, ó homem poderoso?... A tua língua urde planos de destruição; é qual navalha afiada.” Sal. 52:1 e 2.

Existe, hoje, alguém que se sente poderoso por causa de sua posição dentro da empresa e que com sua “língua urde planos de destruição” contra você?

Veja como Davi reage diante dessa circunstância: volta os olhos para o monte das Oliveiras. O monte estava cheio de oliveiras verdes e produtivas que resistiam à intempérie e às dificuldades do clima. “Sou como a oliveira verdejante”, afirma o salmista. Na linguagem original, não existe referência à cor. “Verdejante”, neste texto, significa florescente, vigorosa, cheia de vida e de frutos. A beleza da oliveira não estava na sua aparência, e sim na sua produtividade.

O mundo à sua volta podia estar cheio de traição e calúnia. Mas, quando Davi se refugiava em Deus, sentia-se como “oliveira verdejante”. O segredo da vitoriosa atitude do salmista estava “na casa de Deus”.

Quem será capaz de destruir você quando está protegido nas mãos de Deus? A promessa que Deus lhe faz, hoje, é que a “misericórdia de Deus” será com você “para todo o sempre”.

Confiando nesta promessa, vá hoje para o lugar ao qual precisa ir, sem temor. Deus irá adiante de você, abrindo as portas e silenciando a boca de seus inimigos.

Repita as palavras de Davi: “Quanto a mim, porém, sou como a oliveira verdejante, na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para todo o sempre.”

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Nascido em pecado- Salmos 51

Meditação Diária
NASCIDO EM PECADO
Alejandro Bullón
Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Sal. 51:5.

O jovem que falava comigo acabara de perder o emprego outra vez. Estava triste porque pagava seus estudos na universidade com o dinheiro que recebia. “O pior de tudo”, disse aflito, “é que eu sou o único culpado. Sou orgulhoso e explosivo e isso está destruindo a minha vida.”

Como esse jovem, há muitas pessoas que percebem que existe algo de errado com elas. Tentam mudar, mas não conseguem. São conscientes de que há dentro delas uma força estranha que as leva a fazer coisas que não gostariam de fazer, e se perguntam: “Por que sou assim?”

A resposta está no versículo de hoje. Davi também tinha esse problema que o levou não a perder um emprego, mas quase a vida eterna.

Este salmo foi escrito depois que Davi mandou assassinar Urias, para esconder seu adultério com a esposa do general. Foi um pecado consciente, e premeditado. No início, quando a tentação apareceu, ele tentou fugir. Mas descobriu que dentro dele havia uma força misteriosa que o empurrava para longe de Deus e de Seus princípios.

Davi caiu e caiu feio. Meses depois, quando ele pensava que tinha cometido o crime perfeito, confrontou-se com o profeta Natã e não pôde fugir do seu pecado. O salmista correu desesperado, entrou numa cova e, arrependido, escreveu o Salmo 51.

No verso de hoje, Davi fala da natureza pecaminosa. Disse: “Nasci em pecado.” Todos nascemos em pecado, separados de Deus e com uma natureza que não gosta de andar nos caminhos da vida. É uma natureza egoísta, que dá guarida e alimenta os sentimentos mais grotescos do ser humano: ciúme, inveja, maledicência, cobiça, lascívia, etc.

Ninguém é culpado de ter nascido assim. A culpa que carregamos é não querer tomar o remédio para esse problema. Jesus morreu na cruz do Calvário e comprou a nossa liberdade. Hoje, só continua sendo escravo da natureza pecaminosa quem quer.

Não tente lutar sozinho. Com esforço humano você pode disfarçar, aparentar e dissimular. Mas não pode mudar. A única esperança de transformação está em Cristo. Só nEle há vida. Vida plena, abundante e cheia de significado. Mas isso só pode ser realidade na vida de quem reconhecer: “Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe.”

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Sou teu Deus-Salmos 50:7

Meditação Diária
SOU TEU DEUS
Alejandro Bullón
Escuta, povo Meu, e Eu falarei; ó Israel, e Eu testemunharei contra ti. Eu sou Deus, o teu Deus. Sal. 50:7.

Existem muitas vozes. Todos pretendem ter a sua verdade. Não é politicamente correto achar que há uma só verdade. O relativismo deu origem ao pluralismo. Todos querem ser ouvidos. Do ponto de vista bíblico, as pessoas precisam ser escutadas e respeitadas.

Deus deu a cada um o direito de escolher o seu caminho. Nem o próprio Criador obriga a criatura a aceitar algo que ela não quer.

Ao povo de Israel, Deus disse: “... te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência.” Deut. 30:19.

No salmo de hoje, Deus pede para ser ouvido. O ser humano parece disposto a ouvir qualquer voz, menos a de Deus. Cria suas próprias teorias, estabelece seus critérios, define seus valores, determina o que é moral ou imoral. Mergulha nas suas filosofias existencialistas, no seu raciocínio humanista e, fazendo uso da liberdade que Deus lhe deu, nega inclusive o seu Criador.

Mas Deus pede: “Escuta, povo Meu.” Sal. 50:7. Por que Deus deseja ser ouvido? Por que chama a atenção das pessoas? “Eu sou Deus, o teu Deus”, disse Ele. Ele precisa da obediência dos Seus filhos para continuar sendo Deus? Nutre-se da atitude servil de Suas criaturas? Claro que não. Ele chama a atenção dos filhos porque deseja vê-los feliz. Ele conhece o fim desde o princípio. Sabe, melhor do que ninguém, o que é certo e o que é errado. Conhece o caminho que conduz à vida ou à morte. Ele é Deus.

O ser humano cria uma infinidade de pequenos deuses: idéias, filosofias, objetos. Prefere ouvir esses deuses fabricados. Ao fazê-lo, segue suas próprias inclinações. Mas Deus lembra: “Eu sou Deus, o teu Deus”. Você pode dizer: “Sim, Senhor, eu O aceito”, ou pode também continuar andando nos seus caminhos e escolhendo as suas veredas.

De que tamanho é o seu Deus? Isso vai determinar a sua atitude diante dos problemas da vida. Um Deus pequeno pode funcionar quando tudo vai bem. Mas quando a tormenta chegar, que “energia” é capaz de livrá-lo da angústia? Por isso, hoje, ouça o Senhor dizendo: “Escuta, povo Meu, e Eu falarei… Eu sou Deus, o teu Deus.”

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Nada LevaremosSalmos 49

Meditação Diária
NADA LEVAREMOS
Alejandro Bullón
Pois, em morrendo, nada levará consigo, a sua glória não o acompanhará. Sal. 49:17.

O dia em que escrevo esta meditação, estou em Poza Rica, México. Acabo de tomar conhecimento da morte do príncipe Ranier, de Mônaco. Mônaco é um pequeno país, com apenas dois quilômetros quadrados de território. O príncipe Ranier, ao longo dos seus 56 anos de governo, conseguiu transformar esse pedaço de terra num país charmoso, frequentado pelas maiores personalidades do mundo. Hoje, Mônaco é uma das capitais mundiais do jogo e um dos paraísos fiscais que atrai grandes fortunas. Evidentemente, o príncipe era um dos homens mais ricos do planeta.

Mas o texto de hoje afirma que “em morrendo, nada levará consigo, a sua glória não o acompanhará”. Nesta vida, você pode acumular riquezas. Mas, na hora da morte, isso não lhe serve de nada.

Sabedoria é aprender a depositar a confiança e a expectativa em valores eternos. Lamentavelmente, vivemos num mundo pragmático, onde se acredita só naquilo que se pode ver e tocar. Essa filosofia materialista da vida provoca dor, porque tudo o que você toca, inclusive a própria vida, escapa de você como areia entre os dedos.

Não existe nada de errado com a riqueza, fama, poder ou cultura. Tudo tem o seu lugar na experiência humana. Mas, para ter sentido de permanência, tudo isso precisa ser construído sobre bases duradouras que o tempo não é capaz de acabar. Essas bases não são materiais. Não adianta querer vê-las, nem tocá-las. É necessário aceitá-las pela fé.

Você está se sentindo triste, insatisfeito e vazio, hoje? Tenta descobrir a causa para isso e não consegue porque, aparentemente, não existe nenhum motivo para sentir-se assim? Você está bem na vida profissional, familiar, social e financeira e, no entanto, acaba de passar a noite com a sensação de que algo está errado?

Tire os olhos daquilo que é transitório e visível. Busque a Jesus e os valores eternos. Comece com coisas simples, como dizer: “Eu te amo” às pessoas queridas que estão próximas de você. A morte, um dia, pode levar essas pessoas. Mas nada tirará de você as lembranças dos momentos felizes que viveram juntos, “pois, em morrendo, nada levará consigo, a sua glória não o acompanhará”.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Quão grande -Salmos 48:1

Meditação Diária
QUÃO GRANDE É SEU DEUS?
 Alejandro Bullón
Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, na cidade do nosso Deus. Sal. 48:1.

Quão grande é o seu Deus? Muitos gostam de pequenos deuses. Marionetes aos quais podem dirigir. Deuses que aprovem o que a criatura faz e estejam sempre ao seu serviço. Os homens sentem-se bem assim.

Esse tipo de deus faz mal. Pode acalmar a consciência por um instante, como um comprimido acalma a dor de cabeça, mas não cura. É simples panacéia, “band-aid” para cobrir uma ferida infeccionada. Deus de mentira. Pura ilusão. Simples “energia”, “luz” ou “áurea”.

O salmo de hoje fala de um Deus grande, soberano e pessoal. O salmista não tenta definir Deus. Ele apenas O descreve. Assim são as coisas com Deus. Você O aceita ou O rejeita. É livre. Mas o fato de não aceitá-Lo não muda a existência divina nem o Seu propósito. Ele continua sendo Deus, soberano e eterno.

Por que o Senhor deve ser louvado? Porque existe um relacionamento pessoal entre Ele e Suas criaturas. Ele não é um Deus ausente. Não Se omite. Não é apenas uma força destituída de personalidade. “Deus é amor.” I João 4:8. Criou o ser humano por amor. Por amor compartilhou Sua vida. Diante disto, a criatura devia sentir vontade de enaltecer Seu nome, celebrar, cantar, glorificar. É justamente isso que significa a palavra hebraica halal, que é traduzida para o português como louvor.

Existe um pensamento a mais no verso de hoje. Devemos louvá-Lo “na cidade do nosso Deus”. Na época em que este salmo foi escrito, Jerusalém era considerada a cidade de Deus. O convite hoje é para louvar a Deus na igreja. Há algo especial quando os filhos de Deus se juntam para louvar. A alegria de um passa para o outro. O espírito de adoração é contagioso. Você pode estar carregado de problemas, triste e aflito, mas quando entra na casa de Deus e se junta aos outros adoradores, repentinamente passa a perceber que seu Deus é grande.

E para que tudo isto? Apenas para que Deus Se sinta bem? Não. Quem passa a sentir-se bem é você porque, se o seu Deus é grande, não existe problema que Ele não possa resolver.

Experimente isso. Procure a igreja, louve ao Senhor e verá como a vida é mais fácil de ser vivida. Hoje, apenas lembre-se de que “grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, na cidade do nosso Deus”.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Aplaudi- Salmos 47

Meditação Diária
Aplaudi, vós todos os povos
Pr. Ezequias Costa
Aplaudi com as mãos, vós todos os povos; cantai a DEUS com voz de triunfo – Salmo 47.1

O culto a DEUS e suas formas bíblicas são uma parte importante de nosso relacionamento com nosso DEUS.

Muitos têm negligenciado, com frequência e de forma imprudente, certos elementos do culto que não são familiares. É bom lembrar que nosso DEUS está presente com aqueles que o adoram como ELE pede.

Este Salmo foi usado no passado pelos judeus na celebração do Ano Novo, com a ideia de que DEUS iria reinar sobre as nações no ano que começava. 

Nós cristãos podemos ver neste Salmo como uma profecia da subida do Senhor Jesus aos céus, pois ELE veio, obteve a nossa herança e foi elevado aos céus, conforme Atos dos Apóstolos 1.9-10.

É um Salmo que incentiva o povo de DEUS a entoar louvor ao nosso DEUS. Versos 6 e 7: “Cantai louvores a DEUS, cantai louvores, cantai louvores ao nosso REI, cantai louvores. Pois DEUS é Rei sobre toda a terra; Cantai louvores com inteligência”.

Quando “cantamos louvores com inteligência” damos testemunho do amor de DEUS por nós e do nosso amor por ELE; disso resulta vida ao invés de morte.

As pessoas a nossa volta, ouvindo nosso louvor a DEUS, vão ouvir um testemunho da nossa salvação e do nosso alegre relacionamento com ELE. Isso vai levar outros a encontrar a sua própria salvação.

ALELUIA! Louvemos ao nosso grande DEUS! ALELUIA…

domingo, 22 de setembro de 2013

Voz tranquila-Salmo 46:10

Meditação Diária
VOZ TRANQUILA E SUAVE
Albert Lee

Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. Salmo 46:10

Quando Deus falou a Elias no Monte Orebe, Ele poderia tê-lo feito através do vento, do terremoto ou pelo fogo. Mas Ele não o fez. Ele falou com “um cicio tranquilo e suave” (1 Reis 19:12). Deus perguntou: “Que fazes aqui, Elias?” (1 Reis 19:13), enquanto ele se escondia de Jezebel que o ameaçara de morte.
A resposta de Elias revelou o que Deus já sabia — a intensidade de seu medo e de seu desânimo. Ele disse, com vigor: “Tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só…” (1 Reis 19:14).

Elias era realmente o único que servia a Deus? Não. Deus tinha “…sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal…” (1 Reis 19:18).

Nas profundezas de nosso medo e desespero, também podemos pensar que somos os únicos que servimos a Deus. Isto pode acontecer imediatamente após termos alcançado um grande sucesso, como aconteceu com Elias. O Salmo 46:10 nos traz à memória “aquietai-vos e sabei” que Ele é Deus. Quanto mais cedo nos firmarmos nele e no Seu poder, mais rápido teremos alívio de nosso medo e autopiedade.

Os címbalos anunciando nossas falhas, e, o soar da trombeta anunciando nossos sucessos abafam a voz tranquila e suave de Deus. É tempo de aquietarmos nossos corações para ouvi-lo enquanto meditamos em Sua Palavra. —AL

Para reconhecer à voz de Deus, precisamos nos desligar do ruído do mundo.

Aquietai-vos-Salmos 46:10

Meditação Diária
AQUIETAI-VOS
Alejandro Bullón
Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na Terra. Sal. 46:10.

Este é um conselho difícil. Quem é capaz de aquietar-se quando as coisas andam mal? Imagine uma equipe de futebol jogando pelo título mundial. Faltam cinco minutos para o fim do jogo e o time está perdendo. Você pensa que a ordem do treinador será: “aquietai-vos”? Como aquietar-se quando se está desempregado ou uma enchente se aproxima, destruindo tudo o que encontra no caminho, ou quando você acaba de descobrir que seu filho está com leucemia?

Evidentemente, o “aquietar-se” que o salmista menciona não tem nada que ver com cruzar os braços e dormir descansadamente enquanto as coisas desabam à sua volta.

O Salmo 46, de onde extraí o verso de hoje, é um salmo de confiança. O salmista começa dizendo: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.” Note esse pensamento muitas vezes ao longo da Bíblia. Deus nunca prometeu que você estaria isento de momentos difíceis. Sua promessa é que, em meio das tribulações, Ele será seu “refúgio” e “socorro bem presente”.

Neste salmo, se repete três vezes a expressão: “Deus está conosco”. Esse é o motivo por que precisamos aquietar-nos. Enquanto corremos de um lado para o outro, tentando resolver os problemas do nosso modo, não há tempo para ver que “Deus está conosco” que Ele é o nosso refúgio, fortaleza e socorro bem presente.

O verso de hoje é um convite para separar tempo para Deus, antes de sair correndo por aí. Nesse tempo, a sós com o Criador, você poderá conversar com Ele, ler Suas promessas escritas na Bíblia, meditar nelas. Então, você perceberá que não está sozinho. “Deus está conosco”. E, como disse Paulo: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” Rom. 8:31.

“Aquietai-vos” Para quê? Para “saber que Eu sou Deus”, e para “contemplar as obras do Senhor.” Sal. 46:10 e 8.

Você não precisa se desesperar diante do drama que está vivendo. Aquiete-se, converse com Deus, conte a Ele tudo o que está acontecendo, diga-Lhe que você não tem forças nem recursos. Veja que Ele está ao seu lado, pronto a entregar-lhe as vitórias que Ele já conseguiu para você. “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na Terra.”

sábado, 21 de setembro de 2013

Cetro de Equidade-Salmo 45:6

Meditação Diária
CETRO DE EQUIDADE
Alejandro Bullón
O Teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do Teu reino. Sal. 45:6.

O texto de hoje é um salmo messiânico. Fala da pessoa e do poder do Messias, do Seu governo e de Sua glória eterna.

Você sabe que tudo é passageiro nesta vida. Tudo começa e termina. Tudo, mais cedo ou mais tarde, chega ao fim. No deserto desta vida, Deus provê muitos oásis para mitigar a sede. Nas tormentas de nossa existência, Ele coloca muitos refúgios para proteger-nos das inclemências. Mas nosso destino final não está neste mundo. Todas as coisas boas desta vida têm apenas a finalidade de tornar menos cansativa a nossa viagem através das areias escaldantes, mas não provêem segurança plena e satisfação completa. Nenhum oásis é permanente, porque não é um simples oásis que procuramos. A nossa busca final é por Aquele que um dia disse: “Se alguém tem sede, venha a Mim e beba.” João 7:37.

O verso de hoje fala do glorioso dia no qual finalmente o trono de Deus será estabelecido. Aquele será o fim de nossa peregrinação. Estaremos com Cristo no lar, afinal. Naquele dia beberemos da água que Ele nos dará e nunca mais teremos sede. “Vi novo céu e nova terra... E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor.” Apoc. 21:1 e 4.

Mas o salmista acrescenta que naquele dia o cetro do reino de Cristo será um cetro de equidade. Equidade é justiça. O governo sem-fim de Jesus será justo.

Naquele dia, haverá pessoas que acharão que Jesus Se equivocou. “Muitos, naquele dia, hão de dizer-Me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em Teu nome, e em Teu nome não expelimos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim.” Mat. 7:22 e 23.

Haverá gente que achará que serviu a Deus e, no entanto, se perderá. Isso é doloroso. Mas será justo, porque não basta “achar”. É preciso conhecer a Palavra de Deus e, com humildade, ajustar a vida aos Seus ensinamentos.

Hoje, quero pensar em minhas atitudes e decisões com relação à Palavra de Deus. Estou sendo humilde para obedecer-lhe ou soberbo para questioná-la? “O Teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do Teu reino.”

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Vencendo- Salmos 44:5

Meditação Diária
VENCENDO OS INIMIGOS
Alejandro Bullón

Com o Teu auxílio, vencemos os nossos inimigos; em Teu nome, calcamos aos pés os que se levantam contra nós. Sal. 44:5.

Não se pode dizer com precisão quem foi o autor deste salmo, nem em que época foi escrito. Possivelmente tenha sido no tempo da invasão dos assírios e o autor tenha sido o rei Ezequias. Uma coisa é certa, Israel estava com os dias contados. O inimigo não era imaginário. Era real e estava próximo. E o povo de Deus não sabia o que fazer, nem para onde ir.

Todos os dias, você e eu enfrentamos situações parecidas. Inimigos de todos os tipos rodeiam a nossa vida. A enfermidade, o desemprego, a rejeição, a desintegração da família... Não são inimigos imaginários. Estão bem aí, diante de nós.

Ezequias sabia em quem depositar a confiança. Se você ler os cinco primeiros versos deste salmo contará pelo menos oito vezes os pronomes “Tu” e “Teu”. O autor está falando de Deus; Suas mãos são ativas, Seu braço poderoso, Seu rosto fulgurante. Ele é o rei, auxiliador, e Seu nome é poderoso. Você precisa ter medo estando escondido nas mãos de um Deus assim?

Mas o texto de hoje diz: “Com o Teu auxílio” venceremos. Ezequias não deixa toda a responsabilidade da vitória com Deus. Ele sabe que existe uma participação humana. Qual é a responsabilidade da criatura? Aceitar. Permitir que Deus opere, em nós e através de nós, as Suas grandes obras de vitória.

A maior luta a ser vencida não é contra os inimigos exteriores. O maior e mais perigoso inimigo está dentro de nós. É a indômita criatura que não gosta de submeter-se ao controle divino. Preferimos lutar, agonizando, sangrando, e exaustos. Mas continuamos lutando até cairmos impotentes em algum canto da vida.

Ezequias aprendeu a confiar em Deus. Não foi fácil para ele. Nunca foi fácil para ninguém. Mas finalmente ele entendeu que sozinho estaria perdido.

Quem se levantou contra você? É hoje um desses dias em que tudo parece nebuloso na sua vida? Você abre a janela do seu coração e vê um exército ameaçador pronto a derrotá-lo? Não tema! A Bíblia é a história da libertação do homem. Ela mostra um Deus sempre ativo e disposto a intervir na vida dos Seus filhos, se eles Lhe permitirem. Por isso, hoje, repita com convicção: “Com o Teu auxílio, [venceremos] os nossos inimigos.”

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Faze-me Justiça-Salmos 43:1

Meditação Diária
FAZE-ME JUSTIÇA, Ó DEUS
Alejandro Bullon
Faze-me justiça, ó Deus, e pleiteia a minha causa contra a nação contenciosa; livra-me do homem fraudulento e injusto. Sal. 43:1.

Outro dia, uma senhora perdeu a guarda do filho, só porque o marido tinha muito dinheiro e contratou os melhores advogados. A senhora estava revoltada e decidiu fazer um trabalho de macumba contra o marido. Foi nessas circunstâncias que ela conheceu o evangelho e aceitou a Jesus.

Para aquela mulher e tantas outras pessoas que sofrem injustiças, a oração do salmista deve ter muito sentido. Fraude e injustiça andam de mãos dadas. O fraudulento usa a mentira, o disfarce, o engano e a astúcia como armas. Compra consciências e acha que tem o controle da vida.

Quando você é vítima de alguma injustiça, pode chegar até o fundo do poço. Era assim que Davi se sentia. Ele diz no verso 2: “Por que me rejeitas? Por que hei de andar eu lamentando sob a opressão dos meus inimigos?”

Rejeição e opressão. Na há nada mais doloroso do que se sentir rejeitado. Nada mais humilhante do que estar oprimido. A vítima da injustiça perde a auto-estima e cai na depressão.

Aonde vão os filhos de Deus diante das adversidades? Quando você acha que a vida não está sendo justa com você, quando bate às portas das oportunidades e todas se fecham?

O salmista sabia aonde ir. Ele implora a Deus por justiça. “Faze-me justiça, ó Deus”, ele clama. Fazer justiça, do verbo hebraico shapat, tem um sentido jurídico. Shapat expressa a atividade de uma pessoa que atua como intermediária entre duas partes que estão em conflito.

Na vida espiritual, também existe um conflito permanente. Não é justo o que o inimigo faz com os filhos de Deus na Terra. Não é justa a maneira como ele destrói famílias, estraçalha sonhos e acaba com as pessoas.

A morte de Cristo na cruz do Calvário foi a resposta divina ao clamor humano. Nunca houve e nunca haverá ato vindicatório maior que o sacrifício de Jesus na cruz.

Por isso, hoje, não se sinta diminuído diante das injustiças da vida. Levante a cabeça, olhe o horizonte de oportunidades que Deus apresenta diante de você e clame: “Faze-me justiça, ó Deus, e pleiteia a minha causa contra a nação contenciosa; livra-me do homem fraudulento e injusto.”

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Sede da Alma-Salmos 42: 1

Meditação Diária
SEDE DA ALMA
Alejandro Bullon
Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por Ti, ó Deus, suspira a minha alma. Sal. 42:1.

Em cidades como Nova Iorque, ou Paris, a água não é mais simplesmente água, é bebida de luxo. Com mais de 700 marcas para escolher, “eau de bonteille” pode custar até o absurdo preço de 15 dólares num restaurante sofisticado, como o Alain Ducase, de Nova Iorque.

Nos últimos anos, a venda de água engarrafada no mundo tem aumentado bastante, e a indústria daquilo que os americanos estão chamando de “a essência da vida” chega hoje a 7 bilhões de dólares anuais só nos Estados Unidos. Tudo porque, de repente, a humanidade parece ter redescoberto os benefícios da água para a saúde.

Está comprovado que as pessoas bebem pouca água. Calcula-se que a maioria dos habitantes do planeta vive cronicamente desidratada. Todos os dias, um adulto perde por volta de um litro de líquido e, se esse líquido não for reposto, haverá prejuízo para o organismo.

O texto de hoje apresenta a figura da corça suspirando pelas correntes das águas. Nas terras desérticas, era comum ver as manadas das corças movendo-se de um lugar para outro, buscando uma poça de água. Às vezes, uma corça solitária perseguida pelos predadores ficava exausta e machucada de tanto correr, e o seu último refúgio era uma poça de água. O animalzinho descia a colina e nadava no meio da água, procurando ocultar-se de seus inimigos. Para a corça, a água não era algo opcional, era assunto de vida ou morte.

Porém, o Salmo de hoje não está falando apenas de água, está falando de Deus, o único Ser capaz de suprir a sede da alma. “A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo” (Sal. 42:2), diz Davi.

“Sede do Deus vivo.” Nossos dias estão cheios de deuses mortos. Inventamos pequenos deuses, manipuláveis, dirigíveis, só para tentar enganar a sede da alma. Brincamos de acreditar em Deus, mas o coração continua sedento. Como um deserto sem vida, esperando uma gota de água, uma palavra de amor, um gesto de ternura, uma atitude de carinho.

Ah, se o ser globalizado de hoje abandonasse um pouco suas conexões mirabolantes e parasse na sua corrida louca, descobriria o segredo da vida vitoriosa do salmista e também diria: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por Ti, ó Deus, suspira a minha alma.”

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Acudir o necessitado- Salmos 41:1

Meditação Diária
ACUDIR AO NECESSITADO
Alejandro Bullón
Bem-aventurado o que acode ao necessitado; o Senhor o livra no dia do mal. Sal. 41:1.

Este é o terceiro salmo que começa com a palavra “bem-aventurado”. Os outros são: o Salmo 1 e o 32. Bem-aventurado quer dizer: “feliz”, “abençoado”. Quem não anela ser feliz?

Este salmo tem estreita conexão com o salmo anterior. Neste último, o salmista termina dizendo: “Eu sou pobre e necessitado.” Sal. 40:17. Depois, vem o verso de hoje: “Bem-aventurado o que acode ao necessitado.”

Evidentemente, Davi está falando dele como o necessitado. Mas Davi não era pobre em recursos materiais. Este salmo foi escrito durante a rebelião de Absalão, seu filho. Na época, o salmista já era o rei de Israel. Um rei nunca passa por necessidades materiais; portanto, a promessa de hoje não é simplesmente para quem dá uma esmola na rua, ou oferece um prato de comida ao faminto.

Pobreza é carência, falta. A pobreza começa quando as coisas acabam. Uma pessoa não é pobre só porque vive num barraco simples ou veste roupa remendada. Uma pessoa também é pobre quando as forças chegam ao fim, quando o cônjuge morre, o filho está na prisão, a alegria desaparece e a tempestade envolve a vida.

A promessa de Deus hoje é para todos aqueles que são capazes de enxergar um coração quebrantado, uma alma ferida, um ser fragilizado com fome de pão ou de consolo, e estão prontos a estender a mão ou oferecer uma palavra de conforto. A estes, diz: “O Senhor o livra no dia do mal.”

Observe bem a promessa. O Senhor não diz que o livrará do mal, mas “no dia do mal”.

Quando você pergunta por que sofre, se anda nos caminhos do Senhor e faz a Sua vontade, está cobrando de Deus uma promessa que Ele nunca fez.
“O dia do mal” sempre tocará a vida dos filhos de Deus na Terra. Mais cedo ou mais tarde, sempre teremos uma lágrima a derramar. Mas se você estendeu a mão para ajudar e confortar o pobre e o necessitado no “dia do mal” deles, com certeza Deus estenderá Sua mão para tirá-lo das dificuldades quando a provação chegar na sua vida.

Por isso, ao longo do dia, peça a Deus que abra seus olhos para ver um necessitado e acudi-lo, porque: “Bem-aventurado o que acode ao necessitado; o Senhor o livra no dia do mal.”

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Agradecendo- Salmos 40:2

Meditação Diária
OBRIGADO, SENHOR!
Alejandro Bullón
Tirou-me de um poço de perdição, dum tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. Sal. 40:2.

O salmo de hoje mostra o processo maravilhoso da salvação. Alguém está completamente destruído pelo pecado e, de repente, deixa-se encontrar pelo Senhor Jesus, O aceita como seu Salvador pessoal e o Senhor o transforma num príncipe para Seu reino.

Ao longo das quase quatro décadas apresentando Jesus Cristo como a única solução para os problemas humanos, tenho visto prostitutas, homossexuais e marginais da pior espécie serem transformados pela graça maravilhosa de Cristo.

Davi descreve, num só verso, como Deus age com o pecador arrependido: “Tirou-me de um poço de perdição.” O salmista está falando aqui da prisão. O pecado aprisiona, escraviza, não permite você ir aonde quer, tira sua liberdade.

Nas prisões daqueles tempos não havia banheiros. Eram poços imundos, asfixiantes. Davi o chama “tremedal de lama”. Quando o salmista deixou-se arrastar pelo pecado, foi parar literalmente no fundo do poço. Sem saber mais aonde ir nem o que fazer com a vida, clamou por socorro e o Senhor apareceu. Jesus sempre está pronto a aparecer na vida de qualquer ser humano que clama por perdão. Mas Ele nada pode fazer por alguém que tenta “justificar”, “racionalizar” ou “explicar” suas ações erradas.

O texto diz: “Colocou-me os pés sobre uma rocha...” Quem é essa rocha? Jesus, a Rocha dos séculos. O pecador agora está livre, perdoado e justificado na rocha. Salvo em Cristo, porque “não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos”. Atos 4:12.

O trabalho de Jesus não termina aí. O salmo diz: “... me firmou os passos”. Se você tenta ser um cristão, descobre que não é fácil andar com firmeza. A estrada está cheia de perigos e tentações. Quantas vezes os pés vacilam e você escorrega, chegando a sangrar.

Jesus é a única solução. Ele não é apenas seu salvador, é também seu sustentador. Ele o levará até a vitória final. Ele completará em você a obra que iniciou. Por isso, diga com gratidão em seu coração: “Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama, colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos.”

http://www.palavraeficaz.com/

domingo, 15 de setembro de 2013

Fragilidade- Salmos 39:4

Meditação Diária
MINHA FRAGILIDADE
Alejandro Bullón
Dá-me a conhecer, Senhor, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade. Sal. 39:4.

Hoje, quero convidar você a pensar na brevidade da vida. É o que o salmista faz. Ele nos leva a pensar. O inimigo não gosta que o ser humano pense, especialmente quando se trata de assuntos espirituais. Essa é a melhor maneira de levá-lo a viver descuidadamente, como se a vida nunca fosse terminar.

O apóstolo Tiago parece desenvolver o pensamento do texto de hoje ao declarar: “Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” Tiago 4:13 e 14.

A Bíblia não ensina que fazer planos seja errado. Uma vida sem planos não tem sentido. O salmista aconselha a planejar, tendo em conta a brevidade da vida.

Se você tivesse que fazer apenas cinco coisas na vida: criar seus filhos, conseguir um título profissional, construir uma casa, estar em paz com Jesus e deixar uma boa herança para seus filhos. Qual seria a ordem de prioridade? Que coisa você faria primeiro? Qual deixaria para o fim? Uma coisa depende da outra? Com certeza; mas o fundamento espiritual lhe dá sentido a tudo.

Quantas vezes encontro pessoas que, no fim da existência, lamentam-se pelo tempo perdido e as oportunidades desperdiçadas.

Um homem que cometeu suicídio ao descobrir que estava com Aids deixou escrito o seguinte: “Deus me chamou na meninice, na juventude e na vida adulta. Nunca quis ouvir Sua voz. Hoje, descobri que estou condenado. Sei que morrerei e sinto a voz de Deus chamando-me. Mas, por que devo aceitar, se a minha vida já não tem valor?”

Você reconhece a sua fragilidade? Sabe que hoje é, mas que amanhã não será? 

Por que não dar valor às coisas que realmente valem? Por que não mudar as prioridades da vida? Amar, perdoar, dar uma nova oportunidade a quem errou. Desfrutar as alegrias simples da vida, importar-se com as lágrimas de uma criança, ser gentil; enfim, são coisas pequenas que valem a pena serem vividas. Que a sua oração seja: “Dá-me a conhecer, Senhor, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade.”

sábado, 14 de setembro de 2013

Não me desampares- Salmos 38:21

Meditação Diária
NÃO ME DESAMPARES
Alejandro Bullon
Não me desampares, Senhor; Deus meu, não Te ausentes de mim. Sal. 38:21.

Naquela trágica tarde no Éden, Deus não ficou triste porque Adão e Eva tinham comido um fruto. Mas porque os filhos amados, que outrora corriam felizes aos braços do Pai, desta vez se esconderam dEle. O pecado tinha criado um abismo de separação entre o Criador e a criatura. Essa é a conseqüência mais cruel do pecado. E insta para que o ser humano viva apenas preocupado com a exterioridade do cristianismo.

A partir daquele dia, a humanidade começou sua corrida solitária pelo deserto da vida. O tempo se encarregaria de mostrar-lhe como é triste viver separado de Deus. Separação traz desintegração, e desintegração, morte.

No Salmo 38, Davi descreve as conseqüências visíveis do pecado. “Não há parte sã na minha carne, por causa da Tua indignação; não há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado.” Sal. 38:3. Ele chora. O pecado afeta a vida física do homem. Apaga o desejo de viver que gera endorfinas, alimento das células do corpo. A vida perde sentido. A criatura deixa de viver e apenas existe.

“Tornam-se infectas e purulentas as minhas chagas, por causa da minha loucura” (Sal. 38:5), Davi continua – e com esse lamento descreve o que a consciência é capaz de fazer na mente do pecador. “Como pude fazer esta loucura!”, desespera-se o pobre pecador, logo que o fascínio da tentação acaba. Mas já é tarde. As conseqüências sociais do erro aparecem como “setas” ferindo a alma. “Os meus amigos e companheiros afastam-se da minha praga, e os meus parentes ficam de longe.” Sal. 38:11.

Tristeza, desolação. Abandono. Autocondenação. Facas afiadas que ferem até sangrar. Davi sabia bem o que era isso. Mas de todo o Salmo, escolhi apenas o verso 21: “Não me desampares... Não Te ausentes de mim.”

Ah, coração rebelde! Quando as luzes ofuscantes da tentação vierem à tua vida, pensa um pouco no mundo de escuridão e frio que envolve o coração por causa do pecado, olha para cima e clama com todas as forças do teu ser: “Não me desampares, Senhor; Deus meu, não Te ausentes de mim.”

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Deus o fará- Salmo 37:5

Meditação Diária
DEUS O FARÁ
Alejandro Bullón
Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará. Sal. 37:5.

O relógio digital do aeroporto da Sibéria indicava 29 graus negativos. Era um frio de doer. O que me fazia tremer, porém, não era a madrugada gelada daquele lugar, mas a possibilidade de perder o vôo. Alguma vez o avião já o deixou por uma questão de minutos? É muito desagradável, ainda mais no meu caso. Estava febril, e os sintomas da gripe evidenciavam um corpo cansado, depois de uma semana intensa de trabalho. O que mais queria naquele momento era voltar para casa, mas tudo dava errado. A possibilidade de perder o vôo era cada vez mais real. Isso me deixava nervoso e fazia sentir-me mais enfermo.

De repente, veio à minha mente o salmo de hoje: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará.” Como bálsamo que traz alívio, as palavras do salmista trouxeram ao meu coração ansioso a paz que precisava. Percebi que estava me afogando num copo d’água. Aquilo era problema? Permanecer, na pior das hipóteses, mais 24 horas, numa cidade que, embora castigada pelo clima, é o lar de milhões de seres humanos maravilhosos, era motivo para sentir-me deprimido? Mas a vida é assim. Perdemos a paciência com facilidade. Complicamos as coisas. Superestimamos as dificuldades. Nós nos destruímos desnecessariamente.

Pense nas lutas que você deve enfrentar hoje. Mas não pense sozinho. Experimente confiar em Deus. Depois, pense com calma. Não deixe seus sentimentos negativos ofuscarem o raciocínio. Agora, responda: Essa dificuldade que você está enfrentando é motivo para sentir-se tão mal, a ponto de magoar as pessoas à sua volta? Por que não levantar os olhos e entregar o seu caminho ao Senhor?

O salmo diz: “Ele fará.” Isto não significa necessariamente que você ficará de braços cruzados. Deus o fará colocando paz em seu coração e dando-lhe a capacidade de ver o problema por outro prisma. Então, talvez você perceba que o problema não é tão grande. E se for? Bom, Deus é Deus. Soberano e eterno. Todo-poderoso. Não conhece impossíveis. Se Ele foi capaz de abrir o Mar Vermelho, não pode também abrir o mar de dificuldades na sua frente? Portanto: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e o mais Ele fará.”


Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis