Translate

terça-feira, 31 de julho de 2012

MD:Isaías 6:1, 2


Meditação Diária
Serafins

No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de Suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. Isaías 6:1, 2

Os serafins pertencem a uma das mais exaltadas milícias celestiais. São “seres resplandecentes”, exaltados e nobres.

Ao estar em oração numa das alas do templo, Isaías teve uma visão do templo celestial. Suas portas se abriram e ele viu, no lugar santíssimo, o próprio Deus assentado em Seu alto e sublime trono. Que privilégio! De acordo com o Comentário Bíblico Adventista, a palavra “templo”, nessa ocasião, estava designando “o palácio do Grande Rei do Céu”.

Pela visão de Isaías, descrita no capítulo 6 do seu livro, podemos deduzir que os anjos pertencentes a essa categoria angelical são extraordinariamente belos. Eles são dotados de seis asas: duas são usadas para voar, duas para cobrir o rosto e duas para cobrir os pés. Quando Isaías teve essa visão, os serafins se apresentavam com as faces veladas em adoração, unindo suas vozes em solene invocação, clamando em antífona “uns para os outros: santo, santo, santo, é o Senhor dos exércitos”. Segundo alguns estudiosos, inclusive Billy Graham, a função primordial dos serafins é louvar o nome de Deus em Seu trono celestial e revelar a todo o Seu vasto Universo, incluindo nosso planeta, a glória divina.

Em toda a Bíblia, os serafins são mencionados apenas nesta visão de Isaías relacionada com o seu chamado e sua capacitação para a grande missão que o Senhor lhe confiara.

Como seria se acontecesse conosco o que aconteceu com Isaías, os nossos lábios serem tocados por uma brasa viva do altar de Deus trazida por um serafim? Quem sabe deixaríamos de ter lábios impuros, conversas vulgares seriam abandonadas, palavras torpes deixariam de ser pronunciadas... Em vez de criticar, usaríamos os lábios para abençoar os semelhantes. Muitos dos nossos hinos deixariam de ser apenas expressão da nossa vaidade pessoal e passariam a ser uma expressão do nosso amor e louvor a Deus e, então, as palavras de nossas orações chegariam com toda a certeza ao trono da graça.

REFLEXÃO: “Então, disse eu: Ai de mim! Estou perdido! [...] Então, um dos serafins voou para mim [...] com a brasa [viva] tocou a minha boca e disse: [...] a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado” (Is 6:5-7). Seja essa a minha e a sua experiência. Amém!
Escrito por Wilson Sarli


Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.


domingo, 29 de julho de 2012

MD:Hebreus 1:14


Meditação Diária
Anjos

Ainda, quanto aos anjos, diz: [...] Não são todos eles espíritos ministradores enviados para serviço, a favor dos que hão de herdar a salvação? Hebreus 1:14

A partir de hoje, vamos conhecer melhor algumas das categorias de anjos, suas atribuições, títulos que lhes foram dados e seus significados, e a diferença entre eles no grande contingente angelical.

Essa grande e absoluta maioria anônima de anjos, “anjos magníficos em poder”, fazem parte das milícias celestiais.

São como soldados da linha de frente que executam ordens superiores, tanto de Deus como dos anjos mais categorizados. São os exércitos do Senhor.

De acordo com João, o autor do livro do Apocalipse, o seu número é de “milhões de milhões” (Ap 5:11). São os anjos da guarda e, como tais, podem se apresentar, dependendo da situação, como anjos guerreiros, anjos mensageiros, anjos guias, anjos guardadores, anjos protetores, anjos libertadores, etc.

Os anjos dessa imensa categoria são bastante ativos e estão num constante vaivém entre o Céu e a Terra, obedecendo à voz da palavra de Deus (Sl 103:20, 21). Eles foram criados para servir diante do trono de Deus e para cumprir missões específicas em Seu grandioso Universo.

...“Esses anjos de luz criam uma atmosfera celestial, erguendo-nos para o invisível e eterno [...] Repetidas vezes têm anjos falado com homens, do mesmo modo como um homem fala com seu amigo, e os têm levado para lugares livres de perigo” (Atos dos Apóstolos, p. 153).

Em face de tantas evidências, “precisamos conhecer melhor do que conhecemos a missão dos anjos [...] Exércitos invisíveis, de luz e poder, auxiliam os mansos e humildes que crêem nas promessas de Deus e as reclamam. Querubins, serafins e anjos magníficos em poder, estão à destra de Deus, sendo ‘todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação’ [Hb 1:14]” (ibid., p. 154).

Os anjos estão sempre desejosos de fazer tudo por nós, desde que não lhes resistamos. Devemos aceitá-los como nossos amigos e pedir a Deus que eles sempre nos protejam. A atuação dos anjos junto aos filhos de Deus é demonstração do amor divino e, também, a maneira de Deus animar e alentar o peregrino prostrado na sua caminhada rumo ao lar celestial.

REFLEXÃO: “Bendizei ao Senhor, todos os Seus anjos, valorosos em poder, que executais as Suas ordens, e Lhe obedeceis à palavra” (Sl 103:20).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

sábado, 28 de julho de 2012

MD-Salmo 91:11


Meditação Diária
A Proteção dos Anjos

O Senhor dará instruções especiais aos Seus anjos para te protegerem em qualquer lugar onde fores. Salmo 91:11, BV

A atuação dos anjos bons aqui na Terra garante aos filhos de Deus segurança e proteção. É a maneira como Deus Se serve para animar, alentar e fortalecer os peregrinos na sua caminhada rumo ao Lar.

Os anjos são seres celestiais, majestosos, envoltos em luz, magníficos em poder e autoridade, enviados por Deus à Terra para auxiliar, servir e proteger as pessoas. Dedicam especial atenção às crianças por serem elas mais vulneráveis e indefesas.

Só por esse cuidado tão terno, compassivo e amoroso, dispensado aos seus filhos, livrando-os não poucas vezes de situações adversas e perigosas, sem mesmo o saberem, os pais deveriam ser muito gratos a esses invisíveis seres extraterrestres.

Qualquer pai ou mãe jamais deveria deixar de pedir a Deus que guarde seus filhos, particularmente os pequenos, especialmente num tempo de tantos perigos, de violência contra crianças, seqüestros e desaparecimento de menores indefesos. Mas não se esqueçam de seus filhos já adultos ao saírem para o trabalho, para as universidades, para um passeio ou uma viagem. Eles também precisam de suas orações e proteção. Pais, confiem humildemente no anjo da guarda de seus filhos.

 “Antes de sair de casa para o trabalho, toda a família deve ser reunida; e o pai, ou a mãe na ausência dele, deve rogar fervorosamente a Deus que os guarde durante o dia [...] Anjos ministradores hão de guardar as crianças assim consagradas a Deus” (Orientação da Criança, p. 519).

Oremos: “Senhor, peço-Te em favor de todas as crianças: das pobres e das ricas, das que têm um lar e das que não o têm, das que vivem nas ruas e das que têm uma casa onde morar, das órfãs e das que têm pais, das famintas e das que têm abundância de alimento, das negras, das brancas, das de todas as raças e origens, das excepcionais que, em muitas coisas dependem de adultos amorosos e compreensivos; enfim, das tantas e tantas outras que necessitam de amor, carinho e educação.” Todas são vulneráveis e presas fáceis da maldade, dos traficantes de drogas, dos mercadores do sexo e dos aproveitadores da sua inocência. Meu Deus, dá ordens aos Teus anjos a respeito delas. Amém!

REFLEXÃO: “O Senhor [...] enviará contigo o Seu anjo e levará a bom termo a tua jornada” (Gn 24:40).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

MD:Mateus 16:18


Meditação Diária
O Significado Cristão do Vocábulo Igreja

Sobre esta pedra edificarei a Minha igreja. Mateus 16:18

A palavra igreja é de origem grega e não existe no Antigo Testamento. Esse vocábulo é uma tradução do termo grego eclésia que significa “os chamados de fora”, ou uma reunião de pessoas com fins políticos, sociais ou até mesmo religiosos.

Já que esse termo e suas finalidades eram bem familiares aos Seus discípulos, Jesus aproveitou-o, dando-lhe novo significado quando afirmou: “Edificarei a Minha igreja” (eclésia). Com isso, Ele queria dizer mais ou menos assim: “já que os judeus têm sua assembléia; e os gregos a sua, Eu também vou edificar a Minha assembléia”, isto é, a Minha eclésia (igreja). 
Mas que esse novo significado era essencialmente espiritual porque daquele momento em diante, para os cristãos, a igreja não seria simplesmente um encontro de pessoas com finalidades seculares, e sim, uma assembléia de pessoas redimidas por Jesus Cristo.

Desse momento em diante, a igreja, com esse novo significado dado por Cristo, passou a ser uma comunidade separada de crentes com o fim de demonstrar amor e lealdade de uns para com os outros e de todos para com Cristo.

A palavra igreja é usada no texto bíblico pelo menos em dois sentidos: em sentido geral, aplica-se ao corpo místico de Cristo, a igreja em todo o mundo; e, em sentido local, à igreja de uma cidade ou região. Já nos primeiros tempos da igreja cristã, eram mencionadas as igrejas locais: a igreja de Roma, a igreja de Corinto, a igreja de Éfeso e outras mais. Mas, também temos referências às igrejas de uma região: as igrejas da Galácia, as igrejas da Ásia, etc.

Deus estabeleceu Sua igreja com ordem, para facilitar a administração local e a evangelização dos povos. Os apóstolos colocaram em prática os critérios divinos, organizando igrejas entre os povos que eram evangelizados na Ásia e Europa.

Deus os abençoou com grandes resultados e crescimento. Eles cumpriram a missão que o Senhor lhes confiou e os frutos se espalharam na forma de milhares de igrejas em todo o mundo, inclusive a igreja local da qual fazemos parte. É a soma de todas as igrejas de todos os lugares e tempos que forma a igreja geral, o corpo de Cristo.

Amemos nossa igreja, pois ela faz parte dos planos de Deus para a salvação da humanidade.

REFLEXÃO: Portanto, “quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap 2:29).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

MD-Efésios 5:27


Meditação Diária
A Igreja

Para a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Efésios 5:27

Naquele sábado, eu deveria fazer o sermão de dedicação de uma linda igreja, um verdadeiro santuário de adoração. Momentos antes, um dos líderes daquela igreja segredou-me: “Pastor, agora, com este belo templo, confortável e atraente, vamos ganhar muitas pessoas para Jesus.” E ele estava sendo bastante sincero em suas palavras.

Concordei com ele, mas acrescentei: “Sabe, tudo isso ajuda, sem dúvida... mas não se esqueça de que não são os tijolos, as pedras, a beleza das cores e os vitrais que atraem pessoas a Cristo, e sim o bom testemunho dos seus membros diante da comunidade.

“A igreja não é templo [...] Não é santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornaram crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas [...] de soberbos que se fazem humildes; de degradados que voltam ao aprisco.

“Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única não diferença na igreja é a fé em Jesus Cristo”. Quem menospreza a igreja ofende a Cristo que é o Seu esposo (Revista Ultimato, março e abril de 2002, adaptado).

A igreja é a família de Deus na Terra, composta de filhos adotados (Rm 8:15, 16) por Sua escolha. E, como tais, somos “concidadãos dos santos” (Ef 2:19), co-herdeiros com Cristo” (Ef 3:6; Rm 8:17) e co-participantes das promessas” (Ef 3:5). Enfim, somos nada mais e nada menos que membros da família de Deus com todos os privilégios de filhos. Nela, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora.

A igreja é conhecida também como: “igreja do Deus Vivo” (1Tm 3:15), “rebanho de Deus” (1Pe 5:2), “igreja de Deus” (1Co 11:22; 1Tm 3:5), “corpo de Cristo” (1Co 12:27), “igreja dos primogênitos” (Hb 12:23), “universal assembléia” (Hb 12:22).

Em nossos dias, a igreja nada mais é que o povo de Deus reunido em amor, com o pensamento centralizado em Cristo e, sob a liderança do Espírito Santo, envolvido na pregação da volta de Jesus.

REFLEXÃO: Na consumação dos séculos, parafraseando Apocalipse 21:3, “Deus habitará conosco. Nós seremos povo de Deus, e Deus mesmo estará conosco”. Deus estará com a Sua igreja para sempre!
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

terça-feira, 24 de julho de 2012

MD-Mateus 3:11


Meditação Diária
Com o Espírito e com Fogo

Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. Mateus 3:11

A partir do Pentecostes, quando o prometido Consolador veio a cada genuíno crente nascido de novo, foi-lhe dada a garantia do Espírito Santo em sua vida. Ele foi, então, batizado com o Espírito Santo. Segundo o Dr. A. V. Wallenkampf, “qualquer pessoa que se tenha rendido em fé e obediência ao Senhor Jesus Cristo foi batizada no Espírito Santo”.

Quanto aos discípulos, de antes e depois do Pentecostes, o Espírito Santo Se revelou de duas maneiras: antes, Ele estava com eles;depois, Ele estaria neles, residindo dentro deles, transformando-os em templos de Deus. 

Portanto, o batismo do Espírito Santo é a maneira da qual Deus Se serve para transmitir Sua vida a nós, produzindo em nós energia como se fosse um fogo divino que purifica todo o nosso ser, aperfeiçoa nosso caráter e consome todas as nossas tendências pecaminosas.

A declaração bíblica é: “com o Espírito Santo e com fogo”. Essas duas expressões, “com o Espírito Santo” e “com fogo”, é a maneira que João Batista encontrou para enfatizar a mesma verdade. A segunda expressão fortalece a primeira, querendo dizer que a obra do Espírito Santo é completa tanto na sua realização como nos seus resultados.

Ser batizado com o Espírito Santo é o mesmo que ser batizado com fogo divino. “O Espírito Santo consumirá o pecado em todos quantos se submeterem a Seu poder [...] Quando alguém é batizado por Jesus com o Espírito Santo e com fogo, é então revelado tão grande acervo de orgulho, egoísmo, suspeita, amor a posição, irritabilidade e evidente ignomínia que ele fica espantado” (E. Froom, A Vinda do Consolador, p. 267, 268). São essas coisas e muitas outras mais que esse “fogo” espiritual deve consumir.

O fogo do Espírito Santo separa o bom do ruim, como o ouro e a escória são separados no cadinho da fundição. O fogo do Espírito Santo amolece o duro coração e abranda a nossa natureza má e pervertida. O fogo do Espírito Santo gera poder para vencer as tentações.

Só é batismo do Espírito Santo quando sacramentado com fogo divino. E o fogo é santo quando purifica, santifica e produz arrependimento. Se isso não acontece é fogo falso “aceso pelo diabo”.

Oremos: Senhor, meu Deus e Pai, queima o pecado que ainda existe dentro de mim. Envia do Teu altar uma brasa chamejante para purificar meus lábios e meu coração e minha igreja. Amém!

REFLEXÃO: “Ora, já me aquentei, já vi o fogo” (Is 44:16, ARC).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

MD-Tito 2:13


Meditação Diária
A Espera

Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus. Tito 2:13

A espera caracteriza nossa existência sobre a Terra. Enquanto vivermos estaremos sempre à espera e a caminho. O verso devocional diz: 

“Aguardando a bendita esperança”. Enquanto Deus é Aquele que vem nas nuvens para nos buscar, nós somos os que vamos ao Seu encontro nos ares para estar sempre com o Senhor.

Alguns perguntam: “Onde está a promessa da Sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação” (2Pe 3:4). Até mesmo alguns cristãos estão pondo em dúvida o sentido e a realidade dessa expectativa.

É bastante comum ouvir entre muitos crentes certas frases-chavão, como: “Aguardamos aquele maravilhoso dia!”, “Estamos fartos deste mundo!”, “Quando aquele dia chegar, estejamos preparados!”, “Já antevemos aquele dia que todos aguardamos ansiosos!”, etc. Mas, será que estamos conscientes do que elas significam? Ou apenas as proferimos por hábito? Não desconheço que muitos são sinceros ao proferi-las, mas, infelizmente, não posso dizer o mesmo a respeito de todos porque a vida de muitos não condiz com o que elas significam.

A segunda carta de Pedro, no capítulo 3, nos esclarece o motivo dessa aparente demora que tem desanimado até mesmo alguns membros da igreja. Primeiro, mostra que o conceito de Deus para tempo é bem diferente do nosso (v. 8) e, segundo, apresenta essa demora como um dos muitos gestos magnânimos de Deus, que concede mais tempo de preparação para aqueles que ainda não se conscientizaram da urgência do tempo. É que Ele não quer que ninguém se perca, mas que todos se arrependam (v. 9).

Por outro lado, a proximidade da segunda vinda de Cristo sem a justa e devida preparação, corre o risco de não ser percebida (v. 10, 11). Corremos ainda um outro perigo, o de cairmos num ritualismo rico em formalidades, mas vago em sua essência. Deus não Se encontra onde há indiferença e apatia espiritual, por mais que Ele seja invocado.

Se realmente cremos que Jesus está para vir, as coisas não podem continuar como estão. Ele só poderá vir se Lhe abrirmos espaço em nosso coração e em nossa vida.

REFLEXÃO: “Por essa razão [...] empenhai-vos por serdes achados por Ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis” (2Pe 3:14).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

domingo, 22 de julho de 2012

MD-Apocalipse 3:14

Meditação Diária
Amém!

Estas coisas diz o Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus. Apocalipse 3:14

Essa palavra, composta de apenas quatro letras, há muito que os homens a proferem em suas orações. Ela é repetida nos Evangelhos, nas epístolas e no Apocalipse.

Amém significa “assim seja!”, “sim, sim!” É uma confirmação. Aceitamos tudo sem questionamentos. O Amém, proferido de maneira leal, forte e consciente, é o mesmo que uma assinatura no fim de um documento, um atestado de que estamos plenamente de acordo com suas cláusulas.

Proferimos o Amém na oração de dedicação de uma criança, na cerimônia batismal, na bênção matrimonial, num serviço fúnebre e em muitas outras situações. Pode ser um Amém soluçante, um Amém de regozijo, um Amém angustioso, um Amém vitorioso. As circunstâncias em que o proferimos podem variar, mas o objetivo é sempre o mesmo: submissão. Dito o Amém, no fim da oração, nada mais se acrescenta, pois acabamos de “assinar um documento” com Deus. Ele vai agir conforme Sua soberana vontade.

Há muito que os homens proferem essa pequena palavra. Mas o uso do Amém, com toda força e significado, na maioria das vezes, é mencionado em relação com a Eternidade, como por exemplo: “Criador, que é bendito para sempre. Amém” (Rm 1:25).

Entretanto, há um significado maior para o Amém. Ele destaca a fidelidade e a confiabilidade de Deus (Ap 3:14), de modo que Jesus é denominado “O Amém, a Testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus”.

Há algo mais: essa pequenina palavra, tão plena de significado, ressoará no Céu, resumindo a adoração de todos os salvos (Ap 7:9-12). O Amém sintetiza ainda a esperança de todos os cristãos na volta de Jesus: “Certamente venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus” (Ap 22:20).

Ao proferir “Amém”, saibamos que estamos assumindo um compromisso com Deus. É nossa afirmação audível de que cremos no Pai que nunca falha. E por que não dizer “Amém” com mais força e confiança, em nossas orações particulares e coletivas? O Amém expressa toda convicção e esperança que temos nas promessas de Deus.

REFLEXÃO: “Disse, pois, Jeremias, o profeta: Amém! Assim faça o Senhor; confirme o Senhor as tuas palavras, com que profetizaste” (Jr 28:6).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

sábado, 21 de julho de 2012

MD-Mateus 8:24, 26

Meditação Diária
As Tormentas da Vida

De repente levantou-se uma terrível tempestade com ondas mais altas do que o barco [...] Então, Ele Se levantou, repreendeu o vento e as ondas, a tempestade passou e tudo ficou calmo. Mateus 8:24, 26, BV

Jesus e Seus discípulos entraram no barco e, antes que chegasse à outra margem, levantou-se uma grande tempestade. Os discípulos não podiam entender que, enquanto eles estavam lutando contra a tormenta para impedir que a embarcação naufragasse, Jesus dormia.

Que quadro sublime do Filho de Deus! Depois de um dia de trabalho, ajudando pessoas, Ele dormia... E dormia porque estava cansado. Estava tão exausto que nem mesmo o barulho da tempestade e as sacudidas do barco O despertaram.

Os discípulos temeram e clamaram pelo Mestre: “Salva-nos, vamos todos morrer!” Jesus acordou, olhou para eles e, sem Se preocupar com a tormenta, os acalmou, dizendo: “Por que sois tímidos, homens de pequena fé?” Em outras palavras, Jesus quis dizer: “Por que temer se o Eu Sou a Vida está aqui com vocês no barco?”

Se as tempestades da vida e as ondas ameaçarem nos tragar, não tenhamos medo, ainda que Ele pareça dormir, porque “não tosquenejará nem dormirá o Guarda de Israel” (Sl 121:4, ARC). Os ventos e as ondas das provações obedecem a Sua voz.

Porventura, já surgiu em sua mente o pensamento de que Ele não Se importa conosco e que vamos perecer? Não duvidemos. Não percamos a fé! Os discípulos tiveram “pequena fé”, e nós? Nem sempre Deus interfere para impedir os acidentes que surgem durante nossa peregrinação rumo ao Céu, mas Ele está no controle e não nos deixa sozinhos. Ele está presente em meio às nossas lutas e sofrimentos. Deus não Se omite.

“Ele está presente para consolar os que choram, para animar os desanimados, fortalecer os fracos e para dar esperança aos desalentados. Em meio à dor, pela fé, podemos segurar Sua mão, deixar que Sua luz penetre a escuridão que nos envolve, e que Suas promessas tragam alento ao nosso coração”, são palavras do pastor Mark Finley.

Quando nos sentirmos frágeis, debilitados, impotentes, incapazes de continuar navegando “sobre as ondas desta vida”, Ele, em meio às nossas ansiedades, nos dirá: “Eu não Me esqueci de Ti”. Tenha fé em Deus!

REFLEXÃO: “Tens tu fé?” (Rm 14:22, ARC).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

MD-Provérbios 30:7-9


Meditação Diária
A Oração de Agur

Ó Deus, eu Te peço apenas duas coisas para a minha vida nesta Terra: não me deixes ser um mentiroso! Este é o primeiro pedido. Além disso, não me deixes ficar nem muito rico nem muito pobre! Dá-me somente aquilo de que realmente preciso. Eu não quero ser ingrato, confiando somente nas riquezas e Te deixando de lado; também não quero ficar tão desesperado por causa da pobreza a ponto de me tornar um ladrão e manchar o Teu santo nome. Provérbios 30:7-9, BV

Muito pouco ou quase nada sabemos a respeito de Agur. Não sabemos ao certo onde Agur vivia e a que povo pertencia. Uma coisa, porém, é quase consenso entre os estudiosos da Bíblia: ele não era israelita. Possivelmente, fosse de origem ismaelita e, portanto, descendente de Abraão.

Mesmo não sendo israelita, conhecia o Deus de Israel. Mas ele queria mais. Ao contemplar as estupendas obras da Criação, ele confessou sua ignorância sobre esse maravilhoso Deus (v. 3). Ele não conseguia entender esse Deus que estava por trás de toda a deslumbrante natureza (v. 3-6).

Mas Agur era sábio, um pensador. Era um profundo conhecedor da natureza humana, das relações sociais e dos valores incorporados pelos indivíduos que compõem uma sociedade. (Leia toda a oração, Pv 30:1-33.) Ele era um sociólogo daquele tempo.

Quero tocar em apenas dois dos seus pedidos a Deus:

1) “Não me deixes ser um mentiroso.” Por acaso, você já fez esse pedido a Deus? Nos dias atuais, a mentira é um pecado comum e repetitivo em quase todas as esferas da sociedade: é a colisão entre o dever e o desejo – o dever de falar a verdade e o desejo de inverter os fatos para tirar vantagens. É o pregador abafando suas convicções; o político prometendo e não cumprindo; é o comerciante vendendo mercadorias falsificadas, etc. “Fora [da cidade santa] ficam os cães [...] “e todo aquele que ama e pratica a mentira” (Ap 22:15).

2) Agur, na sua oração, fala também do perigo tanto da pobreza como da riqueza. Tinha visto homens ricos, na sua presunção, negarem a Deus e pessoas pobres O maldizerem em seu desespero. Então, Agur pediu a Deus que não o deixasse nem muito rico nem muito pobre. “Dá-me somente aquilo de que realmente preciso”, longe da presunção e distante do desespero.

REFLEXÃO: “Os justos odeiam a maldade dos perversos. Os perversos odeiam a justiça dos justos” (Pv 29:27).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

MD-Lucas 12:20


Meditação Diária
Prioridades

Mas Deus lhe disse: Louco! Você esta noite morrerá. E então, quem ficará com tudo isso? Lucas 12:20, BV

Quais são as prioridades da nossa vida? Porventura, seria ganhar dinheiro? Não há nenhum inconveniente em desejar possuir posses e riquezas. O perigo é que isso se torne a principal razão da vida.

O rico louco da parábola (Lc 12:13-21) falava sozinho, apenas com suas faculdades pensantes, não com a faculdade da razão. Sua auto-segurança procedia do seu interior, e tinha origem em si e terminava em si. Era o eco do seu incontrolável egoísmo. Quando ele estava no auge de suas reflexões, a voz de Deus interrompeu seu auto-elogio, dizendo-lhe: “Louco! Nesta noite você vai morrer. E então, quem ficará com tudo isso?”

Li, não faz muito, a narrativa de uma parábola. Falava de um bem-sucedido homem de negócios, que um dia estava em seu escritório pensando em como investir sem riscos na Bolsa de Valores, quando apareceu na sua frente um ser misterioso que lhe disse: “Qual é o seu maior desejo?”

Ele pensou rapidamente e disse: “Quero que você me traga um exemplar de um jornal datado daqui a quinze dias”. Aquele ser estranho se retirou e logo voltou com o jornal datado de quinze dias no futuro, e desapareceu. Então, o hábil financista, um tanto excitado, foi direto à página de cotação da Bolsa para verificar os valores das ações. Viu as que iriam subir e as que iriam cair. Com isso, ficou sabendo em quais deveria aplicar e em quais não aplicar. “Fabuloso! Dentro de duas semanas serei muitas vezes mais bilionário!”, pensou.

Então, curioso, começou a folhear outras páginas do jornal: política, esportes, etc. Quando chegou à seção de necrologia, encontrou seu nome, acompanhado da seguinte nota: “Com pesar noticiamos a morte do Sr. HN, bem-sucedido homem de negócios, acometido de um enfarto fulminante.”

E agora? Com quinze dias apenas de vida, quais seriam as suas prioridades? Seriam as mesmas? Que alteração drástica houve em sua hierarquia de valores! Querer mais dinheiro passou a ser menos interessante para quem tinha apenas quinze dias para viver.

É apenas uma parábola, mas ninguém está livre de circunstância semelhante. Portanto, nossa prioridade deve ser sempre o reino dos Céus. Entreguemos ao Senhor o que somos e peçamos a Ele que nos ajude a usar com sabedoria o dinheiro que Ele nos dá.

REFLEXÃO: “Buscai primeiro o Reino de Deus, e a Sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33, ARC).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

MD-Hebreus 11:1


Meditação Diária
Remédio Para Momentos de Depressão

A fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem. Hebreus 11:1

Nos últimos anos de vida, o sábio Isaac Newton começou a ter crises de depressão e perda de memória. Preocupou-se, então, com a possibilidade de, em algum momento, se esquecer do principal motivo de sua fé. Ele não só suportou com paciência essa grande provação, como chegou a declarar: “Possa eu conservar, ao menos, duas lembranças: a de que sou um grande pecador e a de que Jesus é um grande Salvador.”

Temos que vigiar constantemente, pois é nesses momentos de provação, desânimo e depressão, que Satanás lança mão de sua arma preferida: levantar dúvidas em nossa mente. Ele sabe que, nessas condições, ninguém raciocina perfeitamente. A desorganização mental, devido ao peso do sofrimento, pode nos tirar a visão espiritual, a certeza da salvação e abalar nossa confiança na providência divina. Assim, Satanás tenta desestabilizar a fé das pessoas.

O remédio para os momentos de depressão, angústia e dúvida é a fé bem alicerçada, que não vacila ao sabor do tempo ou das circunstâncias.

Uma fé vigorosa, firmada em Deus, enfrentará sem hesitação e fraqueza os ataques do diabo e nos ajudará a superar os momentos difíceis da vida. Essa qualidade de fé só se adquire através do estudo diário da Bíblia e da oração constante.

Nossa fé deve ser de longo alcance, com abertura para um horizonte sem limites. Enquanto a fé de curto alcance é obstruída pelas coisas comuns da vida, a de longo alcance investiga além do horizonte visível, à procura “de fatos que se não vêem” (Hb 1:1), isto é, do Deus invisível, nosso Pai celestial.

Fé é uma dádiva de Deus. Portanto, temos que compreender que o viver pela fé (Rm 1:17) é uma experiência em ritmo diferente da vida comum. A fé é um ponto de apoio para a esperança e remédio para as incertezas, depressões e angústias.

“Fé verdadeira é a que recebe a Cristo como Salvador pessoal [...] Uma fé viva quer dizer aumento de vigor, segura confiança pela qual, mediante a graça de Cristo, a alma se torna um poder vitorioso.

“A fé é um conquistador mais poderoso do que a morte. Se o doente puder ser levado a fixar com fé os olhos no poderoso Médico, veremos maravilhosos resultados. Ela trará vida ao corpo e à alma” (A Ciência do Bom Viver, p. 62).

REFLEXÃO: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mt 11:28).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

terça-feira, 17 de julho de 2012

MD-Atos 16:31


Meditação Diária
Crer e Obedecer

Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. Atos 16:31

Crer! Que coisa maravilhosa! Crer no evangelho de Jesus Cristo. Crer na Sua morte expiatória. Crer que Ele nasceu, viveu e morreu para tornar possível a salvação do ser humano. Crer que isso é de graça e não nos custa nada. Crer que a salvação é unicamente pela fé em Jesus.

Mas esse crer não deve ser meramente um assentimento, destituído de sentido, ou apenas uma forma de concordar porque não podemos questionar essa verdade. Jesus disse que os demônios também crêem. Eles crêem porque conheceram a Jesus pessoalmente no Céu, antes da entrada do pecado, e também porque acompanharam Sua trajetória da manjedoura ao Calvário, portanto, não podem pôr em dúvida essa realidade. Eles crêem, mas não serão salvos. Da mesma forma, muitas pessoas crêem, mas não serão salvas porque são rebeldes. Querem um evangelho barato, isento de responsabilidade, que não envolva renúncia, mudança de conduta nem transformação do caráter.

Alguns fazem questão de levar o rótulo de cristão, mas continuam a viver a mesma vida que levavam antes de crer, a mesma vida de pecado e de transgressão da Lei de Deus. Para esses, o importante é somente crer. Mas a Palavra de Deus diz que Jesus salvará as pessoas dos seus pecados e não nos seus pecados.

Em um auditório repleto de ouvintes, se perguntarmos quantos crêem em Jesus e querem aceitá-Lo como seu Salvador para serem salvos, é quase certo que todos levantarão as mãos, mas são poucos os que sabem o que significa aceitar a Jesus, não apenas como Salvador mas também como Senhor de sua vida.

Se Ele é nosso Senhor, nós somos Seus servos, e o servo faz a vontade do seu Senhor. Crer em Jesus como Salvador envolve também reconhecê-Lo como Senhor, aceitar e obedecer a todas as normas que Ele nos prescreveu em Sua Palavra. Não uma obediência servil, imposta e obrigatória, mas voluntária, fruto de um amor que brota do coração agradecido pelo que Ele fez e faz por nós. É esse tipo de obediência que traz consigo as alegrias de uma nova vida e de um feliz relacionamento com Deus. Portanto, crer e obedecer são ingredientes da mesma receita. – EGS

REFLEXÃO: “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à Sua Palavra? Eis que o obedecer é melhor do que sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros” (1Sm 15:22).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

MD-Eclesiastes 2:11


Meditação Diária
Vaidade

Considerei todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também o trabalho que eu, com fadigas, havia feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do Sol. Eclesiastes 2:11

Vaidade é a marca registrada de tudo o que é inútil, descartável e de pouca duração. É o desejo exagerado de chamar a atenção dos outros para si. Os quadros da vida real estão cheios de tais exemplos.

Em geral, pessoas vaidosas preferem chegar depois da hora em reuniões e acontecimentos sociais importantes, para que todos vejam que elas chegaram. Algumas até dão um sorriso e um acenozinho!

Podemos notar pela TV, o esforço que algumas pessoas fazem para aparecer, até em velório de gente célebre. Enquanto a câmara focaliza os familiares do extinto, há aqueles que sempre dão um jeitinho de ficar o mais próximo possível deles, para no outro dia perguntar aos amigos: “Vocês me viram lá?”

A vaidade é ridícula. Ela vai muito além de tudo isso: alcança os limites da presunção e chega às raias da futilidade. Manifesta-se em nosso comportamento quando perdemos o controle das emoções. Ela atinge o coração e assume o lugar de Deus. Quando chega a esse ponto, tudo o que se faz visa somente à fama e ao aplauso dos homens.

O rei Salomão, com a autoridade de sua sabedoria, depois de analisar todas as facetas da vida, assim se expressou: “Foi então que comecei a comparar a sabedoria e a tolice (vaidade). Quem fizer essa comparação chegará às mesmas conclusões que eu, que a sabedoria vale muito mais que a tolice (vaidade), como a luz é melhor que o escuro” (Ec 2:12, 13, BV).

A vida de um cristão autêntico não é medida pelo sucesso que ele alcançou nos negócios nem pela riqueza que consegue acumular; tão pouco pela posição de destaque que conquista na sociedade. Todas essas coisas e outras mais podem ter o aplauso dos homens, porém, sem a aprovação de Deus, nada mais são do que tolices, coisas descartáveis e transitórias, um “correr atrás do vento”, de nenhum proveito.

Quando, em nossa vida, o Espírito de Deus nos fizer humildes diante de Deus e do semelhante, dispostos a seguir o exemplo de Cristo no sacrifício e no amor por todas as pessoas, então sim, alcançaremos a verdadeira grandeza.

REFLEXÃO: “Deus dá sabedoria, conhecimento e prazer ao homem que Lhe agrada” (Ec 2:26).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

domingo, 15 de julho de 2012

MD:1 Tessalonicenses 4:16


Meditação Diária
Arcanjo

Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. 1 Tessalonicenses 4:16

Na Bíblia Sagrada, a palavra arcanjo nunca vem no plural (arcanjos). Isso nos sugere a idéia de que dessa categoria faz parte apenas um anjo – Miguel. Se assim é, esse Anjo ocupa sozinho essa posição e, sem dúvida, é um Anjo poderosíssimo – o mais poderoso de todos.

Billy Graham afirmou que o “prefixo arch sugere anjo-chefe, principal ou poderoso”. Para ele, Miguel é “o anjo acima de todos os anjos, reconhecido como sendo o primeiro Príncipe do Céu” (Angels, God's Secret Agents, ed. de 1994, p. 55).

A epístola de Judas, no seu capítulo único, verso 9, nos afirma que o Arcanjo Miguel disputou com Satanás o corpo de Moisés que havia sido sepultado pelo Senhor “num vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor”; e que ninguém ficou sabendo o lugar da sua sepultura (Dt 34:6). Mas Deus sabia onde Seu servo estava sepultado e, no momento oportuno, enviou o Arcanjo Miguel para devolver-lhe a vida. Moisés foi levado para o Céu como um exemplar de todos os que morrem e ressuscitarão no último dia, ao som da poderosa voz do mesmo Arcanjo que o ressuscitou.

Diante desse fato e de outras evidências bíblicas, comparando passagem com passagem, a Igreja Adventista aceita a conclusão de que Miguel “é o nosso Senhor Jesus Cristo”, pois somente Ele, o Criador do Universo, poderia devolver a vida a Moisés e a todos os filhos de Deus que morrem. Esse estupendo acontecimento tão aguardado por todos nós se dará quando a voz de Cristo, como o poderoso Arcanjo (1Ts 4:16), se fizer ouvir pela redondeza da Terra, chamando os santos que dormem. “Ele olha para a sepultura dos justos e, levantando as mãos para o Céu, brada: ‘Despertai, despertai, despertai, vós os que dormis no pó, e surgi!’” Um simples anjo criado não teria poder para tanto.

O nome Miguel significa “Quem é como Deus?” Esse personagem poderoso envolve em Si todas as características refletidas na vida do Messias, no Novo Testamento. Ele, agora, é o Príncipe do Céu, nosso grande intercessor!

REFLEXÃO: “Nesse tempo Se levantará Miguel, o grande Príncipe, defensor dos filhos do teu povo” (Dn 12:1). Aguardemos por esse dia! Ele está bem perto. Amém!

 Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

sábado, 14 de julho de 2012

MD-Lucas 18.25

Meditação Diária
Amor ao dinheiro

Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar rico no Reino de Deus. (Lucas 18.25)

            Veja que estas são palavras de Jesus, mas devemos entendê-las; primeiro o camelo que se refere não é o animal parente do dromedário, mas sim um pano que se enrolava na cintura, uma espécie de lenço; seria a mesma coisa que tentarmos fazer passar um lençol pela agulha. E a dificuldade que existe para os ricos entrarem no Reino de Deus é o amor ao dinheiro, pois muitos idolatram o dinheiro e relega a Deus um segundo lugar. “E os que ouviram isso disseram: Logo, quem pode salvar-se?” (Lucas 18.26) Os próprios discípulos não entenderam, ou seja, pensaram que todos os que fossem considerados ricos não entrariam no Reino de Deus, mas se observarmos o que antes tinha acontecido com um jovem rico, entendemos que o amor ao dinheiro é que impede a entrada no Reino de Deus, não o fato de termos posses, mas se amá-lo, e colocar os bens materiais em primeiro lugar e não reconhecendo que tudo é favor divino, que quem é rico foi porque o próprio Deus o permitiu.

            “Mas Ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” (Lucas 18.27) Veja que Jesus em outras palavras afirma, que Deus conhece o coração de todos e sabe quem o ama e quem não o ama, conhece quem ama o dinheiro e quem simplesmente o usa para viver melhor, para abençoar, ajudar e melhorar a vida e  outras pessoas, Deus sabe quem está em primeiro lugar em nossos corações. “E disse Pedro: Eis que nós deixamos tudo e te seguimos.” (Lucas 18.28)Aqui Pedro traz a baila, a situação pessoal dele, que tinha abandonado a pesca o barco para seguir a Jesus, que tinha atendido o chamado de Jesus; devemos observar que no caso de Pedro foi um chamado pessoal; e quando somos chamados para sermos um pastor, missionário, evangelista, não podemos pensar em hipótese nenhuma na questão financeira, pois se estivermos pensando com certeza não entraremos no Reino de Deus, não estamos respondendo um chamado de Jesus, mas seguindo a nossa ganância.

            “E Ele lhes disse: Na verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou pais, ou irmãos, ou mulher, ou filhos pelo Reino de Deus e não haja de receber muito mais neste mundo e, na idade vindoura, a vida eterna.”(Lucas 18.29,30)Jesus mostra que não devemos idolatrar nada, nem dinheiro, bens materiais, nem pessoas, que o primeiro lugar é de Deus, que   não podemos deixar ninguém nos impedir de servir e praticar a palavra de Deus. Jesus não incita a separação, a discórdia, simplesmente mostra que a nossa prioridade em todos os sentidos tem que ser sempre Deus, e não filhos, pais, irmãos maridos ou mulher, pois  se dependermos deles para adorar e servir a Deus, não entraremos no Reino. 


“Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” (1 Timóteo 6.10) Veja que amar o dinheiro, é que separa o homem de Deus, ou amor a qualquer outra coisa, que seja mais do que o nosso Pai, o nosso criador. Leiam e pratique a Bíblia. Que Deus te abençoe./ Escrito por Pr. Henrique Lino/


Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés dAquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.



sexta-feira, 13 de julho de 2012

MD-2 Crônicas 20:26


Meditação Diária
O Vale da Bênção

Ao quarto dia, se ajuntaram no vale da Bênção, onde louvaram o Senhor. 2 Crônicas 20:26

Todos já passamos por situações complicadas que nos deixaram de imediato sem saber que rumo tomar. Em 2 Crônicas 20, vemos o rei Josafá nessa situação. Ele estava com medo. Então, buscou ao Senhor em oração, colocando diante dEle todo o motivo de sua angústia: “Ah! Nosso Deus [...] em nós não há força para resistirmos a essa tão grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém, os nossos olhos estão postos em Ti” (v. 12). Após a oração, o Espírito de Deus Se manifestou através de Jaziel, com essa mensagem: “Não temais [...] pois a peleja não é vossa, mas de Deus.” Josafá reconheceu a soberania de Deus e conclamou o povo, dizendo: “Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos Seus profetas e prosperareis” (v. 15, 20). Josafá, ao ouvir a promessa do Espírito Santo, prostrou-se diante de Deus com alegria e gratidão, louvando-O pela certeza da vitória. Eles agradeceram e louvaram ao Senhor antes mesmo dos resultados.

É muito fácil louvar a Deus depois que alcançamos o que queríamos. Por exemplo: o dinheiro que faltava, o emprego tanto aguardado, o restabelecimento da saúde de um parente. Mas louvar e agradecer a Deus quando um exército poderoso nos ameaça é bem diferente!

Quando o exército de Israel começou a cantar e louvar, o Senhor incitou os invasores contra eles mesmos, um matando o outro. Não sobrou ninguém! Depois que todos os despojos haviam sido recolhidos, no quarto dia, “ajuntaram-se no vale da Bênção, onde louvaram o Senhor” (v. 26).

Cada um de nós possui um “vale da Bênção”, no qual pode louvar e agradecer a Deus. Talvez seja o quarto de dormir, um templo, uma enfermaria de hospital, um cemitério, ao lado da sepultura de um ente-querido, um bosque tranqüilo ou, até mesmo, uma cela de prisão. Em qualquer situação, o Senhor estará “batalhando” por nós.

Temos um Deus especialista em preparar caminho em um mar de águas profundas; em abrir passagem no leito de um rio em época de cheia; em tirar pessoas de dentro de fornalha; em fechar a boca de leões famintos; em pilotar um barco sobre as águas de um dilúvio e fazê-lo “ancorar” com segurança no alto do monte Ararate; em vencer batalhas, inclusive as nossas contra o pecado. Nosso Deus é um Deus que nos surpreende... Senhor, “os nossos olhos estão postos em Ti”. Amém!

REFLEXÃO: “Tornaram para Jerusalém com alegria, porque o Senhor os alegrara com a vitória sobre seus inimigos” (2Cr 20:27).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis