Translate

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

*Maravilhoso Jesus- 1 Timóteo 3:16


O mistério da Piedade


Não há dúvida de que é grande o mistério da piedade: Deus foi manifestado em corpo. 1 Timóteo 3:16 NVI

Como o Deus eterno poderia tornar-se homem? Como poderia Aquele que não tem começo e nem fim, cujos dedos moldaram o mundo, condescender em se tornar um ser humano, um conosco?

Uma noite em Belém o choro de um bebê quebrou o silêncio. Maria, mulher de José, embora ainda virgem, havia dado a luz. A Palavra havia se tornado carne.

Veja-o deitado na manjedoura - tão pequeno, tão frágil, tão dependente, tão semelhante a nós! Como este bebê pode ser tanto homem quanto Deus?

Podemos estudar, investigar, filosofar e discutir, mas nunca conseguiremos explicar este mistério. Explicar o Deus-homem demandaria a habilidade de compreender o próprio Deus.
Contudo não precisamos explicar a Jesus a fim de conhecê-lo.O cristianismo genuíno sempre terá o elemento mistério associado ao Bebê de Belém. Ele é como nós - mas não exatamente. Ele é humano, mas Ele é tão mais que um ser humano!

Ao invés de discutir o assunto, devemos fazer como Moisés quando se aproximou da sarça ardente e tirou as sandálias dos pés em admiração pela presença de Deus. Devemos nos prostrar em adoração - surpresos, maravilhados e agradecidos - diante do auto-sacrifício de Deus ao tornar-se um de nós.


ORAÇÃO

Jesus, filho de Maria, eu te adoro pelo que Tu és. Deus conosco. Pai da eternidade. Principe da paz. Tú que és o Senhor do universo seja também o Senhor da minha vida, hoje!

Autor: William G. Johnsson

domingo, 30 de janeiro de 2011

Maravilhoso Jesus- Ageu 2:7


O Desejado de todas as nações

Farei abalar todas as nações, e o Desejado de todas as nações virá, e encherei esta casa de glória, diz o SENHOR dos Exércitos. Ageu 2:7 King James Version

Você se reúne semanalmente para adorar a Deus numa pequena igreja? De vez em quando você sente vontade de congregar numa igreja maior, talvez numa catedral?

O povo de Deus dos dias de Ageu estava desanimado. Eles tinham vindo do exílio babilônico cheios de esperança. Haviam começado a reconstruir o templo, saqueado pelos invasores. Mas o trabalho parecia vergonhosamente humilde. Alguns dos mais idosos se lembraram da primeira casa do Senhor – o magnificente Templo de Salomão – e choraram ao ver quão pobre seria a segunda estrutura em comparação com a primeira. Quando os alicerces foram postos: “não se podiam discernir as vozes de alegria das vozes do choro do povo” (Esdras 3:13).

O trabalho prosseguiu vagarosamente. Dificultado por inimigos, pela falta de material e pelo desânimo, a construção ainda permanecia inacabada aproximadamente 15 anos depois quando Ageu entrou em cena. Ele foi um profeta com uma só mensagem: Levantem-se e construam.

E para aqueles que se queixavam a respeito da glória do primeiro templo ele tinha uma emocionante predição. Embora essa nova casa fosse como um nada em comparação com o templo de Salomão, encher-se-ia de glória. A estrutura em que agora eles trabalhavam desanimados receberia “o Desejado de todas asnações”. “De repente, virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais” (Malaquias 3:1).

Esta é uma mensagem para nós também. Ao adorarmos em uma pequena igreja ou salão alugado, se Ele está presente – o Desejado de todas as nações – nossa humilde estrutura torna-se cheia de glória. Sem Ele, a mais bela catedral, para nada aproveita.

Através de uma série de predições, de Genesis a Malaquias, o último dos profetas do Antigo Testamento, Deus preparou Israel para a chegada do Messias. A mensagem dada foi: o Seu Rei virá. O Príncipe Messias, o Servo do Senhor, a semente da mulher. O Antigo Testamento cumprira o seu papel e descansava em antecipação.



ORAÇÃO

Senhor. Tenho diante de mim neste dia tarefas que me parecem humildes e desanimadoras. Que eu sinta a Tua presença comigo a me ajudar. Dá-me a certeza de que realizo uma obra grandiosa, pois trabalho em harmonia contigo. Em nome de Jesus. Amém

Autor: William G. Johnsson

sábado, 29 de janeiro de 2011

Maravilhoso Jesus- Daniel 9:26


O Príncipe Messias

Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará. Daniel 9:26

Quando pensamos nas visões do livro de Daniel geralmente lembramos das bestas ferozes que representam os reinos deste mundo. Alguns cristãos dedicam bastante tempo ao estudo da “ponta pequena”, aquele poder político e religioso mencionado nos capítulos 7 e 8 de Daniel. Mas a ímpia “ponta pequena” não é a figura central das profecias de Daniel.

Na verdade, cada seqüência profética de Daniel aponta para Cristo. Ele é a pedra cortada sem auxílio de mãos no capítulo 2. Ele é aquele “ser parecido com um homem” que recebe o reino após o julgamento no capítulo 7 (versos 13, 14). É contra Ele que se levanta a insolente ponta pequena no capítulo 8 (versos 10-14, 23-26). Ele se levanta no capítulo 12 a favor do povo de Deus (versos 1 e 2).

A profecia das 70 semanas (Daniel 9:24-27), acima de tudo, aponta para o Príncipe Messias. Esta surpreendente passagem é o coração do livro de Daniel, tanto pela estrutura literária como pelo desenvolvimento do tema. Ao profeta agonizante em oração, preocupado com a cidade arruinada e o templo destruído, vem, da parte de Deus, uma palavra de esperança: a cidade será reconstruída e o Messias virá. Ele é o verdadeiro príncipe ou governante de Israel, aquele para quem todos os monarcas da nação escolhida tinham apenas vagamente apontado.

Mas, surpresa das surpresas, o Messias será “morto”. Daniel deve ter ficado atordoado.

Primeiro vem a alegre revelação do breve aparecimento do Messias, e agora isto! Como poderia o Messias ser “morto”? Como poderia o tão esperado Rei de Israel sofrer a rejeição esboçada nestas palavras? Com certeza a nação iria aclamá-Lo e não repudiá-Lo.

À luz da primeira vinda de Jesus compreendemos o paradoxo das predições de Daniel. Agora entendemos que a profecia das 70 semanas já continha a resposta: através da sua morte, o Príncipe Messias iria “dar fim aos pecados...expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna” (verso 24). A sua morte garantiu a nossa vida.



ORAÇÃO

Querido Deus, ao contemplar o Teu imenso amor por mim, disposto a entregar tudo, até a vida do Teu Filho, em meu favor, me encho de gratidão. Ajuda-me a ter o Messias como o Rei da minha vida. Amém.
Autor: William G. Johnsson

*Maravilhoso Jesus- Ezequiel 36:26


Trocar o velho coração por um novo

Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Ezequiel 36:26 NVI

O Grande Médico é também o Grande Cirurgião. Somente Ele, que fez o coração humano, pode trocar velhos corações por novos. E ele nunca perdeu um paciente.

Um dos mais dramáticos avanços na medicina moderna ocorreu no tratamento das doenças do coração. O primeiro transplante cardíaco bem sucedido realizado pelo Dr. Christiaan Barnard, da África do Sul, criou uma onde de admiração e entusiasmo ao redor do mundo. As cirurgias para troca de coração se tornaram comuns: homens e mulheres cuja qualidade de vida estava comprometida devido a problemas cardíacos estão agora andando, trabalhando e correndo. Até mesmo corações artificiais foram desenvolvidos.

Apesar dos avanços científicos terem sido enormes, seus benefícios são limitados. A ciência não pode mudar a natureza humana em sua essência, o coração adoecido pelo pecado. A ciência não pode tomar homens e mulheres egoístas e torná-los altruístas; homens e mulheres que são cobiçosos e rudes e torná-los generosos e gentis; homens e mulheres que são cruéis e maliciosos e torná-los amorosos e bondosos.

Desesperadamente necessitamos trocar nossos velhos corações por novos! Como necessitamos alguém para tirar o nosso coração de pedra, defeituoso, e nos dar um “coração de carne” – um coração manso, gentil, puro e nobre como o coração de Jesus!
Os sintomas da arteriosclerose espiritual se vêem em toda a sociedade. Assassínio, estupro, roubo, mentira, glutonaria, falsidade – o pecado não respeita educação ou conta bancária. A sociedade está doente porque nós estamos – eu estou – doente.

É por isso que as palavras de Jesus a Nicodemos são tão verdadeiras hoje como foram há quase dois mil anos atrás: “você precisa nascer de novo” (João 3:7). O Seu diagnóstico, embora possamos considerar desagradável, é 100% acurado. Mas Ele, o Grande Médico, é também o Grande Cirurgião. Se o permitirmos, Ele trocará o nosso coração velho por um novo. E Ele nunca perdeu um paciente.



ORAÇÃO

Deus Eterno. Preciso de uma renovação que só Tu podes operar em minha vida. Dá-me novos pensamentos, novos propósitos, um novo coração. Peço em nome de Jesus. Amém.
Autor: William G. Johnsson


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

*Maravilhoso Jesus-Jeremias 23:6


O Senhor nossa Justiça

Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: SENHOR, Justiça Nossa. Jeremias 23:6

Muitas pessoas estão prontas a dizer “O Senhor nosso libertador.” Quando o navio começa a afundar até mesmo os descrentes começam a clamar a Deus por socorro. Outras pessoas se alegram em dizer “O Senhor nosso protetor.” Eles olham para Deus como um agente de segurança celestial, cujo cuidado benevolente irá protegê-los de acidentes e doenças. Alguns outros – certamente um grupo menor – ainda dizem: “O Senhor nosso Juiz.” Estas pessoas acreditam que o universo deve finalmente prestar contas ao seu Criador.

Mas é um passo além ser capaz de dizer: “O Senhor nossa Justiça.” Isso quer dizer que não procuramos a Deus simplesmente para nos atender naquelas áreas em que não temos controle – quando o barco começa a afundar, ou quando ficamos doentes ou no dia do ajuste de contas final – mas até mesmo naquilo que achamos que podemos controlar: a nós mesmos. Significa que deixamos de lado toda a nossa pretensão à sermos justos, nosso orgulho secreto, nossas desculpas e nossa racionalização. Até porque, quando pensamos um pouco, conseguimos fazer uma lista de coisas em que nos consideramos bons e chegamos a conclusão que somos melhores do que muita gente. É por isso que é tão difícil dizer do fundo do coração: “O Senhor Justiça nossa.”

É interessante ler a confissão do famoso pensador Francês Rousseau. Ele descreve extensamente suas fraquezas e defeitos, sem poupar a si mesmo perante o mundo. Mas também mostra como as circunstâncias contribuíram para as suas fraquezas e como, mesmo nas ocasiões em que havia falhado, suas intenções haviam sido boas. A conclusão a que se chega, mesmo considerando os seus tropeços, é de que ele é o melhor dos homens!

Duas pessoas foram orar. Uma disse: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens”. Mas o outro disse: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” (Lucas 18:9-14). Ainda é difícil dizer “Senhor Justiça nossa.” Somente seremos capazes de dizer estas palavras do fundo do coração quando compreendermos a beleza de Jesus.


ORAÇÃO

Santo Deus. Quero neste momento retirar as minhas vestes de justiça própria. Sei que sou indigno de habitar em Tua presença. Deposito minha confiança no “Senhor, Justiça nossa”. Aceita-me, perdoa-me, transforma o meu coração! Pelos méritos de Jesus. Amém.

Autor: William G. Johnsson

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

*Maravilhoso Jesus- Isaías 42:1


O servo do Senhor

Eis o meu servo, a quem sustento, o meu escolhido, em quem tenho prazer. Porei nele o meu Espírito, e ele trará justiça às nações. Isaías 42:1 NVI

As profecias acerca do Messias, que começam com a promessa da “semente da mulher” (ver Gênesis 3:15) e percorrem o Antigo Testamento como um côro de esperança, alcançam o seu clímax no livro de Isaías. Vamos nos reportar com freqüência a estas passagens de Isaías ao estudarmos nas semanas seguintes a vida e a morte de Jesus. Especialmente vamos dedicar atenção a quatro brilhantes passagens que retratam o Messias como “o servo do Senhor” (Isaías 42:1-7; 49:1-9; 50:4-9; 52:13-53:12).

Nosso texto de hoje marca o início destas passagens. Apresenta uma tríplice descrição do Servo do Senhor.

Para começar, o Messias será um “servo”. Esta idéia parece estranha para a maioria de nós: não crescemos num lar de pessoas ricas com mordomos, guardas, motoristas de carro, empregadas domésticas e jardineiros. Ainda mais distante é o pensamento de “ser um escravo”, que é o significado mais próximo da palavra “servo” no original. Vivemos em dias de direitos igualitários e democracia; estamos preocupados em obter salários iguais; não queremos ser pisados por ninguém. Mas, as Escrituras dizem que o Messias será primariamente um servo! Não haverá banda e pompa para ele, não haverá acordos políticos ou luta por posição – Ele veio para servir. “Em Sua vida nenhuma consideração pessoal devia estar presente. A honra que o mundo atribui a posição, riqueza e talento, devia ser estranha ao Filho de Deus.

Nenhum dos meios que os homens empregam para granjear submissão ou requerer homenagem, devia o Messias usar” ( Profetas e Reis, p. 692-693).

Em segundo lugar, apesar de ser um servo, o Messias era aquele em quem Deus se alegrava. O Pai falou palavras de aprovação em Seu batismo e selou a sua missão divina com a Sua bênção. O humilde pregador e operador de curas de Nazaré, que os “grandes” desprezavam, era na verdade o Homem de Deus, um servo da vontade divina.

Em terceiro lugar, a missão do Messias não seria simplesmente para Israel. Seria para o mundo todo: “Ele trará justiça às nações.” NEle as esperanças e sonhos da humanidade encontram um lar; nEle toda a família humana encontra descanso.

Obrigado, Senhor, pelo Teu servo!

ORAÇÃO

Querido Deus, ensina-me a servir. Ensina-me a cuidar do semelhante com a mesma dedicação que eu gostaria de ser cuidado. Assim encontrarei o caminho para a paz e o sucesso verdadeiro. Em nome de Jesus peço e agradeço. Amém.
Autor: William G. Johnsson

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

* Maraviloso Jesus - Salmos 110:1


O Senhor de Davi

O Senhor disse ao meu Senhor: “Senta-te à minha direita até que eu faça dos teus inimigos um estrado para os teus pés”. Salmo 110:1 NVI

De todas as profecias Messiânicas do Antigo Testamento essa é a mais freqüentemente citada no Novo Testamento. Sem dúvida sua popularidade entre os primeiros Cristãos foi um reflexo da apreciação que Cristo tinha por essa profecia.

Durante os últimos poucos dias de seu ministério público, quando a realidade da cruz era iminente, Jesus derrotou seus adversários citando esta passagem. Eles vinham fazendo-Lhe perguntas difíceis na esperança de conseguirem algum pretexto para prendê-Lo; no entanto agora Jesus vira a jogo. “Como os mestres da lei dizem que o Cristo é filho de Davi?” perguntou Jesus. “O próprio Davi o chama “Senhor”. Como pode, então, ser ele seu filho?” (Marcos 12:35, 37).

Os líderes religiosos ficaram sem palavras. Considerados especialistas na interpretação das Escrituras, foram derrotados em seu próprio território. A teologia deles era incapaz de lidar com os conceitos trazidos à tona pelo Salmo 110:1. Eles aguardavam a vinda futura do Cristo (o Messias), o filho de Davi - mas o Messias que eles esperavam seria outro rei poderoso, o qual governaria e subjugaria as nações vizinhas como Davi havia feito na época de ouro de Israel. Ele seria um outro Davi – não menos, mas também não mais. As expectativas deles não permitiam que o Messias fosse ao mesmo tempo o Senhor de Davi assim como o seu filho. Por isso o relato de Mateus acerca do ocorrido encerra assim: “Ninguém conseguia responder-lhe uma palavra” (Mateus 22:46).

O Senhor de Davi – o conceito expresso pelo Salmo 110:1 – ainda confunde muita gente. A multidão ainda consegue aceitar que Ele é filho de Davi. Talvez um grande homem. Talvez o maior personagem da história. Talvez o supremo professor de todas as eras. Ou quem sabe o melhor homem que já pisou sobre a terra.

Todas estas avaliações de Jesus ainda são dadas pelos sábios do mundo. Eles estão dispostos a erguer Jesus ao primeiro lugar entre os homens – desde que Ele não seja nada mais.
Mas Jesus é mais do que isso. Chamá-Lo simplesmente de um grande professor é fazer dele um mentiroso; dizer que Ele é apenas um bom homem faz dele um enganador ou um maluco. Ele não pode ser somente um professor ou um bom homem. Ou Ele é o que afirmou ser – Senhor, de Davi, meu e seu – ou ele é a pior espécie de pessoa. Mas aqueles que buscam descobrem a resposta. E ao conhecê-Lo e experimentá-Lo caem em adoração a Seus pés.



ORAÇÃO

Querido Jesus, ajuda-me a não reduzi-Lo a pouco mais que um professor caridoso. Dá-me a certeza da Tua divindade. Somente assim poderei contar contigo nos momentos extremos de minha existência. Obrigado. Amém.
Autor: William G. Johnsson

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis