Translate

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Mateus João 20:21



Suas mãos, Seus pés
 
Novamente Jesus disse: “Paz seja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu os envio”. João 20:21, NVI.
 
"Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós", escreveu o amado João. "Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade." (João 1:14, NVI).

Nós também vimos a Sua glória – a glória de Jesus. Durante esse ano seguimos os Seus passos. Aquele cuja vinda havia sido predita pelos profetas e sábios na plenitude dos tempos veio à terra como um bebê, nascido da virgem Maria. Um conosco, sujeito ao cansaço e à tentação, Ele cresceu em Nazaré, obediente aos Seus pais, ajudando José, Seu pai legal, na oficina de carpintaria. Mas aos 30 anos largou a carpintaria e deixou Nazaré, atendendo ao chamado do Pai para realizar a missão para a qual havia deixado o céu. Por mais de três anos andou fazendo o bem, curando, pregando, ensinando, restaurando a homens e mulheres. Então eles O prenderam, julgaram e crucificaram entre dois ladrões. Mas o túmulo não podia segurá-Lo, e ressuscitado à direita do Pai, Ele reina como sumo sacerdote celestial, prestes a voltar para nos levar para o lugar que está preparando para nós.

"Aleluia! Que Salvador!" "Tragam o diadema real e O coroem Senhor de todos."

Mas Jesus não nos quer que apenas meditemos a respeito de Sua vida e morte. A "hora de reflexão" que tivemos a cada dia pensando em Sua vida e obra – especialmente as cenas finais – não é um fim em si mesmo. Temos um trabalho a fazer.

"Assim como o Pai me enviou, eu os envio", diz Ele (João 20:21, NVI). Naquela última quinta-feira à noite antes da cruz, Jesus orou ao Pai: "Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo." (João 17:18, NVI).

Jesus foi enviado: Ele tinha uma missão divina. Nós também temos uma missão. Devemos continuar a Sua obra.

Tempos atrás as mãos Jesus partiram o pão para os famintos, tocaram leprosos, acariciaram a cabeça de criancinhas. Hoje Ele não tem outras mãos nesse mundo, senão as nossas.

Tempos atrás os olhos de Jesus olharam para as multidões com compaixão, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Hoje Ele não tem outros olhos nesse mundo, senão os nossos.

Tempos atrás a voz de Jesus falou de esperança ao desanimado, de conforto ao doente e enlutado, de perdão ao pecador. Hoje Ele não tem outra voz nesse mundo, senão a nossa.

Tempos atrás os ouvidos de Jesus foram rápidos em ouvir o grito por socorro. Hoje Ele não tem outros ouvidos nesse mundo, senão os nossos.

Ser as mãos, os pés, os olhos, a voz e os ouvidos de Jesus – quem é suficiente para tal missão? Mas a cada um de nós Ele promete: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza" (2 Coríntios 12:9, NVI).
 
ORAÇÃO

Senhor Jesus, usa-me hoje para o Teu serviço, mediante a capacitação do Teu Espírito. Quero ser Tuas mãos, pés, olhos, voz e ouvidos nesse mundo.

Autor: William G. Johnsson

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Hebreus 10:24

Incentivemos as pessoas
 
E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Hebreus 10:24, NIV.
 
Logo após completar 40 anos, graças às alfinetadas de dois filhos adolescentes que me lembravam que meu peso estava começando a aumentar, comecei a correr. Agora, para que ninguém pense que sou um grande atleta, deixe-me esclarecer que corri – e continuo a correr – estritamente pelo exercício em si e para me divertir, sem preocupação com horários.

Eu fui aumentando a distância percorrida mais e mais, até conseguir correr 16 quilômetros sem parar – num ritmo lento, naturalmente. Então nos mudamos para Washington, DC, e eu tomei conhecimento da Maratona do Corpo de Fuzileiros Navais. É chamada de "a maratona das pessoas comuns", porque os vencedores recebem troféus em vez de dinheiro e conseqüentemente os corredores mais rápidos não competem. A corrida atrai 12 mil corredores a cada ano, com dois terços deles tentando sua primeira maratona.

Mas não deixa de ser uma maratona – 42 quilômetros. Com emoção e alguma apreensão, registrei-me para a corrida e me posicionei entre os 12 mil competidores na avenida junto ao memorial de Iwo Jima. A banda dos Fuzileiros Navais tocou, o capelão fez uma oração, o canhão disparou dando largada à corrida, e a massa de corredores disparou.

Nos primeiros 16 quilômetros eu me sentia como um objeto flutuante sendo levada pelo mar de seres humanos que me cercava. Em seguida, os corredores começaram a diminuir; alguns desaceleraram e passaram a caminhar, outros desistiram. Quando cheguei ao quilômetro 26 estava me sentindo cansado. Tínhamos deixado para trás o Pentágono, o Capitólio dos EUA e o Monumento de Washington. Quando nos aproximamos do ponto de Haynes, perto da marca dos 32 quilômetros, enfrentamos um vento de matar. A esta altura os primeiros corredores já tinham concluído a corrida já há algum tempo, e nós que tínhamos ficado para trás estávamos dispersos e nos perguntando por que tivemos a idéia de participar num plano louco como esse. Passamos por um homem com o seu carro com possantes alto-falantes estacionado à beira da estrada, tocando bem alto o tema de Carruagens de Fogo. No quilômetro 35 encontramos uma banda de gaita de foles escocês. Eles tocavam o hino "Preciosa Graça"!

O que me fez continuar correndo? Uma coisa em particular: a cada milha [1,6 km] ao longo do trajeto Fuzileiros Navais dos EUA, homens e mulheres, estavam posicionados com bebidas e primeiros socorros. Conforme cada corredor se aproximava eles gritavam: "Continue. Você vai conseguir!" Quando passamos a marca dos 48 quilômetros e lutávamos para permanecer na corrida a despeito da exaustão eles nos incentivaram: "Vocês estão quase lá! Continuem! 

Vocês vão conseguir!"

E nós conseguimos.

Um grande líder cristão, W. A. Spicer, costumava dizer aos seus colegas ministros: "Incentivem as pessoas". Ele sempre falou de esperança, ele se recusou a demorar-se nos problemas da igreja.

Todos somos corredores na corrida da vida, e nessa corrida todo aquele que chega ao final é um vencedor.

Pela graça de Deus, incentivemos uns aos outros e concluamos a corrida.
 
ORAÇÃO

Autor e consumador da minha fé lembra-me hoje que posso ser um vencedor. Para isso preciso apenas viver um dia de cada vez ao Teu lado.

Autor: William G. Johnsson

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Mateus 22:3,4




O dia em que veremos a Jesus
 
Já não haverá maldição nenhuma. O trono de Deus e do Cordeiro estará na cidade, e os seus servos o servirão. Eles verão a sua face, e o seu nome estará em suas testas. Apocalipse 22:3, 4, NVI.
 
"Bem-aventurados os puros de coração", disse Jesus, "pois verão a Deus" (Mateus 5:8, NVI). E Deus, finalmente, cumprirá essa promessa porque veremos a Jesus face a face e Seu nome estará em nossas testas. De todas as razões pelas quais eu quero que Jesus volte, a maior é que eu desejo vê-Lo pessoalmente.

O cordeiro me dará as boas vindas no lar eterno. Esse nome me dá esperança, pois me faz recordar da morte de Jesus em meu benefício. Em virtude do Seu sangue derramado eu tenho a vida eterna.

Como será bom ver a Jesus. Esperamos por ele durante tanto tempo, agora podemos vê-lo! Agora O vemos somente pela fé, então O veremos face a face. "Felizes os que não viram e creram", disse Jesus ao repreender a insistência de Tomé em dizer que somente iria acreditar após tocar nas feridas de Cristo (João 20:29, NVI).

O nome do Cordeiro estará em nossas testas. Isso significa que Ele é o centro de nossas vidas, o assunto sobre o qual mais apreciamos conversar, o padrão do nosso caráter.

Nos últimos dias antes da volta de Jesus, o mundo ficará dividido na questão da adoração – ao Cordeiro ou ao poder da besta (descrito em Apocalipse 15). Aqueles que lançam a sua sorte com o sistema da besta, o sistema da religião falsa, receberão uma marca em sua mão direita ou na testa – eles se submeterão por causa de coerção (a mão), ou porque eles realmente aceitam a reivindicação feita pela besta de ter direito a ser adorada (a testa).

Contudo os seguidores do Cordeiro possuem o Seu nome apenas em suas testas. Ninguém que anda com Ele face a face no céu foi "forçado" a ser um discípulo. Somente O verão aqueles que O amam. Somente o verão aqueles que após terem percebido o Seu incrível amor e generosidade caíram a seus pés e O confessaram como Salvador e Senhor.

"O Cordeiro que está no centro do trono será o seu Pastor; ele os guiará às fontes de água viva. E Deus enxugará dos seus olhos toda lágrima" (Apocalipse 7:17, NVI).

"E ao transcorrerem os anos da eternidade, trarão mais e mais abundantes e gloriosas revelações de Deus e de Cristo. Assim como o conhecimento é progressivo, também o amor, a reverência e a felicidade aumentarão. Quanto mais aprendem os homens acerca de Deus, mais Lhe admiram o caráter. Ao revelar-lhes Jesus as riquezas da redenção e os estupendos feitos do grande conflito com Satanás, a alma dos resgatados fremirá com mais fervorosa devoção, e com mais arrebatadora alegria dedilharão as harpas de ouro; e milhares de milhares, e milhões de milhões de vozes se unem para avolumar o potente coro de louvor" (O Grande Conflito, p. 678).
 
ORAÇÃO

No céu há tantas coisas que eu desejo ver, mas acima de tudo desejo ver meu Salvador. Querido Deus conceda-me esse privilégio e alegria.

Autor: William G. Johnsson

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Tito 2:13


Porque eu quero que Jesus volte

Aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. Tito 2:13, NVI.

Eu quero que Jesus volte, porque estou cansado das dores, sofrimentos e injustiças dos nossos dias. Embora a nossa época seja a mais escolarizada da história – rica em conhecimento, mas não em sabedoria – os problemas da humanidade somente pioram a cada ano. Os ricos ficam cada vez mais ricos, os pobres cada vez mais pobres; angústias e misérias se multiplicam.

Durante séculos a humanidade nutriu a esperança de tornar o planeta Terra uma utopia. Educação, ciência, tecnologia, filosofia – tínhamos o know-how para erradicar a pobreza, as doenças, e talvez, eventualmente, até mesmo a própria morte. Inclusive a igreja em certa ocasião – no tempo de Agostinho, que escreveu o livro a cidade de Deus – sonhava em estender o reino de Deus na Terra até que os assuntos da igreja se tornassem um com os assuntos do Estado.

Essas acalentadas esperanças desapareceram para sempre com as duas grandes guerras do século XX e a multiplicação do desespero humano em nossos dias. Estupro, assassinato, fome, falta de moradia, corrupção, traição, mentira – nossa era do conhecimento talvez seja a mais fraca na história da raça. "Contudo, os perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados". "Estão sempre aprendendo e jamais conseguem chegar ao conhecimento da verdade" (2 Timóteo 3:13, 7).

Eu quero que Jesus volte para consertar as coisas nesse mundo. "Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça" (2 Pedro 3:13).

Eu quero que Jesus volte para porque desejo muito ver novamente pessoas queridas. Meu pai piedoso, minha mãe, rica em atos de compaixão e bondade, amigos que já não estão entre nós, alguns ceifados na plenitude de dias, alguns ceifados em pleno vigor da saúde – anseio vê-los novamente.
Um dia, Deus irá restaurar as relações que enriqueceram a nossa vida aqui na terra, mas que a morte separou. Reconheceremos uns aos outros, pois manteremos a nossa individualidade. O nosso amor e amizade se fortalecerão e crescerão na sociedade da vida eterna.

E também quero que Jesus volte, para que eu possa ser revestido com o corpo imortal que Ele tem para mim. "Enquanto isso, gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação celestial, porque, estando vestidos, não seremos encontrados nus" (2 Coríntios 5:2, 3, NVI).
Lá "sempre sentiremos a frescura da manhã, e os dias nunca terão fim... Ali os remidos conhecerão como são conhecidos. O amor e simpatias que o próprio Deus plantou na alma, encontrarão ali o mais verdadeiro e suave exercício" (O Grande Conflito, p. 676, 677).

Por essas e muitas outras razões eu quero que Jesus volte. Mas especialmente por causa de uma outra coisa, que apresentarei a você amanhã.

ORAÇÃO

Querido Jesus venha logo inaugurar o Teu reino onde haverá justiça plena, teremos saúde perfeita e desfrutaremos de relacionamentos sem medo.

 Autor: William G. Johnsson

Maravilhoso Jesus João 14:13


Um Lugar para nós

E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. João 14:3.

Meu pai trabalhou por muitos anos ajudando a construir casas para outras pessoas, mas ele não tinha condições de construir uma casa para si mesmo. Uma noite, depois que ele morreu, sonhei que Jesus lhe estava mostrando uma espaçosa casa nova. Enquanto admirava a bela obra, meu pai perguntou: "Para quem é essa casa?" "É para você", disse Jesus.

Jesus foi preparar um lugar para nós. A casa de Seu pai tem muitos quartos, e um tem o seu nome – e outro tem o meu. Segundo a Sua promessa, Jesus voltará à Terra um dia para nos levar para esse lar.

Jesus não precisa de 2 mil anos para construir-nos uma mansão celestial. Ele criou o mundo num piscar de olhos, Ele poderia preparar o nosso lugar ou quarto com a mesma rapidez. O fato dEle estar preparando um lugar para nós, portanto, refere-se a sua obra no templo celestial como nosso grande sumo sacerdote.

Da nossa perspectiva esse trabalho parece estar demorando demais. Queremos respostas rápidas para os problemas. Queremos que Deus encerre a longa luta contra o mal e implante logo o reino de justiça na terra.

Mas o nosso Deus, que falou e tudo apareceu, é também o criador da sequóia gigante com seu crescimento lento e contínuo, e da estalactite que é formada ao longo de centenas de anos uma gota de cada vez. O que Deus faz Ele o faz com perfeição.

Em nossa experiência, sabemos que algumas situações são muito mais difíceis de consertar do que outras. Nós somos capazes de consertar um pneu furado em 30 minutos; restaurar um casamento com problemas leva mais tempo. Por milhares de anos Deus tem estado remendando um universo dilacerado pelo pecado. Quando Ele consertar a Sua criação – e Ele irá consertá-la – não haverá nenhuma necessidade dela voltar a oficina de conserto, porque o reparo terá sido muito bem feito.

Jesus falou muito pouco acerca desse trabalho celestial em que Ele está empenhado agora. Ele simplesmente disse, "vou preparar um lugar para vocês". Ele coloca a ênfase naquilo que é mais significativo para nós – que podemos ter um lugar ali, que Ele nos quer ali. E isso é mais importante do que sabermos por que seu trabalho parece estar demorando tanto.

ORAÇÃO

Senhor Jesus, lembra-Te de mim – do meu lugar – no Teu reino celestial.

Autor: William G. Johnsson

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Hebreus 9:28


A Cruz e a nuvem

Assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam. Hebreus 9:28, RSV.

Alguns cristãos se concentram quase que exclusivamente na primeira vinda de Jesus. Enfatizam tanto a cruz que alguém poderia pensar que a história divina cessou há 2.000 anos.

Outros, ao contrário, são focados no futuro. Parecem absortos com a Segunda Vinda e vivem tentando desvendar o curso dos acontecimentos que a antecedem.

Como devemos viver, nós que cremos em Jesus e aguardamos a Sua volta?

Um homem piedoso e grande pregador, H. M. S. Richards, fundador do programa de rádio “A Voz da Profecia”, me deu uma resposta simples, mas profunda: "A cruz e a nuvem – nunca os separe em sua experiência pessoal ou na pregação".

Suas palavras me levaram a reestudar o ensino da Segunda Vinda. Embora por muitos anos eu tenha ensinado disciplinas bíblicas, sendo o Novo Testamento a minha especialidade, eu nunca tinha observado a maneira pela qual os escritores da Bíblia freqüentemente interligam a primeira e a segunda vinda de Cristo – a cruz e a nuvem. Aqui estão algumas das passagens que eu descobri em uma nova luz:

"Eis que ele vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dele. Assim será! Amém" (Apocalipse 1: 7, NVI).

 "Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens... enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. Ele se entregou por nós a fim de nos remir de toda a maldade e purificar para si mesmo um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras" (Tito 2:11 -14, NVI).
"Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e com ele, aqueles que nele dormiram... Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro" (1 Tessalonicenses 4:14-16, NVI).

"Assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam" (Hebreus 9:28, NVI).

A cruz e a nuvem: os escritores do Novo Testamento interligam esses dois eventos. A cruz garante a nuvem; a nuvem exibe a vitória que Jesus conquistou na cruz. E o que Deus uniu não o separe o homem.

Quando o grupo do qual eu participava escalou o Monte Kilimanjaro, ficamos surpresos ao descobrir que a montanha não possui apenas um pico, mas dois. Erguendo-se majestosamente acima da planície da Tanzânia, visível a mais de 160 quilômetros de distância, a montanha isolada mais alta do mundo, o Kilimanjaro, parece de longe possuir apenas um cume. Mas não é assim. Enquanto subíamos a montanha, vimos que o Kilimanjaro possui dois picos – Mawenzi, a 5.353 metros de altitude, e Kibo, a 5.894 metros de altitude. Somente quando chegamos lá em cima e caminhamos pelo vale existente entre os picos é que percebemos o quadro completo.

Nós que cremos vivemos entre dois grandes acontecimentos, ao cruzarmos o vale existente entre os dois picos da história divina – a primeira e a segunda vinda de Cristo. Nós não caminhamos mais na planície, estamos no planalto, e nossos olhos estão fixos no pico bem à nossa frente!

ORAÇÃO

Autor e consumador da minha fé ajuda-me a caminhar alegremente hoje seguro dos benefícios da Tua vitória na cruz e aguardando expectante o Teu retorno em glória e majestade para inaugurar o Teu reino de glória.


Autor: William G. Johnsson

domingo, 25 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus GÁLATAS 2:20


Faz-de-conta
 
Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. Gálatas 2:20, NVI.
 
Algum tempo atrás um amigo me mandou um recorte do jornal “Chicago Tribune” o qual relatou a seguinte conversa entre Robert I. Sherman e seu filho de 6 anos de idade, Ricky.

"É Cubby real ou faz-de-conta?" Sherman perguntou, referindo-se ao leão de pelúcia que é o brinquedo preferido do seu menino.

"Faz-de-conta ", disse Ricky.

"O que mais é faz-de-conta?"

"Papai Noel", disse Ricky. "Jesus. O coelhinho da Páscoa."

Seu pai ficou profundamente satisfeito. "Exatamente, filho", disse ele.

E Ricky, o ateu em miniatura, ganhou outro chocolate.

Sherman, um ateu declarado, entrou com uma ação em um tribunal federal, alegando que Ricky estava sendo prejudicado em sua liberdade no momento em que sua classe escolar se reúne diariamente para orar. Então todas as manhas quando seus colegas proferem a palavra Deus, Ricky permanece com a boca fechada.

Papai Noel é faz-de-conta, mas Jesus não.

Primeiro, Ele é um homem comprovado pela história. Nenhum estudante sério do passado nega que Jesus de Nazaré, um carpinteiro que se tornou um pregador itinerante, e que foi executado numa cruz romana, tenha existido. Não sabemos muitos fatos a respeito dEle, por exemplo, o dia do Seu nascimento, que com quase toda certeza não foi 25 de dezembro – mas temos mais conhecimento da Sua vida e obra do que praticamente qualquer outra pessoa famosa de 2.000 anos atrás.

Se Jesus de Nazaré não existiu, nunca teria havido uma igreja em Seu nome. Jesus não é fictício.

Mas existe outra razão pela qual sabemos que ele não é fictício. Jesus está vivo! Aqueles de nós que O confessamos como Salvador e Senhor, conhecemos não apenas fatos acerca dEle, mas O conhecemos.

Nós O conhecemos como nosso melhor amigo. E Ele vive hoje dentro do nosso coração.
 
ORAÇÃO

Meu querido Jesus fortaleça a minha confiança em Ti e aprofunda a minha amizade contigo hoje.

Autor: William G. Johnsson

sábado, 24 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Lucas 12:35,36


Esperando por Jesus - 3

"Estejam prontos para servir, e conservem acesas as suas candeias, como aqueles que esperam seu senhor voltar de um banquete de casamento; para que, quando ele chegar e bater, possam abrir-lhe a porta imediatamente. Lucas 12:35, 36, NVI.

Em um sermão pregado em Lansing, Michigan, em  5 de setembro de 1891, Ellen White deu instruções específicas sobre como devemos esperar o Senhor voltar.

Especificamente advertindo contra tentativas de calcular o tempo exato da vinda do Senhor, ela disse: "Os tempos e estações, Deus estabeleceu por Seu próprio poder. E por que não nos deu Deus esse conhecimento? – Porque não faríamos dele o devido uso, caso Ele assim fizesse. Desse conhecimento viria em resultado um estado de coisas entre nosso povo, que retardaria grandemente a obra de Deus no preparar um povo para subsistir naquele grande dia que há de vir. Não devemos viver em agitação acerca de tempo. Não nos devemos absorver com especulações relativamente aos tempos e às estações que Deus não revelou. 
Jesus disse a Seus discípulos "vigiai", mas não para um tempo definido. Seus seguidores devem encontrar-se na posição dos que estão à escuta das ordens de seu Comandante; devem vigiar, esperar, orar, e trabalhar à medida que se aproxima o tempo da vinda do Senhor; ninguém, no entanto, será capaz de predizer exatamente quando virá aquele tempo; pois "daquele dia e hora ninguém sabe". Não sereis capazes de dizer que Ele virá dentro de um, dois, ou cinco anos, nem deveis retardar Sua vinda, declarando que não será por dez, ou vinte anos" (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 189).

Como, então, esperaremos a Sua vinda? Tendo a certeza de que Aquele que está para vir já demonstrou a confiabilidade de suas promessas mil vezes em nossa experiência.

Como, então, esperaremos a Sua vinda? Permanecendo firmes no caminho cristão, inabaláveis a despeito dos ataques lançados contra nós. Confessando corajosamente ao mundo nossa confiança no Salvador ressuscitado que ministra nos tribunais celestiais e que logo atravessará as nuvens em Sua volta gloriosa.

Como, então, esperaremos a Sua vinda? Dispondo-nos a ir à igreja, não importando quão quente ou quão frio possa estar, independente de quão convidativa a cama nos pareça.

Como, então, esperaremos a Sua vinda? Contando as boas novas do evangelho perto e longe – a nossos vizinhos, amigos e queridos. Colaborando para o crescimento de nossos irmãos em Cristo, permitindo assim que o mundo saiba que somos cristãos.

E um dia, em breve, "Aquele que vem virá, e não demorará" (Hebreus 10:57, NVI)!

ORAÇÃO

Querido noivo da igreja fortaleça o meu amor por Ti hoje para que eu possa permanecer ativo na prática do bem até a Tua volta!


Autor: William G. Johnsson
 

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Hebreus 12:1,2




Esperando por Jesus - 2
 
Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Hebreus 12:1, 2, NVI.
 
Os Jogos do Império Britânico de 1954, realizados em Vancouver, British Columbia, fornecem um exemplo notável de como esperar por Jesus. A corrida de uma milha que foi então realizada é considerada uma das corridas mais famosas, talvez a mais famosa corrida de todos os tempos. Nela ficaram lado a lado os dois homens mais velozes do mundo em corridas de uma milha – Roger Bannister e John Landy.

Seguindo a sua abordagem usual, Landy começou rápido. Diferentemente da maioria dos corredores, o método de Landy era colocar-se à frente dos demais e pela força de seu físico distanciar-se dos outros corredores que reservavam forças para um impulso final na reta de chegada.

A corrida era claramente entre Bannister e Landy. Logo os outros corredores ficaram para trás, deixando Landy isolado na frente, e Bannister bem atrás dele.
A cada 400 metros os tempos eram anunciados, e a cada declaração as pessoas das arquibancadas vibravam. Landy e Bannister estabeleceram um ritmo surpreendente, um que certamente resultaria num novo recorde mundial, mas quem seria o primeiro a cruzar a linha de chegada?

Assim, os corredores chegaram aos últimos 400 metros. Landy estava em primeiro lugar, à frente de Bannister, como tinha estado durante toda a corrida. À sua frente estendia-se a fita de chegada, a qual se aproximava cada vez mais. Em algum lugar, atrás dele, estava Bannister.

E então um rugido ensurdecedor surgiu nas arquibancadas. Landy sabia o que significava: Bannister estava fazendo o seu último esforço desesperado para alcançar Landy.

A fita foi ficando cada vez mais perto, e o rugido cada vez mais alto. Landy sabia que Bannister em seu último grande esforço estava diminuindo a distância. Mas onde estava ele?

Pouco antes de cruzar a fita Landy virou a cabeça para que pudesse ver exatamente onde Bannister estava. Então Bannister, aproveitando o momento psicológico, ultrapassou Landy pelo outro lado e lançou-se sobre a fita!

Essa famosa corrida, a "milha do milagre", está registrada em pedra na cidade de Vancouver. Vá à cidade e você verá os dois corredores – um virando a cabeça para o lado enquanto o outro lança-se sobre a fita.

Como corredores na corrida da vida, devemos manter os nossos olhos fixos em Jesus. Aquele que começou a boa obra em nós irá conduzirmos até o final vitorioso. Ele irá nos apresentar irrepreensíveis diante da Sua presença. O autor da nossa fé é também o consumador da nossa fé.
 
ORAÇÃO

Senhor da minha fé, conduze-me vitorioso no dia de hoje e até cruzar a linha de chegada.


Autor: William G. Johnsson

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis